Pesquisa

PagSeguro UOL

Doação PayPal

R$100,00 ao Mês por Exemplo
   
          

Vamos Frutificar

Organograma da Igreja:

 

Vídeos de Cruzadas e Escolas:

 

R.M.M.

Rede de Mobilizacao Missionaria:

CaminharSozinho

D.A. - Discipulado Apostólico 1+1:

discipulos

 

Estudos Bíblicos
Índice do Artigo
Estudos Bíblicos
95 Teses da Reforma
AP - Barreiras para sermos Respondidos
Ciência não Exclui DEUS
Cientistas Descobrem Sodoma e Gomorra
Contemporaneidade dos DONS Espirituais
Curso de Exorcismo no Vaticano
Demônios que Energizam os Pensamentos dos Incrédulos
Entrevista Pastor Doug Fields
ESPANHOL - Adorando lo que Sabemos
ESPANHOL - Geración Profética
ESPANHOL - Mujer un Istrumento nas Manos de Dios
ESPANHOL - Una Iglesia en Avivamiento
AP - EVANGELISMO e DISCIPULADO
Exorcismo Científico
Expedição Russa sai em Busca da Arca de Noé
Feiticeira de En-Dor - I Sm 28.1-25
Feriados de Origem Pagã
História das Cartas do Baralho
Ap - História dos Avivamentos Espirituais
AP - Impedimentos de Entrar no Santo dos Santos
Informações Importantes sobre os
INGLES - Prophetic Generation
INGLES - The Church Livening
INGLES - Woman - An Instrument in God's Hand
AP - Intercessor na sala do Trono
AP - Jejum Bíblico
AP - Jejum Bíblico
Martírio dos Apostolos
AP - Métodos Dinâmicos para Manter a Chama Viva
MONDEX - ILLUMINATI
AP - Movimentos de Oração Modernos
AP - Movimentos de Oração Modernos
AP - Oração Cristã
AP - Oração Vitoriosa
Os Camelos Engolidos por Calvino
AP - Para que tanta Oração se Deus já sabe de tudo?
Paz com DEUS
Paz com DEUS
Primeiros Cristao e a Reencarnacao
Principais Datas do Evangelho no Brasil
Principais Datas do Cristianismo
Protestantismo: o que deu errado?
Queda da Babilônia
Sociedades Secretas e o Senhor Jesus Cristo - Parte 1
Sugestões Práticas para Equipes de Intercessão
AP - Tempo de Colher e não mais de Semear
AP - Tipos de Oração
AP - Tipos de Oração
AP - Você Precisa Orar
Todas Páginas

 

Estes textos são de diversos autores, utilize com toda liberdade, porem não deixe de citar a fonte nem o autor.

 


95 Teses da Reforma
por Lutero

AS 95 TESES DE LUTERO

 
Contra o comércio das indulgências

31 de outubro de 1517

 
Movido pelo amor e pelo empenho em prol do esclarecimento da verdade, discutir-se-á em Wittemberg, sob a presidência do Rev. Padre Martinho Lutero, o que segue. Aqueles que não puderem estar presentes para tratarem o assunto verbalmente conosco, o poderão fazer por escrito. Em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

1ª Tese

Dizendo nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo: Arrependei-vos... etc., certamente quer que toda a vida dos seus crentes na terra seja contínuo e ininterrupto arrependimento.

2ª Tese

E esta expressão não pode e não deve ser interpretada como referindo-se ao sacramento da penitência, isto é, à confissão e satisfação, a cargo dos sacerdotes.

3ª Tese

Todavia não quer que apenas se entenda o arrependimento interno; o arrependimento interno; o arrependimento interno nem mesmo é arrependimento quando não produz toda sorte de mortificação da carne.

4ª Tese

Assim sendo, o arrependimento e o pesar, isto é, a verdadeira penitência, perdura enquanto o homem se desagradar de si mesmo, a saber, até à entrada para a vida eterna.

5ª Tese

O papa não quer e não pode dispensar de outras penas além das que impôs ao seu alvitre ou nem acordo com os cânones, que são estatutos papais.

6ª Tese

O papa não pode perdoar dívida, senão declarar e confirmar aquilo que já foi perdoado por Deus, ou então o faz nos casos que lhe foram reservados. Nestes casos, se desprezados, a dívida em absoluto deixaria de ser anulada ou perdoada.

7ª Tese

Deus a ninguém perdoa a dívida sem que ao mesmo tempo o subordine, em sincera humildade, ao ministro, seu substituto.

8ª Tese

Cânones poenitentiales, que são as ordenanças de prescrição da maneira em que se deve confessar e expiar, apenas são impostos aos vivos, e, de acordo com as mesmas ordenanças, não dizem respeito aos moribundos.

9ª Tese

Eis por que o Espírito Santo nos faz bem mediante o papa, excluindo este de todos os seus decretos ou direitos o artigo da morte e da necessidade suprema.

10ª Tese

Procedem desajuizadamente e mal os sacerdotes que reservam e impõe aos moribundos penitências canônicas ou para o purgatório a fim de ali serem cumpridas.

11ª Tese

Este joio, que é o de transformar a penitência e satisfação, prevista pelos cânones ou estatutos, em penitência ou penas do purgatório, foi semeado enquanto os bispos dormiam.

12ª Tese

Outrora canônica poenae, ou seja, penitência e satisfação por pecados cometidos, eram impostos, não depois, mas antes da absolvição, com a finalidade de provar a sinceridade do arrependimento e do pesar.

13ª Tese

Os moribundos tudo satisfazem com a sua morte e estão mortos para o direito canônico, sendo, portanto, dispensados, com justiça, de sua imposição.

14ª Tese

Piedade ou amor imperfeitos da parte daquele que se acha às portas da morte, necessariamente resultam em grande temor; logo, quanto menos o amor, tanto maior o temor.

15ª Tese

Este temor e espanto em si tão só, sem nos referirmos a outras coisas, basta para causar o tormento e o horror do purgatório, pois se avizinham da angústia do desespero.

16ª Tese

Inferno, purgatório e céu parecem ser tão diferentes quanto o são um do outro o desespero completo, incompleto ou quase desespero e certeza.

17ª Tese

Parece que assim como no purgatório diminuem a angústia e o espanto das almas, também deve crescer e aumentar o amor.

18ª Tese

Bem assim parece não ter sido provado, nem por boas razões e nem pela Escritura, que as almas do purgatório se encontram fora da possibilidade do mérito ou do crescimento no amor.

19ª Tese

Parece ainda não ter sido provado que todas as almas do purgatório tenham certeza de sua salvação e não receiem mais por ela, não obstante nós termos esta certeza.

20ª Tese

Por isso o papa não quer dizer e nem compreender com as palavras "perdão plenário de todas as penas" o perdão de todo o tormento, mas tão só as penas por ele impostas.

21ª Tese

Eis por que erram os apregoadores de indulgências ao afirmarem ser o homem perdoado de todas as penas e salvo mediante indulgência do papa.

22ª Tese

Com efeito, o papa nenhuma pena dispensa às almas do purgatório das que, segundo os cânones da igreja, deviam ter expiado e pago na presente vida.

23ª Tese

Verdade é que se houver qualquer perdão plenário das penas, este apenas será dado aos mais perfeitos, que são muitos poucos.

24ª Tese

Logo, a maioria do povo é ludibriado com as pomposas promessas do indistinto perdão, impressionando-se o homem singelo com as penas pagas.

25ª Tese

Exatamente o mesmo poder geral que o papa tem sobre o purgatório, qualquer bispo e cura d’almas o tem no seu bispado e na sua paróquia, quer de modo especial e quer para com os seus em particular.

26ª Tese

O papa faz muito bem em não conceder o perdão às almas em virtude do poder das chaves (coisa que não possui), mas pela ajuda ou em forma de intercessão.

27ª Tese

Pregam futilidades humanas quantos alegam que no momento em que a moeda soa ao cair na caixa a alma se vai do purgatório.

28ª Tese

Certo é que, no momento em que a moeda soa na caixa, vem lucro, e o amor ao dinheiro cresce e aumenta; a ajuda, porém, ou a intercessão da igreja tão só correspondem à vontade e ao agrado de Deus.

29ª Tese

E quem sabe, se todas as almas do purgatório querem ser libertadas, quando há quem diga o que sucedeu com S. Severino e Pascoal.

30ª Tese

Ninguém tem certeza da suficiência do arrependimento e pesar verdadeiros, muito menos certeza pode ter de haver alcançado pleno perdão dos seus pecados.

31ª Tese

Tão raro como existe alguém que possui arrependimento e pesar verdadeiros, tão raro também é aquele que verdadeiramente alcança indulgência, sendo bem poucos os que se encontram.

32ª Tese

Irão para o diabo, juntamente com os seus mestres, aqueles que julgam obter certeza de sua salvação mediante breves de indulgência.

33ª Tese

Há que acautelar-se muito e ter cuidado daqueles que dizem: A indulgência do papa é a mais sublime e mais preciosa graça ou dádiva de Deus, pela qual o homem é reconciliado com Deus.

34ª Tese

Tanto assim que a graça da indulgência apenas se refere à pena satisfatória, estipulada por homens.

35ª Tese

Ensinam de maneira ímpia quantos alegam que aqueles que querem livrar almas do purgatório ou adquirir breves de confissão não necessitam de arrependimento e pesar.

36ª Tese

Tudo o cristão que se arrepende verdadeiramente dos seus pecados e sente pesar por ter pecado, tem pleno perdão da pena e da dívida, perdão esse que lhe pertence mesmo sem breve de indulgência.

37ª Tese

Todo e qualquer cristão verdadeiro, vivo ou morto, é participante de todos os bens de Cristo e da Igreja, por dádiva de Deus, mesmo sem breve de indulgência.

38ª Tese

Entretanto se não devem desprezar o perdão e a distribuição deste pelo papa. Pois, conforme declarei, o seu perdão consiste numa declaração do perdão divino.

39ª Tese

Ë extremamente difícil, mesmo para os mais doutos teólogos, exaltar diante do povo ao mesmo tempo a grande riqueza da indulgência e, ao contrário, o verdadeiro arrependimento e pesar.

40ª Tese

O verdadeiro arrependimento e pesar buscam e amam o castigo; mas a profusão da indulgência livra das penas e faz com que se as aborreça, pelo menos quando há oportunidade para tanto.

41ª Tese

É necessário pregar cautelosamente sobre a indulgência papal, para que o homem singelo não julgue erradamente ser a indulgência preferível às demais obras de caridade ou melhor do que elas.

42ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos, não ser pensamento e opinião do papa que a aquisição de indulgências de alguma maneira possa ser comparada com qualquer obra de caridade.

43ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos, proceder melhor quem dá aos pobres ou empresta ao necessitado do que os que compram indulgência.

44ª Tese

É que pela obra de caridade cresce o amor ao próximo e o homem torna-se mais piedoso; pelas indulgências, porém, não se torna melhor senão mais seguro e livre da pena.

45ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos que aquele que vê seu próximo padecer necessidade e a despeito disto gasta dinheiro com indulgências, não adquire indulgência do papa, mas desafia a ira de Deus.

46ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos que, se não tiverem fartura, fiquem com o necessário para a casa e de maneira nenhuma o esbanjem com indulgências.

47ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos ser a compra de indulgência livre e não ordenada.

48ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos que se o papa precisa conceder mais indulgências, mais necessita de uma oração fervorosa do que de dinheiro.

49ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos serem muito boas as indulgências do papa enquanto o homem não confiar nelas; mas muito prejudiciais quando, em conseqüência delas, se perde o temor de Deus.

50ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos que se o papa tivesse conhecimento da traficância dos apregoadores de indulgência, preferiria ver a basílica de São Pedro ser reduzida a cinzas a ser edificada com a pele, a carne e os ossos de suas ovelhas.

51ª Tese

Deve-se ensinar aos cristãos que o papa, por um dever seu, preferiria distribuir o seu dinheiro aos que em geral são despojados do dinheiro pelos apregoadores de indulgência, vendendo, se necessário, a própria basílica de São Pedro.

52ª Tese

Esperar ser salvo mediante breves de indulgência é vaidade e mentira, mesmo se o comissário de indulgências e o próprio papa oferecessem sua alma como garantia.

53ª Tese

São inimigos de Cristo e do papa quantos por causa da prédica de indulgências proíbem a palavra de Deus nas demais igrejas.

54ª Tese

Comete-se injustiça contra a palavra de Deus quando, no mesmo sermão, se consagra tanto ou mais tempo à indulgência do que à pregação da palavra do Senhor.

55ª Tese

A intenção do papa não pode ser outra do que celebrar a indulgência, que é a coisa menor, com um toque de sino, uma pompa, uma cerimônia, enquanto o evangelho, que é o essencial, importa ser anunciado mediante cem toques de sino, centenas de pompas e solenidades.

56ª Tese

Os tesouros da igreja, dos quais o papa tira e distribui as indulgências, não são bastante mencionados e nem suficientemente conhecidos na Igreja de Cristo.

57ª Tese

É evidente que não são bens temporais, porquanto muitos pregadores não os distribuem com facilidade, antes os ajuntam.

58ª Tese

Também não são os merecimentos de Cristo e dos santos, porquanto este sempre são suficientes, e, independente do papa, operam graça do homem interior e são a cruz, a morte e o inferno do homem exterior.

59ª Tese

São Lourenço chama aos pobres, os quais são membros da Igreja, tesouros da Igreja, mas no sentido em que a palavra era usada na sua época.

60ª Tese

Afirmamos com boa razão, sem temeridade ou leviandade, que estes tesouros são as chaves da Igreja, que lhe foram dadas pelo merecimento de Cristo.

61ª Tese

Evidente é que, para o perdão das penas e para a absolvição em determinados casos, o poder do papa por si só basta.

62ª Tese

O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo evangelho da glória e da graça de Deus.

63ª Tese

Este tesouro, porém, é muito desprezado e odiado, porquanto faz com que os primeiros sejam os últimos.

64ª Tese

Enquanto isso o tesouro das indulgências é notoriamente o mais apreciado, porque faz com que os últimos sejam os primeiros.

65ª Tese

Por essa razão os tesouros evangélicos foram outrora as redes com que se apanhavam os ricos e abastados.

66ª Tese

Os tesouros das indulgências, porém, são as redes com que hoje se apanham as riquezas dos homens.

67ª Tese

As indulgências, apregoadas pelos seus vendedores como a mais sublime graça, decerto assim são consideradas porque lhes trazem grandes proventos.

68ª Tese

Nem por isso semelhante indulgência é a mais ínfima graça, comparada com a graça de Deus e a piedade da cruz.

69ª Tese

Os bispos e os sacerdotes são obrigados a receber os comissários das indulgências apostólicas com toda reverência.

70ª Tese

Entretanto tem muito maior dever de conservar abertos os olhos e ouvidos, para que estes comissários, em vez de cumprirem as ordens recebidas do papa, não apregoem os seus próprios sonhos.

71ª Tese

Quem levanta a sua voz contra a verdade das indulgências papais é excomungado e maldito.

72ª Tese

Aquele, porém, que se insurgir contra as palavras insolentes e arrogantes dos apregoadores de indulgências, seja abençoado.

73ª Tese

Da mesma maneira em que o papa usa de justiça ao fulminar com a excomunhão aos que em prejuízo do comércio de indulgências procedem astuciosamente.

74ª Tese

Muito mais deseja atingir com o desfavor e a excomunhão àqueles que, sob pretexto de indulgências, prejudicam a santa caridade e a verdade pela sua maneira de agirem.

75ª Tese

Considerar a indulgência do papa tão poderosa, a ponto de absolver alguém dos pecados, mesmo que (coisa impossível de se expressar) tivesse deflorado a mãe de Deus, significa ser demente.

76ª Tese

Bem ao contrário afirmamos que a indulgência do papa nem mesmo pode anular o menor pecado venial no que diz respeito a culpa que representa.

77ª Tese

Afirmar que nem mesmo São Pedro, se no momento fosse papa, poderia dispensar maior indulgência, constitui insulto contra São Pedro e o papa.

78ª Tese

Dizemos, ao contrário, que o atual papa, e todos os que o sucederam, é detentor de muito maior indulgência, isto é, o evangelho, dom de curar, etc., de acordo com o que diz 1 Corinto 12.6-9.

79ª Tese

Alegar ter a cruz de indulgências, erguida e adornada com as armas do papa, tanto valor como a própria cruz de Cristo é blasfêmia.

80ª Tese

Os bispos, padres e teólogos que consentem em semelhante linguagem diante do povo, terão de prestar contas desta atitude.

81ª Tese

Semelhante pregação, a enaltecer atrevida e insolentemente a indulgência, torna difícil até homens doutos defenderem a honra e dignidade do papa contra a calúnia e as perguntas mordazes e astutas dos leigos.

82ª Tese

Haja vista exemplo como este: Por que o papa não livra duma só vez todas as almas do purgatório, movido pela santíssima caridade e considerando a mais premente necessidade das mesmas, havendo santa razão para tanto, quando, em troca de vil dinheiro para a construção da basílica de São Pedro, livra inúmeras delas, logo por motivo bastante infundado?

83ª Tese

Outrossim: Por que continuam as exéquias e missas de ano em sufrágio das almas dos defuntos e não se devolve o dinheiro recebido para esse fim ou não se permite os doadores busquem de novo os benefícios ou prebendas oferecidos em favor dos mortos, quando já não é justo continuar a rezar pelos que se acham remidos?

84ª Tese

E: Que nova santidade de Deus e do papa é esta a consentir a um ímpio e inimigo resgate uma alma piedosa e agradável a Deus por amor ao dinheiro e não livrar esta mesma alma piedosa e amada por Deus do seu tormento por amor espontâneo e sem paga?

85ª Tese

E: Por que os cânones de penitência, isto é, os preceitos de penitência, que faz muito caducaram e morreram de fato pelo desuso, tornam a remir mediante dinheiro, pela concessão de indulgência, como se continuassem em vigor e bem vivos?

86ª Tese

E: Por que o papa, cuja fortuna é maior do que a de qualquer Creso, não prefere construir a basílica de São Pedro de seu próprio bolso em vez de o fazer com o dinheiro de cristãos pobres?

87ª Tese

E: Que perdoa ou concede o papa pela sua indulgência àqueles que pelo arrependimento completo tem direito ao perdão ou indulgência plenária? 88ª Tese

Afinal: Que benefício maior poderia receber a igreja se o papa, que atualmente o faz uma vez ao dia cem vezes ao dia concedesse aos fiéis este perdão a título gratuito?

89ª Tese

Visto o papa visar mais a salvação das almas mediante a indulgência do que o dinheiro, por que razão revoga os breves de indulgência outrora por ele concedidos, quando tem sempre as mesmas virtudes?

90ª Tese

Desfazer estes argumentos muito sutis dos leigos, recorrendo apenas à força e não por razões sólidas apresentadas, significa expor a igreja e o papa ao escárnio dos inimigos e desgraçar os cristãos.

91ª Tese

Se, portanto, a indulgência fosse apregoada no espírito e sentido do papa, estas objeções poderiam ser facilmente respondidas e nem mesmo teriam surgido.

92ª Tese

Fora, pois, com todos este pregadores que dizem à igreja de Cristo: Paz! Paz! Sem que haja paz!

93ª Tese

Abençoados, porém, sejam todos os pregadores que dizem à igreja de Cristo: Cruz! Cruz! Sem que haja cruz!

94ª Tese

Admoeste-se os cristãos a que se empenhem em seguir seu Cabeça, Cristo, através da cruz, da morte e do inferno;

95ª Tese

E desta maneira mais esperem entrar no reino dos céus por muitas aflições do que confiando em promessas de paz infundadas.

 


AP - Barreiras para sermos Respondidos
por Pr. Jelson Becker

Barreiras para as Resposta de Nossas Orações:

 
Sabemos que Deus não rejeita oração! Todas orações chegam ao trono de glória e são ali depositadas em taças de ouro como um incenso agradável ao Senhor (Ap 5:8). Tenho observado que freqüentemente Deus nos responde com: Sim, Não ou Espere!

Para todas as nossas orações sempre tem uma resposta, ainda que não seja aquela que nós desejávamos. As promessas de Deus são condicionais. Para que alcancemos respostas positivas às nossas orações, há todo um caminho de obediência e soberania divina. Deixaremos aqui alguns tópicos para seu estudo pessoal, sobre os inimigos da oração. Estude-os e certamente lhe trarão muita luz. "Para que não se interrompam as vossas orações." l Pedro. 3:7b.

 

1. Relacionamentos errados na família (I Pe 3:1,7). O não cumprimento dos deveres dos cônjuges um para com o outro, impede o fluir das orações. A vida conjugal deve ser posta diante de Deus. Quando as orações não estão sendo respondidas, pode haver falha no relacionamento.

2. Dificuldade em perdoar (Mc 11:25). Nossas citações são ouvidas na base de que nossos pecados estão perdoados; mas Deus não pode tratar conosco sobre tal base de perdão, enquanto nós guardamos o mal, o espírito de animosidade ou de vingança contra aqueles que nos ofenderam. Qualquer que guarda espírito de rancor ou mágoa contra alguém, fecha os ouvidos de Deus para sua própria petição.

3. Contenda e Insubmissão (Tg. 3:16). A contenda é simplesmente agir movido pela falta de perdão. Paulo declara que por causa de contendas Satanás pode tornar cristãos prisioneiros de sua vontade. A ausência de contenda é a chave para afastar a confusão e o mal. Dê a Deus a oportunidade de criar um sistema de harmonia em volta de você e sua vida de oração começará a funcionar.

4. Motivação errada (Tg. 4:3). Um sério obstáculo à oração é pedir a Deus coisas que realmente não necessitamos, com o propósito de satisfazer desejos egoístas. "Quer comais, quer bebais, fazei tudo para a glória de Deus" (I Co, 10:31).
Podemos orar por coisas em linha com a vontade de Deus, mas se o motivo for errado, não haverá resposta. O propósito primeiro da oração deve ser a glória de Deus.

5. Todas as formas de desobediência (Is. 59:1,2). Uma atitude de rebeldia ou desobediência à Palavra de Deus fecha os Céus para nós. Qualquer pecado inconfessado torna-se inimigo da oração. Uma vida de obediência, porém, abre o caminho à resposta de Deus "e aquilo que pedimos, d'Ele recebemos, porque guardamos os Seus mandamentos, e fazemos diante d'Ele o que Lhe é agradável" (1 Jo. 3:22).

6. Ídolos no coração (Ez, 14:3). Ídolo é toda e qualquer pessoa ou coisa que toma o lugar de Deus na vida de alguém. É aquilo que se torna o objeto supremo da afeição. Aquilo que mais ocupa o nosso pensamento. Deus deve ser supremo em nossa vida.

7. Falta de generosidade para com os pobres e o trabalho de Deus (Pv. 21:13). A recusa de ajudar o que se encontra em necessidade, quando podermos fazê-lo, impede a resposta às nossas orações.

8. Dúvida e incredulidade (Tg, 1:5-7). A dúvida é ladra da bênção de Deus. A dúvida vem da ignorância da Palavra de Deus. A incredulidade é quando alguém sabe que há um Deus que responde às orações, e ainda assim não crê em Sua Palavra. E não crer nas promessas é duvidar do caráter de Deus.

9. Apenas leituras sobre oração,mas nada de Orar. A oração é a maior e mais santa das vocações. Saber sobre oração não garante a resposta, mas o pôr a Palavra em operação para receber de Deus aquilo que Ele prometeu.

10. Falta de entendimento da nossa posição em Cristo. Talvez esse seja o maior inimigo. Ignorância quanto aos privilégios e direitos de redenção, isto é, daquilo que Cristo é em nós e do que somos n'Ele. Um desconhecimento da extensão do que Ele fez por nós e direitos, outorgados em Graça, diante do Trono.

11. Uma confissão errada (Rm, 10:9). O Cristianismo é uma grande confissão. Confissão é o reconhecimento verbal do que Deus fez por nós em Cristo (Hb. 3:1; 4;14). Toda confissão dos nossos lábios deve refletir a Palavra de Deus. As confissões em desarmonia com ela estão na origem de muitas orações não respondidas.

12. Depender da fé do outro. A cada crente Deus deu uma medida de fé. Ela veio quando nos tornarmos uma nova criação em Cristo e recebemos a natureza de Deus. Assim como desenvolvemos nossas capacidades físicas e mentais pelo exercício, desenvolvemos nossa fé pelo alimento da Palavra de Deus (Jo. 15 : 7).

 


Ciência não Exclui DEUS
por Revista Veja

 
Ciência não exclui Deus...

Revista Veja


O biólogo que desvendou o genoma humano explica por que é possível aceitar as teorias de
Darwin e ao mesmo tempo manter a fé religiosa...

 

 Entrevista: Francis Collins

O biólogo americano Francis Collins é um dos cientistas mais notáveis da atualidade. Diretor do Projeto Genoma, bancado pelo governo americano, foi um dos responsáveis por um feito espetacular da ciência moderna: o mapeamento do DNA humano, em 2001. Desde então, tornou-se o cientista que mais rastreou genes com vistas ao tratamento de doenças em todo o mundo. Collins também é conhecido por pertencer a uma estirpe rara, a dos cientistas cujo compromisso com a investigação do mundo natural não impede a profissão da fé religiosa. Alvo de críticas de seus colegas, cuja maioria nega a existência de Deus, Collins decidiu reagir. Ele lançou há pouco nos Estados Unidos o livro The Language of God (A Linguagem de Deus). Nas 300 páginas da obra, o biólogo conta como deixou de ser ateu para se tornar cristão aos 27 anos e narra as dificuldades que enfrentou no meio acadêmico ao revelar sua fé. "As sociedades precisam tanto da ciência como da religião. Elas não são incompatíveis, mas complementares", explica o cientista. A seguir, a entrevista de Collins a VEJA:

Veja – No livro A Linguagem de Deus, o senhor conta que era um "ateu insolente" e, depois, se converteu ao cristianismo. O que o fez mudar suas convicções?
Francis Collins – Houve um período em minha vida em que era conveniente não acreditar em Deus. Eu era jovem, e a física, a química e a matemática pareciam ter todas as respostas para os mistérios da vida. Reduzir tudo a equações era uma forma de exercer total controle sobre meu mundo. Percebi que a ciência não substitui a religião quando ingressei na faculdade de medicina. Vi pessoas sofrendo de males terríveis. Uma delas, depois de me contar sobre sua fé e como conseguia forças para lutar contra a doença, perguntou-me em que eu acreditava. Disse a ela que não acreditava em nada. Pareceu-me uma resposta vaga, uma frase feita de um cientista ingênuo que se achava capaz de tirar conclusões sobre um assunto tão profundo e negar a evidência de que existe algo maior do que equações. Eu tinha 27 anos. Não passava de um rapaz insolente. Estava negando a possibilidade de haver algo capaz de explicar questões para as quais nunca encontramos respostas, mas que movem o mundo e fazem as pessoas superar desafios. 

Veja – Que questões são essas para as quais não encontramos respostas?
Collins – Falo de questões filosóficas que transcendem a ciência, que fazem parte da existência humana. Os cientistas que se dizem ateus têm uma visão empobrecida sobre perguntas que todos nós, seres humanos, nos fazemos todos os dias. "O que acontece depois da morte?" ou "Qual é o motivo de eu estar aqui?". Não é certo negar aos seres humanos o direito de acreditar que a vida não é um simples episódio da natureza, explicado cientificamente e sem um sentido maior. Esse lado filosófico da fé, na minha opinião, é uma das facetas mais importantes da religião. A busca por Deus sempre esteve presente na história e foi necessária para o progresso. Civilizações que tentaram suprimir a fé e justificar a vida exclusivamente por meio da ciência – como, recentemente, a União Soviética de Stalin e a China de Mao – falharam. Precisamos da ciência para entender o mundo e usar esse conhecimento para melhorar as condições humanas. Mas a ciência deve permanecer em silêncio nos assuntos espirituais. 

Veja – A maioria dos cientistas argumenta que a crença em Deus é irracional e incompatível com as descobertas científicas. O zoólogo Richard Dawkins, com quem o senhor trava um embate filosófico sobre o tema, diz que a religião é a válvula de escape do homem, o vírus da mente. Como o senhor responde a isso?
Collins – Essa perspectiva de Dawkins é cheia de presunção. Eu acredito que o ateísmo é a mais irracional das escolhas. Os cientistas ateus, que acreditam apenas na teoria da evolução e negam todo o resto, sofrem de excesso de confiança. Na visão desses cientistas, hoje adquirimos tanta sabedoria a respeito da evolução e de como a vida se formou que simplesmente não precisamos mais de Deus. O que deve ficar claro é que as sociedades necessitam tanto da religião como da ciência. Elas não são incompatíveis, mas sim complementares. A ciência investiga o mundo natural. Deus pertence a outra esfera. Deus está fora do mundo natural. Usar as ferramentas da ciência para discutir religião é uma atitude imprópria e equivocada. No ano passado foram lançados vários livros de cientistas renomados, como Dawkins, Daniel Dennett e Sam Harris, que atacam a religião sem nenhum propósito. É uma ofensa àqueles que têm fé e respeitam a ciência. Em vez de blasfemarem, esses cientistas deveriam trabalhar para elucidar os mistérios que ainda existem. É o que nos cabe. 

Veja – O senhor afirma que as sociedades precisam da religião, mas como justificar as barbaridades cometidas em nome de Deus através da história?
Collins – Apesar de tudo o que já aconteceu, coisas maravilhosas foram feitas em nome da religião. Pense em Madre Teresa de Calcutá ou em William Wilberforce, o cristão inglês que passou a vida lutando contra a escravatura. O problema é que a água pura da fé religiosa circula nas veias defeituosas e enferrujadas dos seres humanos, o que às vezes a torna turva. Isso não significa que os princípios estejam errados, apenas que determinadas pessoas usam esses princípios de forma inadequada para justificar suas ações. A religião é um veículo da fé – essa, sim, imprescindível para a humanidade.

Veja – O senhor diz que a ciência e a religião convergem, mas devem ser tratadas separadamente. Como vê o movimento do "design inteligente", em que cientistas usam a religião para explicar fatos da natureza que permanecem um mistério para a ciência?
Collins – Essa abordagem é um grande erro. Os cientistas não podem cair na armadilha a que chamo de "lacuna divina". Lamento que o movimento do design inteligente tenha caído nessa cilada ao usar o argumento de que a evolução não explica estruturas tão complicadas como as células ou o olho humano. É dever de todos os cientistas, inclusive dos que têm fé, tentar encontrar explicações racionais para tudo o que existe. Todos os sistemas complexos citados pelo design inteligente – o mais citado é o "bacterial flagellum", um pequeno motor externo que permite à bactéria se mover nos líquidos – são um conjunto de trinta proteínas. Podemos juntar artificialmente essas trinta proteínas, que nada vai acontecer. Isso porque esses mecanismos se formaram gradualmente através do recrutamento de outros componentes. No curso de longos períodos de tempo, as máquinas moleculares se desenvolveram por meio do processo que Darwin vislumbrou, ou seja, a evolução.

Veja – Qual a sua leitura da Bíblia?
Collins – Santo Agostinho, no ano 400, alertou para o perigo de se achar que a interpretação que cada um de nós dá à Bíblia é a única correta, mas a advertência foi logo esquecida. Agostinho já dizia que não há como saber exatamente o que significam os seis dias da criação. Um exemplo de que uma interpretação unilateral da Bíblia é equivocada é que há duas histórias sobre a criação no livro do Gênesis 1 e 2 – e elas são discordantes. Isso deixa claro que esses textos não foram concebidos como um livro científico, mas para nos ensinar sobre a natureza divina e nossa relação com Ele. Muitas pessoas que crêem em Deus foram levadas a acreditar que, se não levarmos ao pé da letra todas as passagens da Bíblia, perderemos nossa fé e deixaremos de acreditar que Cristo morreu e ressuscitou. Mas ninguém pode afirmar que a Terra tem menos de 10 000 anos a não ser que se rejeitem todas as descobertas fundamentais da geologia, da cosmologia, da física, da química e da biologia. 

Veja – O senhor acredita na Ressurreição?
Collins – Sim. Também acredito na Virgem Maria e em milagres. 

Veja – Não é uma contradição que um cientista acredite em dogmas e milagres?
Collins – A questão dos milagres está relacionada à forma como se acredita em Deus. Se uma pessoa crê e reconhece que Ele estabeleceu as leis da natureza e está pelo menos em parte fora dessa natureza, então é totalmente aceitável que esse Deus seja capaz de intervir no mundo natural. Isso pode aparecer como um milagre, que seria uma suspensão temporária ou um adiamento das leis que Deus criou. Eu não acredito que Deus faça isso com freqüência – nunca testemunhei algo que possa classificar como um milagre. Se Deus quis mandar uma mensagem para este mundo na figura de seu filho, por meio da Ressurreição e da Virgem Maria, e a isso chamam milagre, não vejo motivo para colocar esses dogmas como um desafio para a ciência. Quem é cristão acredita nesses dogmas – ou então não é cristão. Faz parte do jogo. 

Veja – É possível acreditar nas teorias de Darwin e em Deus ao mesmo tempo?
Collins – Com certeza. Se no começo dos tempos Deus escolheu usar o mecanismo da evolução para criar a diversidade de vida que existe no planeta, para produzir criaturas que à sua imagem tenham livre-arbítrio, alma e capacidade de discernir entre o bem e o mal, quem somos nós para dizer que ele não deveria ter criado o mundo dessa forma? 

Veja – Alguns cientistas afirmam que a religião e certas características ligadas à crença em Deus, como o altruísmo, são ferramentas inerentes ao ser humano para garantir a evolução e a sobrevivência. O senhor concorda?
Collins – Esses argumentos podem parecer plausíveis, mas não há provas de que o altruísmo seja uma característica do ser humano que permite sua sobrevivência e seu progresso, como sugerem os evolucionistas. Eles querem justificar tudo por meio da ciência, e isso acaba sendo usado para difundir o ateísmo. 

Veja – Mas o altruísmo é visto hoje pela genética do comportamento como uma característica herdada pelos genes, assim como a inteligência. O senhor, como geneticista, discorda da genética comportamental?
Collins – Há muitas teorias interessantes nessa área, mas são insuficientes para explicar os nobres atos altruístas que admiramos. O recado da evolução para cada um de nós é propagar o nosso DNA e tudo o que está contido nele. É a nossa missão no planeta. Mas não é assim, de forma tão lógica, que entendo o mundo, muito menos o altruísmo e a religiosidade. Penso em Oskar Schindler, que se sacrificou por um longo período para salvar judeus, e não pessoas de sua própria fé. Por que coisas desse tipo acontecem? Se estou caminhando à beira de um rio, vejo uma pessoa se afogar e decido ajudá-la mesmo pondo em risco a minha vida, de onde vem esse impulso? Nada na teoria da evolução pode explicar a noção de certo e errado, a moral, que parece ser exclusiva da espécie humana. 

Veja – Muitas religiões são contrárias ao uso de técnicas científicas que poderiam salvar vidas, como a do uso de células-tronco. Como o senhor se posiciona nessa polêmica?
Collins – Temos de ser sensíveis e respeitar as diferentes religiões no que diz respeito aos avanços científicos. Mas interromper as pesquisas científicas ou impedir que uma pessoa com uma doença terrível tenha uma vida melhor só porque a religião não aceita determinado tratamento é antiético. Por outro lado, existem fronteiras que a ciência não deve transpor, como a clonagem humana, que além de tudo não serviria para nada a não ser para nos repugnar. Cada caso tem de ser avaliado isoladamente. 

Veja – Os geneticistas são muitas vezes acusados de brincar de Deus. Como o senhor encara essas críticas?
Collins – Se todos brincássemos de Deus como Deus gostaria, com esperança e amor, ninguém se abateria muito com comentários do gênero. Mas somos seres humanos e temos propensão ao egoísmo e aos julgamentos equivocados. O importante é não reagir de forma exagerada à perspectiva de que as pessoas possam vir a fazer mau uso das descobertas da genética, mas sim focar o lado bom dessa "brincadeira". A maior parte das pesquisas genéticas busca a cura de doenças como câncer, problemas cardíacos, esquizofrenia. São objetivos louváveis. Para evitar o uso impróprio da ciência, o Projeto Genoma Humano apóia um programa que visa a preservar a ética nas pesquisas genéticas e certificar-se de que todas as nossas descobertas beneficiarão as pessoas e a sociedade. 

Veja – O que esperar das pesquisas genéticas no futuro?
Collins – Nos próximos dois ou três anos vamos descobrir os fatores genéticos que criam a propensão ao câncer, ao diabetes e às doenças cardiovasculares. Isso possibilitará que as pessoas saibam que provavelmente vão desenvolver esses males e tomem medidas preventivas contra eles, com a ajuda do médico. Mais à frente, as descobertas das relações entre o genoma e as doenças farão com que os tratamentos e os remédios sejam personalizados, tornando-os mais eficientes e com menos efeitos colaterais. 

Veja – O senhor acredita que Deus ouve suas preces e as atende?
Collins – Eu nunca ouvi Deus falar. Algumas pessoas ouviram. Não acredito que rezar seja um caminho para manipular as intenções de Deus. Rezar é uma forma de entrarmos em contato com Ele. Nesse processo, aprendemos coisas sobre nós mesmos e sobre nossas motivações.

 


Cientistas Descobrem Sodoma e Gomorra
por Jornal PArana On-Line

Cientistas descobrem Sodoma e Gomorra

"Trabalhando perto do Mar Morto, alguns arqueólogos descobriram as cidades
bíblicas, ao desenterrar dúzias de objetos antigos que revelavam o grau de
perversão a que haviam chegado essas cidades decadentes.
A espantosa descoberta revelou que as duas cidades foram destruídas
exatamente como descreve a Bíblia.

"Nenhuma outra civilização chegou a tais extremos de perversão", declarou o
chefe da equipe de arqueólogos, doutor Yehuda Peleg. "Mesmo para esta época
de pornografia desmedida, o que encontramos é incrivelmente obsceno!"
Desapareceram violentamente
Cobrindo o que resta dessas antigas cidades foram encontrados grandes
depósitos de enxofre, o que coincide perfeitamente com a descrição da Bíblia
 onde se lê que as duas cidades foram destruídas com uma chuva de enxofre em
brasa.
 
A equipe de pesquisadores removeu os escombros com todo cuidado até
encontrar indícios humanos.
 
"Tudo levava a crer que as cidades haviam sido destruídas de maneira
violenta e repentina", explicou o doutor Peleg. "A medida que íamos
escavando, um cheiro de enxofre tão forte invadiu o ar, apesar dos séculos
que se passaram, que nos revolveu o estômago."
 
Os cientistas quase se convertem em estátuas de sal, tal foi a surpresa ao
desenterrarem uma coleção de vasilhas ricamente decoradas com motivos
obscenos.
 
"Essas pinturas reproduziam todas as perversões conhecidas pelo homem
moderno", continuou o doutor Peleg. "Mas, isso foi só o inicio. Com a
continuação das escavações, fomos encontrando bonecos em estranhas posições
sexuais, e nosso espanto foi sem limites quando encontramos ídolos que
praticavam verdadeiros crimes contra a natureza."
 
Até agora as escavações revelaram que as cidades de Sodoma e Gomorra eram na
verdade duas cidades pequenas, com ruelas estreitas. Porém, nas proximidades
dos centros urbanos, havia grandes salas de banho onde se realizavam as
tremendas orgias sexuais tão a gosto dos sodomitas.
 
Escandalosamente pornográficos

Todos esses objetos provenientes das legendárias cidades do pecado foram
mandados para o museu de Israel, em Jerusalém. Mas, é muito provável que o
público não tenha a menor possibilidade de vê-los, devido ao grau
indescritível de pornografia.

http://www.parana-online.com.br/arqueologia.htm . 31/10/99

 


Contemporaneidade dos DONS Espirituais
por Recebido por E-mail

CONTEMPORANEIDADE DOS DONS ESPIRITUAIS

 

Batismo no Espírito Santo e Dom de Línguas

 

(PERGUNTAS E RESPOSTAS)

 

Onde estão na Bíblia as promessas de batismo no Espírito?

R – Isaías 44.3; Joel 2.28-29; Mateus 3.11; Lucas 24.49.

 

Quando se iniciou o cumprimento dessas promessas?

R - Iniciou-se por ocasião do Pentecostes (Atos 2.1-4), a segunda grande festa sagrada do ano judaico. Cinqüenta dias após a Páscoa iniciava-se a festa de Pentecostes, também chamada Festas das Colheitas; Pentecostes deriva do grego “penteekostos”, que significa qüinquagésimo. Leiam: “E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem” (Atos 2.4).

 

Houve alguma promessa para que esse batismo ocorresse em gerações futuras?

R – Sim. Atos 2.39: “Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quantos Deus, nosso Senhor chamar”.

 

Quais os exemplos de batismos após o Pentecostes?

R – EXEMPLOS BÍBLICOS: (a) EM SAMARIA - Atos 8.5-17. Aqui temos o registro detalhado do batismo de irmãos que já eram crentes em Jesus e haviam sido batizados nas águas (vs. 8,12,14). “Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João, os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo. Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido, mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus. Então, lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo”(At 8.14-17). Portanto, foi uma experiência posterior a Pentecostes e distinta da salvação em Cristo Jesus.

 

(b) NA CASA DE CORNÉLIO – Atos 11.13-15 – Aqui o relato de salvação e batismo simultâneos: “E, quando comecei a falar, caiu sobre eles o Espírito Santo, como também sobre nós a princípio. E lembrei-me do dito do Senhor, quando disse: João certamente batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo” (At 11.15-16). Aqui Pedro declara que o batismo naquela casa tinha sido igual ao do dia de Pentecostes: “como também sobre nós a princípio”.

 

(c) SAULO – Atos 9.10-18 – Saulo já era crente (v. 6,15), porém: “E Ananias foi, e entrou na casa, e, impondo-lhe as mãos, disse: Irmão Saulo [outra prova de que Saulo já era irmão em Cristo], o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, me enviou, para que tornes a ver E SEJAS CHEIO DO ESPÍRITO SANTO” (At 9.17). Experiência posterior a Pentecostes. A missão de Ananias não era pregar a Palavra ou levar Saulo à conversão, mas somente restabelecer a sua visão e enchê-lo do Espírito.

 

(d) OS DISCÍPULOS EM ÉFESO – Atos 19.1-7 - O fato ocorreu 25 anos depois do batismo coletivo em Pentecostes (Atos 2.4), já na terceira viagem missionária de Paulo. Vejamos: “Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, tendo passado pela estrada do interior, chegou a Éfeso. Aí achou alguns discípulos e perguntou-lhes: Recebestes vós o Espírito Santo quando crestes? Responderam eles: Não, nem sequer ouvimos que haja Espírito Santo. Tornou-lhes eles: Em que fostes batizados, então? Responderam: No batismo de João. Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, Jesus. Quando ouviram isto, foram batizados em nome do Senhor Jesus”. Antes de darmos prosseguimento, devemos verificar que as Boas Novas não haviam chegado àqueles discípulos de João Batista, que eram gentios. Tinham sido batizados em nome do Pai, de conformidade com o batismo de João. Então Paulo anunciou a vinda, a morte e ressurreição de Jesus, e eles ouviram, creram e foram batizados (v. 5). Paulo não se limitou a isso. Desejava que eles recebessem a plenitude do Espírito, tal como ele próprio recebera: “E, impondo-lhes as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e falavam línguas e profetizavam”(v.6). EXEMPLOS NÃO BÍBLICOS – Milhões de casos. Não há estatísticas sobre o assunto, mas com certeza há no Brasil milhões de irmãos batizados no Espírito Santo, ou seja, que passaram pela mesma experiência dos discípulos no dia de Pentecostes e de outros em anos posteriores, como acima relatado.

 

Quem batiza no Espírito Santo?

R – O Senhor Jesus: “Ele [Jesus] vos batizará com o Espírito Santo e com fogo”(Lc 3. 16; Mt 3.11; At 2.32-33).

 

Quem pode ser batizado?

R – Somente os salvos, ou seja, os crentes em Jesus. Todos os casos bíblicos ocorreram após haverem recebido a Palavra, ou simultaneamente. (At 2.38-39). Quais as condições para o batismo? Buscar, ter sede: “Se alguém tem sede vem a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. Isto ele dizia do Espírito que haviam de receber os que nele cressem. O Espírito Santo ainda não fora dado, porque Jesus ainda não havia sido glorificado” (Jo 7.37-39). Mas não existe um método especial. Deus é soberano na sua vontade. Ele batiza quem quer, como, onde e quando quer.

 

Irmãos de Igrejas não pentecostais podem receber o batismo?

R – Podem, e muitos recebem. Alguns continuam na sua própria congregação, outros, por diversos fatores, vão para igrejas pentecostais. Muitos são os exemplos de batismo de irmãos não pentecostais. Há alguns meses vi um irmão não pentecostal ser batizado; falou em línguas e falou de sua excepcional experiência. São muitos os casos.

 

Qual a evidência desse batismo

R – A evidência bíblica é o falar em línguas. O falar em línguas é um dom? É e está em 1 Corintos 12, onde se lê também acerca dos demais dons. Esses dons estão disponíveis hoje, ou só foram concedidos no tempo de Jesus? Todos os dons ali relacionados estão em vigor, não caducaram. A Carta aos Corintos foi escrita em 55/56 anos depois de Cristo, e ali Paulo declara que existe diversidade de dons e de ministérios (v. 4,5). Ademais, Paulo diz que “gostaria que todos vós falásseis em línguas, mas muito mais que profetizásseis [outro dom]”. (1 Co 14.5). E manifesta sua alegria em falar em línguas: “DOU GRAÇAS AO MEU DEUS, PORQUE FALO EM OUTRAS LÍNGUAS MAIS DO QUE TODOS VÓS” (1 Co 14.18). Como se vê, Paulo falava em línguas por onde andava e incentivava os irmãos a fazerem mesmo. Jesus declarou que o dom de variedade de línguas estaria disposto a todos os que cressem (Mc 16.17). Qual a finalidade desse dom? Paulo responde: “O que fala em língua não fala aos homens, senão a Deus. Com efeito, ninguém o entende, e em espírito fala mistério. O que fala em língua edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja” (1 Co 14.2,4).

 

O batismo no Espírito Santo é condição para a salvação?

R – Não. Somos salvos pela graça, mediante a fé no Senhor Jesus. Pentecostais e não pentecostais são salvos em Cristo, irmãos em Cristo. Então para que serve o batismo no Espírito? O apóstolo Paulo responde dizendo que toda manifestação sobrenatural do Espírito é dada a cada um para o que for útil (1 Co 12.7). Se não tivessem nenhuma utilidade, Deus não concederia tais dons. Também não os teria prometido. Também não teria derramado do seu Espírito sobre os discípulos no Pentecostes. Uma das finalidades é receber poder. Vejam: “Não vos ausenteis de Jerusalém, mas esperai a promessa do Pai, a qual, disse ele, de mim ouvistes. Pois João batizou com água, mas vós sereis batizados com o espírito Santo, não muito depois destes dias. MAS RECEBEREIS PODER, AO DESCER SOBRE VÓS O ESPÍRITO SANTO...” (At 1.4,5,8).

 

O que sente o crente na hora do batismo?

R – Essa pergunta eu fiz a uma centena de irmãos, antes de escrever uma apostila sobre o assunto. Nenhum deles soube descrever com segurança o que se passou no seu corpo, alma, espírito. A verdade é que receberam uma infusão de alegria. Algo indescritível e, até certo ponto, incontrolável.

 

Para expulsar demônios e curar enfermos precisa ser batizado no Espírito?

R – Jesus outorgou tais poderes a todo aquele que crê (Mc 16.17-18).

 

Devemos buscar os dons espirituais?

R – Paulo responde: “Segui o amor, e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar... o que profetiza, fala aos homens para edificação, exortação e consolação” (1 Co 14.1,3).

 


Curso de Exorcismo no Vaticano
por BBC

A Universidade do Vaticano está lançando um novo curso para exorcistas - padres católicos que expulsam demônios ou espíritos malignos do corpo de alguém.

O curso, no prestigioso Athenaeum Pontificium Regina Apostolorum, terá dois meses de duração e incluirá a história do Satanismo e o seu contexto na Bíblia.

Aulas práticas de psicologia e direito também serão ministradas.

Também haverão seminários no Athenaeum sobre os trabalhos espiritual, litúrgico e pastoral de um exorcista.

Ideal

Giulio Savoldi foi o exorcista oficial de Milão por mais de 20 anos.

Ele não tinha o benefício de treinar pessoas, mas não tem dúvidas sobre o que incluiria em um curso para candidatos a lutar contra o demônio e sobre as qualidades que uma pessoa precisa ter para exercer a tarefa.

"Eu incluiria força sobrenatural – a presença de Deus – e sugeriria que um homem escolhido para exercer a função seja inteligente e saiba como reunir sua força e a força de Deus", diz ele.

"Porque cada caso de possessão é diferente, a possessão de cada pessoa é diferente. Esses estudos para se tornar um exorcista também deveriam envolver psicologia e como distinguir entre uma doença mental e uma possessão. E, por último, eles precisam ser muito pacientes."

Na semana que vem, um tribunal italiano deve analisar o processo de assassinato contra um grupo de jovens acusados de matar dois adolescentes como parte de um ritual satânico.

Para Savoldi, o caso confirma a sua crença no poder do demônio em se aproveitar das fraquezas humanas.

 


Demônios que Energizam os Pensamentos dos Incrédulos
por Pr Jelson Becker

Demônios que Energizam os Pensamentos dos Incrédulos

Efésios 2:1-6 "E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, 2 Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. 3 Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. 4 Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, 5 Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), 6 E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus;"

Essa expressão "do espírito que agora opera nos filhos da desobediência" é traduzida em outras versões por "agora atuam no entendimento dos filhos da desobediência", essa palavra no texto original grego, que pode ser traduzido em algumas versões por "atuam" e outras versões por "operam" é ENERGEIA.

Poderíamos parafrasear o versículo 2 da seguinte madeira: "Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora 'ENERGIZA' os filhos da desobediência."

ENERGIZA - energeia - essa é a palavra chave para compreendermos como acontecesse esse nível de manipulação demoníaca na mente de pessoas que abriram conciente ou inconcientemente, voluntária ou involuntariamente portais espirituais para os demônios terem direito legal que reinvindicar diante de Deus sua permissividade em tocá-los.

Nossos pensamentos, raciocínios, estados de conciência e sinapses nada mais são do que o produto de inúmeras descargas elétricas em nosso sistem nervosso central. Nosso cérebro possui milhares de terminações nervosas chamadas de neurônios onde os estimulos elétricos interagem-se através de reações químicas e minúsculas descargas elétricas a fim de gerar o que chamamos de pensamentos, conclusões, raciocínios logícos.

Uma vez que satanás e seus demônios consigam ter acesso ao essas descargas elétricas, fácilmente poderão manipular as sinapses na mente das pessoas.

O texto bíblico de Efésios 2.2, esclarece isso ao afirmar que as pessoas que vivem segundo os valores desse mundo corrompido pelo pecado, segundo os valores ou curso dos principes da potestades do ar (ou seja, demônios) estão diretamente subjulgados a ATUAÇÃO / OPERAÇÃO / ENERGIA desses espíritos que operam nos filhos da desobediência.

Como consiliar um número assustador de cristãos nominais que defendem abertamente a prática do homossexualismo? a legalização do aborto ou pena de morte? Líderes e pastores hábis em construir uma teologia para justificar esses pecados em nossa sociedade!

Quem seriam esses "filhos da desobediencia???"

Muitos pastores e teólogos se sentem confortáveis acreditando ingenuamente que esses filhos da desobediência são os pecados devassos que nunca receberam a Jesus como Senhor e Salvador, mas que uma vez feita essa profissão de fé, automaticamente estaríamos imunes a esse tipo de influência.

Mas será que dentro dessa expressão "filhos da desobediencia" nós que ja recebemos a Jesus como Senhor e Salvador também não podemos ser inclusos ao praticarmos pecados deliberados e entristecermos o Espírito Santo???

Será que mesmo depois de minha profissão de fé em Jesus, e a contínua prática dos pecados diretamente relacionados a manipulação demoníca descritos em Rm 1 minha mente também não ficará ENERGIZADA por essa influencia cósmica demoníaca??? Creio que Sim!

Creio piamente que o Apóstolo Paulo esta escrevendo essa carta para cristão professos e não para pessoas que ainda não haviam feito sua profissão de fé conciente em Jesus Cristo.

Creio que mesmo depois de "critianizados" nossas mentes podem ser influenciada ou energizada por demônios. Isso explica porque tanta divergência teológica, briga entre estruturas denominacionais e escândalos entre lideranças.

I Coríntios 10:3-5 "Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. 4 Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; 5 Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;". 

É mais que evidente que Deus espera que nossa postura e atitude diante Dele seja a de "trazermos nossos pensamentos cativos em obedi6encia a Cristo" obviamente depois de uma experiência real de profissão de fé Nele!

Deus esta levantando uma geração de sacerdotes cuja mente foi recriada em Cristo, e manifestam a mente de Cristo RM 12 em suas vidas. Mas isso não ocorre simplesmente por termos levantado as nossas mãos num momento de apelo emotivo para fazermos uma profissão de fé em Jesus Cristo.

Isso ocorre mediante um caminhar na luz e um render-se intimamente ao toque do Espírito Santo, permitindo que Ele traga luz a todas as áreas de nossas vidas... e quanto mais luz recebemos, mais trevas dissipamos.

Esse exercício intimo de comunhão e obediência ao Senhor é que manifestará uma mente recriada em Deus. Uma nova cosmo-visão, diferente daquele Cristianismo Secularizado do passado e por consequente livre da influencia, atuação, manipulação, operação e energização dos demônios dos ares.

Que Deus traga luz a todas as áreas de nossas vidas e coragem para rompermos com os legados de iniquidade, a fim de nunca mais sermos relacionados com os filhos da desobediência, mas sim com os filhos da luz!

Pastor Jeslon Becker

 


Entrevista Pastor Doug Fields
por Vida Mix

Babá não, baby
Líder de jovens de uma das maiores igrejas dos EUA, Doug Fields esteve no país e falou com exclusividade à Vidamix.
           
        Líder de aproximadamente dois mil adolescentes e jovens, o americano Doug Fields não imaginava encontrar no Brasil um ambiente de tanta euforia.
Acontece que o pastor da juventude da Saddleback (yes, a famosa igreja com propósitos pastoreada por Rick Warren) aterrissou no Brasil exatamente no final de semana em que a seleção venceu a Alemanha e conquistou o sonhado pentacampeonato.

O autor do livro Um ministério com propósitos ficou extasiado ao ver o país inteiro parado (inclusive as igrejas!) para acompanhar uma partida de futebol. Ele esteve no país participando de um congresso para líderes de jovens em São José dos Campos, interior de São Paulo.
Para Fields, a igreja tem errado tanto ao enfatizar o policiamento da conduta dos jovens como em apenas criar uma série de atividades para entretê-los. “Se os líderes tiverem a mentalidade de que a igreja deve apenas ser babá para os jovens, teremos um problema sério”, adverte. “A chave é construir relacionamentos e acreditar que os jovens podem fazer diferença efetiva na vida da igreja.”

Acompanhe a seguir os principais trechos da entrevista exclusiva que ele concedeu à Vidamix.

Vidamix - As igrejas são diferentes no tratamento dispensado aos jovens. Algumas enfatizam regras claras e rigidez no comportamento, enquanto outras elaboram um calendário repleto de atividades. Quais são as características de um ambiente favorável para proporcionar o crescimento espiritual da juventude?

Doug Fields - Não sou contra regras dentro da igreja, mas não tenho certeza se isso contribui para o crescimento espiritual dos jovens. Creio que o melhor ambiente seria aquele no qual o jovem pudesse entrar e se sentir aceito. Um bom ambiente é criado quando se honra a juventude.
Muitas comunidades tratam os jovens como “o futuro da igreja”. Apesar da boa intenção, acho isso desencorajador, pois estão dizendo a eles para esperar pelo futuro. Na verdade, os jovens são a igreja de hoje.

V - Os atentados de 11 de setembro provocaram alguma mudança na mente dos jovens evangélicos americanos?
DF - O impacto foi enorme, sensibilizando-os a respeito das questões espirituais. Eles passaram a lotar as igrejas em busca de esperança e respostas. Por toda a nação houve um movimento em direção a Deus. Em nossa igreja, muitas pessoas vieram em busca de religião e encontraram o Senhor Jesus. O atentado fez com que os jovens americanos entendessem que a vida não é apenas o “aqui e agora”, motivando-os a pensar mais sobre as coisas futuras.

V - Segundo pesquisa de um líder que trabalha com jovens evangélicos brasileiros, cerca de 50% deles mantêm uma vida sexual ativa, embora sejam solteiros. Acontece o mesmo nos eua? Como os líderes devem lidar com os hormônios em ebulição da juventude?
DF - Lá acontece a mesma coisa. Pesquisas similares feitas nos eua mostram que quando falamos sobre questões morais, não há muita diferença entre jovens cristãos e não-cristãos.
Vivemos dias em que a juventude é bombardeada com o erotismo em todas as áreas: games, tv, música etc. A igreja tem a responsabilidade imensa de ensinar e conversar abertamente a respeito desse assunto.

V - A Saddleback usa especialmente a música contemporânea nos cultos, inclusive o rock. Como são encarados os jovens que adotam características visuais de rockstars, como brincos, tatuagens e piercings?
DF - Aproximadamente 20% dos nossos membros de 20 a 30 anos são tatuados. Tatuagem é algo comum nos eua. Se você for a alguma igreja contemporânea na região de Hollywood, provavelmente todos terão uma tatuagem. Lá você seria considerado conservador (apontando as madeixas longas do repórter e o piercing na orelha). Essa não é uma questão de muita importância em nossa comunidade.

V - Britney Spears freqüentou uma igreja batista durante muito tempo e hoje é uma popstar que dita estilos de cabelo, roupas e comportamento. No entanto, sua sensualidade latente não é bem recebida pelos evangélicos. O jovem cristão precisa de modelos para se espelhar? Quem seriam bons modelos de comportamento para a galera evangélica?
DF - Os jovens precisam de referências em todas as áreas. Seria ótimo se tivéssemos artistas fazendo sucesso fora do meio cristão, que é um segmento musical imenso nos eua. Se houvesse algum artista no meio secular com um testemunho genuinamente cristão, certamente exerceria um impacto muito grande. A igreja tem perdido gente talentosa, como por exemplo Marilyn Manson (astro andrógino que a-do-ra provocar escândalos). Ele cresceu no grupo de jovens de uma igreja e era bastante envolvido com as atividades do seu grupo. A lista de desviados é enorme.

V - A Internet seduz boa parte dos jovens e adolescentes em todo o mundo, afastando-os até um pouco da tv. Porém, ela tem tanto sites cristãos como pornografia de toda ordem. Como você classifica o uso que os cristãos fazem da rede mundial de computadores?
DF - Se somos amigos e temos um relacionamento transparente e de responsabilidade mútua, você vai me perguntar sobre o que ando vendo na Internet e as chances serão altas de que não estarei fazendo nenhuma bobagem. É o Cristo em você que vai desafiar o Cristo em mim. É por isso que estou no Brasil para ministrar a líderes de jovens. Vim dizer que precisamos investir na vida deles, em vez de apenas ficar controlando o que fazem. É hora de conhecê-los e conversar sobre coisas que realmente importam, em vez de ficarmos apenas policiando o que fazem. A igreja não pode ser apenas mais uma figura coercitiva na vida deles.

V - O beisebol seduz o jovem americano, e o futebol é o esporte mais difundido no Brasil. Qual a importância do esporte para a juventude e como pode ser usado eficazmente pelas igrejas?
DF - Conheci um exjogador de futebol aqui no Brasil que parou de jogar por causa de uma lesão e agora se dedica a ir em áreas pobres ensinar os garotos a jogar futebol. Que bela ferramenta evangelística! Hoje eu vi as ruas pararem por causa do jogo da Copa; assisti junto com milhares de brasileiros que foram à loucura com aquele jogo. O esporte é uma ferramenta importante na evangelização.

V - Qual seria hoje a estratégia mais eficaz usada pela Saddleback para alcançar os jovens da comunidade?
DF - O melhor caminho é desenvolver relacionamentos. No capítulo 9 de João, Jesus cura um homem e então os líderes religiosos o questionam: “Quem é esse Jesus?”. Ele responde: “Não sei. Só sei que eu era cego e agora vejo”. Esse é o modelo ideal de evangelização. Você não precisa saber todos os detalhes da Trindade ou mesmo criticar cientificamente a teoria da evolução. É importante estudarmos essas questões, pois elas desafiam o mundo há anos. Porém, o que realmente importa é a mudança que aconteceu, possibilitando que você diga: “Olha, não tenho todas as respostas, mas veja: minha vida era uma droga e foi transformada graças a Jesus”.

V - Nos últimos anos, têm surgido muitos movimentos em várias partes do mundo encorajando os jovens a buscar a Deus mais intensamente. Em função do despertamento dessa paixão, o louvor tem sido transformado em muitas comunidades. Você crê que estejamos vivendo um reavivamento?
DF - Nesses últimos vinte anos que tenho trabalhado com jovens, certamente estamos vivendo o maior despertamento espiritual que já vi, se manifestando num desejo ardente de louvar e adorar. Há dez anos, as igrejas americanas ofereciam aos jovens apenas gincanas, competições e brincadeiras como forma de cuidar deles. Hoje, temos visto uma mudança generalizada e existe uma verdadeira fome pelo louvor e adoração a Deus. Acredito que o louvor autêntico é evangelístico. Boa parte do nosso programa com adolescentes é realizado usando o louvor e a adoração.

V – Usando a simbologia bíblica empregada para a vida de Davi, qual é a receita para ser “um jovem segundo o coração de Deus”?
DF - Meu desejo para os jovens é que eles sigam os mandamentos bíblicos: amar a Deus e amarnos uns aos outros, buscando a santidade e a pureza sexual. Penso que é um padrão bem alto em nossa sociedade moderna. O mais importante é amar a Deus e amar as pessoas apaixonadamente.

 


ESPANHOL - Adorando lo que Sabemos
por

ADORANDO LO QUE SABEMOS

 
                 
Artigo: JO 4: 21-24 - Primero necesitamos saber a quién estamos adorando.
Necesitamos conocer al dios; necesitamos saber lo que estamos haciendo, nosotros necesitamos saber cuáles es adoración, él a ser verdad.
-- la adoración es decir no solamente una cierta cosa para el dios, para levantar las manos, es mucho más de eso esto; estas cosas son algunas maneras de adorar al dios.
GEN. 22 - La adoración es un acto de la entrega, de dimite; de ésa en ellos cuesta una cierta cosa (la adoración tiene que tener con sacrificio).
-- Abraão sabia cuál era la adoración verdadera: Entrega en obediencia.
-- Obedecer el dios era adoración para Abraão.
-- fue a ofrecer a su hijo al dios en el fuego del altar en obediencia a su voz, y él él llamó esta adoración.
-- las manos levantadas, las palabras del amor y otras cosas están como el humo del altar.
-- algo de concreto no será el quemarse tenido en el altar, produciendo humo, tendrá a continuación poco valor del dios.
-- la adoración es mucho más que fumaça, tiene eso para tener algo el quemarse en el altar, tiene eso para tener algo el producir de ese humo.
-- algo que en ellos los costes una cierta cosa y se ofrece solamente en obediencia que el dios puede hacer nuestro humo agradable el dios.
-- 2 SAM 24:18-25 - Davi había desobedecido (pecado) a dios; pero Davi era un adorador.
-- y en obediencia el dios, debía adorar, debía ofrecer algo DIGNO para el dios.
-- la esencia apropiada de la adoración es que tenemos eso para intentar un cierto sacrificio de nuestra parte, si no, no está la adoración.
-- tiene eso para representar algo, una porción de su vida apropiada (anterior: Isaac, era la vida apropiada para Abraão).
-- ofrece el Pacífico, era una adoración de la gratitud que el adorador Deus.Todo tiene un corazón agradecido el dios.
-- cuando recibimos algo del Senõr , nuestra primera actitud tendría que ser dar a una oferta de agradecimiento en adoración a dios.
-- JO 12:1-7 - Maria costó algo adorar.
-- tenía eso para romper los protocolos de la época de adorar a Jesús.
. Pelo desatado (las prostitutes tenían solamente).
. Si a achegar cerca de un hombre fue prohibido.
. Tenía eso para ayudar a Marta en las tareas domésticas (no ayudó por dos veces).
-- RENUNCIÓ sus economías para ofrecer al Jesús; porque deseó DAR algo que LE COSTÓ una cierta cosa en la ADORACIÓN (corazón agradecido). ¿
-- y usted este pronto (a) para tener una vida de la adoración verdadera?

 


ESPANHOL - Geración Profética
por

GERACIÓN PROFÉTICA

 
                 
Hechos 2: 16-22 – Estamos viviendo los últimos días.
·        Así dice el Señor: Estos días serán marcados pelo poder del Espirito Santo;
·        Porque mi Espirito está presente y actuando no medio de vos;
·        Yo, el Señor, quiero que toda mi Iglesia sea bautizada con el Espirito Santo y con fuego;
·        Dios quieres que la iglesia (usted) sea llena de poder;
·        Quién estuvieres debajo de la “nueva alianza”, recibirá la autoridad y poder del Espirito Santo (toda la carne);
·        Cuando el Espirito es derramado señales sobrenaturales acontecen;
 
Verso 22: Pedro recuerda que señales, maravillas, e prodigios, acompañaran el ministerio de Jesús;
·        La Iglesia primitiva aceptaba las manifestaciones del Espirito;
·        Los líderes abrían camino, daban espacio para eses acontecimientos;
 
Hechos 4:30 – Ellos oraban por maravillas, para que hubiese la evidencia da continua unción de Dios en la iglesia;
·        Estamos viviendo un periodo profético, donde Dios está levantando hombres e mujeres para que ellos profeticen;
·        Una generación de profetas ungidos por el Señor, que profetizaran;
 
A través del talento de profecía (I Corintios 14:1,3)
A través de la prelación profética (que llevará las personas al arrepentimiento);
·        Muchos que parecen no valer nadie serán levantados y usados por Dios;
 
1 Samuel 16: David eras lo menor en la casa de su padre, eras un humilde pastos de ovejas y también, un entregador de meriendas (1 Samuel 17);
·        Pero Dios, lo levantó como profeta y rey, y fue él que derrotó el gigante Goliat, aleluya;
·        Jesús fue un carpintero, hubieron también pescadores, cobradores de impuestos, prostitutas (María Magdalena), e esa fue la primera a ver Jesús resucitado, aleluya!
 
Hechos 2:17 – Visiones e Sueños (proyectos, planos y propósitos);
·        Talento de visiones;
·        Dios quiere realizar cosas a través de los chiquillos, adolescentes, adultos, y viejos;
·        Dios iba a revelar los deseos (sueños, proyectos, planos y propósitos) que están en el corazón de Él.
·        Él tiene algo para usted y con usted.

 


ESPANHOL - Mujer un Istrumento nas Manos de Dios
por

MUJER UN INSTRUMENTO NAS MANOS DE DIOS

 
                 
Lucas 8: 1-3 – La importancia das mujeres en la vida e en el ministerio de nuestro Señor Jesús,
fue registrada por Lucas:

    * Estas mujeres ayudaban con sus posees al Señor e suyos discípulos;
    * Eran instrumentos en las manos de Dios, para bendecir la vida y el ministerio de Jesús;
    * Esas mujeres financiaban, sustentaban, el ministerio del Señor Jesús.

 
Lucas1 26-30: Maria fue una mujer usada como instrumento en las manos de Dios.
·        Maria fue una mujer escogida por Dios;
·        Dios también le escogió para ser un instrumento en las manos Del, aleluya;
·        Pero, para tu poder ser útil, ser una bendición, tienes que estar en las manos de Dios;
·        O que é un instrumento? Es un objeto que es utilizado para ejecutar algún trabajo;
·        Dios tienes un trabajo para ustedes, Él quieres utilizarle, El tienes algo para usted realizar;
·        Un instrumento para ser utilizado tienes que estar en las manos de un instrumentista.
·        Instrumentista es aquel que maneja el instrumento;
·        El instrumento solo no tiene vida, no lo sirve para nadie, pero cuando estás en las manos del instrumentista, el se torna vivo, útil para aquel que fue fecho.
·        Así es la mujer que estás en las manos de Dios, se torna viva, útil para lo que Dios la crió;
·        Dios le crió, para ser útil, le crió para ser usada por Él, le crió para un propósito específico;
·        Maria fue usada por Dios para generar Jesús, ese era su propósito específico;
·        Cuando el ángel ha aparecido a Maria, es porque ella estaba lista para ser usada por Dios;
·        Cuando usted estuviere lista, Dios le utilizará, aleluya! Dios estaba trabajando en Maria, dejando la lista para ser utilizada;
·        Dios esta trabajando en usted, Él esta preparando te para le utilizar;
·        Pero existen aquellas que ya están listas y Dios esta utilizando las para el propósito;
·        Deje Dios trabajar, moldar usted, para que Él posa usarle;
 
Verso 38: Maria dijo: “He aquí la sierva del Señor…” ella si colocó en posición de sierva, mostrando humildad, sumisión (sujetando se). Dios usa las humildes, aquellas que sujetan se a Él;

    * “…hágame a mi conforme a tu palabra…” mostró obediencia, aceptó el chamado de Dios;
    * Estaba lista para hacer lo necesario para que la voluntad de Dios se cumpliese.
    * Dios usa las obedientes, aquellas que aceptan el chamado sea cual fuere;
    * Utiliza aquellas que no escogen lo que hacer, mas que aceptan lo que viene del Señor;
    * Maria enfrentó problemas, en aquella época, una mujer soltera, era condenada a muerte por apedreamiento, se apareciese embarazada. Mas Maria por el costumbre hebraico, era como ya se fuese casada con José, pues el noviazgo para los judíos, es considerado muy serio, es como ya fuesen casados, lo que faltaba era solamente la celebración, o confirmo del casamiento, e do ato sexual;
    * Imagine Maria apareciendo embarazada dijese: ¡Estoy embarazada! ¿De quien? ¡Del Espirito Santo! ¿Quien iba a acreditar? ¡Hasta nuestros días se una mujer aparecerse e dijiste que estuviese embarazada del Espirito Santo, ninguno acreditaría! Y José por ser marido, tendría que lanzar la primera piedra, por eso ello huyó, porque amaba mucho a Maria.
    * Averían otros problemas que ella tendría que enfrentar, tal como: charlas, críticas, insultos;
    * Pero ella enfrentó hasta la muerte, porque era servia, e ni pensó en las consecuencias, pues dije: “He aquí la sierva del Señor; hágase á mí conforme á Tu palabra”
    * Mostró disposición en obedecer al Espirito Santo, ¿y tú? ¿Está pronta cueste lo que costar? Maria encontró gracia delante de Dios, su vida santa y humilde, agradó a Dios;
    * Tengas una vida de oración, santa y humilde, entonces encontrará gracia delante de Dios, e Él te usará. 

 


ESPANHOL - Una Iglesia en Avivamiento
por

UNA IGLESIA EN AVIVAMIENTO

                 
 
Hechos 2: 37-47: Vemos aquí en estos trechos muestras visibles de una iglesia en pleno avivamiento.
·        Todo avivamiento genera señales (marcas) espirituales, tanto en el ministerio, como en la vida de una persona;
·        O avivamiento genuino es marcado por señales espirituales;
·        El genuino avivamiento deja marcas espirituales que jamás saldrá da la vida de una persona, la cuál dejó ser alcanzada pelas aguas del Río de Dios;
·        El genuino avivamiento vienes del alto, de cielo, del trono de Dios. (Hechos 2:2), la Biblia dicha que un sonido vino de cielo, no fue un sonido de la Tierra, pero de Cielo. Infelizmente hoy existen muchos avivamientos con sonidos que vienen de la tierra, da carne, generado pelo hombre, e no pelo Espirito de Dios;
·        Lo que es del hombre no dejas marcas espirituales, e sin marcas carnales, engaño, dudas, frustración, no trae mudanzas en la vida de ninguno, es pasajero, momentáneo;
·        El avivamiento de Cielo, comienza con arrepentimiento (Hechos 2:37-38)
·        Una iglesia en avivamiento es una iglesia llena de creyentes “pelos de fuego”, el fuego santo que no consume el pelo, pero, consume todo el pecado de nuestras vidas. Nuestro Díos, es un fuego consumidor (no brinque no El);
Verso 41-42: Es formada por creyentes bautizados en las aguas, e por el Espirito Santo, con hambre de la Palabra de Dios, que reconocen la autoridad e la unción de Dios en la vida de su líder, e perseveran en lo que están sendo enseñados;

    * Viven en comunión: No solamente un café después del culto, es mucho más que eso. Comunión es la palabra Koinonia en greco, y significa: Asociación próxima, aparcería, el compartir, una ayuda que contribuye. Koinonia es realizada pelo Espirito Santo, y une la Iglesia con Jesús, y uno con otros.

Verso 43: Temor nos es miedo de Dios, es reconocer la soberanía, y la autoridad de Dios, es tener reverencia e respecto por El.
·        Es una Iglesia de poder, generado pela presencia de Dios;
Verso 44-45: Ellos no eran egoístas, ellos ofrecieran, y diezmaban;
Verso 46: Eran unidos, existía unidad, fidelidad, lealtad, amor de Dios (Ágape)
Salmos 133, habla a respecto de unión; la palabra unión en hebraico, significa literalmente: “sentados juntos”.
·        Hoy en día, tienen creyentes que no consiguen sentarse juntos unos con otros, sientan lejos, no se miran, están maguados, resentidos unos con otros, ¿Dónde Está El Avivamiento? ¿Y tu, puedes sentarse por el lado de cualquier persona?
·        Les gustaban ir al templo todos los días, hoy existen creyentes que van solo a los domingos;
·        Se juntaron en sus hogares para adorar e estudiar la Palabra de Dios, tendrían hambre por Dios, y por las  cosas de Dios.
Verso 47: Tendrían una vida de alabanza e no de murmuración, daban buenas testimonias, havia crecimiento numérico y espiritual. Hoy esta habiendo mucha hinchazón, iglesias que crecen numéricamente, pero sus miembros están muertos, no saben nadie da la Palabra de Dios, son enseñados a comprar la bendiga del Señor.

    * No tienen una vida espiritual abundante, son egoístas, apenas puras tierras secas;
    * Avivamientos tiene salvación de vidas, almas entregándose al Señor, genuinas conversiones;
    * Vamos clamar para venir el genuino avivamiento. En breve Dios va a soplar tremendamente sobre esta nación.
    * Lo que vivimos hoy es una llovizna, ¡pero ya existe un sonido de una lluvia abundante, Aleluya! 

 


AP - EVANGELISMO e DISCIPULADO
por Pr. Jelson Becker

EVANGELISMO e DISCIPULADO

 

“Evangelizar é comunicar o Evangelho de tal forma que homens e mulheres tenham a oportunidade válida de receber Jesus Cristo como seu único e suficiente Senhor e Salvador, tornando-se assim membros responsáveis do seu Corpo Espiritual, ou seja, sua Igreja.”

 

“Evangelismo é a experiência mais próxima a de ter um filho que um homem pode sentir. É anunciar as Boas Novas, para todos que ainda não fazem parte do Povo de Deus.”

 

“A missão primária da igreja é proclamar o Evangelho de Cristo e reunir os crentes em igrejas locais para serem  edificados na fé e tornarem-se eficazes no serviço, assim implantando novas congregações no mundo interio.” David J. Hesselgrave.

 

“A igreja que deixa de ser evangelística em breve deixa de ser evangélica”. Alexandre Duff

 

“A igreja que não evangeliza, se fossiliza”

 

 

Logo no início do novo testamento, encontramos João Batista pregando uma mensagem dura e de arrependimento pois era chegado o Reino de Deus: - “arrependei-vos porque é chegado o reino de Deus”. Logo depois Jesus começa a manifestar entre os homens o Reino de Deus, inclusive ensinou-nos a orar pedindo “...venha o teu Reino...”.

 

Durante todo o período de ministério terreno, Jesus e seus discípulos percorreram cidades, vilas e casa anunciando que era chegado o tempo de Deus, um momento especial para o homem arrepender-se de seus pecados e receber a salvação.

 

Ao término de seu ministério terreno, Jesus deixa para seus discípulos uma tarefa específica para ser realizada: - “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra.  Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” Mt 28:18-20

 

Esse tem sido o principal desafio inacabado até os dias de hoje... aquele grupo de pessoas que presenciou essas palavras já não existem mais, realizaram sua parte em sua geração. Muitos outros surgiram e deram sua contribuição para o cumprimento da ordem que Jesus deixou para a GRANDE COMISSÃO. Mas o evangelho ainda não foi pregado em todas as nações, muito menos ensinado para que fosse guardado todos os ensinamentos...

 

Missões e Evangelismo são a principal razão da Igreja existir!

Este seminário tem por objetivo mobilizar, despertar, inspirar, treinar e principalmente enviar você para obedecer esse ultimo pedido do Senhor Jesus Cristo.

 

Servimos a um Senhor que aproxima-se da videira frondosa para procurar frutos, logo Ele espera encontra-los. Como pai amoroso Ele quer que seus filhos sejam os melhores ramos, com os melhores frutos. Jesus deixou muito claro isso quando falou: - “Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.”. João 15:16

 

Muito mais que números, Jesus esta dizendo que espera de seus escolhidos números e qualidade. Alguns pensam que o Mestre não espera números, apenas qualidade... o que é um grande equívoco... outros ao contrário nutrem em seus corações a mentira de que o importante é crescer quantitativamente... e a “qualidade é Deus quem dá”... outro grande equívoco.

 

É sobre qualidade e quantidade que iremos tratar.  Frutos que permanecem e fazer discípulos que guardem tudo o que for ensinado estão diretamente relacionados ao que Deus espera de nós.

 

Abra seu coração, elimine todo seu pré-conceito e indisposição. Deixe que o Espírito Santo venha ministrar seu poder sobre você. A vontade de Deus para sua vida deve ser a sua preocupação principal.

 

Nosso Deus é um Deus bondoso e cheio de amor, mas também é exigente e espera resultados em quantidade e qualidade.

 

Não tenha medo... Esse mesmo Deus que procura em nossas vidas frutos, vem através de Jesus Cristo provar seu amor naquela cruz e através do Espírito Santo nos capacitar para o trabalho vitorioso.

 
O Duplo  Propósito da Igreja

 

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado.” Mt 28:19

 

Creio que a base para todo trabalho missionário ao longo da história da igreja, se resume nesse versículo.

Essas foram palavras dirigidas especificamente ao grupo de pessoas que se identificavam para a sociedade da época como “Discípulos de Jesus”. Se você  já teve um verdadeiro encontro transformador de vida com Jesus Cristo, alegro-me em comunica-lo que estamos inseridos nesse seleto grupo, que ainda nos dias de hoje continuamos a ser chamados de “Discípulos de Jesus”.

Sem Evangelismo não existe possibilidade de Discipulado e sem o Discipulado existe uma grande probabilidade de todo seu trabalho de Evangelismo ter sido em vão.

Não consigo aceitar, o fato de alguns escritores tentarem separar o Evangelismo do Discipulado. Em alguns seminários esses dois temas são ministrados independentemente, quando na realidade eles são juntos o único propósito pelo qual a igreja existe até os dias atuais.

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações,” é uma afirmação imperativa. Ela transmite idéia de movimento e ação. É o que chamamos de evangelismo e visa apresentar as Boas Novas para quem ainda não conhece Jesus Cristo como Senhor e Salvador pessoal.

Porém “batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” corresponde a um longo e profundo trabalho de amadurecimento espiritual e membresia em uma igreja local. É o que chamamos de Discipulado e visa a edificação do ser humano.

 

Igrejas que não encontraram o equilíbrio entre esses dois princípios estão fora do propósito pelo qual Deus instituiu a igreja na terra. Os frutos que produzem precisam ser questionados e a liderança precisa buscar um perfeito equilíbrio entre esses dois aspectos com a máxima urgência.

 

Ao separarmos as duas coisas, geramos de um lado milhares de pessoas que fizeram a oração de conversão,  recebendo a Jesus Cristo como Senhor e Salvador mas que nunca prosseguiram em seu crescimento de fé. E do outro lado, outro grupo de pessoas que ficam a vida inteira se reunindo para “estudos bíblicos”, seguindo um cronograma de temas que não atendem suas necessidades nem é capaz de tornar-se prático.

 

É possível que esse problema venha da destorcida interpretação bíblica sobre a GRANDE COMISSÃO. Para  alguns líderes separar o Evangelismo do Discipulado é resultado de uma exegese errônea do que Marcos teve em mente quando registrou a necessidade de Pregar o Evangelho e Mateus enfatizar a necessidade de Fazer Discípulos. Veja os seguintes textos:

 
A GRANDE COMISSÃO segundo a narrativa de Marcos 16:15-18

 

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.  Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.  Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas;  pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.”

 

Marcos destacou A AÇÃO de EVANGELIZAR, que Jesus mandou fazer, portanto a ele é muito mais PRÁTICO. A ênfase esta NO QUE FAZER e nos sinais que seguirão aqueles que se dispõem a ir.

 

Muitos interpretam que Marcos esta preocupado apenas com a quantidade, o que não é verdade. Certo pastor uma vez falou: - “vamos sair para distribuir 4 mil panfletos, mas não parem para conversar com ninguém senão não vai dar tempo de alcançar todo o bairro.” Essa visão esta focada na quantidade e totalmente fora do que Marcos tinha em mente ao escrever o texto bíblico. Precisamos alcançar muito mais que 4 mil casas de um bairro, porém sem comprometer a qualidade.

 

 

 

 

 
A GRANDE COMISSÃO segundo a narrativa de Mateus 28:19-20

 

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” Mt 28:19-20

 

Mateus destacou O ENSINO E GUARDAR o que Jesus mandou fazer, ou seja,  ele destacou COMO FAZER, ensinando a guardar todas as coisas que Jesus ensinou.

 

 

 

 
 
A GRANDE COMISSÃO segundo a narrativa de Lucas 24:45-49

 

“Então Jesus abriu a mente deles para que eles entendessem as Escrituras Sagradas  e disse: -O que está escrito é que o Messias tinha de sofrer e no terceiro dia ressuscitar. E que, em nome dele, a mensagem sobre o arrependimento e o perdão dos pecados seria anunciada a todas as nações, começando em Jerusalém. Vocês são testemunhas dessas coisas.  E eu lhes mandarei o que o meu Pai prometeu. Mas esperem aqui em Jerusalém, até que o poder de cima venha sobre vocês.”

 

Lucas nos ensina QUANTO FAZER o que Jesus mandou, destacando o OBJETIVO (levar a pessoa ao arrependimento) e a promessa de capacitação sobrenatural do Espírito Santo (Pentecostes).

 

 

 

 

 
A GRANDE COMISSÃO segundo a narrativa de João 20:22-23

 

“Depois soprou sobre eles e disse: -Recebam o Espírito Santo.  Se vocês perdoarem os pecados de alguém, esses pecados são perdoados; mas, se não perdoarem, eles não são perdoados.”

 

João nos falou do PORQUE fazer o que Jesus ordenou, destacando o PROPÓSITO da evangelização, (resolver definitivamente o problema do pecado na história da humanidade e reconciliar o homem com Deus).

 

 

 

 

 

O fato é que todos os evangelistas falam do mesmo ensino de Jesus.

Em resumo, Jesus mandou EVANGELIZAR através do DISCIPULADO para o ARREPENDIMENTO, de modo que os pecadores sejam perdoados de seus pecados. Portanto não existe distinção entre EVANGELISMO E DISCIPULADO, ninguém tem o ministério só de Evangelizar ou só de Discipular, uma função esta intrínseca na outra. Pode haver pessoas com mais aptidões para um ou para outro, mas o fato é que essa pessoa possui essa dupla responsabilidade.

 

Outra questão importante para frisarmos é que esta ordem de Mt 28:19 é para todas as pessoas que um dia aceitaram a Cristo como seu Senhor e Salvador. Independente do ministério que venham a desenvolver depois de sua conversão, evangelizar e discipular outras pessoas é o mínimo que cristãos saudáveis e maduros devem realizar.

Acredito que existem pessoas no corpo de Cristo, especialmente capacitadas para desenvolver especificamente a função de evangelismo ou discipulado, mas isso não justifica deixar de realizar as duas. Talvez você tenha mais afinidades com o evangelismo e o discipulado seja muito mais difícil para uma pessoa com o seu perfil... isso é perfeitamente compreensível... existe a possibilidade de você ter um dom ministerial na área de evangelismo... mas isso não deve servir de pretexto para você deixar de discipular pessoas recém convertidas.

O ciclo do evangelismo e discipulado deve ser: CONVERSSÃO, APRENDIZADO, SANTIFICAÇÃO, REPRODUÇÃO. Todo verdadeiro discípulo de Jesus precisa passar por essas três ultimas fases pós conversão.

 

APRENDIZADO: É quando a pessoa esta chegando na igreja e começa a aprender a palavra de Deus. Seu código de valores e conceitos mundanos começam a ser comparados com os ensinamentos bíblicos e ela começa a entrar em crise, pois muitas coisas que durante toda a vida ela acreditou e praticou poderão estar contrários ao que a Bíblia ensina.

 

SANTIFICAÇÃO: É quando esse Filho de Deus já entendeu o que é certo e errado, qual a vontade de Deus para sua vida, como ouvir a voz de Deus (...) e esta disposto a deixar toda essa grande gama de conhecimento bíblico se transformar em vida dentro dele. Essa é a fase mais crítica do processo de amadurecimento cristão, geralmente é quando Deus nos passa pela moenda, nos quebra e modela de novo.

A grande parte dos cristãos que abandonaram a fé e/ou o convívio na igreja, o fizeram durante essa fase do processo de amadurecimento. Não basta o APRENDIZADO, é preciso deixar que o poder de Deus entre em ação nas áreas mais secretas de nossa vida e nos santifique. Assim deixamos de ser meros aprendizes da palavra de Deus e passamos a ser praticantes.

 

REPRODUÇÃO: O cristão reflete sua maturidade espiritual quando chega a essa fase do crescimento. Semelhante a uma planta, não faz sentido o produtor cultiva-la se no final seu fruto for estéril. Deus é especialista em investir nas vidas humanas e Ele espera que nós façamos o mesmo.

Muitas pessoas já devem ter investido em sua vida meu amigo leitor, pense em quantas pessoas já oraram por você desde que você conheceu a Cristo? Quantos já lhe aconselharam? Quantos já gastaram tempo, combustível e paciência para lhe ensinar a palavra de Deus? Quantos ainda irão investir a vida que possuem e sua vida? É isso que Deus procura, pessoas que invistam sua própria vida em outras vidas... semelhante ao que realizou Jesus, investindo sua própria vida em toda humanidade.

Ovelhas geram ovelhas, pastores não geram ovelhas.... eles apenas pastoreiam.

Pescadores existem para pescar peixes, e os peixes estão a espera dos pescadores.

Você já conduziu uma pessoa a conversão em Jesus? Você já é papai espiritual de alguém?

Quantas pessoas você já conduziu até Jesus e os acompanhou após a conversão no seu processo de amadurecimento espiritual?

 

Agora responda em que fase você se encontra atualmente?

 

Resposta:_________________________________________________________________

 

Escreva abaixo uma oração com respeito a que deseja fazer de hoje em diante:

 

 

 

 

 

 

 

 

Certa vez um missionário amigo estava trabalhando em um grande projeto missionário. Este projeto mobilizava toda sua cidade para um grande impacto evangelístico. Era uma cidade de aproximadamente 600 mil habitantes em ao término desse grande esforço evangelístico conseguiram apresentar o plano da salvação para mais de 250 mil habitantes daquela região...

Nas semanas que antecederam ao grande evento, constataram que o pastor de uma das igrejas daquela cidade ainda não havia mobilizado sua comunidade para o treinamento de evangelismo e discipulado que antecedia a grande cruzada.

O missionário foi procurar tal pastor para saber por que ainda ele não havia se organizado... o pastor constrangido... começou a falar sobre as dificuldades do ministério... Era um pastor de uma igreja histórica com mais de 30 anos de ministério naquela congregação e aproximadamente 500 membros...

Para livrar-se do missionário que insistia em convencer o pastor da importância de treinar suas ovelhas para que elas gerassem e discipulassem  outras ovelhas, aquele pastor falou em alta voz: - “Meu filho, eu não tenho nem, dez pessoas nesta igreja para enviar a esse treinamento da a grande Cruzada Evangelística...”.

O missionário indignado perguntou: - Como é pastor? O senhor esta me dizendo que depois de ter trabalhado mais de 30 anos nessa comunidade, ter construído todas essa estrutura o senhor não tem dez pessoas para enviar a um treinamento para que elas evangelizem e discipulem outros??? – “É isso mesmo meu filho, agora vai dando o fora...” respondeu o cansado pastor.

Inconformado o missionário encontrou coragem e disse: - “Então faça um favor para você mesmo... Fecha essa igreja e abre uma quitanda para vender frutas e verduras... vai dar mais resultado e benefício para a comunidade ao redor. Essa igreja não é igreja, é apenas uma associação... pois não esta cumprindo sua função, seu principal propósito pelo qual Deus a instituiu... Evangelizar e Discipular pessoas que ainda não conhecem a Cristo!”

 

Essa conversa parece ter sido muito dura.... mais reflete a situação da maior parte das igrejas brasileira.

A igreja não pode deixar de ser igreja!

Ela precisa executar com prioridade o seu principal propósito de existir: Evangelismo e Discipulado – Missão Integral para o Homem  Integral.

 

“Se eu viver ou morrer, que Cristo seja glorificado pela colheita de multidões da almas para Ele” Henrique Martyn (avivalista inglês que serviu como missionário na Índia – 1781 – 1812)

 


Exorcismo Científico
por Recebido por E-mail


      Sexta, 25 de fevereiro de 2005, 08h28
      TV britânica mostra exorcismo científico ao vivo

      A televisão britânica exibiu na noite de quinta-feira o exorcismo de
um homem, que teve sua atividade cerebral submetida a um controle médico, em
um programa que estudava as relações entre a ciência e a religião.
      Em um programa do Channel 4, o reverendo Trevor Newport, um religioso
pentecostal, exorcizou um homem com idade por volta dos 40 anos, apresentado
com o nome de Colin e que apareceu com fios elétricos fixados em sua cabeça.

      Newport, que ao que parece tem experiência na matéria, disse uma série
de orações de conjuro para que os demônios abandonassem o homem.

      "Colin era alguém muito agitado antes e agora é alguém completamente
relaxado", declarou o religioso, ordenado há 25 anos.

      Depois do exorcismo, Colin declarou: "Sentia que existiam demônios em
minha vida, dos quais me livrei. Acredito que existe um Deus misericordioso
e que o país precisa saber que Jesus expulsa os maus espíritos e que
continua fazendo".

      Sacerdotes da Igreja Anglicana, psicólogos, religiosos muçulmanos,
neurologistas e psiquiatras observaram a experiência.

      "Durante o processo, vimos uma pequena atividade na região parietal do
cérebro", declarou o médico Jonathan Bird, neuropsiquiatra do hospital
Frenchay de Bristol, que assistiu ao experimento.

      Colin estava conectado a um eletroencefalograma, um aparelho que mede
a atividade elétrica do cérebro.

      "Também constatamos uma certa assimetria no lóbulo temporal. Quanto a
saber se se devia a uma atividade do cérebro ou a uma atividade espiritual,
a resposta eu deixo para os especialistas", disse o médico.

      Alguns observadores afirmaram que o alívio que o paciente parecia
sentir era devido ao fenômeno espiritual, enquanto outros compararam o
exorcismo a uma forma de hipnose.

 


Expedição Russa sai em Busca da Arca de Noé
por Jornal IG

Expedição russa sai em busca da Arca de Noé
 

    Com as bênções da Igreja Ortodoxa, uma expedição russa partiu
para o monte Ararat, na Turquia, para encontrar a Arca de Noé,
seguindo as pistas entalhadas em algumas pedra que encontrou na
região.
  
    A expedição do orientalista Andréi Poliakov pretende superar a
façanha da enviada ao leste da Turquia pelo Czar Nicolas 2o em 1916 e
que, segundo a lenda, não só encontrou a Arca, mas conseguiu provas
de sua existência, hoje perdidas.
  
    Envolvida no mito, a história do navio no qual Noé salvou do
Dilúvio Universal um casal de cada espécie animal continua provocando
as gerações de aventureiros, como demonstra o fato de a expedição de
Poliakov ser apenas uma das muitas que neste verão pretendem
encontrar a Arca.
  
    Um grupo turco-americano dirigido pelo empresário Daniel McGivern
pretende confirmar que um grande objeto avistado em uma das ladeiras
do monte depois dos degelos do verão passado é o navio sagrado.
  
    Segundo a Bíblia, a Arca de Noé, construída cinco milênios antes
de Cristo "nas montanhas de Ararat", media 137 metros de comprimento,
23 metros de largura e 14 metros de altura, embora todos os
especialistas coincidam em que agora ela estaria fragmentada.
  
    Antes de partir, o Patriarca da Igreja Russa Ortodoxa, Alexis 2o,
abençoou a expedição de Poliakov.
  
    "A subida ao Ararat pela Arca é uma tarefa difícil. Rezaremos
para abençoar esse caminho e por seu êxito", disse Alexis 2o, que
entregou aos expedicionários um ícone de São Jorge Vitorioso, patrono
das montanhas do Cáucaso.
  
    Da expedição russa, participam vários jornalistas, entre eles os
enviados pelo canal de televisão "Rambler Teleset", dispostos a
transmitir "in situ" as eventuais descobertas feitas nessa montanha
de 5.435 metros de altura encravada no canto mais oriental da
Turquia, na fronteira com a Armênia e o Irã.
  
    Poliakov disse neste sábado à imprensa que esta é a segunda vez
que se dirige ao Ararat e que, em sua primeira viagem, conseguiu
a "chave" que faz com que ele acredite no triunfo.
  
    "Esta expedição vai dar a resposta definitiva a todas as
perguntas sobre a arca", explicou, depois de revelar que está sendo
guiado por inscrições talhadas em pedras descobertas em um cemitério
abandonado da vertente armênia do monte.
  
    Segundo Poliakov, essas pedras são "a testemunha da sobrevivência
de Noé e de seus descendentes" nesse maciço vulcânico, conhecido em
turco como Agri Dari, "a montanha da dor".
  
    O cientista indicou que em uma das pedras há a
inscrição: "aproxime-se sem perturbar a alma".
  
    A inscrição, que recolhe tradições muito anteriores, estaria na
língua de Urartia, reino que dominou essa região entre os séculos 15
e 6 a.C.
  
    Embora Poliakov tenha dito que há outras descobertas que não
podem ser reveladas, ressaltou que a Arca está em uma zona diferente
daquelas até agora contempladas como prováveis pontos de "atracação"
do navio.
  
    A expedição russa indica as imediações do lago Kulp, não longe do
cume principal e não onde indicam as misteriosas fotografias
conseguidas por um satélite espião americano.
  
    A "anomalia de Ararat", como denominou a CIA a descoberta do
satélite, foi encontrada depois do desgelo do ano passado e, segundo
o rival da expedição russa, McGivern, as fotografias "mostram um
objeto feito pelo homem".
  
    A primeira vez que a CIA (muito interessada em uma zona antes
proibida por sua proximidade à fronteira da antiga URSS) avistou uma
misteriosa estrutura em Ararat foi em 1949, de um avião espião.
  
    Pilotos turcos voltaram a avistá-la nos anos sessenta, mas as
queixas soviéticas conseguiram fechar a região.
  
    No entanto, foram os russos que reclamaram a primeira grande
expedição, no verão (setentrional) de 1916, ordenada por Nicolas 2o e
dirigida pelo tenente Roskovitski, que disse ter achado a Arca perto
de um lago gelado nas alturas de Ararat.
  
    Cerca de 150 engenheiros, oficiais e cossacos acometeram a
empresa, cujo resultado foi um conjunto de fotografias e detalhados
relatórios enviados ao Czar de São Petersburgo, então Petrogrado.
  
    Aparentemente Nicolas 2o nunca recebeu essas provas e a expedição
em breve foi esquecida no caos da revolução de Outubro de 1917.
  
    Alguns rumores apontaram para que o líder bolchevique León
Trotski conseguiu esse material e o destruiu ou escondeu, isso sim,
depois de ordenar a execução do mensageiro que levava os segredos.
  
    Fonte: IG

 


Feiticeira de En-Dor - I Sm 28.1-25
por Pr. Airton Evangelista

O Espiritismo e a Feiticeira de En-Dor-(1ªSm-28.1a25)

 

Pr.Airton Evangelista da Costa


A visita que fez o rei Saul a uma feiticeira,conforme registro em 1ªSm-28.1a25, tem sido usada pelos espíritas para legitimar a crença da comunicação entre vivos e mortos. Examinemos.

1. Deus não responde a Saul

Bem antes de Saul tentar falar com Samuel via feiticeira, a graça de Deus fora tirada de sua vida. Por sua desobediência no caso dos despojos dos amalequitas, o Senhor o repreendeu duramente: “Porque a rebelião é como pecado de feitiçaria... Porquanto tu rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei” (1 Sm 15.10-31). Veja 1 Sm 28.16.

Por sua rebeldia, Saul ficou entregue à influência demoníaca (1 Sm 16.14). A partir daí, perdeu o controle, foi tomado por ódio, inveja e ciúmes. Enfurecido, tentou matar Davi por mais de uma vez (1 Sm 18.9-12,17; 19.1). Ele próprio declarou-se angustiado: “Deus se tem desviado de mim e não me responde mais...” (1 Sm 28.15).

Quanto a Deus não responder a pecadores, a Bíblia diz: “Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem o seu ouvido, agravado, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados encobrem o Seu rosto de vós, para que não vos ouça ” (Is 59.1-2). Deus só aceita orações dos genuinamente arrependidos e humildes (Lc 18.14), e dos que pedem segundo a sua vontade (1 Jo 5.14). O egoísmo, a cobiça, o ciúme e a desobediência endureceram o coração de Saul de forma irreversível. Ele sentiu o desamparo de Deus. As condições para que Deus ouvisse a Saul seriam que ele orasse, buscasse verdadeiramente a Sua face, e se arrependesse com sinceridade de seus maus caminhos (2 Cr 7.14).

Porém, como um abismo chama outro abismo (Sl 42.7), Saul, num último e desesperado gesto de desobediência, resolveu apelar para uma médium espírita na tentativa de falar com o profeta Samuel, já morto. Ora, tal expediente é condenado por Deus na Sua palavra: “Não haja no teu meio quem faça passar pelo fogo o filho ou a filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem FEITICEIRO, nem encantador, nem NECROMANTE, nem mágico, nem QUEM CONSULTE OS MORTOS. O Senhor abomina todo aquele que faz essas coisas...” (Dt 18.10-12). Nessa proibição não foi usada a palavra “espiritismo”, surgida milhares de anos depois, com o advento do kardecismo. Todavia, a idéia está subjacente. Ouçam: “Quando vos disserem: Consultai os médiuns e os feiticeiros, que chilreiam e murmuram entre dentes, respondei: Acaso não consultará um povo a seu Deus? Acaso a favor dos vivos se consultarão os mortos” (Is 8.19). O envolvimento com médiuns ou necromantes leva à condenação (Is 8.20-22; Lv 19.31; 20.6). Outras referências: Ex 22.18; Jr 27.9; 29.8; Atos 16.16.

Saul, desejando uma resposta de Deus, procurou uma feiticeira, uma necromante, uma mulher que incorporasse algum espírito, uma mulher com “dons” mediúnicos: “Buscai-me uma necromante, para que eu vá a ela e a consulte” (1 Sm 28.7-a). Deus estaria sendo incoerente se atendesse aos caprichos de Saul. Aqui surge a primeira evidência da impossibilidade de haver Samuel se apresentado na sessão espírita sob análise. Para lembrar: “Em favor dos vivos consultar-se-ão os mortos?” (Is 8.19). Logo, Deus não iria legitimar uma prática por Ele próprio condenada.

Além disso, uma das causas da morte de Saul foi o haver consultado a feiticeira de En-Dor (cidade da tribo de Manassés), conforme 1 Crônicas 10.13-14. Não há como imaginar uma sessão espírita sendo enriquecida e abençoada com a presença de um mensageiro de Deus. Se permitida tal prática, não precisaríamos mais buscar ao Senhor. Em situações difíceis, cairíamos aos pés de um médium, e diligentemente se apresentariam os santos do Senhor. Então, a Bíblia iria para o lixo e passaríamos a observar outro Evangelho.

2. Uma sessão espírita de mentira

Em primeiro lugar, Saul demonstrou ser um hipócrita: mandara eliminar todas as feiticeiras e agora vai a uma feiticeira (1 Sm 28.3,9). Segundo, ele “se disfarçou e vestiu outras vestes, desejando negar sua identidade (v.8); usou falsamente o nome do Senhor, jurando por Ele (v.10). Terceiro, a feiticeira primeiramente disse que viu a Samuel (v. 12), depois disse que viu “deuses que sobem da terra” (v.13); depois, já não eram deuses nem Samuel, mas “um ancião envolto numa capa”(v.14). Quarto, diante dos personagens apresentados, Saul admitiu (“entendeu”) que Samuel estava ali à vista da feiticeira vidente (v.14).

Note-se que a primeira fala de “Samuel” é de insatisfação: “Por que me inquietaste (ou me interrogas) fazendo subir? (v.15). Dois pontos devem ser analisados nessas palavras. Primeiro, se Deus permitira a vinda de Samuel, como Seu mensageiro, o profeta deveria cumprir com alegria a missão recebida, e não se mostraria insatisfeito. O espiritismo afirma que os desencarnados são mensageiros de Deus. Segundo, o entendimento é que quem comandou a “subida” de “Samuel” não foi Deus, mas o pecador Saul. O “ancião envolto numa capa” declarou que Saul o fez subir (v.15). O santo de Deus, o profeta Samuel, estaria à disposição de uma feiticeira e de um rei pecador, a quem Deus não mais respondia. Devemos nos lembrar que a Bíblia sempre fala que o inferno está em baixo, e o céu, em cima. Mas esse “Samuel” subiu, veio de baixo!

Outra pergunta de “Samuel” merece ser comentada: “Por que, pois, a mim me perguntas, visto que o Senhor te tem desamparado e se tem feito teu inimigo?” (1 Sm 28.16). Ora, se Deus havia se ausentado de Saul; se este já estava sob condenação; se os ouvidos de Deus estavam tapados ao clamor de Saul (v.6,15,16), como sairia da glória o santo Samuel para prontamente atender a um chamado desse rei, via feiticeira? Se Deus se fizera inimigo de Saul, por que razão Samuel viria atender ao chamado? Que autoridade teriam um rei e uma feiticeira (ou, por extensão, que autoridade têm os médiuns) para convocarem os santos do Senhor?

3. A profecia não cumprida

Diz a Bíblia: “Como conheceremos a palavra que o Senhor não falou? Quando o tal profeta falar em nome do Senhor, e tal palavra se não cumprir, nem suceder assim, esta é palavra que o Senhor não falou” (Dt 18.21-22). Disse “Samuel” a Saul: “E o Senhor entregará também a Israel contigo na mão dos filisteus, e amanhã tu e teus filhos estareis comigo” (1 Sm 28.19). Enquanto o pseudo Samuel estava discorrendo sobre fatos passados, acertou; mas no momento em que falou sobre acontecimentos futuros, foi um desastre. Ele disse: “AMANHÃ estareis comigo”. Ora, os dicionários dizem que amanhã significa “o dia seguinte àquele em que estamos”. Todavia, Saul não morreu no dia seguinte. Vejamos: Um dia se passou, segundo relato em 1 Sm 29.10-11, (levantou-se no dia seguinte de madrugada); três dias se passaram, conforme 1 Sm 30.1 (chegaram ao terceiro dia a Ziclague); um dia se passou em 1 Sm 30.17 (desde o crepúsculo até a tarde do dia seguinte). Saul morreu cinco dias, no mínimo, após a profecia de “Samuel”.

Disse mais “Samuel” a Saul: “Tu e teus filhos estareis comigo” (v.19). Os filhos de Saul eram, no mínimo, oito: Jônatas, Isvi, Malquisua, Merabe, Mical (1 Sm 14.49; 1 Cr 8.33), Armoni, Mefibosete (2 Sm 21.8), Abinadabe (1 Cr 8.33) Is-Bosete, cujo primeiro nome foi Esbaal (2 Sm 2.8). Todavia, apenas três morreram na batalha: Jônatas, Abinadabe e Malquisua (1 Sm 31.2,6; 1 Cr 10.2). Is-Bosete, por exemplo, passados cinco anos da morte de seu pai, reinou sobre Israel durante dois anos, (2 Sm 2.10; 4.7). Outra declaração contraditória: “Estareis comigo”. Por tudo que vimos, Saul não foi para o mesmo lugar onde se encontrava Samuel, que estava no Paraíso, na paz do Senhor (Lc 16.22). Outra inverdade proferida pelo falso Samuel foi que Saul cairia nas mãos dos filisteus (1 Sm 28.19). Saul suicidou-se (1 Sm 31.4-5).

4. Outras considerações

Se de fato Samuel apareceu naquela sessão como mensageiro do Senhor, suas profecias teriam sido cumpridas, na íntegra, quanto ao destino de Saul, ao dia da sua morte e ao número de filhos que morreriam na batalha. O próprio Samuel declara em 1 Sm 15.29: “E também aquele que é a Força de Israel não mente...”.

Após censurar com rigor a rebelião de Saul, o profeta disse não voltaria a ele: “Não tornarei contigo” (1 Sm 15.26). De fato, “nunca mais viu Samuel a Saul até ao dia da sua morte...” (v. 35). Logo, não haveria razão para Samuel, após a morte, retornar a Saul. Se retornasse, estaria contrariando sua própria palavra, e, como tal, ficaria desqualificado para agir como mensageiro de Deus.

Se Deus não falava com Saul pelos meios usuais – “ministério dos profetas e sonhos” (1 Sm 28.15) – não falaria através de um meio abominável. O surgimento do profeta naquela sessão espírita estaria legitimando uma nova prática de consulta aos santos do Senhor.

“Por que me interrogas (ou me inquietas) fazendo-me subir?” (1 Sm 28. 15). “Por que, pois, a mim me perguntas?” (1 Sm 28.16). Entende-se que Samuel não viera a serviço do Senhor. Se o profeta estivesse ali em missão divina, jamais afirmaria que Saul “o fez subir”; falaria em nome do Senhor dos Exércitos, como sempre fez. Se Samuel se apresentasse como mensageiro de Deus, Saul estaria diante do interlocutor apropriado, capaz e legítimo. Mas “Samuel” retrucou: “Por que me interrogas?”. Que influência, que força, que poder teriam um homem em pecado e uma médium espírita para trazer do Paraíso um profeta do quilate de Samuel que ouvia a voz de Deus?

Finalmente, se a prática de consultar os mortos tivesse sido validada por Deus, enviando o santo Samuel, não teria sentido a condenação de Saul, como está em 1 Crônicas 10.13: “Assim morreu Saul por causa da sua infidelidade ao Senhor, e até consultou uma adivinhadora...”.

Portanto, não foi Samuel quem participou daquela sessão espírita. Um demônio ali se manifestou, personificando o profeta. Essa interpretação é reforçada pelos seguintes fatos adicionais: (a) Saul desejou consultar uma mulher que tivesse “o espírito de feiticeira” (1 Sm 28.7), que literalmente significa “uma mulher possuída de Ob”. Essa palavra, “Ob”, “significa um receptáculo feito de peles, e passou a ser aplicado a um homem ou mulher possuídos pelo espírito de necromancia” (O Novo Comentário da Bíblia). Os espíritos familiares àquela mulher não eram os santos do Senhor, mas espíritos da mentira e do engano. (b) O espírito do engano, no intuito de enganar a Saul, aos criados e à feiticeira, apareceu com o semblante de Samuel e certamente imitou a sua voz. Por isso, ela se mostrou assustada: “Quando a mulher viu a Samuel, gritou em alta voz e disse a Saul: Por que me enganaste?” (1 Sm 28.12). (c) A afirmação “estareis comigo”, de “Samuel”, reforça o entendimento de que o diabo estava certo quanto ao destino de Saul. (d) A interrogação “por que me fizeste subir” denota que esse “Samuel” estava em baixo, em regiões inferiores, para onde também iria o rei.

Em Lucas 16.19-31, Abraão negou o pedido do rico para que mandasse o santo Lázaro a Terra. E teria Lázaro a nobre missão de falar de salvação aos irmãos do rico. Nem assim foi possível. Abraão declarou que eles deveriam dar ouvidos a “Moisés e profetas”, meios usuais de consulta (v.29). O rico também se viu impedido de sair do seu lugar. Logo, espíritos humanos, bons ou maus, estão impossibilitados de se apresentarem em sessões espíritas, sejam elas dirigidas por médiuns, feiticeiras, necromantes ou adivinhos.
www.palavradaverdade.com

 


Feriados de Origem Pagã
por Walter Nunes Braz Jr.

Os Feriados de Origem Pagã e Como Foram

Adotados no Mundo Ocidental

 

Muitos cristãos estão celebrando entusiasticamente diversos feriados ocultistas

sem conhecer a verdadeira origem deles. Quando você compreender o quão

paganizado o mundo ocidental se tornou, verá que o julgamento de Deus não

pode estar muito longe. Lembre-se da advertência bíblica: "Sai dela, povo meu,

para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas

suas pragas." [Apocalipse 18:4]

 

Mandamentos Bíblicos Contra a Adoração Como os Pagãos

 

Exortação Para Uma Total Separação do Mal

 

"Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje

a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além

do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a

minha casa serviremos ao SENHOR.". [Josué 24:15]

 

"Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o

outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a

Mamom." [Mateus 6:24]

 

"Não te inclinarás diante dos seus deuses, nem os servirás, nem farás

conforme às suas obras; antes os destruirás totalmente, e quebrarás de todo

as suas estátuas." [Êxodo 23:24]

 

"... se servires aos seus deuses, certamente isso será um laço para ti." [Êxodo

23:33]

 

"E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel?

E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o

templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles

andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio

deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos

receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o

Senhor Todo-Poderoso." [2 Coríntios 6:15-18]

 

Em todas as Escrituras, Deus adverte seu povo a não servir aos falsos deuses

estrangeiros nem copiar suas "obras". Entretanto, geração após geração de

judeus no Velho Testamento achou o sistema idólatra de adoração das nações

pagãs circunvizinhas absolutamente irresistível. Ao ler o Velho Testamento,

você encontra Deus advertindo seu povo repetidas vezes a não seguir a

religião, as tradições e as práticas das nações adoradoras de Satanás

circunvizinhas a Israel.

No entanto, vez após vez, Israel se recusou a obedecer às advertências de

Deus e mergulhou fundo na adoração pagã de seus vizinhos. Esse paganismo

penetrou até mesmo nos círculos internos do governo, sob a liderança de maus

reis e rainhas e, no Templo, por meio dos sacerdotes idólatras. Em numerosas

ocasiões, Deus levantou reis justos que imediatamente iniciavam uma limpeza

física no templo, no sacerdócio e dos judeus seguidores de Baal, o demôniodeus

favorito daquela época. Deus deixou registrado nas Escrituras esses

tempos de reforma e restauração para nós. Portanto, vamos examinar algumas

passagens onde Deus ordenou uma remoção total da adoração a Baal.

"Mas os seus altares derrubareis, e as suas estátuas quebrareis, e os seus

bosques cortareis." [Êxodo 34:13]

"E tiraram as estátuas da casa de

Baal, e as queimaram." [2 Reis

10:26]

"Porque tirou os altares dos deuses

estranhos, e os altos; e quebrou as

imagens, e cortou os bosques." [2

Crônicas 14.3]

"E acabando tudo isto, todos os

israelitas que ali se achavam

saíram às cidades de Judá e

quebraram as estátuas, cortaram

os bosques, e derrubaram os altos

e altares por toda Judá e

Benjamim, como também em

Efraim e Manassés, até que tudo destruíram." [2 Crônicas 31:1]

"E quebrará as estátuas de Bete-Semes, que está na terra do Egito; e as casas

dos deuses do Egito queimará a fogo." [Jeremias 43:13]

Nota: Um dos obeliscos da gravura anterior é o obelisco de Heliópolis, que tem

entalhes intrincados.

"Israel é uma vide estéril que dá fruto para si mesmo; conforme a abundância

do seu fruto, multiplicou também os altares; conforme a bondade da sua terra,

assim, fizeram boas as estátuas." [Oséias 10:1]

No último verso, vemos que, quando Deus permitiu que Israel se tornasse

próspero financeiramente e seus cidadãos se tornassem abastados, a nação

descambou ainda mais na adoração pagã. Parece que as riquezas e um

padrão elevado de vida são um laço espiritual, porque as pessoas sentem

menos necessidade de Deus e são levadas por suas próprias lascívias às

religiões pagãs que promovem essas lascívias. Obviamente, um paralelo direto

pode ser trazido para o mundo ocidental hoje, porque estamos quase tão

pagãos quanto Israel estava durante o tempo dos julgamentos de Deus no

Velho Testamento, e temos obeliscos por toda a parte!

(Nota: Dedicamos um seminário inteiro a esse assunto, o Seminário 1,

"America's Leadership of the New World Order", disponível em fitas cassetes.

Você verá por si mesmo os muitos paralelos entre o Israel antigo no tempo de

seu julgamento físico e os Estados

Unidos hoje)

O cristianismo começou a ser

corrompido pelo mesmo tipo de

paganismo durante o reinado de

Constantino. Esse rei deu início à

prática de combinar a doutrina, arte e

objetos cristãos com os do paganismo.

Esse processo é chamado

"sincretização". Embora Constantino tenha iniciado a prática, a Igreja Católica

Romana é que a aperfeiçoou! Como você pode ver na gravura a seguir, há um

obelisco na praça da Basílica de São Pedro! Os papas católicos acreditaram

erroneamente que podiam "cristianizar" um objeto satânico de adoração orando

sobre ele e/ou ungindo-o com "óleo santo", tornando assim o objeto aceitável

para o uso cristão.

Observe atentamente este obelisco e verá que ele está erigido no meio de uma

roda dos oito etapas para a iluminação satânica (veja maiores detalhes lendo o

artigo N1134)! No Satanismo, o obelisco é o símbolo do falo masculino,

enquanto o círculo representa a vulva feminina. Lembre-se, o paganismo é

definido como a adoração à criatura em lugar do Criador [Romanos 1:25], e a

criação mais fácil de adorar é o sexo. Sempre que os satanistas queriam

representar o Grande Ato Sexual, simplesmente colocavam o falo do obelisco

dentro da vulva do círculo.

Uma das maiores ironias de todos os tempos é que a Igreja Católica Romana

tem esse símbolo satânico do Grande Ato Sexual erigido na Praça da Basílica

de São Pedro desde o século VII, de onde o papa pode contemplá-lo

diariamente - apesar de o Vaticano requerer o celibato de seus sacerdotes!

Nos últimos 1.400 anos, a Igreja Católica Romana tem conduzido a civilização

ocidental pela estrada vil da sincretização, onde material satânico foi misturado

com material cristão. O resultado é uma mistura podre que Jesus Cristo

sempre rejeitará! Muitas pessoas despertarão diante do Grande Trono Branco

do Julgamento e descobrirão, tarde demais, que Jesus não aprova nem um

tiquinho essa mescla do paganismo com o verdadeiro cristianismo.

Esse é o assunto para o qual nos voltamos agora; quando compreendermos os

fundamentos pagãos de muitos de nossos feriados, então acharemos mais fácil

recusar a participação em feriados que têm origem no satanismo. Você

também descobrirá por que certos eventos ocorrerem da forma como têm

ocorrido, de modo que poderá aprofundar sua busca para cumprir a orientação

de Jesus de que devemos ser "prudentes como as serpentes e inofensivos

como as pombas" [Mateus 10:16]

Feriados e Sabás Ocultistas

Como já dissemos repetidas vezes em outros artigos, os satanistas acreditam

que os números contêm poder inerente. Destarte, eles literalmente ordenam

suas vidas de acordo com a numerologia ocultista - tal numerologia também é

um componente-chave da astrologia, outro sistema de adivinhação que os

satanistas observam atentamente. O calendário ocultista é dividido em quatro

segmentos de treze semanas cada. O número 13 é considerado divino pelos

ocultistas por um par de razões:

A Bíblia atribui ao 13 o significado de "rebelião contra a autoridade constituída",

mais à depravação que fez Satanás se rebelar contra Deus.

Os ocultistas usam o 6 para representar o número do homem, e o 7 para

representar a perfeição divina. Assim, à medida que uma pessoa escala a

"Escada de Jacó" em direção ao auto-aperfeiçoamento no campo do oculto, o

número 13 representa o estado de perfeição divina, perfeição alcançada por si

mesmo, e Iluminação (6+7=13).

Assim, o calendário ocultista é formado por quatro períodos de treze semanas

cada. Relacionaremos esses períodos agora e depois falaremos sobre cada

um deles em detalhes.

1. Solstício de Inverno no Hemisfério Norte: 13 semanas - Sabá menor [NT:

Lembrar que durante o verão no Hemisfério Sul é inverno no Hemisfério Norte]

a. 21 de dezembro - Yule

b. 21 - 22 de dezembro - Solstício de Inverno / Yule. Uma das noites de

sacrifício humano dos Illuminati.

c. 1 e 2 de fevereiro - Candlemas [Candelária] e Imbolg, também

conhecido como Dia da Marmota. Uma das noites de sacrifício humano

dos Illuminati. [NT: No Brasil, em 2 de fevereiro é celebrado o dia de

Iemanjá e de Nossa Senhora dos Navegantes]

d. 14 de fevereiro - Dia dos Namorados [NT: No Brasil, 14 de fevereiro é o

dia de São Valentim, santo protetor dos namorados e das amizades]

2. Equinócio de Primavera no Hemisfério Norte: 13 semanas - sabá menos

importante, mas requer sacrifício humano.

a. 21 e 22 de março - deusa Ostara - Nota: A Páscoa [pagã] é o primeiro

domingo após a primeira lua nova depois de Ostara. 21 de março é uma

das noites de sacrifício humano dos Illuminati.

b. 1 de abril - Dia da Mentira e precisamente treze semanas desde o ano

novo.

c. 19 de abril a 1 de maio - Sacrifício de Sangue à Besta. Sacrifício de fogo

é requerido em 19 de abril.

d. 30 de abril a 1 de maio - Festival de Beltaine, também chamado de Noite

de Walpurgis. Este é o dia mais importante no calendário dos feiticeiros

druidas. 1 de maio é o segundo feriado mais sagrado dos Illuminati.

Sacrifício humano é requerido.

3. Solstício de Verão no Hemisfério Norte: 13 semanas - Quando o sol

alcança seu ponto mais setentrional em seu trajeto no céu.

a. 21 e 22 de junho - Solstício de Verão.

b. 21 de junho - Litha, é uma das noites de sacrifício humano dos Illuminati.

c. 4 de julho - Dia da Independência dos Estados Unidos, 13 dias após o

dia de Litha e 66 dias a partir de 30 de abril.

d. 19 de julho - 13 dias antes de Lughnasa.

e. 31 de julho a 1 de agosto - Lughnasa, grande sabá festivo. 1 de agosto -

uma das noites de sacrifício humano dos Illuminati.

4. Equinócio de Outono no Hemisfério Norte: 13 semanas - Sabá menos

imporante, mas requer sacrifício humano.

a. 21 de setembro - Mabon, uma das noites de sacrifício humano dos

Illuminati.

b. 21 e 22 de setembro - Equinócio de outono.

c. 31 de outubro - Samhain, também conhecido como Halloween, ou

Véspera de Todos os Santos. Essa data é um dos dias mais importantes

de sacrifício humano dos Illuminati.

Não é interessante como os "profanos" - você e eu - somos levados como um

rebanho de carneiros a observar os dias festivos importantes das religiões de

mistérios? Você pode não entender que está ordenando o ano de acordo com

os feriados pagãos, mas está! O calendário anual para todo o mundo ocidental

foi ordenado com base nesses períodos e dias festivos satânicos.

Agora que já vimos todo o calendário oculto, vamos voltar aos feriados

importantes para ver como o mundo ocidental se desviou para a adoração dos

mesmos feriados pagãos e usando muitos dos mesmos símbolos pagãos que

são tão importantes para os adoradores pagãos. O sacrifício humano requerido

durante muitas dessas datas ocultistas precisa conter os seguintes elementos,

1. Trauma, tensão e angústia mental, puro terror.

2. O ato final no drama deve ser destruição pelo fogo, preferencialmente

uma conflagração.

3. As pessoas devem morrer como sacrifícios humanos, especialmente

crianças, visto que o Senhor Satanás vê um sacrifício humano de uma

pessoa jovem como o mais desejável.

Datas Específicas no Calendário Ocultista

1. Solstício de Inverno: 13 semanas - [NT: Lembrar que durante o verão no

Hemisfério Sul, é inverno no Hemisfério Norte]

a. 21 de dezembro - Yule - Quando o sol inicia seu trajeto mais setentrional no

céu, e os dias começam a ficar mais longos novamente, os pagãos celebravam

o solstício de inverno queimando uma tora. Visto que o sol tinha girado para o

outro lado e estava agora ascendendo no céu, os pagãos acreditavam que isso

era um sinal de que os sacrifícios humanos oferecidos em Samhain

(Halloween) tinham sido aceitos pelos deuses.

Continuamos a cantar no Natal: "Adornamos as paredes com galhos de

azevinho... cantamos a velha cantiga do Yule... Vemos a ardente tora diante de

nós. Fa la la la la la la la." (Pagan Traditions of the Holidays, David Ingraham,

pg 71)

Posteriormente, a Igreja Católica Romana mudou o dia da celebração para 25

de dezembro, chamando-a de Natal.

Considere as raízes pagãs dos símbolos mais comuns do Natal:

(1) Árvore de Natal - a árvore sagrada do deus do inverno; os druidas

acreditavam que os espíritos dos seus deuses residiam nas árvores. A maioria

dos pagãos sabia que a árvore representava Ninrode reencarnado em Tamuz!

Os pagãos também viam as árvores como símbolos fálicos.

(2) Estrela - Pentalfa, ou pentáculo, a estrela de cinco pontas. O pentáculo é

um símbolo poderoso de Satanás, menos importante apenas que o hexagrama.

A estrela é o símbolo sagrado de Ninrode, e não tem nada que ver com o

cristianismo.

(3) Velas - Representam o fogo do recém-nascido deus-sol. Os pagãos do

mundo todo apreciam e usam velas em seus rituais e cerimônias. Eles também

acreditam que certas cores representam poderes específicos. O uso extensivo

de velas é normalmente uma boa indicação que o serviço é pagão, não importa

qual seja o traje exterior.

(4) Visco - É a planta sagrada dos druidas e simboliza as bençãos pagãs da

fertilidade; assim, beijar um visco é o primeiro passo no ciclo reprodutivo! Os

feiticeiros também usam os frutos brancos do visco em poções.

(5) Grinaldas - São circulares e, assim, representam os órgãos sexuais

femininos. As grinaldas estão associadas com a fertilidade e o "círculo da vida".

(6) Papai Noel - Ex-satanistas já me disseram que "Santa Claus" [Papai Noel,

em inglês] é um anagrama para "Satan" [Satanás]. Na Nova Era, "Sanat

Kamura" é definitivamente um anagrama para "Satanás". Os atributos e

poderes míticos associados ao Papai Noel são estranhamente similares aos

atributos e poderes de Jesus Cristo. Escrevemos um artigo que descreve essas

similaridades, N1132. Nós o incentivamos a ler esse artigo, para ver que a

tradição popular do Papai Noel substituiu espiritualmente Jesus Cristo!

(7) Renas - São animais chifrudos que representam o "deus chifrudo" das

religiões pagãs! O número tradicional de renas no trenó do Papai Noel é oito;

na gematria satânica, oito é o número de "novos começos", ou o ciclo da

reencarnação. Os Illuminati vêem o "oito" como um símbolo da Nova Ordem

Mundial.

(8) Elfos - São criaturas de forma demoníaca que são pequenos ajudantes de

Papai Noel (Satanás). Eles também são demônios.

(9) Verde e vermelho - São as cores tradicionais da estação e também são as

cores pagãs tradicionais do inverno. O verde é a cor favorita de Satanás, de

modo que é apropriado que seja uma das cores tradicionais do Natal; o

vermelho é a cor do sangue humano, a forma mais elevada de sacrifício a

Satanás - por essa razão, o comunismo adotou o vermelho como sua cor

 


História das Cartas do Baralho
por Recebido por E-mail

CARTAS DO BARALHO

 

As CARTAS DE BARALHO foram criadas em 1392 para uso pessoal do Rei Carlos da França, quando este sofria de debilidade mental.

O criador das cartas era um homem, degenerado e mau que escarnecia de Deus e seus mandamentos.

Para sua criação malígna escolheu figuras Bíblicas.

O Rei, representa o diabo.

A Dama representa Maria, a mãe de Jesus.

Assim, de modo blasfemo fez de Jesus um Filho do Diabo.

Copas e Azes representam sangue.

Paus representa a perseguição e destruição de todos os santos, e assim outros símbolos.

Seu desprezo pelos dez mandamentos foi expresso pelo número dez de suas cartas.

Quem conhece esta origem diabólica do JOGO de CARTAS, compreende também as consequências diabólicas.

Não é de admirar que a advinhação funcione tão bem com o jogo de cartas, pois são sinais diabólicos.

Saiba então que, cada vez que você é convidado para trucada e se assenta na mesa, o diabo está presente.

A própria palavra TRUCAR segundo o dicionário significa: fazer parada do jogo  de truque dando a entender que tem bom jogo quando não tem, enganar, mentir, dizer de um falso jogo.

Eis na verdade o que acontece numa mesa de jogo de cartas: mentira, engano e Roubo!

E quem é o pai da mentira?

Quem gosta de mentira?

De trapacear, de trucar?

Está você sofrendo de debilidade mental como o rei carlos da França?

Está você subjulgado as cartas?

Viciado?

Deixe de ser cobaia do diabo, de ser tapeado dizendo que é apenas uma diversão.

RASGUE as cartas de baralho, abandone a mesa de Jogo.

Você precisa romper de uma vez com tudo que é do diabo, em Nome do Senhor e Salvador  Jesus Cristo, rompa sua filiação com o diabo.

Deixe de fazer a vontade dele.

Deus é nosso Pai e a vontade Dele, só a Dele é que deve reinar em nossa vida.
Ele é bondoso e não o Diabo.

 


Ap - História dos Avivamentos Espirituais
por Pr. Jelson Becker

História dos Avivamentos Espirituais

 

Avivamento é quando o Espírito Santo renova, reaviva e desperta a igreja sonolenta, abatida e corrompida pelo pecado. É revitalização onde já existiu vida. Ou, como disse Robert Coleman, é "o retorno de algo à sua verdadeira natureza e propósito".

Segundo  o Dr. Martin Loyd-Jones: “É uma experiência na vida da Igreja quando o Espírito Santo realiza uma obra incomum. Ele a realiza, primeiramente, entre os membros da Igreja: é um reviver dos crentes. Não se pode reviver algo que nunca teve vida; assim, por definição, o avivamento é primeiramente uma vivificação, um revigoramento, um despertamento de membros de igreja que se acham letárgicos, dormentes, quase moribundos.”

Quando há esse impacto da obra do Espírito de Deus na vida da igreja, os resultados imediatos do avivamento são sentidos no povo de Deus: senso inequívoco da presença de Deus; oração fervorosa e louvor sincero; convicção de pecado na vida das pessoas; desejo profundo de santidade de vida e aumento perceptível no desejo de pregação do evangelho. Em outras palavras, a igreja amortecida e tristemente doente é a primeira a ser beneficiada pelo avivamento.

Outro mito muito freqüente é afirmar que algumas igrejas são “frias” e outras mais “espirituais”. Não existem igrejas frias! Existem sim, pessoas frias, mortas ou acomodadas espiritualmente! Isso existe!

Todo avivamento espiritual promovido por Deus, tem o objetivo final de transformar a sociedade não-cristã. Isto acontece porque, além da atuação soberana do Espírito Santo no mundo, na igreja passa a existir uma conscientização profunda de sua missão; isto é, a missão integral de servir o mundo evangelística e socialmente. No avivamento a igreja vive a missão para a qual foi chamada.

A sociedade não-cristã, por sua vez, volta-se para Deus em resposta ao evangelho. Acertadamente o Dr. Héber de Campos comenta que "o reavivamento começa na igreja e termina na comunidade maior onde ela vive. Os efeitos do reavivamento são muito mais perceptíveis nas mudanças morais que acontecem na região ou num país onde ele acontece. Ele não se limita simplesmente aos membros das igrejas atingidas pela obra de Deus. Ele causa impacto em toda a comunidade onde a igreja de Deus está inserida".

 

Ao fazermos uma análise histórica dos fatos e acontecimentos, desde o povo de Israel na Antiga Aliança, até a igreja de nossos dias, no Novo Testamento percebemos que o povo tem oscilado entre ondas de grande avivamento espiritual e períodos de profundas trevas e degradação pecaminosa.

Associado a cada período de avivamento espiritual observamos que o antecedeu um longo período de intercessão, jejum e oração. Na verdade os avivamentos espirituais precisam ser gerados espiritualmente por intercessores, em nosso Seminário sobre Avivamento Espiritual desenvolvemos com maior propriedade esse tema, porém é importante que você tenha em mente um pequeno resumo dos principais avivamentos espirituais da história.

 

Destacam-se pelo menos doze movimentos de avivamento só nas páginas do Antigo Testamento, isso sem nos aprofundarmos em cada um dos reis que lideraram o reino do norte (Israel) e reino do sul(Judá). No Novo Testamento a Igreja Primitiva apresenta-se como uma igreja avivada, mas ainda em Atos, percebemos que Deus precisou despertá-los espiritualmente, os pais da igreja ao longo dos séculos seguintes nos deixaram inúmeros relatos de avivamentos espirituais que vieram sobre cada geração de cristãos.

Infelizmente a história também nos mostra que tristemente ocorreram negros períodos de falta de avivamento, em especial destaco a Idade Média.

 

Existe pelo menos quatro fatores que precedem cada avivamento, porém não são comuns a todos.  O texto que segue abaixo foi resumido a partir  do livro “The Solemn Assembly” (A Assembléia Solene) por Richard Owen Roberts-1989.

 

1) Declínio Espiritual e Moral. Cada avivamento é precedido por um período de declínio moral e espiritual entre o povo de Deus. Como exemplos que ilustram este problema, podemos citar Êxodo 32 e 33, onde o declínio incluiu a fabricação do bezerro de ouro para ser adorado; e no tempo de Davi, que foi precedido por mais de seis décadas em que a Arca da Aliança de Deus estava fora do lugar certo em Jerusalém.

 

2) Execução do Juízo Divino. Sem exceção, os avivamentos sempre foram precedidos por alguma espécie de juízo da parte de Deus. Enquanto alguns destes juízos foram imediatos e finais, resultando em mortes entre os ímpios, outros foram misericordiosos e redentores, resultando em quebrantamento, oração, arrependimento e intensa busca da face de Deus.

 

3) Surgimento Líder ou Líderes Consagrados ao Senhor. Este fato pode ser ilustrado, examinando a relação completa dos avivamentos no Velho Testamento:

a) Avivamento com Moisés – (Êxodo 32 e 33)

b) Avivamento com Samuel – (1 Samuel 7, com capítulos 1-6 dando o contexto)

c) Avivamento com Davi – (2 Samuel 6,7)

d) Avivamento com Asa – (2 Crônicas 14-16)

e) Avivamento com Josafá – (2 Crônicas 17-20)

f) Avivamento com Jeoiada – (2 Crônicas 23,24)

g) Avivamento com Ezequias – (2 Crônicas 29-32)

h) Avivamento com Josias – (2 Crônicas 34,35)

i) Avivamento com Zorobabel – (Esdras 1-6)

j) Avivamento com Esdras – (Esdras 7-10)

k) Avivamento com Neemias – (Neemias 1-13)

l) Avivamento com Joel – ( Joel 1, 2)

 

Obviamente, em cada caso Deus mesmo levantou um líder que tinha o pesado encargo das necessidades morais e espirituais do seu povo. As palavras de Moisés em Êxodo 32.32 destacam isso enfaticamente: “Agora, peço-te, perdoa o seu pecado; ou, se não, risca-me do livro que escreveste”. O intercessor é essa pessoa que se coloca na “brecha” para intermediar espiritualmente pelo povo (Ez 22:30-31).

 

4) Manifestação Extraordinária do Poder de Deus. Embora esta ação tenha sido diferente em cada avivamento, a mais freqüente tomada era da Assembléia Solene. Outra vez, observemos o que aconteceu em cada caso.

 

a) Êxodo 33.7-11 – Moisés tomou a tenda e armou-a fora do arraial, a uma boa distância do arraial.  Chamou a este lugar de “tenda do encontro”, e exigia a todos que quisessem buscar ao Senhor que fossem para fora do arraial, para longe do local do pecado, ao tabernáculo, para encontrar-se com o Senhor.

b) 1 Samuel 7.5,6 – Samuel ordenou que todo Israel se ajuntasse em Mispa, numa Assembléia Solene, onde orou por eles, e onde jejuaram e confessaram seus pecados.

c) 2 Samuel 6.14 e 1 Crônicas 13-18 – Depois de um princípio desastrado, quando pecaram contra o Senhor colocando a Arca da Aliança num carro novo (o método filisteu), Davi e o povo a carregaram de acordo com a Palavra do Senhor, em humilhação com regozijo. Davi dançou diante de Deus com toda sua força, cingido de uma estola sacerdotal de linho.

Depois de colocar de lado sua coroa e roupagens reais, Davi portou-se como um homem comum entre homens comuns. Embora não haja menção de uma Assembléia Solene no relato de 2 Samuel, a passagem paralela de 1 Crônicas a reconta em detalhes.

d) 2 Crônicas 15.9-15 – Asa convocou uma Assembléia Solene em Jerusalém onde o povo entrou numa aliança para buscar o Senhor Deus de seus pais com todo seu coração e toda sua alma.

e) 2 Crônicas 20.3-13 – Josafá chamou uma Assembléia Solene por todo o Judá e Jerusalém, e o povo jejuou e buscou ao Senhor.

f) 2 Crônicas 23.16 – Jeoiada, numa Assembléia Solene, fez uma aliança entre si, todo o povo e o rei, para que fossem o povo do Senhor. Então procederam a fazer uma limpeza de todo o mal da terra.

g) 2 Crônicas 29.5 em diante – Ezequias e os líderes estabeleceram um decreto que foi circulado extensivamente, exigindo que todo o povo se reunisse para uma Assembléia Solene e a celebração da Páscoa. Quatorze dias inteiros foram dedicados para buscar e adorar ao Senhor.

h) 2 Crônicas 34.31-33 – Josias reuniu o povo numa Assembléia Solene, e entraram numa aliança com o Senhor para andar em todos seus caminhos e cumprir todas as palavras da aliança, escritas no livro.

i) Esdras 6.16-22 – Zorobabel dirigiu o povo numa Assembléia Solene e uma celebração de sete dias da Páscoa, em que se separaram da impureza das nações, e se comprometeram a buscar ao Senhor Deus de Israel.

j) Esdras 8.21-23; 9.5-15 – Esdras proclamou um jejum no Rio Aava, para que todos pudessem se humilhar e buscar ao Senhor. No fim, fizeram uma humilhação pública, e afastaram o pecado de si, através de uma Assembléia Solene.

k) Neemias 8.1 em diante – Uma Assembléia Solene foi realizada na frente da Porta das Águas, onde foi lido o livro da lei de Moisés, hora após hora, e um compromisso foi feito por escrito, de afastar o pecado e buscar ao Senhor com todo seu coração.

l) Joel 1.13; 2.12-17 – Joel chamou uma Assembléia Solene em que todo o povo deveria comparecer, e onde todos deviam voltar ao Senhor com todo seu coração, com jejum, choro e lamentação, e onde deviam rasgar seus corações e não suas vestes.

 

Considere a situação na época da Assembléia Solene convocada pelo profeta Joel. O povo, como era comum, era culpado de pecado flagrante, que não fora confessado e nem abandonado. Deus os visitou com um juízo corretivo: uma praga de gafanhotos em tal proporção que nada semelhante havia sucedido até então.

“O que ficou do gafanhoto cortador, comeu-o o gafanhoto migrador; o que ficou do gafanhoto migrador, comeu-o o gafanhoto devorador; o que ficou do gafanhoto devorador, comeu-o o gafanhoto destruidor”.

Além da terrível praga dos insetos, uma seca cruel afligira a terra. Os ébrios lamentavam porque não tinham vinho novo para beber; os sacerdotes choravam porque a oferta de manjares e a libação foram cortadas da casa do Senhor, os campos estavam arruinados, e a própria terra estava de luto, os lavradores uivavam, os animais gemiam e andavam errantes, pois não havia pasto para eles.

O próprio povo pranteava como virgem cingida de pano de saco pelo marido da sua mocidade.

O profeta anunciou as ordens: “Cingi-vos de pano de saco, e lamentai-vos ó sacerdotes: gemei ministros do altar! Entrai e passai, vestidos de pano de saco, durante a noite, ministros do meu Deus.”

“Santificai um jejum, convocai uma assembléia solene, congregai os anciãos, e todos os moradores desta terra para a casa do Senhor vosso Deus, e clamai ao Senhor”. “Tocai a trombeta em Sião, e daí o alarme no meu monte santo! Tremam todos os moradores da terra”.

“Ainda assim, agora mesmo diz o Senhor: Voltai para mim de todo o vosso coração, com jejuns, com choro e com pranto. Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes. Voltai para o Senhor vosso Deus.”

“Tocai a trombeta em Sião, santificai um jejum, proclamai um dia de assembléia solene. Congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, congregai os filhinhos, e os que mamam. Saia o noivo da sua recâmara, e a noiva do seu tálamo. Chorem os sacerdotes, ministros do Senhor, entre o alpendre e o altar, e digam: Poupa a teu povo, ó Senhor, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que as nações façam escárnio dele.”

O jejum, clamor, oração de intercessão movem o coração de DEUS, em resposta ao quebrantamento espiritual do povo, promessas foram dadas como encorajamento:

“Então o Senhor teve zelo da sua terra, e se compadeceu do seu povo. O Senhor responderá ao seu povo: Eu vos envio o trigo, o vinho novo e o azeite, deles sereis fartos, e não vos entregarei mais ao opróbrio entre as nações. Farei o exército do Norte partir para longe de vós e lançá-lo-ei em uma terra seca e deserta, a sua frente para o mar oriental, e a sua retaguarda para o mar ocidental. E subirá o seu mau cheiro, e subirá o seu fedor...”

Em resposta ao arrependimento coletivo do povo através de usar o meio divinamente ordenado da Assembléia Solene, a terra se regozijou e se alegrou. Os pastos do deserto ficaram verdes outra vez.

As árvores e vides deram seu fruto. E o fruto que deram não era um fruto comum, mas um fruto extraordinário, pois Deus aproximou mais os períodos de chuva, e fez com que o sol brilhasse sobre a terra, de tal forma que as eiras se encheram de trigo, e os lagares transbordaram.

Tão grande foi a bênção derramada pelo Deus que se compraz num povo quebrantado e contrito, que ele recuperou a eles os anos perdidos ao grande exército de gafanhotos.

O povo tinha em abundância, e estava satisfeito, louvando o nome do Senhor que operara maravilhosamente com eles. Sabiam que Deus estava no seu meio, que ele era o único Deus, e que não havia nenhum outro!

 

Encontramos uma oração por avivamento e a promessa de sua ocorrência em Joel 2.28-32; Habacuque 2.14-3.19 e Malaquias 4.

Infelizmente, alguns que se chamam “cristãos” não levam muito a sério este assunto de Assembléia Solene, porque todos os exemplos citados foram do Antigo Testamento. Neste caso, deveriam pensar a respeito de todo o tempo de preparação para o Pentecostes, à luz da Assembléia Solene, vemos que aqueles dias no cenáculo foram de fato uma Assembléia Solene, onde Deus manifestou poderosamente seu Espírito Santo, inaugurando assim a Igreja Neo-Testamentária.

Cada uma das pessoas levantadas por Deus para mobilizar os avivamentos foram antes de tudo grandes guerreiros de Intercessão, Jejum e Oração!

No apogeu de um grande avivamento Jesus aparece e é batizado por João Batista, depois de sair de um longo período de jejum e oração no deserto e ter vencido as tentações do diabo. Escolhe e treina seus discípulos; ascende aos céus, deixando-os na expectativa de receberam a promessa do Espírito (Lc 24.49-53; At 1.1-26).

O poderoso derramamento do Espírito Santo, no dia de Pentecostes, inaugura o avivamento aquilo que Jesus havia predito (At 2.1-47).  Marca-se, assim, o início de uma nova era na história da redenção. Por três anos Jesus trabalhara na preparação desse dia: – o dia em que a Igreja, discipulada por intermédio de seu exemplo, redimida por seu sangue, garantida por sua ressurreição, sairia em seu nome a proclamar o Evangelho “até os confins da terra” (At 1.8).

O livro de Atos registra a dimensão desse avivamento. Avivamento em Jerusalém, em Samaria, em Antioquia da Síria e em Éfeso. E de lá para cá, são muitos os relatos da obra vivificadora do Espírito Santo na história da igreja, como por exemplo, na Alemanha com a Reforma Protestante do século XVI, na Inglaterra no século XVIII, entre os negros Zulus da África do Sul na década de 60 e na Coréia do Sul nestes últimos tempos, e o mais recente talvez seja o da décata de 90 em Toronto, Canadá.

 

Nos Estados Unidos, em 1734. Havia uma consciência da necessidade de alcançar os não-crentes e fortalecer os já convertidos.  Jonathan Edwards (1703-1758), com sua simplicidade de vida e muita oração, exerceu grande impacto sobre as pessoas. George Whitefield (1714-1770) foi outro grande avivalista desse período. O resultado do trabalho desses homens foi milhares de conversões e o nascimento de muitas igrejas. Na Nova Inglaterra (EUA), numa população de 300 mil pessoas, houve entre 30 e 40 mil conversões. Houve fortalecimento moral nos lares, fundação de cursos teológicos e de obras sociais.

 

Já na Europa, várias ondas de grandes avivamentos começaram após a metade do século XVII. Em 1670, na Alemanha, o pastor Philip Spener organizou reuniões para estudo bíblico e oração nas casas. Surgiram obras sociais e um novo vigor espiritual veio sobre a igreja luterana. Fundaram-se muitos campos missionários.

O avivamento dos Morávios iniciou-se em 1727. Começaram a buscar ao Senhor em oração e, de repente, houve um derramar do Espírito sobre a igreja. Havia choro, quebrantamento e manifestações até entre crianças. Os morávios iniciaram um ministério de oração contínua que durou mais de 100 anos, 24 horas de oração diária e ininterrupta.

Na Inglaterra, João Wesley foi o instrumento de Deus para mudar a história da igreja. Homem de oração deu ênfase ao estudo bíblico. Opôs-se ao álcool, à guerra, à escravidão. Houve muitas conversões.

 Já no século XIX alguns homens foram instrumentos de Deus para liderar grandes avivamentos:

Charles G. Finney foi poderoso na Palavra, na oração e no testemunho. Viveu nos Estados Unidos. Sob a influência de sua pregação, igrejas foram renovadas, nasceram novas comunidades, pessoas deixaram vícios, etc.

Charles H. Spurgeon (1834-1892) foi professor de crianças na EBD e viu muitos pais se converterem com o testemunho dos filhos. Spurgeon foi poderoso na pregação. Sinais e prodígios eram comuns em suas reuniões. Esse avivamento iniciou-se na Inglaterra e alcançou outros países.

Dwight L. Moody viveu de 1837 a 1899, nos Estados Unidos da América. Calcula-se que cerca de 500 mil pessoas entregaram-se a Cristo por seu intermédio. Dedicou-se a EBD. Começou com 12 crianças e, em poucos anos, esse número chegou a 12 mil.

Que Deus derrame do seu Espírito sobre nós para que possamos, como igreja e povo brasileiros, experimentar mais uma vez aquele "fogo abrasador" que nos purifica e nos santifica para uma vida cristã de obediência à sua Palavra e somente assim transformarmos nossa sociedade tão corrompida pelo pecado.

 

Desafio: Deus está levantando uma geração de cristãos verdadeiramente comprometidos com o evangelho. Um comprometimento radical, um concerto profundo, uma vida no altar, semelhante ao que aconteceu na vida de cada personagem bíblico analisado neste capítulo: - Você esta disposto a ser um Agente Mobilizador de Avivamento em sua comunidade? Você esta disposto a correr riscos, se expor, denunciar o pecado, derrubar os postes ídolos em sua vida? E em sua igreja? E cidade?

Lembre-se que Marcos 10:30 “que não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e, no mundo por vir, a vida eterna” e 2 Timóteo 3:12  “Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.”

 

Caso a resposta seja sim, comece agora mesmo a jejuar, orar e a interceder!

 


AP - Impedimentos de Entrar no Santo dos Santos
por Pr. Jelson Becker

O que nos Impede de Entrar no Santo dos Santos?

 

 Todas as religiões do mundo, de alguma maneira procuram ensinar ao homem como construir uma ponte para chegar a Deus. A fé cristã, é a única religião do mundo, onde Deus vem ao encontro do homem. Onde Deus confunde as línguas em Babel pois não aceitou que o homem chegasse ao seu encontro por meios próprio.

O Deus dos cristãos, veio ao encontro de toda humanidade na encarnação de seu primogênito filho, Jesus Cristo e por internédio de seu sacrifício, morte e ressurreição,  hoje temos livre acesso ao Pai. Deus costuma destruir toda e qualquer espécie de Torre, para ter acesso a Ele, mas ele se agrada quando construímos em nossos corações tronos e altares para que Ele reine.

“Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e lavado o corpo com água pura. Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel.” Hebreus 10:19-23

Muitos intercessores são pouco eficientes em suas orações, pois quando oram não conseguem ser sinceros consigo mesmo. Mentiram tanto ao longo da vida, que hoje não sabem mais o que de fato é verdade e o que foi mentira. Passaram a crer em suas mentiras como se fossem verdades absolutas.

De todas as barreiras e bloqueios que tentam nos impedir de entrar na presença do Pai, a principal de todas é o pecado. Sabemos que Deus é santo, e que sem santidade é impossível estar na presença Dele e não sermos consumidos. Graças a Jesus Cristo que nos proporcionou  um meio seguro de termos comunhão com o Pai, apesar de todos os nossos pecados. Quando entramos na presença de Deus, ele nos vê através do sangue de Jesus, por isso não somos consumidos. Levítico 20:7 “Portanto, santificai-vos e sede santos, pois eu sou o SENHOR, vosso Deus”. 1 Pedro 1:16 “porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo”.

Infelizmente muitos cristãos nunca entenderam e jamais experimentaram o poder da verdadeira confissão de pecados. Uma confissão de pecados regada por intenso arrependimento só pode ser gerada pelo próprio Deus. O Espírito Santo é quem nos convence do pecado e por seu intermédio somos levados ao encontro de novo nascimento com Jesus Cristo.

Milhares de cristão se torturam perguntando-se: Como posso orar quando sei que falhei   para com Deus? A lembrança do passado, o sentimento de culta e o remorso... invadem a mente e comprometem toda confiança nas orações. Logo não conseguem experimentar a palavra de Deus gerando vida em seu interior. Com muito esforço, conseguem racionalizar o perdão, porém verdadeira libertação da culpa só em Jesus.

 

Em seu livro “Orar é Invadir o Impossível”, o Pr. Jack Hayford nos diz que “é impossível entrarmos na Sala do Trono com nossas botas sujas de lama, e simplesmente pedirmos desculpas pela sujeira que espalhamos, e olharmos para Deus com um sorriso amarelo”.  O pecado é um obstáculo para nossa comunhão com Deus, porém quando Deus nos olha através do sangue de Jesus, o que se verifica é exatamente o contrário:

1-      Meu pecado torna possível a manifestação da graça de Deus

2-     Meu pecado é um lembrete poderoso de minha dependência absoluta de Cristo

3-     Meu pecado quando confessado, ocasionará a manifestação da misericórdia  divina

4-     Sempre que meu pecado é resolvido, retorno a fonte de poder, cura e libertação: a cruz do calvário, onde o sangue de Jesus foi derramado por mim.

 

Deixe-me falar um pouco sobre a culpa, esse sentimento horrível e maligno. Culpa é semelhante a um câncer, em nossa alma. Ele nos mata espiritualmente aos pouquinhos, dia a dia, pecado a pecado e quando menos esperamos, já estamos abatidos em nossa fé.

A culpa tem poder para nos paralisar, gera em nosso interior um sentimento de impotência e frustração. Ela não edifica e muito menos nos ajuda a corrigir nossos pecados.

O principal agente da culpa é Satanás, nosso adversário. A Bíblia nos diz que ele é o nosso acusador: Apocalipse 12:10 “Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o  acusador de nossos irmãos, o mesmo que nos acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus.”

Graças a Deus que temos Jesus como nosso advogado,o qual esta na presença de Deus, como nosso mediador. 1 Timóteo 2:5 “Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”.

1 Tessalonisenses 3:11-13 “Ora, o nosso mesmo Deus e Pai, e Jesus, nosso Senhor, dirijam-nos o caminho até vós, e o Senhor vos faça crescer e aumentar no amor uns para com os outros e para com todos, como também nós para convosco,a fim de que seja o vosso coração confirmado em santidade, isento de culpa, na presença de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus, com todos os seus santos.”

 

Deus jamais nos acusou, nem nos acusará dos nossos pecados. O Espírito Santo de Deus nos convence dos pecados. Traz a luz o que esta em trevas na nossa vida, porém somos nós quem tomamos a decisão de renunciar ao pecado, confessa-lo, pedir perdão... Satanás gera em nosso coração o peso da culpa, a fim de nos inibir e impedir de recebermos cura e perdão.

Na próxima vez que você desejar abrir os abraços na adoração, fechar os olhos ou simplesmente glorificar a Deus e em sua consciência surgir um sentimento de culpa. Um pensamento do tipo: - “Pare de fingir ser um cristão comprometido, abaixa logo essas suas mãos, pois eu sei de seus pecados...”

Tenha certeza, essa voz é de Satanás, o qual veio acusá-lo em pensamentos, palavras ou ações, fique firme na posição de intercessor guerreiro. Ajude-o a relacionar um número ainda maior, todos os seus pecados, Satanás sempre nos acusa de uns três ou quatro cada vez. Preferivelmente, escreva em uma folha de papel todos os pecados que Satanás estiver acusando você naquele instante, e escreva outros pecados que ele não estiver acusando você naquele instante, mas que você lembra ter cometido... você ficará assustado ao perceber o tamanho dessa listagem.... no final de tudo, diga para Satanás em alta voz: “Todos esses pecados que você me acusou já foram lavados pelo poder do Sangue de Jesus”. Você pode escrever no final da listagem: “Já foram perdoados e purificados pelo sangue de Jesus!”

Então você entrega para Satanás como recordação, de uma área de sua vida em que ele no passado tinha direito legal para operar e acusar, mas que mediante a confissão e arrependimento ele não tem mais direito de te acusar!

 

Com essa postura, você sempre poderá entrar na Sala do Trono. Pois a confissão e o arrependimento geram libertação da culpa e do remorso. Deus é especialista em transformar a maldição do pecado em bênção. Só Jesus transforma a vergonha em honrra.

 

A bênção de termos nossa consciência limpa diante de Deus e diante dos homens, gera em nosso interior uma maior ousadia espiritual. Em Cristo Jesus, assumimos nosso lugar como filhos de Deus e abrimos nossa boca para cumprir o que esta escrito em 1 Timóteo 1:18-20 e 2:1-3 “Este é o dever de que te encarrego, ó filho Timóteo, segundo as profecias de que antecipadamente foste objeto: combate, firmado nelas, o bom combate, mantendo fé e boa consciência, porquanto alguns, tendo rejeitado a boa consciência, vieram a naufragar na fé.  E dentre esses se contam Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para serem castigados, a fim de não mais blasfemarem.

2:1 Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador,”.

 

I João 1:7-10 e 2:1-2 “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado”

Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.  Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.

2:1 Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.”

 

Provérbios 28:13 “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.”

 

Veja, uma vez resolvido o seu problema com o pecado, entrar na presença de Deus passa a ser um ato voluntário, algo gostoso e atraente para cada um de nós. Deus já providenciou tudo aquilo que você e eu precisamos para podermos entrar em sua presença. Já esta tudo consumado, na cruz do Calvário.

Não peça para Deus fazer por você, aquilo que Ele espera que você faça!

Abandone toda passividade em suas orações, e comece agora mesmo a orar entrando na sala do trono. Seja bem vindo a sala do trono, o Deus de amor estava lhe esperando!

 

 

 

 

 

 

7 Pontos a Serem Observados:

 

1 – Humilhe-se na presença do Senhor.

1 Pedro 5:6-7 “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte,  lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.”

 

2 – Confesse seus pecados, pelo nome, sem generaliza-los. Pecado por pecado você deve pedir perdão e lave sua consciência no sangue de Jesus. Em muitas vezes precisamos primeiro orar pedindo que Deus gere no nosso interior um verdadeiro arrependimento por determinado pecado. Muitos tem consciência do pecado, porém racionalizam o perdão e fingem um arrependimento.

Salmo 51:7-13 “Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que exultem os ossos que esmagaste. Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniqüidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável. Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito. Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário. Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores se converterão a ti”.

 

3 – Desabafe com Deus, semelhante a um desabafo com seu melhor amigo. Um coração contrito e um espírito quebrantado são as verdadeiras ofertas de sacrifícios que o Senhor aceita (Salmo 51:17 e Isaías 57:15).

2 Coríntios 4:13-18 “Tendo, porém, o mesmo espírito da fé, como está escrito: Eu cri; por isso, é que falei. Também nós cremos; por isso, também falamos, sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus também nos ressuscitará com Jesus e nos apresentará convosco. Porque todas as coisas existem por amor de vós, para que a graça, multiplicando-se, torne abundantes as ações de graças por meio de muitos, para glória de Deus. Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas”.

 

4 – Faça como Davi, entre na presença do Senhor pelas portas do louvor. Peça ao Espírito Santo fazer de você um verdadeiro adorador, que adora ao Pai em espírito e em verdade (Jo 4:23-24). Adorar quando tudo vai bem é fácil, adorar nas tribulações é apenas para os intercessores que querem ver Deus movendo o sobrenatural em sua vida e presenciar o terremoto que Deus vai realizar em suas prisões (Atos 16:26).

Salmo 100:4 “Entrarei em tua presença, pelas portas do louvor, com hinos e bendirei o seu nome...”

Salmos 42:2 “A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?”

Atos 16:22-26 “Levantou-se a multidão, unida contra eles, e os pretores, rasgando-lhes as vestes, mandaram açoitá-los com varas.  E, depois de lhes darem muitos açoites, os lançaram no cárcere, ordenando ao carcereiro que os guardasse com toda a segurança. Este, recebendo tal ordem, levou-os para o cárcere interior e lhes prendeu os pés no tronco. Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam. De repente, sobreveio tamanho terremoto, que sacudiu os alicerces da prisão; abriram-se todas as portas, e soltaram-se as cadeias de todos”.

1 Tessalonicenses 5:16-20 “Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não apagueis o Espírito. Não desprezeis as profecias”.

 

5 – Cale-se para ouvir Deus falar. Peça para o Espírito Santo abrir seus ouvidos espirituais para receber direção, consolo ou exortação específica. Eclesiastes nos fala que há tempo de falar e tempo de ouvir. O intercessor que não consegue aquietar seu coração na presença do Senhor e apenas ouvi-lo, não terá maturidade para vencer grandes batalhas.

Peça para Deus exercitar seu ouvido e sua sensibilidade espiritual, a fim de ouvir apenas a voz de Deus e não ser confundido.

Salmo 40:1-3 “Esperei confiantemente pelo SENHOR; ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro. Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos. E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas coisas, temerão e confiarão no SENHOR”.

 

6 – Assuma a postura de guerreiro e traga na presença do Senhor os alvos da sua Intercessão. Você pode trazer na sala do trono, junto com você, sua família, seus amigos, sua vida profissional, alguém internado em um hospital, sua cidade, seu país, alguma autoridade, sua igreja, seu pastor, etc... Apresente-os diante do trono de Deus e invoque sobre eles a presença divina, sua glória, seu poder.

Efésios 6:10-13 “Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder.  Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.  Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis”.

Salmo 91:9-13 “Pois disseste: O SENHOR é o meu refúgio. Fizeste do Altíssimo a tua morada. Nenhum mal te sucederá, praga nenhuma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Pisarás o leão e a áspide, calcarás aos pés o leãozinho e a serpente”.

2 Reis 19:35 “Então, naquela mesma noite, saiu o Anjo do SENHOR e feriu, no arraial dos assírios, cento e oitenta e cinco mil; e, quando se levantaram os restantes pela manhã, eis que todos estes eram cadáveres.”

 

7 – Encerre sua oração agradecendo como se já tivesse recebido suas petições. Agradeça a Deus e novamente o adore, louve e glorifique seu santo nome. Despeça-se Dele, como quem se despede de um grande amigo e diga: Amém – que significa: Assim seja!

Matheus 18:18-20 “Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado nos céus, e tudo o que desligardes na terra terá sido desligado nos céus. Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai, que está nos céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles”.

Marcos 11:24 “Por isso eu afirmo a vocês: Quando vocês orarem e pedirem alguma coisa, creiam que já a receberam, e assim tudo lhes será dado”. (BLH)

 


Informações Importantes sobre os "SINAIS do REINO de DEUS"
por Pr. Jelson Becker

Informações Importantes Sobre os Sinais do Reino:

 

“É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro...” Hebreus 6:4-5.

 

Muito mais que apenas experimentar a “boa palavra de Deus”, o Senhor deseja que você experimente os “poderes do mundo vindouro”. Estamos vivendo na atual dispersão da graça de Deus. É nesta era Deus tem aberto pequenas janelas da era vindoura e manifestado durante pequenos períodos e em determinados um pouquinho dos “poderes da mundo/era vindoura”.

Existe um problemas quando  pessoas pensam que já estão vivendo na eternidade e que cristãos verdadeiros não podem contrair enfermidades, terem dívidas ou passarem por problemas. Toda  teologia que afirma isso esta confusa.

O fato é que Deus promete fazer com que os Sinais do Seu Reino sigam as nossas pregações, as vezes esses sinais são interiores outras são exteriores e facilmente visíveis. Curas, libertações, milagres sobrenaturais ou um simples pecador que confessa e se arrepende de seus pecados nada mais são que sinais do Reino de Deus, liberalmente manifestos em nossa atual era.

Quando os céus são abertos sobre determinadas reuniões de orações e o Espírito Santo encontra sede, fome e liberdade para agir, Ele vem como um vento impetuoso e faz um verdadeiro rebuliço em nosso meio. Muitas pessoas não entendem isso, outras tem medo e outras simplesmente se rendem ao mover do Espírito Santo.

Quero estimular sua fé a fim de vê-lo recebendo maior transferência de poder.

 

Ao chamar intercessores para ministrar, tenha em mente alguns conselhos muito úteis para facilitar o recebimento e a transferência de poder:

 

-          Buscar a Deus e não à Experiência

 

-          Não precisamos de nenhuma simulação, nem ações na carne, existem dois tipos de pessoas que problemáticas: Aquelas que vêem a frente pensando em “descansar”  premeditadamente  ou  aquelas que vêem a frente pensando em “resistir” a ministração e não descansar.

 

-          Experiências são individuais, não cobice nem tenha inveja da experiência dos outros. Deus sabe melhor que você como manifestar seu poder em sua vida.

 

-          Peça para o Espírito Santo ensina-lo a dar-lhe mais liberdade.

 

-          Não Coloque Deus dentro de seus Paradigmas, nem tente ensina-lo a como agir em sua vida, peça para Ele quebrar seus bloqueios interiores.

 

-          Talvez você precise pedir perdão por ter Duvidado, Criticado ou Debochado do mover do Espírito  Santo em outras ocasiões.

 

-          Saia da ANÁLISE e passe para o ROMANCE.

 

-          O espírito do Profeta esta sujeito ao Profeta, em nenhum momento você perderá a consciência ou entrará num estado de alucinógeno. A qualquer instante você poderá Bloquear a Ação do Espírito Santo em sua vida ou pedir-lhe mais intensidade. Você é quem escolhe!!!

 

-          Não tenha pressa para levantar, ore e converse com Deus.

 

-          Evite orar durante a ministração, procure se concentrar em Deus e invocar a manifestação de seu poder sobre sua vida. Jamais esvazie sua mente, muito pelo contrário, encha sua mente com a palavra de Deus e com a presença Dele.

 

Unção da Paz: É comum ficar fraco, vai amolecendo o corpo e perde suas forças até descansar no Espírito Santo e ficar caído, a pessoa não perde a consciência nem fica tomada por uma força maior.

Recebimento de Poder: Muito diferente da Unção da Paz, normalmente as pessoas tremem, gemem, gritam, pulam, sacodem os braços ou pernas, ficam balançando para frente e para trás, caem no chão e ficam tremendo... Sentem eletricidade pelo corpo, as mãos pegam fogo e ficam ardendo. Pode sair aromas perfumados. É quando a maioria das polêmicas são criadas, pois os ímpios nunca ficam escandalizados com o poder de Deus, apenas os fariseus.

Unção de Cura: Geralmente as mãos ficam formigando, ou muito quentes. Na região onde esta sendo curado aumenta significativamente o calor. Palavra de Sabedoria ou Palavra de Conhecimento são freqüentes durante essas ministrações.

Libertação: É comum sentir dor de cabeça, dor na nuca, muito medo e pavor, vergonha exagerada, pensamentos de rejeição, raiva, ódio, vontade de atacar o pregador. Falta de Ar, Garganta Sufocada, Náuseas, Ânsea de Vômito, Ficar com o corpo todo rígido, os dedos retorcidos, tonto, acelerar o coração. Geralmente a pessoa apaga e não tem consciência do que esta acontecendo ao seu redor.

 


INGLES - Prophetic Generation
por

PROPHETIC GENERATION

 
                 

Acts 2: 16-22 - We are living the last days.
 

    * This what the Lord said: “These days will be marked by the power of the Saint Spirit.
    * Because my Spirit will be present and acting in middle of you.
    * I am, the Lord, want that all my church, been baptized with the Saint Spirit and with fire”
    * God want that the church (you) been full of power;


Acts 2: 16-22 - We are living the last days.
 

    * This what the Lord said: “These days will be marked by the power of the Saint Spirit.
    * Because my Spirit will be present and acting in middle of you.
    * I am, the Lord, want that all my church, been baptized with the Saint Spirit and with fire”
    * God want that the church (you) been full of power;
    * Who been under the “new alliance” will receive the authority and power of the Saint Spirit (all flesh)
    * When the Spirit is poured supernatural signs happens

 
V22: Peter remembers that signs, wonders, and prodigies came together with the Jesus ministry.

    * The primitive church accept the Spirit manifestation;
    * The leaders open the way, given spaces to theses events;

 
Acts 4:30 – The pray for wonders, to have the evidence that the God’s unction continues in the church
·        We are living in a prophetic age; where God are raising men, and women, to augur;
·        A generation of prophets unctioned by God, what will augur.
 

   1. Through the gift of prophecy (1st Corinthians 14:1,3)
   2. Through the predictive speech (that will lead people to the repentance)

    * Lots of the ones who look like scum will be raised and used by God in this generation;

 
1st Samuel – David was the minor of the house of his father, a humble sheep shepherd, and also delivery meals to his brothers.

    * But God raised him as a prophet and king, and it was him that defeated Golias, the giant, alleluias.
    * Jesus was a carpenter. And his disciples were fishing men, collector of taxes, prostitutes like Mary Magdalene, by the way, she was the first to see Jesus resurrected from dead, alleluia!

 
Acts 2:17 – Visions and Dreams (projects, plans, purposes)
·        The Gift of Visions;
·        God want to realize things through, kids, young lads, adults, and old ones.
·        God will disclose (dreams, projects, plans, purposes) that are in His heart for your life;
·        He has something to you, and with you.

 


INGLES - The Church Livening
por

THE CHURCH IN LIVENING

 
                 
Atcs 2: 37-47
 
In these verses of the Bible, we could see visible signs of a church in livening.

    * All livening generates spiritual signs (marks), as on the ministry, as in the life of a person;
    * The genuine livening is marked by the spiritual signs;
    * The genuine livening let spiritual marks that never get out of the life of the person who let been touched by the waters of the God’s river;


    * The genuine livening comes from high places, from heaven, from the Throne of God (Acts 2:2), the Bible says that from Heaven comes a sound, it wasn’t a sound of the Earth, by from Heaven. Unfortunally, today exists to many “livening” with a sound that comes from earth, from flesh, generated by the men, not by the Spirit of God.
    * What is from man don’t let spiritual marks, but carnal marks, deception, doubts, frustration, don’t give changes in the life of anybody, its temporary.
    * Livening from Heaven, start with regret (Atcs 2: 37-38)
    * A church in full livening is a church full of believing, “hair on fire”, the saint fire that don’t consummates the hair, but all sins off our lives. Our God is a burning fire. (don’t play with God);

 
Verses 41-42 – The church in livening is formed by believing peoples with the baptism of water and Saint Spirit; with hungry for the Word of God; that recognize the authority and the unction of The Lord in the life of their leader, and persevere on what their seen.

    * Lives in communion: It’s not just take a coffee after the workship, it’s more than that. Communion comes from the word “koinonia” from Greek, that means: near association; partnership, apportion, a concur help. “Koinonia”, it’s realized by the Spirit of God, and connect the church with Jesus, and one with others.
    * The people participates of the Holly Supper, and get the pray as a important thing.

 
Verse 43: To Dread, is not to fear God, its recognize the sovereignty and the authority of God; it’s to have reverence and respect to Him.

    * It’s a church with power, generated by the Presence of the Living God;

 
Verse 44-45 – They were not selfish, they give the tithe and offers;
 
Verse 46- They were united. It had existed a union, fidelity, loyalty, God’s love (ágape).
Psalm 133, say about union, the word union on Hebrew language means “seat together”.

    * Nowadays exist believing people,  who don’t get together with others, seat in a great distance of his brothers and sisters, don’t want to see the other one, they are blues, resentful with each others, WHERE IS THE LIVENING? And you, could you seat beside anyone?
    * They like to be in the temple EVERY DAY, today, have protests who goes only on Sundays.
    * They came together in their hearths, to worship, and study the Lord’s Word, they were hungry for God, and His things;

 
Verse 47: They had a praise life, and not murmur, they gave good testimonials, and had numerical, and spiritual growth. Today great lump its happening, church grow only numerically, but his member are dead, don’t know anything about God, they’re have been taught to buy God’s blessing.

    * They don’t have a abundant spiritual life, they’re selfish, look’s  like the dry earth;
    * Livening have life salvation, souls surrender to the Lord, genuine conversions;
    * Let’s cry out to the coming of the true livening, Soon God will breath extraordinary way in this nation;
    * What we live today is a drizzle, but already exist the sound of the great rain, alleluia!

 


INGLES - Woman - An Instrument in God's Hand
por

WOMAN - AN INSTRUMENT IN GOD'S HAND

 
                 
 Luke 8:1-3 – The importance of the women in the life and ministry of Lord Jesus, was registered by Luke.

    * Those women help with your belongings the Lord and his disciples.
    * They were instruments in God’s hands to blessing lives, and Jesus ministry;
    * Those women financed, and supported the ministry of Jesus, the Lord.


Luke 1: 26-30 – Mary was a woman used like an instrument in God’s Hand.
·        Mary was chosen by God;
·        God chosen you too, to be an instrument in His hand, alleluia!
·        You’re a chosen woman by God too;
·        But, you, to be useful, a blessing one, you need to be in God’s hand;
·        What’s an instrument? It’s an object that serves for the execution of a work;
·        God had a work to you, He wants to use you, He has something to you realize;
·        An instrument to be used needs to be in the hands of someone who know how to use it, like an musician;
·        The musician is the one who knows how to handling the instrument;
·        The instrument by itself don’t have life, it isn’t useful, but when it’s in the hands of a musician he turns alive, useful to what it was made;
·        So as a woman in God’s hand, she turns alive, useful for what He created her;
·        God created you to be useful, created to be used by Him, created you for an specific purpose;
·        Mary was used by God to generate Jesus, it was her specific purpose;
·        When an angel appear to Mary, it happened because she was ready to be used by God;
·        When you’ll be ready, God will use you, Alleluia! God was working in Mary to let her ready to be used;
·        God are working on you, He’s preparing you to use you;
·        But exist some women that are already, and God is using them to the purpose;
·        Let God work you, mold you, so that He can use you;
Verse 38: Mary said: “I am the Lord’s servant”… she put herself in a servant position, showing humble, and submission (she subjected herself). God uses the humble, that one who subject to Him.

    * “May it be to me as you have said”… This part, show obedience, she accepted God’s calling;
    * She was done to do anything necessary to the Lords will be accomplish;
    * God uses obedient ones, that who accept the calling, whatever it is;
    * He uses that ones who don’t choose, but accept what comes from Lord.
    *  Mary faced problems, it that time, a single woman was condemned to die by stoning, if appears pregnant. But Mary, by the Jewish custom, was considered married with Joseph, because in the Jewish culture, the engagement is really serious, it was as like they were married, what was lack, was just the ceremony, or the confirmation of the wedding and the sexual act.
    * Imagine Mary appearing and saying: “I’m pregnant! Of who? Of Saint Spirit!” Who would believe on it? Even in our time, if a woman appears saying that was pregnant of the Saint Spirit no one would believe on it! And Joseph for being her husband, needs to throw the first stone, cause of it, he planned to run away, because he loves too much Mary.
    * Moreover, she needs to face other problems, like: gossips, critical, and insults;
    * But she faced until the death, cause she was a servant, didn’t think in the consequences, and said, “I am the Lord’s servant, may it be to me as You have said”;
    * She showed disposal to obey the Saint Spirit, and you? Are you ready cost what to cost? Mary found grace ahead of God, you saint and humble life pleased God;
    * Be saint, humble, have a pray life, and you will be found with grace ahead of God, and so He’ll use you.

 


AP - Intercessor na sala do Trono
por Pr. Jelson Becker

INTERCESSOR NA SALA DO TRONO
 
“Aquilo sobre o que você não ora em sua vida, você deixa por conta do acaso. Tratando-se de sua família, isso é muito perigoso.” Stormie Omartian

 

No primeiro Seminário sobre Intercessão, Jejum e Oração tivemos o privilégio de receber ministração espiritual bem como ensino didático com ênfase no aspecto bíblico e teológico da oração. Nesse segundo seminário, a ênfase será menor no aspecto teológico da oração, porém as ministrações serão muito mais intensas, procurando tratar sempre da vida do Intercessor. Quando os intercessores estão curados, eles poderão ser agentes de cura para as suas famílias, caso contrário suas orações não produzirão “vida em abundância”.

Vivemos dias difíceis para as famílias. A sociedade esta a cada dia que passa mais corrompida com o pecado e muitos cristãos comprometidos com o evangelho estão vivendo verdadeiras guerras dentro de seus lares.

Acredito piamente que Deus esta comprometido em cumprir sua palavra de Isaías 58:12 “Os teus filhos edificarão as antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas antigas para que o país se torne habitável.” Para que nossa sociedade “retorne a ser habitável” as famílias precisam ser restauradas e curadas emocionalmente e espiritualmente pelo poder do Senhor Jesus.

Despertar, chamar, curar e capacitar intercessores dentro de todas as famílias da terra é uma das principais realizações do Espírito Santo. Deus esta levantando homens e mulheres cheios de unção, pessoas que não irão descansar enquanto não presenciarem o poder de Deus restaurando todo seu lar, revertendo toda vergonha e maldição do pecado em honrra e bênção.

Temos presenciado o poder de Deus em muitos cultos, nas vigílias de oração, nos momentos de adoração e intimidade com o Pai, muitos já presenciamos em nossos ambientes profissionais ou acadêmicos o livramento do Senhor e a manifestação de sua virtude... porém de todos os lugares o mais difícil de vermos a ação de Deus geralmente é dentro de nossas famílias, em nossos lares, sobre a vida das pessoas que mais amamos, com por exemplo: pais, filhos, cônjuges e demais parentes.

Claro que isso não é uma regra rígida, mas em um número elevado de cristão recém convertidos a família sempre é a mais lenta luta a ser vencida pelas orações. Parece que Satanás vomita todo o lixo do inferno sobre aqueles que acabaram de tomar a decisão mais séria de sua vida, talvez com o intuito de amedronta-los ou inibir que sigam adiante com seu firme propósito de romper os laços do passado pecaminoso e caminhar em novidade de vida.

É freqüente ouvirmos pessoas testemunharem que logo após sua conversão passaram a ter problemas com os familiares, com as finanças, algumas vezes até com a saúde... Deus não deseja que você viva numa eterna guerra dentro de seu lar, ainda que Ele permita que isso aconteça. Deus esta capacitando intercessores para cobrir suas famílias com muita oração e súplicas em todo o tempo, no espírito, a fim de que o poder da graça entre em ação e gere milhares de conversões.

 

 

 

Entrando na Sala do Trono

 

Desde que Jesus Cristo derramou seu precioso sangue na cruz, somente através do seu sangue o homem pode entrar na santa e maravilhosa presença de Deus. Razão por que esta escrito em Hebreus 10.19 “Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus” . Quem proclama o evangelho sem colocar o sangue de Jesus na mensagem, falsifica a Boa Nova. Pois é o sangue de Jesus quem nos purifica de todos os pecados, não é a igreja, nem denominação religiosa ou rito sacramental. Porém uma grande parte das pessoas nunca se apercebeu que o homem precisa entrar na presença de Deus!

Muitos freqüentam as cerimônias religiosas e com isso acreditam estarem na Sala do Trono, o que é um grande engano. Conforme a denominação religiosa, muda a liturgia de culto, mas a grande maioria das liturgias procuram levar a congregação a entrar na presença de Deus, ou seja no Santo dos Santos. O problema é que entrar na sala do trono e encontrar-se com o Criador do universo é muito mais que um procedimento lógico-litúrgico,  é acima de tudo um ato de intercessão e intimidade com Deus.

De modo geral, num contexto ameríndio, onde a Igreja Católica Romana precedeu-nos na tarefa de proclamar a fé cristã, existem diversos conceitos religiosos equivocados que ao longo dos séculos foram lentamente pairando sobre o pensamento social coletivo.

Um deles é a pseudo idéia que a igreja é a casa de Deus. Na Nova Aliança, fica claro que Deus não habita mais em templos feitos por mãos humanas, mas sim dentro de todos aqueles que receberam a Jesus Cristo como seu único Senhor e Salvador. Atos 7:47-50 “E Salomão lhe edificou casa; mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta: O céu é o meu trono, e a terra, o estrado dos meus pés. Que casa me edificareis, diz o Senhor, ou qual é o lugar do meu repouso? Porventura, não fez a minha mão todas estas coisas?”

 1 Coríntios 6:19 “Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?”

Aquele local físico, onde habitualmente nos reunimos para congregar torna-se cheio da presença de Deus, na proporção em que as pessoas que convergem para aquele endereço estão cheias do Espírito Santo. Assim, em suas reuniões públicas o (1o)Senhor é invocado, o (2o)Espírito Santo encontra liberdade para agir (2 Co 3:17) e (3o)ocorre a manifestação de sua doce e santa presença, bem como do seu poder e dons.

A presença de Deus é revelada em diversos episódios das sagradas escrituras,  mas a grande maioria dos cristãos confundem a (1)onipresença de Deus, com a (2)presença manifesta de sua glória.

Sabemos que Deus vê todas as coisas e que sua onipresença é sobre toda a terra. Isso é diferente de afirmarmos que todos os lugares são Deus, logo o panteísmo religioso não corresponde a verdade. Geralmente crescemos com o conceito de que Deus esta nos vendo, em todos os lugares... isso justifica nossos avós ao dizerem: - “não faça isso, pois Deus esta vendo!”. Outro pensamento coletivo errôneo é o da teologia universalista de que todos os caminhos levam a Deus.

A Bíblia nos afirma em Mateus 18:20 “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali eu estarei no meio deles”, essa é uma verdade a respeito da presença de Deus. Muitos crêem que Deus esta presente em suas reuniões, pois “sentem um arrepio na coluna”. Quando vão ao culto e não sentem o “arrepio na coluna”, retornam frustrados para suas casas achando que por algum motivo Deus não se fez presente.

Baseado em Mt 18:20, sabemos que isso é uma falta de maturidade espiritual, pois independente de sentirmos ou não “arrepios na coluna”, sabemos que Deus esta presente em nossas reuniões pelo simples e suficiente fato da palavra d’Ele nos garantir isso! Eu creio na Bíblia, ela  diz que onde dois ou três estiverem reunidos em nome do Senhor, ali Deus se fará presente. Logo eu creio que Ele esta presente, independente do que sentir ou não, e acabou! Isso é onipresença de Deus e muitos se dão por satisfeitos com essa certeza!

Porém o fato de Deus ser todo (oni) presente, não implica em que Ele esteja manifestando o seu poder, sua unção ou dons espirituais. Essas manifestações sobrenaturais não acontecem em virtude da onipresença divina, mas sim em virtude da presença manifesta de sua glória, (shekiná, doxa)...

A presença manifesta de Deus é diferente de sua onipresença. Em muitas reuniões, Deus esta presente, esta operando individualmente nos corações das pessoas e nós não conseguimos perceber. Deus tem um jeitinho todo especial para falar com cada pessoa, Ele conhece nossa estrutura melhor que nós mesmos e sabe qual a forma mais eficiente para se revelar a cada um de nós.

Porém, é possível haver a presença de Deus em uma reunião e não haver ação por parte dele. O fato de Deus estar presente não significa, que Ele esteja operando, manifestando seu poder, nem que o Espírito Santo tenha recebido liberdade para fluir.

A grande maioria das pessoas, jamais percebeu que a presença manifesta da glória do Senhor é que faz a diferença em suas vidas. Muitos de nós estamos programados a nos dar por satisfeitos apenas em ir a igreja,  encontrar com os amigos, trocar gentilezas e quem sabe até sairmos para almoçar juntos, depois do culto... nada além disso.

Porém Deus não esta satisfeito quando fazemos de sua igreja um simples clube social de convivência, onde Jesus comparece em nossas reuniões para ficar ali apenas nos observando. Deus procura por um povo que invoque o seu nome, manifeste sua glória entre as nações e periodicamente tenha momentos especiais de encontro com Ele, esses encontros sempre serão transformadores, as pessoas que comparecerem a essas audiências celestiais sempre sairão com seu caráter, temperamento, personalidade, lembranças do passado ou até mesmo seu corpo físico (...) transformados, conquanto a glória do Senhor tenha sido manifesta naquele lugar.

Infelizmente, alguns líderes acreditam que o poder transformador das vidas de suas ovelhas esta centralizado em toda a sua oratória, teologia sistemática, hermenêutica, exegese, psicologia pastoral ou outras habilidades pessoais. Inconscientemente idolatram a si mesmo, e as suas habilidades acadêmicas, colocando-os num grau de importância superior a presença manifesta da glória de Deus. Geralmente são líderes feridos, frustrados com a vida, alguns vindos de famílias miseráveis que apenas conseguiram subir na vida, graças aos seus esforços próprios e depois de reconhecidos como ministros do evangelho procuram suprir todo seu complexo de inferioridade, auto-afirmando suas grandes realizações e habilidades pessoais.

A Bíblia não afirma que somos transformados de culto em culto, nem de reunião em reunião, muito menos de grandes realizações em grandes realizações, mas sim de glória em glória. Todas as habilidades acadêmicas, são muito importantes para a formação de líderes saudáveis e eficientes, porém jamais poderão substituir a importância da presença manifesta do Senhor e de seu poder. 2 Coríntios 3:18 “Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em  glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.”

 

O que é a Sala do Trono?

 

Você deve estar pensando, onde fica e como pode experimentar esse lugar cheio da presença manifesta da glória de Deus, onde o seu poder flui abundantemente, em cuja presença não há dor, sofrimento, depressão, angústia, enfermidade, mas apenas amor, santidade e fonte de vida. Somente na presença de Deus  o  cansado é fortalecido, o abatido recebe renovo, o doente é curado e o oprimido é liberto.

 Precisamos aprender o caminho, que nos leva aos braços do Pai celestial, pois ali na sua presença todos joelhos se dobram e toda língua confessa. Esse caminho é especialmente  alegorizado no Antigo Testamento pelo caminho que o Sumo Sacerdote realizava até o Santo dos Santos (Levíticos 16 e 17). Na Nova Aliança Jesus percorreu esse mesmo caminho por amor a nós, caminho que culminou na cruz do Calvário, onde o véu que separava o Santo dos Santos foi  rasgado. Por isso, hoje nós temos livre acesso ao Pai.

Levítico 16:2 “Então, disse o SENHOR a Moisés: Dize a Arão, teu irmão, que não entre no santuário em todo tempo, para dentro do véu, diante do propiciatório que está sobre a arca, para que não morra; porque aparecerei na nuvem sobre o propiciatório”.

 Êxodo 26:33-34 “Pendurarás o véu debaixo dos colchetes e trarás para lá a arca do Testemunho, para dentro do véu; o véu vos fará separação entre o Santo Lugar e o Santo  dos Santos. Porás a coberta do propiciatório sobre a arca do Testemunho no Santo dos Santos.”

Em João 14:6  Jesus declarou-nos: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. Cristo levou sobre si os nossos pecados na cruz, por seu sangue somos perdoados e temos livre acesso ao Pai. O véu que nos separava, já não separa mais, pois foi rasgado de cima a baixo (Mateus 27:51), simbolizando uma ação que começou em Deus e culminou no homem.

O caminho que na Antiga Aliança, apenas o Sumo Sacerdote podia trilhar, agora esta livre para todos nós trilharmos, não precisamos de santos, nem intermediários para falarmos com Deus, pois Cristo Jesus já nos mostrou o caminho e hoje somos livres para adora-lo.

Hebreus 9:9-14 “É isto uma parábola para a época presente; e, segundo esta, se oferecem tanto dons como sacrifícios, embora estes, no tocante à consciência, sejam ineficazes para aperfeiçoar aquele que presta culto, os quais não passam de ordenanças da carne, baseadas somente em comidas, e bebidas, e diversas abluções, impostas até ao tempo oportuno de reforma.

Quando, porém, veio Cristo como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, quer dizer, não desta criação,  não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção. Portanto, se o sangue de bodes e de touros e a cinza de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados, os santificam, quanto à purificação da carne, muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!”

 Romanos 8:35-39 “Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.”

 

A Sala do Trono é o lugar onde Deus esta assentado, onde constantemente recebe louvor e adoração. Jesus esta a sua destra e de todas as descrições bíblicas sobre esse lugar, creio que a melhor seja a que João recebeu em Apocalipse 4:1b-11 “...falar comigo, dizendo: Sobe para aqui, e te mostrarei o que deve acontecer depois destas coisas. Imediatamente, eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado; e esse que se acha assentado é semelhante, no aspecto, a pedra de jaspe e de sardônio, e, ao redor do trono, há um arco-íris semelhante, no aspecto, a esmeralda. Ao redor do trono, há também vinte e quatro tronos, e assentados neles, vinte e quatro anciãos vestidos de branco, em cujas cabeças estão coroas de ouro. Do trono saem relâmpagos, vozes e trovões, e, diante do trono, ardem sete tochas de fogo, que são os sete Espíritos de Deus. Há diante do trono um como que mar de vidro, semelhante ao cristal, e também, no meio do trono e à volta do trono, quatro seres viventes cheios de olhos por diante e por detrás. O primeiro ser vivente é semelhante a leão, o segundo, semelhante a novilho, o terceiro tem o rosto como de homem, e o quarto ser vivente é semelhante à águia quando está voando. E os quatro seres viventes, tendo cada um deles, respectivamente, seis asas, estão cheios de olhos, ao redor e por dentro; não têm descanso, nem de dia nem de noite, proclamando: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir. Quando esses seres viventes derem glória, honra e ações de graças ao que se encontra sentado no trono, ao que vive pelos séculos dos séculos, os vinte e quatro anciãos prostrar-se-ão diante daquele que se encontra sentado no trono, adorarão o que vive pelos séculos dos séculos e depositarão as suas coroas diante do trono, proclamando: Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas.”

 

Esse não é um lugar físico que naturalmente podemos chegar até lá, mas um lugar espiritual onde muitas pessoas diariamente entram para conversar com seu Criador. Alguns comparecem na presença de Deus para lhe apresentar suas petições, outros apenas para somar a sua adoração à dos vinte e quatro anciões e quatro seres viventes, outros simplesmente entram na presença do Rei do Universo para apresentar-lhe toda sua gratidão...

O fato é que podemos e devemos entrar nessa sala do trono, a fim de termos uma audiência com Deus e sairmos desse lugar transformados. Esses encontros devem ser freqüentes, e jamais esporádicos, quanto mais tempo gastarmos na presença de Deus, mais semelhantes a Maria, irmão de Marta  seremos, aquela que escolheu a melhor parte (Lucas 10:38-42 e II Coríntios 3:18).

Em alguns momentos, não sabemos se fomos arrebatados a presença de Deus ou se foi o céu que desceu onde estávamos reunidos. Diversos personagens tiveram esse tipo de experiência sobrenatural.

Hebreus 6:4-5 “É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes da era vindoura,...” Creio que tanto na dispensação da lei, quanto hoje, na atual era de dispensação da graça, Deus pode abrir “janelas” e manifestar um pouquinhos dos “poderes da era vindoura” em nossas reuniões. Deus não é obrigado a realizar tais manifestações de poder em resposta aos nossos desejos egoístas... mas Ele pode o realizar em resposta a sua soberana vontade. Quando isso acontece, sinais do Reino de Deus marcam essas reuniões, paralíticos andam, cegos vêem, surdos ouvem, endemoninhados são libertos e principalmente, o maior de todos os milagres: pecadores se arrependem e nascem de novo.

 



AP - Jejum Bíblico
por Pr. Jelson Becker

Jejum Bíblico

 

O jejum é uma abstinência voluntária de alimentos por um período definido e propósito específico. Ele pode ser total ou parcial.  Vem sendo praticado pela humanidade em todas as épocas, nações, culturas e religiões. Pode ser com finalidade espiritual ou até mesmo medicinal, visto que o jejum traz tremendos benefícios físicos com a desintoxicação que produz no corpo.

Com o assustador advento da nova era, a filosofia oriental e suas religiões tem sido amplamente divulgadas em nossa culta, muitas dessas religiões pagãs trazem consigo uma prática assídua do jejum e da alimentação vegetariana, o que tem levantado em nosso meio um certo pré-conceito a esses assuntos.

Graças a Deus a igreja de nossos dias esta  re-descobrindo o que a Bíblia diz acerca do jejum. Ensinos distorcidos ou simplesmente nenhum estímulo ao jejum também são freqüentes ainda em nossos dias.

Creio que a Igreja de hoje vive dividida entre dois extremos: aqueles que não dão valor algum ao jejum e aqueles que se excedem em suas ênfases, confundindo-se ao antigo gnosticismo cristão. Penso que Deus queira despertar-nos para a compreensão e prática deste princípio que, sem dúvida, é uma arma poderosa para o cristão.

Não há regras fixas na Bíblia sobre quando jejuar ou qual tipo de jejum praticar, isto é algo pessoal. O princípio básico para essa prática é: “Abster-se voluntariamente de alguma coisa importante a fim de dedicar maior tempo a Deus.”

Tendo em mente esse princípio afirmo ser possível praticarmos em nossos dias jejum de televisão, festas, excesso de trabalho, ou qualquer outro elemento em nossas vidas.

 

Na Antiga Aliança o Jejum era Obrigatório? E Hoje?

 

No Antigo Testamento, na lei de Moisés, os judeus tinham um único dia por ano de jejum instituído: o do Dia da Expiação (Lv.16:29,31 e 23:27), que também ficou conhecido como "o dia do jejum" (Jr.36:6) e ao qual Paulo se referiu como "o jejum" (At.27:9). Depois no período do exílio foram estabelecidos para cada ano, quatro dias de jejum nacional: 1) Pela queda de Jerusalém (Jr 52:6); 2) Pela destruição do templo (2 Rs 25:8,9 e Jr 52:12); 3) Pelo assassinato de Gedalias (2 Rs25:25; Jr 41:1,2); 4) princípio do cerco (2 Rs 25:1; Jr 52:4 e Zc 8:19,20).

Ainda na Antiga Aliança encontramos o jejum relacionado ao:

-          Luto pelos mortos (1 SM 31:13 e 2 Sm 1:12)

-          Infortúnio e profunda tristeza  (Jz 20:25; 1 Sm 1:7; 20:34; Ne 1:4; Sl 35:13; 109:24 e Jl 1:14; 2:12,15)

-          Com expressão de dor e arrependimento pelos pecados (Dt 9:18; 1 Sm 7:6; 1 Rs 21:27; Ed 10:6; Ne 9:1; Sl 69:10; Jn 3:5)

 

Mas no Novo Testamento percebemos que a prática do jejum continua, sem haver ênfase na prática do mesmo como forma de obedecer a lei, mas sim a ênfase esta na disciplina individual de quem o pratica.

Apesar de não haver um imperativo acerca desta prática, a Bíblia esta cheia de menções ao jejum. Fala não apenas de pessoas que jejuaram e da forma como o fizeram, mas infere que nós também jejuaríamos e nos instrui na forma correta de faze-lo.

Muitos educadores falharam de maneira grave ao dizer que, por não haver nenhuma ordem específica para o jejum, então não deveríamos jejuar. Mas quando consideramos o ensino de Jesus sobre o jejum, não há como negar que o Mestre esperava que jejuássemos: "Quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo que eles já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando jejuardes, unge a cabeça e lava o rosto, com o fim de não parecer aos homens que jejuas, e sim ao teu Pai, em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará." Mateus 6:16-18.

Embora Jesus não esteja mandando jejuar, suas palavras revelam que ele esperava de nós esta prática. Ele nos instruiu até na motivação correta que se deve ter ao jejuar. E quando disse que o Pai recompensaria a atitude correta do jejum, nos mostrou que tal prática produz resultados!

Algumas pessoas dizem que se as epístolas não dizem nada sobre jejuar é porque não é importante, e desprezam o ensino de Jesus sobre o jejum. Isto é errado! Jesus não veio ensinar os judeus a viverem bem a Velha Aliança, Ele veio instituir a Nova Aliança, e todos os seus ensinos apontavam para as práticas dos cidadãos do reino de Deus.

Quando estava para ser assunto ao céu, deu ordem aos seus apóstolos que ensinassem as pessoas a guardar TUDO o que Ele tinha ordenado (Mt.28:20), inclusive o modo correto de jejuar!

O próprio Jesus praticou o jejum, os líderes da Igreja também o faziam. (Atos 13:1-3; 14:23 e 27:9). Registros históricos dos pais da igreja também revelam que o jejum continuou sendo observado como prática dos cristãos durante muito tempo depois dos apóstolos. O jejum, portanto, deve ser parte de nossas vidas e praticado de forma equilibrada, dentro do ensino bíblico.

Embora o próprio Senhor Jesus tenha jejuado por quarenta dias e quarenta noites no deserto, e muitas vezes ficava sem comer (quer por falta de tempo ministrando ao povo - Mc.6:31, quer por passar as noites só orando sem comer - Mc.6:46), devemos reconhecer que Ele e seus discípulos não observavam o jejum dos judeus de seus dias.

Era costume dos fariseus jejuar dois dias por semana (Lc.18:12), mas Jesus e seus discípulos não o faziam. Aliás, chegaram a questionar Jesus acerca disto: "Disseram-lhe eles: Os discípulos de João e bem assim os fariseus freqüentemente jejuam e fazem orações; os teus, entretanto, comem e bebem. Jesus, porém, lhes disse: Podeis fazer jejuar os convidados para o casamento, enquanto está com eles o noivo? Dias virão, contudo, em que lhes será tirado o noivo; naqueles dias, sim, jejuarão." Lucas 5:33-35.

 

O Mestre mostrou não ser contra o jejum, e disse que depois que Ele fosse "tirado" do convívio direto com os discípulos (voltando ao céu) eles haveriam de jejuar. Jesus não se referiu ao jejum somente para os dias entre sua morte, ressurreição e reaparição aos discípulos (ao mencionar os dias que eles estariam sem o noivo), e sim aos dias a partir de sua morte.

Contudo, Jesus deixou bem claro que a prática do jejum nos moldes do que havia em seus dias não era o que Deus esperava. A motivação estava errada, as pessoas jejuavam para provar sua religiosidade e espiritualidade, e Jesus ensinou a faze-lo em secreto, sem alarde.

O jejum pode ser uma prática vazia se não for feito da maneira correta. Isto aconteceu no Antigo Testamento, quando o povo começou a indagar: "Por que jejuamos nós, e não atentas para isto? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta?" Isaías 58:3a.

E a resposta de Deus foi exatamente a de que estavam jejuando de maneira errada: "Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. Eis que jejuais para contendas e para rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto." Isaías 58:3b,4. Por outro lado, o versículo está inferindo que se observado de forma correta, Deus atentaria para isto e a voz deles seria ouvida.

Tiago 1:27 ”A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.”

 

A motivação do seu coração é a chave para um jejum eficiente.

Muitos confundem a disciplina de jejuar para reservar mais tempo ao Senhor com o ensino errôneo de auto-flagelação. O ensino de algumas religiões chega a ser pecaminoso, nenhuma forma de auto-justiça, auto-piedade, auto-sacrifício será aceita por Deus.

Deus não é um Deus sanguinário que aguarda pelo sofrimento e flagelação de seu povo para em troca abençoa-lo. Não tente cambiar, barganhar, fazer negócio com Deus para em troca obter respostas as suas orações.

Salmos 51:16 “Pois não te comprazes em sacrifícios; do contrário, eu tos daria; e não te agradas de holocaustos. Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus.”

Isaías 58:5-6 “Seria este o jejum que escolhi, que o homem um dia aflija a sua alma, incline a sua cabeça como o junco e estenda debaixo de si pano de saco e cinza? Chamarias tu a isto jejum e dia aceitável ao SENHOR? Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo?”

 

É uma ilusão pensar que qualquer sacrifício pessoal de nossa parte possa comover o coração de Deus, o único sacrifício que Ele reconhece foi aquele oferecido por Jesus na cruz do Calvário! Jejuar e orar acreditando que com esse “sacrifício” você vai conseguir persuadir a Deus a satisfazer seus desejos narcisistas e hedonistas é pecado! Ainda que inconscientemente é um meio de tentar competir com aquilo que Jesus já realizou na cruz do Calvário.

Precisamos e devemos jejuar para exercitarmos nossa vida de oração. Os pais da igreja primitiva reuniam-se semanalmente para consagrar suas vidas e buscarem a Deus, esses encontros eram marcados por jejum e oração.

Sempre que me dedico a longos períodos de jejum e oração, fico muito mais sensível a voz do Espírito Santo. Tenho maior discernimento espiritual das circunstâncias que estão ao meu redor. Sempre que meu organismo reclama por alimento, lembro-me que preciso orar mais um pouco.

Porém assim que observo estar passando mau, ou que meu rosto já está tão desfalecido que todos percebem, oro a Deus entregando aquele período de jejum e procuro alimentar-me.

Quando entramos em longos períodos de jejum e oração, precisamos preparar nosso organismo para o mesmo, e mesmo depois ao terminarmos períodos com mais de 7 ou 10 dias de jejum ininterrupto, precisamos absorver alimentos leves.

Para quem nunca jejuou e orou, parece impossível passar 10 dias seguidos em jejum total de alimentos, apenas bebendo líquidos. Porém quero lhe dizer que a  maior dificuldade será o apenas os três primeiros dias, depois deles a dor de cabeça vai embora, a dificuldade para pegar no sono desaparece e seu organismo começa a absorver energia de suas reservas.

Porém se você não esta acostumado a passar longos períodos em jejum, não fique frustrado. Você pode jejuar três dias seguidos e todas as noites fazer um lanche leve ou ainda fazer jejum de apenas 24 horas. Lembre-se que o Espírito Santo nos ajuda em nossas fraquezas.

Não recomendo a ninguém praticar o jejum absoluto, aquele em que até o líquido foi eliminado. Existem evidências de que Moisés quando recebeu as tábuas da lei praticou esse tipo de jejum, (Êx 34:28 e Dt 9:9) e Elias (1 Rs 19:8). Acredito que ele só possa ser praticado por um meio sobrenatural.

O próprio Senhor Jesus ao jejuar no deserto, depois de 40 dias e 40 noites teve “fome” e que foi tentado a “comer” e não a beber. O texto não fala que Ele teve sede, o que nos leva a crer que Ele tenha feito abstinência apenas de alimentos e não líquidos (Mt 4:1-3, 11). Outro aspecto interessante é que Ele foi levado, impelido, conduzido pelo Espírito Santo a esse longo período de jejum e que “não teve fome” durante os dias de consagração.

Podemos perfeitamente jejuar e orar enquanto seguimos nossa rotina semanal, de estudos, trabalhos e demais compromissos. Veja o que diz 1 Reis 19:8 “Levantou-se, pois, comeu e bebeu; e, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus”. Quem quer encontrará um meio, quem não quer encontrará uma bela desculpa.

"O jejum não muda a Deus. Ele é o mesmo antes, durante e depois de seu jejum. Mas, jejuar mudará você. Vai lhe ajudar a manter-se mais suscetível ao Espírito de Deus".  K. H.

 

Vejamos alguns exemplos bíblicos de jejum:

 

Consagração – O voto do nazireado envolvia a abstinência/jejum de determinados tipos de alimentos (Nm.6:3,4);

Arrependimento de pecados – Samuel e o povo jejuando em Mispa, como sinal de arrependimento de seus pecados (I Sm.7:6, Ne.9:11);

Luto – Davi jejua em expressão de dor pela morte de Saul e Jônatas, e depois pela morte de Abner. (II Sm.1:12 e 3:35);

Aflições – Davi jejua em favor da criança que nascera de Bate-Seba, que estava doente, à morte (II Sm.12:16-23); Josafá apregoou um jejum em todo Judá quando estava sob o risco de ser vencido pelos moabitas e amonitas (II Cr.20:3);

Buscando Proteção – Esdras proclamou jejum junto ao rio Ava, pedindo a proteção e benção de Deus sobre sua viagem (Ed.8:21-23); Ester pede que seu povo jejue por ela, para proteção no seu encontro com o rei (Et.4:16);

Em situações de enfermidade – Davi jejuava e orava por outros que estavam enfermos (Sl.35:13);

Intercessão – Daniel orando por Jerusalém e seu povo – 21 dias (Dn.9:3, 10:2,3);

Preparação para a Batalha Espiritual – Jesus mencionou que determinadas castas só sairão por meio de oração e jejum, que trazem um maior revestimento de autoridade (Mt.17:21);

Estar com o Senhor – Ana não saía do templo, orando e jejuando freqüentemente (Lc.2:37);

Preparar-se para o Ministério – Jesus só começou seu ministério depois de ter sido cheio do Espírito Santo e se preparado em jejum (prolongado) no deserto (Lc.4:1,2);

Ministrar ao Senhor – Os líderes da igreja em Antioquia jejuando apenas para adorar ao Senhor (At.13:2);

Enviar ministérios – Na hora de impor as mãos e enviar ministérios comissionados (At.13:3);

Estabelecer presbíteros – Além de impor as mãos com jejum sobre os enviados, o faziam também sobre os que recebiam autoridade de governo na igreja local, o que revela que o jejum era um princípio praticado nas ordenações de ministros (At.14:23).

 

Nas Epístolas só encontramos menções de Paulo de ter jejuado (II Co.6:3-5; 11:23-27).

Diferentes Formas de Jejum:

 

Jejum PARCIAL. - Normalmente o jejum parcial é praticado em períodos maiores ou quando a pessoa não tem condições de se abster totalmente do alimento (por causa do trabalho, por exemplo). Lemos sobre esta forma de jejum no livro de Daniel:

"Naqueles dias, eu, Daniel, pranteei durante três semanas. Manjar desejável não comi, nem carne, nem vinho entraram em minha boca, nem me ungi com óleo algum, até que se passaram as três semanas." Daniel 10:2,3.

O profeta Daniel diz exatamente o quê ficou sem ingerir: carne, vinho e manjar desejável. Provavelmente se restringiu à uma dieta de frutas e legumes, não sabemos ao certo. O fato é que se absteve de alimentos, porém não totalmente.

E embora tenha escolhido o que aparentemente seja a forma menos rigorosa de jejuar, dedicou-se à ela por três semanas. Em outras situações Daniel parece ter feito um jejum normal (Dn.9:3), o que mostra que praticava mais de uma forma de jejum. Ao fim deste período, um anjo do Senhor veio a ele e lhe trouxe uma revelação tremenda.

 

Jejum NORMAL. - É a abstinência de alimentos mas com ingestão de água. Foi a forma que nosso Senhor adotou ao jejuar no deserto. "Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto, durante quarenta dias, sendo tentado pelo Diabo. Nada comeu naqueles dias, ao fim dos quais teve fome." Mateus 4:2.

 

Jejum TOTAL - É abstinência de tudo, inclusive de água. Na Bíblia encontramos poucas menções de ter alguém jejuado sem água, e isto dentro de um limite: no máximo três dias. A água não é alimento, e nosso corpo depende dela a fim de que os rins funcionem normalmente e que as toxinas não se acumulem no organismo. Há dois exemplos bíblicos deste tipo de jejum, um no Velho outro no Novo Testamento:

Ester, num momento de crise em que os judeus (como povo) estavam condenados à morte por um decreto do rei, pede a seu tio Mardoqueu que jejuem por ela: "Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais, nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois, irei ter com o rei, ainda que é contra a lei; se perecer, pereci." (Ester 4:16).

Paulo, na sua conversão também usou esta forma de jejum, devido ao impacto da revelação que recebera: "Esteve três dias sem ver, durante os quais nada comeu, nem bebeu" (Atos 9:9).

Não há qualquer outra menção de um jejum total maior do que estes (a não ser o de Moisés e Elias numa condição sobrenatural).  Veja Dt 9:9, Ex 34:28 e 1 Rs 19:8.

A medicina adverte contra um período de mais de três dias sem água, como sendo nocivo. Devemos cuidar do corpo ao jejuar e não agredi-lo; lembre-se de que estará lutando contra sua carne (natureza e impulsos) e não contra o seu corpo.

 

A Duração do Jejum:

 

1 dia - O jejum do Dia da Expiação

3 dias - O jejum de Ester (Et.4:16) e o de Paulo (At.9:9);

7 dias - Jejum por luto pela morte de Saul (I Sm.31:13);

14 dias - Jejum involuntário de Paulo e os que com ele estavam no navio (At.27:33)

21 dias - O jejum de Daniel em favor de Jerusalém (Dn.10:3);

40 dias - O jejum do Senhor Jesus no deserto (Lc.4:1,2);

 

Bíblia fala de Moisés (Ex.34:28) e Elias (I Re.19:8) jejuando períodos de quarenta dias. Porém vale ressaltar que estavam em condições especiais, sob o sobrenatural de Deus. Moisés nem sequer bebeu água nestes 40 dias, o que humanamente é impossível.

Mas ele foi envolvido pela glória divina. O mesmo se deu com Elias, que caminhou 40 dias na força do alimento que o anjo lhe trouxe. Isto é um jejum diferente que começou com um belo "depósito", uma comida celestial. Jesus, porém, fez um jejum normal com esta duração.

 

Muitas pessoas erram ao fazer votos ligados à duração do jejum... Não aconselho ninguém fazer um voto de quanto tempo vai jejuar, pois isso te deixará "preso" no caso de algo fugir ao seu controle. Siga o conselho bíblico:

"Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agrada de tolos. Cumpre o voto que fazes. Melhor é que não votes do que votes e não cumpras". Eclesiastes 5:4-5.

 

É importante que haja uma intenção e um alvo quanto à duração do jejum no coração, mas não transforme isto em voto. Já intentei jejuns prolongados e no meio do caminho fui forçado a interromper. Mas também já comecei jejuns sem a intenção de prolongá-lo e, no entanto, isto acabou acontecendo mesmo sem ter feito os planos para isto.

 

O Jejum Prolongado:

 

Há algo especial num jejum prolongado, mas deve ser feito sob a direção de Deus. Conheço irmãos que tem jejuado por trinta e até quarenta dias, embora eu, pessoalmente, não tenha feito um jejum tão longo. Cada um deles confirma ter recebido de Deus uma direção para tal.

Vale ressaltar também que certos cuidados devem ser tomados. Não podemos brincar com o nosso corpo. Uma dieta para desintoxicação do organismo antes do jejum é recomendada, e também na quebra do jejum prolongado (mais de 3 dias).

 

Podemos Falar que Estamos Jejuando?

 

Algumas pessoas são extremistas quanto a discrição do jejum, enquanto outras, à semelhança dos fariseus, tocam trombeta diante de si. Em Mateus 6:16-18, Jesus condena o exibicionismo dos fariseus querendo parecer contristados aos homens para atestar sua espiritualidade.

Ele não proibiu de se comentar sobre o jejum, senão a própria Bíblia estaria violando isto ao contar o jejum que Jesus fez... Como souberam que Cristo (que estava sozinho no deserto) fez um jejum de quarenta dias? Certamente porque Ele contou! Não saiu alardeando perante todo mundo, mas discretamente repartiu sua experiência com os seus discípulos.

Eu, particularmente, comecei a jejuar estimulado pelo relato das experiências de outros irmãos. Depois é que comecei (aos poucos) a entender o ensino bíblico sobre o jejum. E louvo a Deus pelas pessoas que me estimularam! Sabe, precisamos tomar cuidado com determinadas pessoas que não tem o que acrescentar à nossa edificação e somente atacam e criticam.

Lembro-me que o primeiro jejum que fiz na minha adolescência, teve a duração de 24 horas, cortei só o alimento e tomei muito líquido ao longo do dia.

 

Desafio: Haverá períodos em que o Espírito Santo vai nos atrair mais para o jejum, e épocas em que quase não sentiremos a necessidade de faze-lo. Já passei longos períodos sem receber nenhum impulso especial para jejuns de mais de três dias e, mesmos estes, foram poucos. E houve épocas em que, seguidamente sentia a necessidade de faze-lo.

Porém, penso que o jejum normal de um dia de duração é algo que os cristãos deveriam praticar mais, mesmo sem sentir nenhuma "urgência" espiritual para isto.

Devemos ser sensíveis e seguir os impulsos do Espírito de Deus nesta área. Isto vale não só para começar a jejuar mas até para quebrar o jejum. Já fiz jejuns que queria prolongar mais e senti que não deveria faze-lo, pois a motivação já não era mais a mesma... ou estava tão atarefado que o jejum espiritual havia se transformado em uma “greve de fome”, pois eu não estava orando.

Encerro desafiando-o a praticar mais o jejum, e certamente você descobrirá que o poder desta arma que o Senhor nos deu é difícil de se medir com palavras. A experiência fortalecerá aquilo que temos dito. Que o Senhor seja contigo e te guie nesta prática!

 

AP - Benefícios do Orar em Línguas Estranhas
por Pr. Jelson Becker

Benefícios do Orar em Línguas Estranhas

 

1 Coríntios 14:6 - Agora, porém, irmãos, se eu for ter convosco falando em outras línguas, em que vos aproveitarei, se vos não falar por meio de revelação, ou de ciência, ou de profecia, ou de doutrina? 23 - Se, pois, toda a igreja se reunir no mesmo lugar, e todos se puserem a falar em outras línguas , no caso de entrarem indoutos ou incrédulos, não dirão, porventura, que estais loucos?39 - Portanto, meus irmãos, procurai com zelo o dom de profetizar e não proibais o falar em outras línguas

 

Tenho viajado por muitas cidades e depois de ministrar em diversas denominações evangélicas posso afirmar com propriedade que a contemporaneidade dos Dons Espirituais  (I Co 12, 13, 14) já não gera as mesmas brigas como no passado, porém, infelizmente ainda gera em alguns líderes um certo desconforto e frustração.

A grande verdade é que ainda resta um considerável grupo de pastores e teólogos que tiveram uma formação acadêmica tradicional, profundamente influenciada pelos princípios iluministas de alguns séculos atrás. A crítica textual, a teologia da libertação e tantos outros movimentos que surgiram na história da igreja aparentemente trouxeram algumas verdades relevantes, porém ao analisarmos seus frutos descobrimos a árvore, correspondem a um verdadeiro câncer em meio ao pensamento teológico.

Tendo em mente este quadro, fica fácil entendermos a motivação de diversos líderes da década de 70, que ao experimentarem um avivamento espiritual em suas comunidades locais, foram logo forjando a errônea argumentação contrária ao estudo teológico... quem nunca ouviu o chavão neo-pentecostal “...a letra mata e o Espírito vivifica...”.

O fato é que não só a letra, mas também a letra, pode nos matar espiritualmente. Da mesma forma que apenas as experiências empíricas, espiritualmente não nos dão consistência para crescimento. Muito mais que o estudo teológico, o problema das igrejas, líderes e cristãos sempre foi a vida de pecado e superficialidade devocional, esses elementos sim  nos levam para o sepulcro caiado.

Já passei daquela fase, em que investia tempo argumentando com outros irmãos, líderes e até pastores... tentando provar biblicamente que Deus continua sendo o mesmo, ontem, hoje e o será eternamente... As escrituras estão repletas de argumentos, provas e evidências de que ao longo da história, Deus sempre permaneceu imutável em seus princípios, valores e métodos.  Creio piamente que ainda em nossos dias Deus tem seus valentes espalhados pelo globo terrestre manifestando o Poder do Espírito Santo com sinais tão sobrenaturais quantos os que Moisés realizou diante de Faraó. David Quinlam, compartilhou comigo o testemunho de um missionário amigo dele, que tem dedicado sua vida a evangelizar pessoas simples, moradoras nas montanhas do México e que ao longo de todos os anos de seu ministério, esse missionário já presenciou mais de 30 pessoas serem ressuscitadas pelo poder do Senhor Jesus.

A Bíblia afirma em João 14:12  “Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai.”. Para muitos essa declaração é bobagem e não deve ser interpretada literalmente, para outras essas “obras maiores” significa o crescimento e dispersão da igreja ao redor da terra, porém para mim faz referência as manifestações do poder do Espírito Santo em nossos dias.

Quando houve a Reforma Protestante sabemos pela história, que surgiu outro movimento de menor expressão chamado Contra Reforma, o qual liderados pela igreja Católica Romana afirmavam ser os únicos detentores da verdade bíblica e revelação divina na terra, reivindicando sobre si autoridade única na qualidade de Madre Igreja.

A Igreja Romana sempre recorreu aos inúmeros testemunhos de milagres registrados na história para legitimar sua  veracidade e atacar os “hereges” protestantes exigindo que estes realizassem os mesmos milagres que Pedro(Pedra) e outros apóstolos e santos canonizados realizaram ao longo dos seus ministérios.

Na Reforma, isso constituiu um ponto crítico de divergência, pois os teólogos católicos apontavam para um mar de milagres registrados desde o tempo dos pais até a Idade Média. Não foram esses milagres realizados em associação com santos católicos, sacrários católicos e relíquias católicas ? Não eram eles provas de que o catolicismo era verdadeiro ?

Em contra partida de sua parte, que prova ofereciam os protestantes de que sua interpretação da Bíblia estava correta ? Poderiam eles produzir milagres em apoio a seus ensinamentos ? Eles se viram forçados a desenvolver uma resposta que explicasse por que aquele número de testemunhos de milagres aparentemente infinito durante os 1.500 anos anteriores não apresentava nenhuma força para tirar-lhes a credibilidade.

Os reformadores (Calvino, Lutero, Zuínglio, Simons, Stattler, etc.) não operavam milagres como Paulo, Pedro ou Tiago. Existe alguns manuscritos afirmando que Lutero orava em Línguas Estranhas, e que tivera algumas experiência de cura com uma de suas filhas, apenas isso. No lugar de acreditarem nas palavras de Jesus em  João 14:12, sobre as “obras maiores”, desenvolveram uma teologia cessacionista que afeta o pensamentos de muitos líderes até hoje. Além de Calvino, Lutero também disse a seguinte bobagem: "... o tempo dos milagres já passou". Com uma declaração dessas é evidente que não presenciariam  milagres nem mesmo “obras iguais” as realizadas por Jesus e  muito menos as “obras maiores”!

Talvez você seja uma dessas pessoas, hiper dispensacionalistas ou cessacionistas que foram programadas para acreditar que a igreja primitiva, aquela dos apóstolos e dos milagres é diferente da igreja de nossos dias e as manifestações sobrenaturais já cessaram. Que atualmente Deus não opera mais da forma como lemos nas páginas das Sagradas Escrituras, e que a igreja primitiva encerou em At 28:23-31(...), logo você acredita que a igreja de nossos dias é diferente daquela apresentada pelos apóstolos.

Caso você seja assim... questionador e pragmático... quero que saiba que compreendo suas dúvidas, conheço seus argumentos e sei muito bem como você entra em crise ao ouvir outro irmão pentecostal gritando em línguas estranhas perto de você... eu compreendo tudo isso que você sente, pois um dia eu também já fui assim. E confesso que perdi um tempo precioso de minha caminhada cristã acreditando nessas crendices teológicas, precisando repetir para mim mesmo que todos os outros “cristão avivados” estavam errados e eu na minha mediocridade tinha a razão acima de meus sentimentos. Esse sentimento é muito parecido ao do espírita kardecista que por conviver intimamente com o oculto e sobrenatural se julga superior e mais preparado que os demais cristãos nominais.

O fato é que quero falar dobre um Dom Espiritual, o qual recebemos mediante fé, obediência e soberana vocação divina. Desta vez não vou nem compartilhar testemunhos de paralíticos que já vi andar, ou surdos que passaram a ouvir... nem tratarei de pessoas que tinham uma de suas pernas dez centímetros  mais curta que a outra e depois de um período de ministração do Espírito Santo tiveram sua perna milagrosamente crescida.

Quero falar apenas sobre orarmos em Línguas Estranhas, algo que na perspectiva do apóstolo Paulo é “o menor de todos os dons”. Alguns céticos e outros frustrados fundamentalistas aproveitam essa declaração de Paulo para mentir dizendo que esse assunto não é importante e não merece considerações.

Coisa alguma que Deus nos dá é sem valor. Nada, absolutamente nada que o Pai tem reservado para sua igreja é em vão; tudo tem proveito e utilidade. Em sua grandiosa graça, Ele nos concede suas dádivas com a finalidade de sermos aperfeiçoados e edificados.

O falar em línguas não é algo sem importância. Ele foi dado para o nosso benefício, para a nossa edificação pessoal. Nesta prática há benefícios que transformam nossas vidas, e que quando negligenciados entristecem profundamente a Deus.

Como falei no início, tenho viajado muito... e existem muitas bobagens a respeito do falar em Línguas Estranhas. Uma delas é acreditarmos que as pessoas que falam em Línguas são mais espirituais do que as que ainda não receberam esse DOM. Isso é um mito pentecostal e de bíblico não existe nada! Outra mentira que me disseram é que para receber o Dom de falar em Línguas Estranhas eu precisava me sacrificar... e assim inconscientemente anular e competir com todo o sacrifício que Jesus já realizou por mim na Cruz do Calvário.

Porém de todos os mitos o pior que escutei foi o conceito de Batismo com/no Espírito Santo como condição para vida eterna, algumas igrejas ensinam até os dias de hoje. Tentaram nos convencer de que no momento da conversão, o Espírito Santo não passa a habitar em nós e agora, segundo eles, precisamos receber o Batismo com/no Espírito Santo, e se mediante essa manifestação de poder não falarmos em outras Línguas então jamais entraremos no Reino dos Céus... De todos os mitos esse é o pior!

Para Aqueles que Desejam Receber o Dom:

 

Não fique confuso, nem com medo desse assunto, vá em frente, supere todas as mentiras teológicas que você já escutou a esse respeito e analise comigo os seguintes fatos:

 

I Coríntios 14:2-6 - “Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios. 3  Mas o que profetiza fala aos homens, edificando, exortando e consolando.4  O que fala em outra língua a si mesmo se edifica, mas o que profetiza edifica a igreja. 5  Eu quisera que vós todos falásseis em outras línguas; muito mais, porém, que profetizásseis; pois quem profetiza é superior ao que fala em outras línguas, salvo se as interpretar, para que a igreja receba edificação. 6 Agora, porém, irmãos, se eu for ter convosco falando em outras línguas, em que vos aproveitarei, se vos não falar por meio de revelação, ou de ciência, ou de profecia, ou de doutrina?”

 

(1) No momento em que recebemos a Jesus como nosso único e suficiente Senhor e Salvador, o Espírito Santo passa a fazer habitação dentro de nós, e nós somos selados por ele (Ef 1:13), logo é um erro dizer que uma pessoa crente em Cristo Jesus não possua o Espírito Santo habitando dentro dela só porque não fala em Línguas Estranhas. Porém o Espírito Santo é uma pessoa com a qual não só podemos, mas devemos nos relacionar, inclusive podemos entristece-lo (Ef 4:30) e culminar num processo de apostasia espiritual.

 

(2) Dons Espirituais são para cristãos que desejam cumprir a tarefa da Grande Comissão (Mt 28), eles não são concedidos para brincarmos de colecionar o maior número de Dons e assim “arrotarmos espiritualidade”. Pessoalmente gosto de estimular cristãos recém convertidos a orarem a Deus pedindo que Ele os conceda o Dom Falar em Línguas Estranhas, creio que isso é muito saudável e edificante para uma pessoa recém convertida, pois a Bíblia nos ensina que “quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus” (ICo 14:2) e já que Paulo falou que esse é o menor dos Dons Espirituais porque não começar por ele mesmo? Alguns irmãos são tão orgulhosos que não querem “perder tempo” orando a Deus pedindo o “menor dos Dons”, querem apenas ser usados por Deus como Pastores,  Mestres,  em Palavra de Conhecimento ou Profecia... mas não estão dispostos a serem usados por Deus em Línguas Estranhas.

 

(3) Não é porque você foi selado no Espírito Santo no momento de sua conversão, que agora você esteja vivendo na “Plenitude do Espírito”  e que tenha intimidade com Deus Espírito Santo. Esta intimidade e profundidade espiritual sim,  é algo sectário a conversão, que só experimentaremos mediante uma vida consagrada aos pés da cruz, disciplinada em jejuar e orar periodicamente e treinada a ouvir a voz do Mestre. Somente assim estaremos experimentando os “poderes da era vindoura” (Hb 6:5) e presenciaremos os sinais do Reino de Deus seguirem as nossas pregações. “Assim, também vós, visto que desejais dons espirituais, procurai progredir, para a edificação da igreja.” I Co 14:12

 

(4) Quando recebemos o dom de falar em Línguas Estranhas, geralmente surge em nossa mente palavras ou frases que jamais estudamos ou tivemos oportunidade de decorar anteriormente. Assim semelhante a crianças quando aprendem a falar, experimentamos repetir tais expressões. Muitos recebem o dom, mas por causa do medo ou vergonha, permanecem calados... logo o Dom não é exercitado e o cristão sai frustrado pensando que Deus iria tomar a boca dele, semelhante a uma metralhadora e sair disparando frases em outros dialetos, idiomas que jamais foram por ele estudados ou até mesmo na língua dos anjos e assim a interpretação só poderia ser espiritual, mediante a operação de outro dom, chamado de interpretação das línguas estranhas.

 

Quando eu conversava com amigos meus que já haviam recebido esse dom, costumava perguntar-lhe como é que isso funcionava! Minha incredulidade e meu pragmatismo precisava ser saciado, e as respostas deles só me deixavam ainda mais confuso. Certa vez uma amiga minha falou que orar em línguas era semelhante a “uma cachoeira que jorrava muita água de nosso interior”, muito poético na minha opinião, porém nada esclarecedor.

Esqueça todas as coisas que já lhe disseram a respeito desse assunto, a verdade é que existe muita gente por ai, que nunca falou em Línguas Estranhas, nem presenciou alguém exercitando esse dom, mas abre sua boca para emitir pareceres dúbios sobre esse assunto.

É impossível descrever qualquer tipo de experiência com Deus, podemos observar seus frutos, seus resultados e assim discernir a árvore... porém tentar explicar o que acontece no interior do ser humano quando ele fala em línguas é pura perda de tempo. Cada experiência é individual, Deus tem uma forma muito especial de se manifestar a você, e com certeza ela é tão individual que será diferente da forma como ele se manifesta a mim.

Aconselho você a parar de questionar as manifestações sobrenaturais do Espírito Santo e a passar a clamar em oração pedindo que Ele venha conceder a você também essas mesmas experiências. Sabe, o homem da pós-modernidade esta cansado de observar, estudar, criticar, ouvir ou meditar a respeito de Deus, assim fizeram os cristãos de poucos séculos atrás. O que a humanidade procura na pós-modernidade é muito mais que apenas entender Deus e estuda-lo... queremos é EXPERIMENTAR  Deus em toda sua plenitude.

Isso explica o grande crescimento de seitas e movimentos esotéricos, espiritualistas, ocultistas e até mesmo o ressurgimento do satanismo em resposta a essa necessidade que a geração da pós-modernidade carrega latente em sua alma e em resposta ao ostracismo religioso de muitas denominações cristãs. Agostinho já disse: “O homem foi feito para Deus e só poderá encontrar satisfação em Deus”, existe uma necessidade latente em todo ser humano de experimentar “o espiritual” e não apenas freqüentar igrejas para ouvir alguém falando sobre ele.

(5) Em virtude de muitos ficarem inibidos, receosos ou até mesmo medrosos em relação as manifestações do Espírito Santo, muitos líderes preferem dar “liberdade para Deus manifestar seus dons” (II Co 3:17) ao invés de ficar policiando todos os presentes na reunião para saber se toda palavra falada em alta voz em Línguas Estranhas esta ou não sendo interpretada, conforme diz (I Co 14: 18-32).  Muitas vezes orei em Línguas Estranhas no meio do culto e aparentemente nenhum dos presentes na reunião se levantou atrás de mim para interpretar o que eu estava dizendo, mas no final da reunião algumas vezes já fui surpreendido por pessoas que me procuraram para dizer que haviam recebido aquela interpretação e ficaram com medo de compartilhar com toda a igreja ou era algo tão individual que preferiram permanecer calados e guardar apenas para si o que estava sendo interpretado, pois afinal, “os espíritos dos profetas estão sujeitos aos próprios profetas;” I Co 14:32.

 

(6) Alguns ainda insistem em argumentar dizendo que em público no culto da igreja a aplicação do texto de I Co 14:27-28 “No caso de alguém falar em outra língua, que não sejam mais do que dois ou quando muito três, e isto sucessivamente, e haja quem interprete.  Mas, não havendo intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus.” deve ser literal. Para esses eu solicito que leiam no mesmo capítulo os versículos 34 e 35 que dizem: “conservem-se as mulheres caladas nas igrejas, porque não lhes é permitido falar; mas estejam submissas como também a lei o determina.  Se, porém, querem aprender alguma coisa, interroguem, em casa, a seu próprio marido; porque para a mulher é vergonhoso falar na igreja”. Infelizmente o zelo de alguns líderes frustrados por não  falarem em Línguas Estranhas tem impedido outros irmãos de darem liberdade para as manifestações espirituais de Deus durante os cultos em algumas igrejas, assim todo seu zelo cai por terra ao esquecerem o que diz o verso 39  “Portanto, meus irmãos, procurai com zelo o dom de profetizar e não proibais o falar em outras línguas.”

 

(7) Não busque as experiências, mas busque a Deus, deixe que os sinais do Rino sigam você naturalmente! Retire de seu coração as motivações carnais, Deus não tem a obrigação de suprir sua baixa auto-estima nem seu complexo de inferioridade dando-lhe as manifestações sobrenaturais que você tanto idealiza. Experimente tornar-se amigo de Deus, semelhante a Enoque que andava com Ele, e você descobrirá o extraordinário poder do Espírito Santo manifesto em sua vida e através dela.

 

 

 

Para Aqueles que já Receberam o Dom:

 

A maioria dos crentes que já receberam o Dom e passaram a Falar em Línguas, precisam compreender que receberam de Deus mediante a imposição de mãos algo que pode ser apagado, quando não exercitado - 2 Timóteo 1:6 “Por esta razão, pois, te admoesto que reavives o dom de Deus que há em ti pela imposição das minhas mãos”.

Os conceitos são diversos, mas a grande maioria não vê um propósito no uso contínuo da linguagem sobrenatural da oração do Espírito Santo. Então eu pergunto, se quem fala em línguas não entende com profundidade o motivo para exercitar esse Dom, o que esperar daqueles que ainda não falam? Mas quando a igreja começar a experimentar o sublime propósito desta dádiva de Deus, haverá um anseio maior pela manifestação do Falar em Línguas em nossas reuniões.

Já é tempo de compreendermos que mediante o uso das Línguas Estranhas podemos enriquecer nossa vida espiritual, sendo edificandos. Há bênçãos e vantagens a serem desfrutadas na disciplina dessa prática. E sei que o apóstolo Paulo não pensava de forma diferente, pois chegou ao ponto de declarar: "dou graças ao meu Deus, que falo em línguas mais do que todos vós" (I Co.14:18).

Caso não houvesse proveito algum nas línguas, será que Paulo agradeceria a Deus por isso? Você acha ainda que ele as usaria tanto, como ele enfatiza ao dizer que o fazia mais do que todos os coríntos? E olhe que os coríntos falavam mesmo em línguas! Havia um uso intenso nesta igreja, que chegou até mesmo a transformar-se em abuso, que foi um dos motivos que fez com que o apóstolo escrevesse corrigindo-os.

Note que ele não disse que falava em línguas mais do que eles no sentido de diversidade, mas a ênfase recai no valor da prática, o que claramente aponta para a quantia de tempo que ele investia nesta atividade. E por que agradecer a Deus por gastar tanto tempo falando em línguas se o mesmo capítulo nos fala que enquanto falamos em línguas nossa mente fica infrutífera? É evidente que Paulo descobriu "uma mina de ouro", uma fonte de poder e edificação! “O que fala em línguas, edifica-se a si mesmo..." I Coríntios 14:4

Edificar é construir, fazer crescer, levantar algo. Do ponto de vista espiritual edificação significa crescimento; falta construir algo a mais sobre o alicerce da fé em Jesus. O falar em línguas acrescenta em nós, de forma paulatina, tudo o que necessitamos para o nosso andar com Deus.

Foi durante longos períodos de jejum e oração, depois de horas ininterruptas repetindo poucas palavras e expressões que em mistério eu havia recebido de Deus que Ele foi diversificando as Línguas Espirituais, e assim pude entender a variedade de línguas.

Caso você tenha recebido do Senhor a ministração de qualquer Dom Espiritual e há muitos anos já não os exercita mais, é hora de começar a orar, pedindo que o Espírito Santo venha sobre sua vida agora e reaviva o Dom em você! Deus está esperando por suas orações!
A obra do Espírito Santo

 

Ao falar da linguagem sobrenatural da oração do Espírito Santo, é preciso que fique bem claro que há "uma sociedade" nesta manifestação. O Espírito Santo não fala em línguas, somos nós que o fazemos;  mas por outro lado, não falamos de nós mesmos, somente o que o Espírito do Senhor nos inspira a falar. Se uma das partes desta sociedade faltar, não haverá a manifestação.

Partindo, deste princípio, tenha em mente o momento em que a manifestação inicia na sua vida. Lutero já dizia “que o Espírito Santo se aproxima em pontas de pés”.  Mas por que sermos cheios do Espírito Santo? Isso não seria fanatismo religioso? Ficar  falando em línguas diferentes e muitas vezes sem recebermos as interpretações? Isso pode parecer infantil, mas acredite: - Não é! Existe um valor nessa manifestação, você precisa descobrir qual é a dimensão da edificação que se acontecera nessa diciplina.

O falar em línguas faz parte do propósito de Deus para as nossas vidas. É  uma poderosa ferramenta que o Espírito Santo usa para trabalhar em cada um de nós de forma profunda. Porém acho muito perigoso afirmar e tentar elaborar uma teologia para dizer que “todos são obrigados a falar em línguas”, pois o próprio apóstolo Paulo nos diz em I Co 14:5 - “Eu quisera que vós todos falásseis em outras línguas...” aqui fica claro o desejo do apóstolo. Isso é diferente de  afirmar que todos “devem” ou “são obrigados a” falar em outras línguas.

Diferente do que ele mesmo afirma no verso 31 “Porque todos podereis profetizar, um após outro, para todos aprenderem e serem consolados.” o dom de línguas por mais espiritual que seja,  pode vir a ser utilizado de forma carnal e egoística, (como estava acontecendo na igreja de Corinto). Egoísta sim, pois como esse é o menor dos dons ele também é o único dom que edifica apenas a pessoa que esta orando, não abençoa aos demais membros da comunidade como é o caso do dom de Curar Enfermidades, Operar Maravilhas ou até mesmo o de Profecia.

Ao declarar “todos podereis profetizar”, eu compreendo que o apóstolo Paulo estava dizendo aos coríntos que estava ao alcance das mãos deles esse dom. Que existe uma grande probabilidade de Deus conceder-lhes tal dom se assim seus filhos lhe pedirem. Creio que essa mesma aplicação pode ser feita a outros dons, e não esta limitada a profecia. Podemos parafrasear Paulo e diser que “todos podereis curar enfermos” ou quem sabe “todos podereis receber Palavra de Sabedoria ou Conhecimento”, no sentido de haver a disposição da igreja na terra a manifestações desses diversos dons para capacitar os cristãos a cumprirem a tarefa da Grande Comissão. Veja I Co 12.11, ali diz que o Espírito Santo “distribui as manifestações como lhe apraz”, e não como “nos apraz”.

Romanos 8:26-28 “Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. 27  E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos. 28  Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.”

Quais gemidos inexprimíveis são esses? Choro, lágrimas e quebrantamento? Para alguns esse gemidos são o falar em línguas estranhas. Pessoalmente acho um erro fazermos tal afirmação. Porém quando estamos em “oração de parto espiritual” podemos vir a gemer em espírito e as vezes eu já gritei, sentindo literalmente dores abdominais e falava poucas  palavras ou frases em língua estranha. Outras vezes já presenciei o inverso, num período de “oração de parto espiritual” retirei-me com algumas outras pessoas para uma sala reservada, onde ficamos sentados e sem fazer muito barulho, sentimos as dores de parto trazendo a existência algo que no mundo espiritual já estava ligado. Quem nunca entrou em trabalho de parto espiritual, jamais compreenderá o barulho de alguns irmãozinhos. Porém isso é assunto para outro dia.

A linguagem sobrenatural de oração é uma ferramenta do Espírito de Deus para realizar em nós sua obra. E há um motivo especial porque o Espírito Santo tocar justamente em nossa fala, a partir do momento que vem sobre nós. Centenas de pessoas já testemunharam que perderam seu medo de falar publicamente  depois de terem recebido esse dom. A fala é um ponto estratégico, e o Espírito Santo não toca exatamente nesta área em vão.

 

Tiago falou sobre o poder da fala:

"Pois todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, esse é homem perfeito, e capaz de refrear também todo o corpo. Ora, se pomos freios na boca dos cavalos, para que nos obedeçam, então conseguimos dirigir todo o seu corpo. Vede também os navios que, embora tão grandes e levados por impetuosos ventos, com um pequenino leme se voltam para onde quer o impulso do timoneiro. Assim também a língua é um pequeno membro, e se gaba de grandes coisas. Vede quão grande bosque um tão pequeno fogo incendeia. A língua também é um fogo; sim, a língua, qual mundo de iniqüidade, colocada entre os nossos membros, contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, sendo por sua vez inflamada pelo inferno. Pois toda a espécie tanto de feras, como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se doma, e tem sido domada pelo gênero humano; mas a língua, nenhum homem a pode domar. É um mal irrefreável; está cheia de peçonha mortal." Tiago 3:2-8

A ciência tem descoberto em nossos dias o que há dois milênios atrás o Espírito Santo já havia revelado a seu povo: que o sistema nervoso da fala influencia todo o corpo. Mas além da influência natural, a Bíblia está mostrando que a fala tem também uma influência espiritual; mostrando que podemos submeter o controle de nossa fala a Deus ou ao Diabo.

Qual a causa do Espírito Santo controlar justamente esta área tão estratégica de nossa vida ao encher-nos com seu poder? É porque através da fala Ele poderá ampliar seu domínio em nós, e trabalhar com maior eficácia na execução do seu ministério! Também multiplicam-se aos milhares, os testemunhos de pessoas que só receberam o dom de falar em Línguas Estranhas depois que passaram a confessar a um confidente seus pecados, policiaram seus pensamentos e freiaram  seus antigos palavrões.

O Espírito Santo trabalha nos homens. Desde o Velho Testamento, fazendo isso (Gn.6:3). Ele convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo (Jo.16:8). O Espírito Santo está trabalhando neste exato momento, nos quatro cantos da terra, mesmo naqueles que ainda não conhecem a Deus. Entretanto, naqueles que ainda não conheceram a Jesus o Espírito Santo ainda não mora dentro delas, e elas nem sequer o conhecem, como declarou o Senhor Jesus: "E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre, a saber, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber; porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós". João 14:16,17.

Nós precisamos conhecer profundamente e Ele habita em nós. Portanto, a forma como o Espírito Santo age em nossas vidas é muito mais profunda do que naqueles que ainda não são cristãos. Encontramos no Novo testamento o Espírito Santo falando com o gentio Cornélio, e essa obra faz parte de seu ministério. Mas se o Espírito Santo age nos gentios, ímpios, incircuncisos, chame como você preferir (...), você imagina o quanto Ele não deseja operar em nós?

Ele veio habitar em nós para cumprir a parte que toca no propósito divino. Quando Paulo escreve a Timóteo, fala do bom depósito em nós (II Tm.1:14); ou seja, há um investimento de Deus em nossas vidas! O propósito de Deus ao enviar o Espírito Santo para habitar em nós foi para que Ele produzisse algo em nossas vidas. Ao enviar Jesus ao mundo para morrer na cruz, o Pai estava depositando em toda a criação.

E saiba com certeza que o Espírito Santo não quer permanecer inativo. Habitar em você é parte do trabalho d’Ele, e à medida que você se rende, o agir Dele vai tornando-se cada vez mais intenso. O Espírito de Deus está em você para realizar a parte d’Ele no propósito eterno de Deus; veio lapidar a obra da redenção, pois esta é a parte que lhe cabe na ação da Trindade.

Tenha em mente o fato de que “todos podereis profetizar”. Essa afirmação não obriga Deus a conceder-nos os dons que desejamos. Porém já vimos que Paulo nos incentiva a “escolhermos com zelo os dons”,  logo fica claro a motivação do coração de nosso Deus. O Senhor é um pai que deseja ver-nos crescendo em intimidade e profundidade espiritual com Ele. Muito mais interessado em que você receba e exercite os Dons Espirituais, esta o próprio Deus que mediante sua graça e amor, nos concede a ação do seu Espírito, em nós e através de nós!

Até quando ficar com medo? Não seja tímido meu irmão.

Ore agora mesmo pedindo a Deus que lhe conceda o menor dos Dons... por que ao começar pelo falar em Línguas Estranhas??? Lembre-se do que esta escrito em:

 

 Lucas 11:13 - Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?

 

Mateus 3:11 - Eu vos batizo com água, para arrependimento; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo

 


Martírio dos Apostolos
por Recebido por E-mail

O martírio dos Apóstolos

 

   1. Pedro, Simão (pedra, rocha)

Filho de Jonas, irmão de André, pescador, natural de Betsaida. Após a ressurreição de Jesus, entendeu Pedro a profecia a seu respeito (Jo 21.18,19) sobre como haveria de glorificar a Deus com sua morte. Diz-nos a história que foi crucificado de cabeça para baixo, não se achando digno de morrer como seu Senhor. Paulo, o apóstolo, ao mesmo tempo teve morte menos martirizada, sendo degolado (68 d.C). Foi o primeiro líder da Igreja Cristã (At 1-15; Gl 2.9).

 

   2. André (valoroso)

Filho de Jonas, irmão de Pedro, pescador, natural de Betsaida. Foi discípulo de João Batista. Sofreu martírio na Acaia (era uma província romana que incluía toda a Grécia antiga, a Macedônia), e teve uma morte crucificado em um madeiro em forma de “X”. Esta forma hoje chama-se: “Cruz de Santo André”. Pregou em Scytia, Grécia e Ásia Menor.

 

   3. Tiago (forma do nome Jacó)

Filho de Zebedeu e Salomé, pescador,  natural de Betsaida. Morreu à espada por ordem de Herodes Agripa I, no ano de 44 d.C (At 12.2). Tiago, que pregou na Judéia, foi o primeiro apóstolo a morrer como mártir, selando com sangue o testemunho de nosso Senhor Jesus Cristo.

 

   4. João (dádiva ou favor de Deus)

Filho de Zebedeu e Salomé, irmão de Tiago, o maior, pescador, natural de Betsaida. Trabalhou em Jerusalém e, em Éfeso, na Ásia Menor, terminou seu ministério. Antes da sua morte, foi lançado numa caldeira de azeite fervente, porém saiu ileso por milagre. O Imperador, o desterrou para a ilha de Patmos, trabalhando nas minas. Quando Nerva assumiu o governo do Império, deu-lhe liberdade, voltando para Éfeso. Em Patmos, escreveu o Apocalipse (95-96 d.C). EM Éfeso, escreveu as 3 epístolas (90 d.C). Residiu em Éfeso até à sua morte natural, provavelmente com 100 anos. 

 

   5. Filipe (amante de cavalos)

Natural de Betsaida (Jô 1.44; 12.21). Do pouco que se sabe a seu respeito, Eusébio os informa que “viveu como um dos brilhantes fechos de luz espiritual na Ásia Menor”. Antes de falecer, passou algum tempo em Frígia, sendo sepultado, segundo a tradição, em Hierápolis, desconhecendo os motivos de sua morte (provavelmente como mártir).

 

   6. Bartolomeu (filho do arado)

Filho de Tolmai, natural de Cana da Galiléia. “Bartolomeu” parece ser o sobrenome de Natanael (Jo 1.45,46). Diz-se que seu campo de atuação foi a Armênia, pregando também na Índia e, segundo a tradição, foi esfolado vivo e crucificado de cabeça para baixo. Outra tradição diz que foi esfolado até morrer..

 

   7. Tomé (gêmeo)

Chamado Dídmo, natural da Galiléia. Trabalhou na Partia, e Pérsia e Índia. Diz a tradição que foi traspassado por uma flecha enquanto orava, e outra, que foi torturado próximo a Madras, no monte São Tomé.

 

   8. Mateus (dom de Deus)

Filho de Alfeu, cobrador de impostos em Cafarnaum (Mc 2.1,14). Eusébio diz que foi para outras nações após pregar para seus próprios conterrâneos, e Sócrates diz que foi para a Etiópia, onde teve a sua morte  por um verdadeiro mártir. Escreveu o evangelho que tem o seu nome, no ano de 70-85 d.C.

 

   9. Tiago, o menor (forma da palavra Jacó)

Filho de Alfeu e Maria, irmão de Judas, natural da Galiléia. Pregou na Palestina e Egito. Solicitando para resolver a questão sobre Jesus ser ou não o Messias, entre judeus conversos e não-conversos, no templo, e mediante seu testemunho, foi com muita ira que o lançaram do templo abaixo e começaram a apedrejá-lo, visto que não morrera logo que caiu no chão. Como se não bastasse, um lavadeiro, bateu na sua cabeça com o pau que costumava bater suas roupas, vindo a falecer. Outra tradição diz que foi crucificado no Egito. Escreveu a epístola que tem o seu nome, no ano 62-63d.C, dirigida às 12 tribos que andavam dispersas.

 

  10. Judas Tadeu (forma grega da palavra Judá)

Filho de Alfeu e Maria, irmão de Tiago, o menor (Mc 3.18), natural da Galiléia. Tradicionalmente, teria sido um pregador do Evangelho em Edessa, na Síria, Arábia e na Mesopotâmia e, segundo a tradição, foi martirizado na Pérsia. Escreveu a epístola que tem seu nome, em 67-68 d.C, e dirigida “aos chamados santos”.

 

  11. Simão cananita (audição)

Natural da Galiléia (Mt 10.4; Mc 3.18; Lc 3.15; At 1.13). A palavra “cananeu” é o equivalente aramaico do termo grego “zelote” (zelador). Também foi chamado de “fanático”. Tinha zelo pela obra de evangelização (At 22.3; Gl 1.14). Nada se sabe sobre sua atuação como apóstolo. Segundo a tradição foi crucificado.

 

  12. Judas Iscariotes (forma grega da palavra Judá)

Iscariotes é o seu sobrenome (Lc 22.3). Homem de Queriote (Kerioth), filho de Simão Iscariotes. Deixou Satanás entrar nele (Lc 22.3,4; Jo 13.27). Vendeu Jesus por 30 moedas de prata e talvez quisesse mais (Mt 26.15). Era o filho da perdição (At 17.12). O seu ato o levou ao suicídio (Mt 27.3-10). A maneira da sua morte descrita em Atos 1.18 compreende-se como tenha, primeiramente, se enfocando em alguma árvore cujo ramo quebrou-se, vindo a despencar-se “derramando todas suas entranhas”, visto estar em algum precipício.

 


AP - Métodos Dinâmicos para Manter a Chama Viva
por Pr. Jelson Becker

Métodos Dinâmicos para Manter a Chama Viva:

 

Existe um grande número de pessoas, que acreditam em “orações fortes” e “orações fracas”, baseadas na tonalidade da voz e na eloqüência do intercessor.

Isso é muito triste, pois esses preciosos irmãos, por alimentarem um conceito supersticioso sobre oração, tornam-se presas fáceis de líderes manipuladores.

Deixe-me esclarecer, não existem orações forte, nem orações fracas. O que existe são orações eficientes e orações ineficientes. A base para obtermos uma maior eficácia em nossas orações não é o volume da voz, mas sim nossa integridade e obediência diante do Senhor. Tiago 5:16 “Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.”

Muitos argumentam dizendo que para Deus não existe nenhuma diferença entre orarmos em silêncio profundo, apenas em pensamentos ou em voz alta. Será que Deus é surdo e precisa que nós oremos em tom audível?

A resposta é simples, Deus não precisa de nossas orações em alta voz, mas nós precisamos muito delas. Oramos em tom audível pois isso facilita muito a nossa capacidade de concentração ao longo da oração.

Costumo dizer que se eu dobrar os meus joelhos para orar apenas em pensamentos durante mais que 10 minutos provavelmente pegarei no sono! Não temos a disciplina mental para passar longos períodos de intercessão sentados ou prostrados orando.

Logo a prática tem demonstrado que a oração pode ser muito mais estimulante quando praticada em tom audível. Isso não significa ficar “nas praças gritando em alta voz para sermos vistos pelos homens” (Lc 18:10-15). Não, nada disso! Apenas experimente orar num volume de voz suficiente para que o som chegue ao seu ouvido!

Quando nosso ouvido recebe aquilo que estamos orando, inúmeras  áreas de nosso cérebro são estimuladas e o exercício da oração passa a ser mais fácil. É freqüente em minha vida esse tipo de prática. Gosto muito de caminhar em quanto oro, ou talvez seja o contrário orar em quanto caminho, não sei.

Você pode lavar a louça e exercitar a oração, dirigir o carro e invocar o poder de Deus, aguardar o ônibus e praticar a intercessão, escovar os dentes e falar com o Pai...

Para você desenvolver sua vida de oração, é necessário: determinação, disciplina e resultados.

É muito parecido com o halterofilista que quando inicia seus exercícios não coloca muito peso nos halteres, mas que com a prática vai desenvolvendo seus músculos e ganhando volume de massa muscular. São esses resultados diante do espelho que o estimulam a continuar malhando! Assim é a oração, precisamos desenvolver nossos músculos espirituais a fim de crescermos na fé!

 

Campanhas de Oração: Muitos líderes estão sendo impactados pelo poder da oração, na medida em que eles vão experimentando isso em sua intimidade com Deus, verificamos que toda a igreja passa a ter a mesma experiência.

É comum líderes convocarem intercessores para jejuar e orar durante os três primeiros dias de cada mês, ao longo de vários anos.  Ou ainda promoverem anualmente campanhas de oração durante todo um mês.

 

Caminhadas ou Marchas de Oração: Imagino que Jesus e seus discípulos ao peregrinarem toda aquela região deveriam ter exercitado inúmeras orações. Josué e seus soldados ao marchar ao redor da grande muralha de Jericó, deveriam estar com medo ou até mesmo inseguros diante da estratégia de conquista orientada por Deus e com certeza também recorreram a oração.

Em diversas cidades do Brasil e em algumas do exterior tive o privilégio de mobilizar marchas de intercessão. A grande dificuldade é derrubar as barreiras denominacionais entre os cristão da região, curar antigas feridas do passado, ministrar a pastores e líderes o poder da confissão de seus antigos pecados, invejas, ciúmes e ambições pessoais para que reino dividido seja unido.

 

Convocações Solenes: Já vimos diversos exemplos de convocações solenes no antigo e novo testamento, porém veja o que aconteceu em 1989 na Igreja Evangélica Lutera da América, Comunidade da Alegria, em Fênix, Arizona.

Essa igreja tinha em seu rol de membros sete mil adultos cadastrados, e durante todo o ano de 1989 conseguiu apenas 50 novos membros por mês, no ano seguinte esse número passou para mais de 100 novos membros. O que foi que aconteceu?

O pastor da igreja convocou toda a comunidade para jejuar e orar. Num primeiro momento ele recrutou 30 companheiros de oração e definiram a meta de aumentar esse número para 100 pessoas. Implantaram um programa de treinamento chamado “Faculdade da Oração” e tanto os antigos membros, bem como os novos eram obrigados, convocados, desafiados a participarem de um dos 38 cursos sobre oração, oferecidos pela Faculdade.

O resultado foi uma explosão de crescimento quantitativo e qualitativo dentro da igreja, pela primeira vez em toda a história daquela comunidade as pessoas estavam sendo profundamente transformadas, curadas e confrontadas em seus pecados.

 

Retiros de Oração: É ideal para pequenos grupos de intercessores. Em grupo ficamos mais estimulados para jejuar, orar e interceder.  Geralmente nesses retiros os inscritos não comem café da manhã nem o almoço, apenas uma leve sopa se legumes a noite após as 18:00h.

A maior parte do tempo exercitam os diversos tipos de oração e recebem uma ou no máximo duas palestras sobre o tema. Não pode ser teórico, precisa ser prático.

 

Boletins ou Agendas de Orações: Procure desenvolver o hábito de anotar quais os assuntos que você tem para conversar com Deus. Relacione seus louvores, agradecimentos, pedidos pessoais e pedidos por terceiros e quando for ter seu momento especial de comunhão com Deus, tenha sempre essa anotação em suas mãos.

Procure fazer contato com Agências Missionárias, elas emitem periodicamente seus boletins de intercessão, com notícias do campo missionário e necessidade de oração.

 

Relógios de Oração: Sabemos que toda ação missionária da igreja protestante na Europa durante o século XVIII foi antecedida por um grande o Avivamento Moráveo.

A base de todo esse despertamento espiritual foi um gigantesco relógio de intercessão, onde 24 horas por dia, 7 dias por semana, 12 meses por ano ao longo de mais de 100 anos os irmãos moravianos se reuniram para adorar a Deus, orar e interceder.

Muitas igrejas mobilizam 40 dias de jejum e intercessão antes de um grande evento, como por exemplo uma Conferência Missionária. Com freqüência solicito que seja feito um relógio de intercessão por ocasião de um convite e agenda de campanhas  de avivamento ou seminários em outras igrejas e cidades.

Fazer um relógio de oração é fácil, experimente mobilizar sua igreja para uma Semana de Intercessão, Jejum e Oração. Pense comigo:

 

01 Semana = Serão 7 dias

24 horas por dia x 7dias = 168 horas

03 Pessoas Orando para cada uma das 168 horas = 504 pessoas envolvidas.

 

Cada grupo com 3 intercessores passarão apenas uma hora semanal juntos intercedendo em uma sala especialmente reservada para isso na igreja!

 

Oração no Monte, na Praia, no Campo: Sair da rotina e fazer algo diferente faz bem para qualquer pessoa, não é diferente quando o assunto esta relacionado a oração.

Organize seus amigos, experimentem passar a noite orando e louvando ao Senhor junto de uma fogueira, na praia ou na beira mar. Gosto muito de fazer caminhas ecológicas e no alto dos montes e ali fazer atos proféticos sobre toda a região vizinha, até onde conseguir visualizar.  Seja você também um contador de estrelas.

 

Amigo Secreto de Oração: É semelhante ao amigo secreto tradicional, porém além da troca de presentes no final, haverá o compromisso de orarmos todos os dias, durante uma semana ou mais pela pessoa secreta.

 


MONDEX - ILLUMINATI
por Recebido por E-mail

A SOCIEDADE 666 DO SISTEMA DE GOVERNO
MUNDIAL ANTICRISTÃO ESTÁ AQUI!

Por Chris Beard

Depois de anos de planejamento, pesquisa, e desenvolvimento as instituições
financeiras do mundo estão anunciando e antecipando SOCIEDADE GLOBAL SEM
DINHEIRO.

A habilidade para administrar todas as maneiras de troca monetária está
sendo substituída agora por uma tecnologia de microchip ou dinheiro
eletrônico. A MONDEX é a companhia que provê este sistema sem dinheiro e já
tem privilegiado mais de 20 principais nações do mundo. Este sistema foi
criado em 1993 por banqueiros de Londres o Tim Jones e Graham Higgins de
NATWEST/COUTTS, o banco pessoal da Família Real da Inglaterra, O sistema
está baseado em tecnologia do CARTÃO INTELIGENTE que emprega microchips
escondido em um cartão de plástico, que armazena dinheiro vivo eletrônico,
identificação do seu portador, e outras informações. Todos os sistemas de
transação estão sendo feitos com segurança adotando protocolos FIXOS
(Transação Eletrônica Segura) e exibirá o SET MARK..[SET MARCA] MON-DEX - É
UMA combinação das palavras MONETÁRIO & DEXTER. A Edição da Enciclopédia de
Dicionário de Webster define esta formula como:

1)MONDEX

MOM = monetário - pertencendo a dinheiro.

DEX = DEXTER - pertencendo ou localizado à mão direita.

2)SET-MARK

SET = É o deus egípcio do mal ou Satanás.

MARK = É a MARCA da Besta 666 que vem junto com o microchip, que pode vir em
forma de cartões de crédito, onde se pode usar um dispositivo no seu
interior microchip(com os dados de Transferência Eletrônica Pessoal). Esta
carteira é classificada segundo o tamanho de cálculos que lhe permite
administrar a moeda corrente pessoal com a troca com outros proprietários do
cartão. Os cartões também trabalham com a VISTA de NORTEL/BELL 360
telefones, telefones públicos do MILÊNIO, Bancos 24 horas, seu PC, a
INTERNET, e negócios on-lines e instituições já estão preparados para o
governo do anticristo.

Este sistema sem dinheiro foi testado extensivamente na cidade de Guelph, em
Ontario, no Canadá, no REINO UNIDO e E.U.A. Todos os bancos canadenses se
inscreveram no MONDEX e estarão promovendo isto agora no Brasil. Os Planos
era para que este sistema de controle global pudesse ser difundido antes de
1998. O CIBC (Banco internacional canadense do Comércio) montou uma filial
sem dinheiro que é modelo até mesmo dentro de NORTEL em Brampton, Ontario.
Mais de 250 corporações em 20 países estão envolvidos trazendo MONDEX para o
mundo e muitas nações já foram privilegiadas para usar o sistema; entre
elas:

REINO UNIDO, Canadá, E.U.A., Austrália, Nova Zelândia, Israel, Hong Kong,
China, Indonésia, Macau, Malásia, Filipinas, Cingapura, Tailândia, Índia,
Taiwan, Sri Lanka, Costa Rica, Guatemala, Nicarágua, Panamá, Honduras, El
Salvador e agora Brasil... É esperado que a União européia adote o sistema
de MONDEX como a moeda corrente como saída unificada entre eles.

Estão sendo usados outros sistemas de SMARTCARD em favor do MONDEX,
especialmente desde que o MESTER CARD comprou uma participação de 51%
apostando na companhia. NATWEST ainda manterá dirigindo o sistema
desenvolvendo a sua implementação. "Esta é a fase final, que se está
tornando uma realidade global, Robin O'Kelly disse: "nada pode parar o
sistema MONDEX agora e será um controle de caracter global". Eventualmente a
idéia de levar um cartão ficará logo obsoleto, porque as pessoas descobrirão
que terão uma limitação de segurança, sendo suscetível ao dano, perda e
roubo do cartão. A solução final será ter um biochip simplesmente colocado
dentro do corpo humano como eles fazem agora com o implante de biochip de
rastreamento de animais (GPS SISTEM).

NFOPET é umas das várias companhias que provêem uma seringa que realiza o
implante indolor do bio-chip injetando na pele do animal. O biochip pode ser
lido por um escâner e o código identifica o seu dono expondo o código em um
computador. O sistema pode localizar mais de 1 bilhão de animais por
satélites ou por torres da telefonia celular.

A MOTOROLA é que está produzindo o microchips para o MONDEX SMARTCARD que
desenvolveu vários implantes em humanos usando o bio-chips. O chip BT952000
foi criado por Dr. Carl Sanders que foi orientado em 17 reuniões da NOVA
ORDEM MUNDIAL para que se podesse ser desenvolvido um dispositivo para uso
global para identificação de humanos para o propósito do comércio econômico
global. O bio-chip mede 7mm de comprimento e 0.75mm em largura, mais ou
menos o tamanho de um grão de arroz. Contém um transponder e uma bateria de
lithium recarregável. A bateria é carregada por um circuito de thermo-par
que produz voltagem de flutuações com a temperatura do corpo. Eles gastaram
mais de 1.5 milhões de dólares nos estudos para saber o melhor local para
colocar este biochip no corpo humano. Eles só acharam dois lugares
satisfatórios e eficientes - a TESTA, de baixo do couro cabeludo, e a parte
de trás da mão, especificamente a MÃO DIREITA!





E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos,
lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte.
(Apocalipse.13:16)(ler Apocalipse 13:14 a 16).


Dr. Sanders estava contra o uso da bateria de lithium porque era de
conhecimento que se o invólucro do microchip quebrasse, causaria uma FERVURA
DOLOROSA que causaria muita agonia ao hospedeiro.

Então foi o primeiro e derramou a sua taça sobre a terra; e apareceu uma
chaga ruim e maligna nos homens que tinham o sinal da besta e que adoravam a
sua imagem. (Apocalipse.16:2).

Depois que Dr. Sanders deixou o projeto, ele foi apresentado aos escritos
proféticos da Bíblia relativo à "marca da besta " Ele se converteu então à
fé Cristã e agora administra seminários neste tópico. Ele desenvolveu uma
patente médica, vigilância, e equipamento de segurança para o FBI, CIA, IRS,
IBM, GE, Honeywell, e Teledyne. Ele também recebeu o prêmio do Presidente
dos EUA e Governador por desígno de excelência.

The industry name for the advanced smart card developed by GEMPLUS and the
U.S. DOD (Department of Defense) is the MARC (Multi-technology Automated
Reader Card).

O nome do código para o seu desenvolvimento era "TESSERA". A tessera era a
insígnia romana de propriedade, colocado nos escravos que se estes movessem
resultaria em ser um escravo marcado com ferro quente. Em novembro de 1996
foi feito um acordo pelo qual GEMPLUS iria suprir os smartcards para o
implementação global do MONDEX.

Com Tecnologias da AT&T e a Lucent Tecnologies e sua divisão de
telecomunicação empresarial AVAYA Communication. LUCENT [que no dicionário
em inglês significa BRILHANTE - ALVA - LUZENTE - ou estrela da Alva -
(Isaías 14:12).

Esta empresa chamada de LUCENT TECNOLOGIES já está no Brasil, segundo grande
Informe Publicitário Especial que saiu na revista EXAME Número 12 de 16 de
junho de 99 nas páginas 122 a 136 - A Lucent é uma fábrica de 25.000 metros
quadrados (em área total de 212.000 metros quadrados) com investimentos da
ordem superior de 500 milhões de dólares - cuja tecnologia permitirá aos
provedores de serviços para internet e de telecomunicações dimensionar e
montar complexos sistemas móveis, softwares, sistemas de rastreamento,
energia e cabeamento de fibras óticas, serviços para administradoras de
cartões de crédito - entre elas: Provedor de Serviços Globais - Soluções de
Comunicação Empresarial - Sistemas de Rede de Dados - Microeletrônica com
implantação até o início do ano 2000.).




Esta empresa comprou a franquia da MONDEX E.U.A. O logotipo deles é o
símbolo da Serpente Solar ou DRAGÃO VERMELHO que é o próprio Satanás. LUCENT
é composta de duas palavras (LUC + ENT) que significa
"LUCIFER+EMPREENDIMENTOS" ( em inglês = LUCIFER + ENTERPRISES). Eles parecem
ser bastante impetulantes nomeando os produtos deles como STYX (um rio no
Inferno), JANUS (2 rostos de um deus) e INFERNO promovendo uma citação do "
O Inferno " uma história sobre LUCIFER nas entranhas do inferno. Como " anel
de fogo " que é o Panteão antigo. Esta companhia escolheu instalar alguns
dos seus novos escritórios em Nova York a Quinta Avenida em Manhattan n.666
deliberadamente. Um das realizações mais orgulhosas deles é TTS (Text To
Speech) em que o hardware fala com a qualidade da voz humana com imagem
humana animada.

Isto só tende a lembrar o que as escrituras dizem:

"Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da
besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a
imagem da besta." (Apocalipse 13:15).

Considerando que não é prático colocar um microchip em todo produto, que é
sempre comprado e vendido com um Código de Barras, que faz este trabalho
muito bem. O que a maioria das pessoas não percebe é que esta também é a "
marca da besta" colocada sobre os produtos que nós compramos, usamos e
dispomos todos os dias! Todo Código de Barras contém os números 666. Você
achará um das duas versões da marca. O mais comum tem 10 números divididos
em duas partes. E outros terão 6 números. Em ambas versões há 3 barras
grossas identificadas. Essas barras são 6, 6, e 6. Estes são chamados de
barras de guarda , eles mandam um sinal para o escâner no começo, dividindo
a barra, e parando a leitura.

"Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta;
porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e
seis. (Apocalipse. 13:18)."

PROJETO LUCID - O projeto usará até satélites espiões, como os usados na
guerra do golfo e também outros aparatos eletrônicos, que serão usados para
o policiamento de um estado global totalitário, que foi idealizado para
monitorar todos os homens, mulheres, e crianças, que usarão o biochip
implantados e programados por um software BIOMÉTRICO UNIVERSAL, contendo o
MARC ou MONDEX. O projeto deste sistema foi projetado por Jean–Paul Creusat,
M.D. e UN-INEOA que representante das (Nações Unidas, na Associação de
Oficiais de Execução Narcótica Internacional). Um artigo apareceu em "NARC
OFICIAL", revista que descreveu o sistema parecendo ser relacionado com um
PROGRAMA DE SEGURANÇA GLOBAL. O autor Texe Marrs escreveu um livro inteiro
do PROJETO LÚCID.



Nele ele conta a recusa para descobrir a sigla do projeto que o leva a
acreditar que LUC- ID pode representar a IDENTIFICAÇÃO DE LUCIFER. Muitos
proponentes da NOVA ORDEM GLOBAL são oculistas, maçônicos,( illuminati ) ou
anticristãos e eles parecem levar a delícia com as suas expressões
ocultistas. Com LÚCID a autoridade de execução de lei global poderá
localizar qualquer um dos seus movimentos, transações financeiras globais.
Já existe um computador em Bruxelas cujo nome é a BESTA,que já tem todos os
nomes de pessoas de diversos países, fornecidos pelos próprios governos. No
Brasil, o congresso aprovou uma carteira de identidade que substituirá todos
os documentos em um único só, depois do ano 2000.

Simon Davies de PRIVACIDADE INTERNACIONAL anonimamente investigou o MONDEX
INTERNACIONAL e achou que eles estavam monitorando todas as transações
financeiras internacionais e fazendo tentativas que quebrarão as leis do
comércio e as bolsas de valores de diversos países.

Muitos se não a maioria dos 17 financiadores do MONDEX é baseado no distrito
bancário de Londres pertencente ao CLUBE DOS ISLES, uma CASA DE WINDSOR
cartel bancário que tem um cabo de asfixiar as principais das economias
GLOBAIS. Com reuniões reservadas e alianças estratégicas entre as poderosas
instituições MAÇÔNICAS que influenciam as políticas mundiais, finanças,
recursos, e até mesmo as políticas e estrutura das NAÇÕES UNIDAS.

A meta deles é uma NOVA ORDEM MUNDIAL baseado em um governo global, uma
religião global, e uma economia eletrônica global, onde Haverá um HOMEM
FORTE que é a BESTA falada por João no Apocalipse e o número do seu nome tem
666 . Ele é o SENHOR DOS ISLES, uma figura mundial para muitos adoradores,
ele também é um homem de intriga e com o seu poder influência mágica,
submeterá as nações de maneira brutal. Ele e a sua família foram os
primeiros a receberem o implante da marca de um biochip que publicamente foi
teledifundido ao redor do mundo pela CNN em março de 1996. Mas porque o
mundo inteiro está dormindo, desiludido, e inconsciente que o deus deste
mundo continua trabalhando a todo o vapor. Há ainda centenas de companhias e
as pessoas envolvidas com a implementação da ECONOMIA SEM DINHEIRO GLOBAL
mas o que se apresentou aqui são alguns dos jogadores principais. Isto
deveria lhe dar uma introdução breve de como é que a marca da besta está
sendo implementada.

Eu também incluirei aqui algumas explicações do simbolismo MONDEX. O
logotipo da MONDEX contém 3 anéis inter-unidos, um símbolo que só se acha na
ocultista orden MAÇÔNICAS. O seu significado geral especialmente considera
três deuses ou uma trindade dos Pagãos do Templo do Egito antigo, e de
rituais de Enoc o Mágico da Ordem Hermética do Amanhecer Dourado. Isto é
Isis, Osiris, Horus, mas conhecido originalmente na Bíblia como Ashtoreth,
Nimrod, Tammuz / Baal.

A trindade Pagã deles, são TRÊS DEUSES, manifestados de um só modo,
considerando que o nosso Deus é UM SÓ DEUS em três pessoas. Estes símbolos
também é usado pela Grande Loja Principal da Inglaterra e era também usada
pela Ordem de Companheiros Estranhos fundado por NERO em 55 D.C . "
Originalmente era um símbolo de prisão, escravidão e derrota. - A corrente
dourada (em latin áurea de catena ) foi pensado na antigüidade como unindo
céu e terra " (como a torre de Babel na Babilônia) " Isto é que diz Homero
(poéta épico da Grécia Antiga , autor da Ilíada e da Odisséia) cuja corrente
dourada é um deus, de acordo com o poéta, que ordena a suspensão da terra
para o ceu. No simbolismo da Maçonaria, a "corrente fraternal" é o laço
entre irmãos pedreiros entendendo as bordas internacionais que envolvem o
globo. O novo iniciante, quando ele " ver a luz, " ver os irmãos " que se
levantam pela corrente universal ". Nesta conexão, a corrente simbólica
aparece freqüentemente nos nomes das lojas - Os anéis unidos da corrente
significam uma unidade poderosa e duradoura - Dicionário de Simbolismo - o
Hans de Biedermann.pg. 63-64 " Na Maçonaria como em todas as Religiões,
todos os Mistérios escondem seus segredos de tudo aos menos Peritos e
Sábios, ou o Eleito, e usam falsas explicações e má interpretação de seus
símbolos para enganar a esses que só merecem ser enganados. (pg 104,105)






Outro símbolo utilizado por MONDEX é a Borboleta e o Fênix (este último o
pássaro do cartão VISA). Estes símbolos tem numerosos significados místicos,
mas o mais proeminente é o de capturar a alma humana para o inferno. A
palavra grega para borboleta para alma é "psique ". Pode você receber a "
marca da besta " com uma transação com o Diabo, e causar a perda de sua
alma, no lago de fogo? A Bíblia diz no livro de apocalipse que SIM, veja o
verso abaixo:

"Seguiu-os ainda um terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar
a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na fronte, ou na mão, também o
tal beberá do vinho da ira de Deus, que se acha preparado sem mistura, no
cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos
anjos e diante do Cordeiro. A fumaça do seu tormento sobe para todo o
sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a
sua imagem, nem aquele que recebe o sinal do seu nome." (Apocalipse.
14:9-11).



ENTÃO, SE VOCÊ NÃO QUER PARTICIPAR DE UMA SOCIEDADE DE DINHEIRO ELETRÔNICO,
ENTÃO:

O QUE FARÁ?


Primeiro , você se achará depressa em dificuldade financeiras com suas
opções de pagamento. Você também pagará pesadas taxas por usar cheques até
que sejam eliminados os cheques. Você será pressionado e será coagido para
ter todos seus pagamentos de conta e salários administrado automaticamente e
eletronicamente. Seu Banco em sua casa no seu PC será o necessário e através
do telefone e os caixas e suas filiais de banco sejam substituído por Banco
24 horas. Grandes somas de dinheiro vivo serão próximo do impossível de se
obter. Dinheiro vivo será cancelado e o smartcard ficarão obrigatórios. Você
achará então que você não pode pagar suas contas ou pode comprar
mantimentos. Ouro trocando por moedas de prata serão ilegais sem um
fornecedor licenciado. Os Grandes Bancos farão fusões com um Banco Central.
O Que deveríamos fazer então?

O Messias Jesus Cristo nos disse que tivéssemos esperança e não entrássemos
em desespero, porque Ele estaria vindo logo e destruirá este sistema
anticristão e a todos aqueles que tiverem o biochip implantado nos seus
corpos, e estes sofrerão chagas malignas na sua segunda vinda a terra
(Apocalipse 14:9 a 11). Ele nos disse que ocupássemos até a sua vinda. Ele
nos deu uma Grande Comissão especial até os fins dos tempos, a pregação do
Evangelho em todas as nações. Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o
senhor pôs sobre os seus serviçais, para a tempo dar-lhes o sustento?

"Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar assim
fazendo." (Mt 24:45-46).

FAÇA UM COMPROMISSO HOJE.

Por favor faça um compromisso hoje, de que você nunca irá aceitar o sistema
de compra e venda, baseado em troca digital e que você nunca submeterá à
implantação do biochip em você, nem que adorará a besta ou o falso profeta,
que é a trindade do próprio Satanás.

Disse o Senhor Jesus em Lucas12:4:

"Digo-vos, amigos meus: [Não temais] os que matam o corpo, e depois disso
nada mais podem fazer. 5 Mas eu vos mostrarei a quem é que deveis temer;
temei aquele que, depois de matar, tem poder para lançar no inferno; sim,
digo, a esse temei. Já os desastres naturais estão aumentando em vários
lugares e as pessoas serão pegas desprevenidas. Pode haver um homem fazer
crises, para apressar as necessidade de uma união mundial e vender os nossos
direitos da privacidade, liberdades, propriedades para uma denominada " paz
e segurança ". Fuja, não somente para salvar a sua pessoa, mas a sua família
também. Guarde comida por três anos e meio ou 42 meses" (Apocalipse 11:2,3 -
Apocalipse 13:5), retirando o ar dos recipientes usando um chumasco de
algodão embebidos de álcool protegido pôr papel alumínio, coloque fogo neste
chumasco para que o ar seja consumido no seu interior e sele o recipiente,
isto fará com que o arroz e feijão dure por pelo menos três anos.

DESAMPARADO - Você acha que não tem saída ou é esperançoso? Nosso Salvador
quer que nós superemos esta opressão e perseguição a nossa frente, de forma
que você possa receber uma coroa de grande glória. A " elite " planejou
muito bem com antecedência estes eventos e eles estão levando a cabo o
programa de trabalho deles agora, para criar uma NOVA ORDEM MUNDIAL depois
do ano 2000. Eles estão produzindo atualmente um bilhão de biochips MONDEX
por ano e eles já estiveram em produção durante pelo menos um ano. As
Chances são que quando você estiver lendo isto, seu banco já assinou com o
MONDEX e estará promovendo-o brevemente, não importa onde no mundo você
vive. Eles descobriram que se o chip estivesse no cartão, haveria alguns
problemas sérios. O chip podia ser cortado e informações seriam mudadas ou
falsificadas. Os valores podem ser alterados, pode ser quebrado, roubado ou
perdido. O cartão deverá sair fora de uso dentro de alguns anos (1 a 2 anos
ou mais um pouco) .

Enfim o dinheiro vivo não será mais seguro para o comércio em geral. Há uma
só solução para este problema que e seguido pela Motorola, é o implante do
biochip na mão direita ou na testa, onde não poderá ser tirado depois de
feito o implante, visto que se for tirado cirurgicamente, o invólucro se
quebrará e o indivíduo será contaminado pelo lithium, contido dentro da
micro bateria, e logo o sistema de posicionamento global detectará esta
retirada e colocará a polícia em alerta. Ainda, o MONDEX quer dizer... "
dinheiro na mão direita. " Aqui é um local excelente que está expondo MONDEX
em outra visão: home page INTERNACIONAL, leia os boletins de imprensa
clicando nos links abaixo:

http://www.Lucent.com.br/
http://www.mondex.com/
http://www.cibc.com/index.html

http://www.mondexusa.com/


CLICK NESTES LINKS ABAIXO PARA SABER DETALHES SOBRE O GRUPO QUE PRETENDE
GOVERNAR ESTE PLANETA COM AS ORDENS DE LUCIFER.

VEJA QUEM ESTÁ POR TRÁS DOS ILLUMINATI IMPLANTER

Nos seguintes links:

http://mercury.spaceports.com/~persewen/photo_various2.htm

http://mercury.spaceports.com/~persewen/billy_graham.htm

http://mercury.spaceports.com/~persewen/photo_index2.htm

Matéria publicada hoje no Estadão.com, cuidado não se deixe enganar,

implantar chip na mão ou na testa? Muita semelhança com a marca da besta.

Quem não tiver não poderá comprar nem vender. Nos butecos na Europa, já

não é preciso dinheiro, para o resto é só uma questão de tempo.

 

http://www.estadao.com.br/ciencia/noticias/2004/out/13/56.htm

 
Tecnologia/Business
                  Sem Lenço, Sem Documento ( Implantando Microchips no
Corpo )

                  Por Werner Adler*

                  Você já imaginou implantar um microchip sob sua pele?
                  Pois os frequentadores da discoteca Baja Beach Club
[www.bajabeach.es] em Barcelona na Espanha, já estão vivendo com um
microchip implantado no braço. A grande "vantagem" em implantar o chip
estaria na facilidade de acesso e na praticidade no atendimento. Os
portadores do microchip não precisam mais mostrar a carteira de identidade
na portaria nem levar a carteira ou dinheiro para o clube. Além de armazenar
os dados pessoais para identificação do cliente o chip serve para anotar as
despesas de consumo para depois serem debitadas em cartão de crédito.

                  O Baja Beach Club foi o primeiro empreendimento no mundo a
implementar o uso dos microchips em março deste ano. Os clientes que aderem
ao sistema desembolsam 125 Euros ( mais de R$ 375,00 ). A aplicação do chip
é feita sob anestesia local, por médicos em uma sala apropriada na própria
discoteca e dura poucos minutos. O clube garante que o chip não traz nenhum
risco à saúde nem efeitos colaterais.

                  O Chip utilizado em Barcelona foi desenvolvido pela
empresa americana Applied Digital Solutions [www.4verichip.co], que há anos
vem trabalhando no desenvolvimento desta tecnologia.

                  A esta altura os defensores da privacidade já estão de
"cabelo em pé".

                  Na Inglaterra um projeto para utilização de implantes de
chips GPS como proteção anti-sequestro para crianças foi barrado por pressão
de organizações de defesa dos direitos das crianças. Entretanto, a discussão
sobre a legitimidade ética desta e de outras tecnologias ainda está longe de
terminar. Uma recente pesquisa na Inglaterra mostrou que 2/3 dos pais
estariam de acordo com a vigilância e controle biométrico de seus filhos.

                  A mesma discussão acerca da ameaça que estas tecnologias
possa representar para as nossas garantias individuais envolve a utilização
das chamadas "etiquetas inteligentes". Muitos "evangelizadores" afirmam que
a questão será facilmente resolvida, pois as pessoas serão "conquistadas"
pela conveniência que estas tecnologias irão proporcionar. Me pergunto se
teremos alguma escolha. Hoje, quem não tem celular já é olhado no mínimo
como um "estranho".

                  Este discurso entretanto se utiliza de um truque para
causar confusão no debate: Debater uma questão ética com argumentos
mercadológicos.

                  Ao abrirmos mão de nossa privacidade estamos abrindo mão
de nossa soberania individual e abrimos o caminho para que 1984, Gattaca,
Minority Report e tantas outras ficções se tornem realidade. A questão não é
um embate entre "modernos" e "antiquados". Não se trata de escolher entre o
desenvolvimento tecnológico e a estagnação econômica. Se trata sim de manter
o equilíbrio entre Lei e Ordem. Entre um sistema
ético/filosófico/jurídico/político e um sistema
técnológico/econômico/mercantil.

                  - Dando uma escapada para outra discussão quente: A mesma
confusão acontece na questão do software livre. Uma questão tecnológica (
software com códigos abertos e compartilhados ), uma questão
econômica/mercadológica ( licenciamento de software, domínio de mercado por
um grande "player", no caso a Microsoft ) e uma questão filosófica/política
( liberdade ), que por definição não tem nada uma a ver com a outra, se
misturam nem sempre dando resultados muito racionais ou algo que se aproxime
de um avanço.


                  Voltando à Barcelona, acredito que em termos práticos um
dos argumentos mais fortes a serem analisados é com relação aos riscos à
saúde. Faltam pesquisas conclusivas sobre os efeitos a longo prazo dos
implantes. Mas acho que esta incerteza não preocupa os frequentadores da
discoteca. Afinal, não seria esta a primeira "moda" cujas consequências só
vieram a ser conhecidas mais tarde.

                  *Werner Adler é Diretor da New Economy.

 



AP - Movimentos de Oração Modernos
por Pr. Jelson Becker

Movimentos de Oração Modernos

 

O historiador A.T. Pierson disse que “jamais houve um despertamento em qualquer país ou cidade que não tivesse começado com a oração comunitária”. No século XVIII surge na América do Norte um especialista em reavivamentos  espirituais, ele fez uma pesquisa sobre o estado geral da igreja em fins de 1700. E descobriu que todas as demominações evangélicas estavam profundo declínio numérico, moral e espiritual.

Luteranos, Presbiterianos, Metodistas, Congregacionais, Batistas, Episcopais e outros estavam tão debilitados espiritualmente que o Juiz do Supremo Tribunal, John Marshall escreveu ao bispo da Virgínia desabafando que “a igreja estava perdida e era impossível ser recuperada”. Nesse mesmo período surge na França um filósofo chamado Voltaire o qual declarou que “em trinta anos o cristianismo terá sido esquecido“.

Deus tinha planos maiores para sua igreja, “as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. Semelhante aos grandes avivamentos bíblicos, Deus levantou homens e mulheres para jejuar e interceder a fim de gerar um grande avivamento.

Em 1794, Isaac Backus, um pastor batista enviou a todos os pastores do país um apelo urgente a oração. Em seu desespero milhares de igrejas começaram a jejuar e orar mudaram seus cronogramas de atividades e priorizaram a oração. Milhares de grupos de intercessores foram  formados, muitos deles jejuavam pela vida do  seu pastor e família.

Dentro de alguns messes, uma grande onda de reavivamento explodiu em Kentucky. Onde mais de onze mil cristãos de diversas denominações compareceram para um único culto ao ar livre. Esse avivamento espiritual se espalhou pelos estados vizinhos, dando origem ao grande movimento missionário norte americano. Muitas nações receberam milhares de missionários americanos em resposta a essa onda de avivamento, inclusive o Brasil. Semelhante a Fênix que ressurge das cinzas a autoridade profética da igreja foi sendo restaurada, mudanças significativas aconteceram na sociedade como à abolição da escravatura, à educação popular, às sociedades bíblicas e diversos outros benefícios sociais.

Na Europa ocorreram eventos similares. Evan Roberts, um simples minerador galês foi profundamente impactado pela pregação de Seth Joshua, um evangelista presbiteriano em princípios de 1900. Roberts tornou-se um grande pregador usado por Deus. Esse movimento alastrou-se como fogo sobre todo o País de Gales, em cinco meses mais de cem mil pessoas haviam tido um encontro com Cristo.

Logo atingiu outros países como Alemanha, Noruega, Suécia, Finlândia, Dinamarca, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul e partes da América Latina. Nas Filipinas o missionário Lester Sumrall orou com mais de 150 mil pessoas por receberem a Cristo. Os efeitos desse avivamento continuam até os dias de hoje.

Na Argentina, em 1991, na cidade de Resistência os pastores se organizaram em unidade para jejuar e orar por avivamento, o resultado foi uma significativa queda nos relatórios estatísticos de crimes e violência. No Brasil também ocorreram várias mudanças desse tipo, tanto na igreja como na sociedade, em resposta aos grupos de pastores que se uniram para orar por cidades como Londrina, Cianorte, Pompéia, Presidente Prudente, Belém e mais recentemente Deus esta mobilizando mais de 300 mil pessoas em jejum e oração no estado do Espírito Santo pela redenção de sua terra.

 Em 1970 teve início um grande movimento de Intercessão e Oração ao redor do mundo. Na verdade já havia na Coréia um forte avivamento espiritual e a experiência positiva de nossos irmãos coreanos inspirou milhares de pessoas ao redor do mundo para colocarem em prática os princípios que regem o ministério da intercessão e oração.

No Brasil surgiram vários líderes que multiplicaram a visão, como por exemplo,  o pastor Jonathan Ferreira dos Santos do Ministério Vale da Bênção, que construiu o Centro de Oração 24 horas por dia. Movimentos como o AD2000, Desperta Déboras, COMIBAM, Rede de Intercessão Mundial e inúmeros outros começaram a publicar periodicamente boletins de intercessão. Muitos desses alvos de oração já foram alcançados, outros ainda não... mas o que temos observado é que a partir  desses movimentos de oração muitas coisas mudaram.

Dentre um desses alvos de oração, destaco a decadência global do Sistema Comunista. Durante décadas foram e em alguns países ainda hoje são verdadeiras barreiras para a proclamação do evangelho. Durante os anos 70, 80 e 90 todos os principais boletins de oração mobilizavam a igreja ao redor do globo para jejuar e orar contra essas “barreiras espirituais e políticas” para a pregação do evangelho. Hoje muitos países que outrora torturavam missionários recebem carregamentos de bíblias para distribuição gratuita.

Eu sou um desses que fui profundamente tocado pelo Espírito Santo para fazer parte desses movimentos de intercessão. Aos 15 anos de idade ouvi um seminário sobre Oração e Intercessão e compreendi que se aplicarmos alguns princípios bíblicos em nossa vida de oração ela potencialmente se tornará mais agradável e eficiente.

Quem nunca desistiu de orar por não ver resultados em suas orações? Eu era uma dessas pessoas... Na verdade eu não sabia que Deus sempre ouve nossas orações, porém nem sempre as responde como queremos! Orações não respondidas são um mito. Ele sempre as responde, às vezes com um “sim”, outras com um “não” e ainda há momentos em que Ele nos responde “espere”, continue orando, pois ainda não chegou o tempo.

Eu sabia que a oração era importante na vida de um cristão autêntico, mas não orava, não era estimulado, não compreendia a importância de uma vida diária de oração. Como a grande maioria dos cristãos em nossas igrejas hoje, acreditava que orar era apenas um “momento litúrgico muito bonito no culto”. Não passava de simbolismo. As poucas vezes em que fui a uma reunião de oração fui com a mesma expectativa com que ia a uma consulta com o dentista ou médico.

Hoje, não tenho dúvidas de que Deus já naquela época tinha um propósito profético comigo, e que o Ministério da Intercessão seria muito importante em minha vida. Desde então tenho sido um diligente pesquisador, leitor e praticante do assunto.

 

O espírito das águas
por `Recebido por E-mail

O ESPÍRITO DAS ÁGUAS

Como lidar com eles? Fatos que vão formar alicerce para você lidar com eles: ¾ da superfície da terra é água e ¾ do seu corpo é água. Sem água não podemos viver. As plantas, os animais, todos necessitam da água pois ela é um elemento de vida, meio de purificação, centro de regeneração, representa a infinidade dos possíveis, contém todo virtual, informal, germe dos germes, promessas de desenvolvimento, mas também ameaças de reabsorção.

Em Gênesis. 1:6-7 “E disse Deus: Haja firmamento no meio das águas e separação entre águas e águas. Fez, pois, Deus o firmamento e separação entre as águas sobre o firmamento”. E assim se fez.

Há espíritos na terra e no firmamento das águas. Quando você vê cidades perto do oceano, você vê que algo é diferente no povo. Firmamento é algo que suporta seu próprio peso e também cargas ou pesos externos.

Exemplo: Em quase todas as cidades do mundo, há o costume de batizar seus navios, barcos e lanchas com champanhe; isso é oferenda aos espíritos das águas.

O rio Ganges na Índia é chamado de rio Santo, onde o povo se banha, conhecido como cabeleira de Xiva. Os rios são chamados de “os braços do mar”.

Aqui no Brasil, com muito engano, Iemanjá é o espírito das águas, a chamada senhora do mar, a mãe da fertilidade. Por esse motivo esse espírito tem ligação com aborto, por isso também todas as pessoas que foram oferecidas a ela ou a sua falange (corpo de tropas) têem problemas de esterilidade, aprisionamento em certas áreas de suas vidas, desequilíbrio, trazendo consigo a insegurança.

Marcos 5: 1- 13 (ler)

Eram muitos demônios e seu nome era legião (diz a Palavra de Deus, cerca de 2000 demônios) eram demônios da região, e já tinham conquistado autoridade sobre a mesma, já estavam acostumados ali, assim como pessoas acostumadas na sua cidade, estado ou país; por isso pediram que não fossem mandados para fora do “país”, preferiram entrar numa manada de porcos e com a permissão de Jesus, precipitaram despenhadeiro abaixo, para dentro do mar. Os porcos por sua própria natureza não gostam de água, mas os espíritos ficaram nas águas onde os porcos se afogavam, os espíritos, porém, não se afogaram e ficaram nas águas.

O espírito das águas veio da Nigéria com os escravos.

O espírito das águas é violento, e em certos casos enlouquecem as pessoas, e uma das coisas que quer fazer, é levar as pessoas à nudez, eles levam as pessoas a tirarem a roupa, ou vestirem pouca roupa.

Este espírito que Jesus encontrou, era o espírito das águas.

Salmo 74:13 e 14 – “Tu dividiste o mar pelo teu poder; quebraste as cabeças das serpentes das águas. Esmagaste as cabeças do Leviatã e o deste por comida às criaturas do deserto”. (Bíblia –NVI)

Há monstros marinhos (leviatã=crocodilo = Almirante Supremo e Governador dos Países Marítimos do Inferno). Leviatã é muito enganador e difícil de ser expulso. Tenta possuir os humanos, especialmente mulheres, e Ihes ensina hábitos ruins

Este leviatã era uma serpente semelhante a Kundalini (a serpente simbólica da yoga).

Deus dividiu as águas do mar vermelho para que o povo passasse a seco. A Bíblia afirma que nas águas há monstros marinhos como o leviatã, e para lidar com eles Deus os tira das águas e coloca-os no deserto.

Ezequiel 29:2- 3 - "Filho do homem, volve o rosto contra Faraó, rei do Egito, e profetiza contra ele e contra todo o Egito. Fala e dize: Assim diz o Senhor Deus: Eis-me contra ti, ó Faraó, rei do Egito, crocodilo enorme, que te deitas no meio dos seus rios e que dizes: O rio Nilo é meu; eu o fiz para mim mesmo”.

Deus enviou um profeta para falar com Faraó, pois ele havia feito aliança com esse espírito das águas, recebia poder, e ousou ir contra Deus. Este relacionamento de Faraó com o espírito das águas chegou a tal ponto que ele dizia: “O rio NIlo é meu, e eu o fiz para mim mesmo”. Ele nunca teve poder de fazer nada!

E Deus disse: vrs.4 e 5 – “Mas eu porei anzóis em teus queixos e farei que os peixes dos teus rios se apeguem às tuas escamas; tirar-te-ei do meio dos teus rios, juntamente com todos os peixes dos teus rios que se apeguem às tuas escamas. Lançar-te-ei para o deserto, a ti e a todo peixe dos teus rios; sobre o campo aberto cairás; não serás recolhido, nem sepultado; aos animais da terra e às aves do céu te dei por pasto”.

Deus vai tratar com estes espíritos deixando-os em total desolação, sem morada, pois deixarão de existir assim como diz em Apocalipse 21: 1 – “Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe”.

Isto nos revela que os que estão em autoridade, e fazem aliança com este espírito, passam esta herança à sua descendência. Podemos herdar de nossos pais e familiares esta influências.

Um dos poderes que Moisés teve que lidar era com o espírito das águas. Quando Faráo disse: Não deixe o povo sair, ele tinha aliança com estes espíritos. Geralmente as autoridades que tem aliança com estes espíritos são arrogantes.

Êxodo 7: 19 - 21 – “Disse mais o Senhor a Moisés: Dize a Arão: toma o teu bordão e estende a mão sobre as águas do Egito, sobre os seus rios, sobre os seus canais, sobre as suas lagoas e sobre todos os reservatórios, para que se tornem em sangue; haja sangue em toda a terra do Egito, tanto nos vasos de madeira como nos de pedra. Fizeram Moisés e Arão como o Senhor lhes havia ordenado: Arão, levantando o bordão, feriu as águas que estavam no rio, à vista de Faraó e seus oficiais; e toda a água do rio se tornou em sangue. De sorte que os peixes que estavam no rio morreram, o rio cheirou mal, e os egípcios não podiam beber a água do rio; e houve sangue por toda a terra do Egito”.

Houve guerra espiritual com essas entidades que atuavam nas águas.

Ezequiel 32: 2-5 – “Filho do homem, levanta uma lamentação contra Faraó, rei do Egito, e dize-lhe: Foste comparado a um filho de leão entre as nações, mas não passas de um crocodilo nas águas; agitavas as águas, turvando-as com os pés, sujando os rios. Assim diz o Senhor Deus: Estenderei sobre ti a minha rede no meio de muitos povos, que te puxarão para fora na minha rede. Então, te deixarei em terra; no campo aberto, te lançarei e farei morar sobre ti todas as aves do céu; e se fartarão de ti os animais de toda a terra. Porei as tuas carnes sobre os montes e encherei os vales da tua corpulência”, (corpo grande, obeso).

Deus fala mais uma vez “profetiza” contra Faraó, ele se comporta como leão, ele é arrogante, tem força e pode matar. O leão mata sem misericórdia. Deus dizia que este era o caráter de Faraó.

Ezequiel 28:2 – “Filho do homem, dize ao príncipe de Tiro: Assim diz o Senhor Deus: Visto que se eleva o teu coração, e dizes: Eu sou Deus, sobre a cadeira de Deus me assento no coração dos mares, e não passas de homem e não és Deus, ainda que estimas o teu coração como se fora o coração de Deus”.

Deus manda Ezequiel profetizar contra o príncipe de Tiro, o coração desse príncipe era elevado, ele disse: “eu sento na cadeira de Deus no coração dos mares”. Isso nos revela, que há lugares, tronos e poder no coração dos mares. Ezequiel 26: 16 – “Todos os príncipes do mar descerão dos seus tronos, tirarão de si os seus mantos e despirão as suas vestes bordadas; de tremores se vestirão, assentar-se-ão na terra e estremecerão a cada momento; e, por tua causa, pasmarão”.

E àqueles que estão em contato com esses poderes fala: "Eu sou Deus". Na verdade não passam de homens arrogantes, e cheios de orgulho.

Em Ezequiel 28:3–6 : “sim, és mais sábio que Daniel, não há segredo algum que se possa esconder de ti; pela tua sabedoria e pelo teu entendimento, alcançaste o teu poder e adquiriste ouro e prata nos teus tesouros; pela extensão da tua sabedoria no teu comércio, aumentaste as tuas riquezas; e, por causa delas, se eleva o teu coração, assim diz o Senhor Deus: Visto que estimas o teu coração como se fora o coração de Deus”.

Quem serve a estes espíritos recebe poder sobrenatural, sabedoria e entendimento dos mistérios das trevas, pois o mar e todas as outras fontes de água estão cheios de mistérios, segredos, etc.

A riqueza, os tesouros estão ligados aos espíritos das águas. A maior parte dos espíritos do mal estão nas águas. São espíritos que trazem violência, falsidade, desiquilíbrio, inveja, inconstância, ciúmes, prostituição (fornicação, sexo ilícito e explicito, nudez, sensualidade, esterilidade), agressividade, adversidade, principalmente contra autoridade, roubam a fé, trazem inquietação, paralisia espiritual, irresponsabilidade, medo, insegurança, esterilidade espiritual, luxúria, pobreza, adultério.

Daniel 7: 1-3 : “No primeiro ano de Belsazar, rei da Babilônia, teve Daniel um sonho e visões ante seus olhos, quando estava no seu leito; escreveu logo o sonho e relatou a suma de todas as coisas. Falou Daniel e disse: Eu estava olhando, durante a minha visão da noite, e eis que os quatro ventos do céu agitavam o mar Grande. Quatro animais, diferentes uns dos outros, subiam do mar”.

Esses animais eram os quatro reinados da Babilônia, eles saíram das águas isso nos revela duas coisas: esses reinos não eram estabelecidos por Deus e sim por deuses.Nós precisamos compreender mais sobre esses espíritos, há poder que saem das águas.

Em Apocalipse 17: de 1 à 4 diz que a meretriz que se acha sentada sobre muitas águas, se prostitui com os reis da Terra. Ela estava sentada sobre muitas águas, ela recebeu seu poder das águas, e ela sai das águas. O vinho de sua prostituição foi o que embebedou os que habitam na Terra. Esses espíritos terríveis fizeram com que todos os povos da Terra tomassem o vinho da prostituição, tudo que vem da pornografia, e sexo ilícito.

No vrs. 5 : “­Na sua fronte, achava-se escrito um nome, um mistério: BABILÔNIA, A GRANDE, A MÃE DAS MERETRIZES E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA”.

Esses espíritos procuravam os reis e autoridades para poluir mais rapidamente, pois, quando é atingido uma autoridade (um cabeça, um rei) é contaminado conseqüentemente seu reinado e atingido com o mesmo motivo, ainda que não sendo aparente aos olhos daqueles que fazem parte do mesmo.

Vers 4 : “Achava-se vestida de púrpura e escarlate com o cálice de ouro.” Isso nos fala de luxúria, riqueza, pois, ela tinha dentro deste cálice, imundícia.

Esses espíritos levam as pessoas a andarem nuas ou com pouca roupa, andam com elegância e estilo. A atuação destes espíritos, influenciam as roupas no carnaval (guarda-roupa de satanás).

Na Nigéria há atuação de 16 ídolos dessa espécie, e os mais poderosos são ogum (o deus do ferro) e também iemanjá e oxum. No ritual de oferenda para iemanjá, a pessoa que vai levar o oferta, tem que ser virgem, não pode falar com ninguém na hora da oferenda, tem que estar vestida toda de branco, não pode tropeçar em nada, e é acompanhada por um sacerdote que supervisiona o sacrifício, para que tudo saia conforme o ritual diz. Depois disso, essas mulheres se casam com esses espíritos. Futuramente, essas mulheres têm dificuldade em ter relação com seus maridos, pois se tornam frias como uma geleira que vive nas águas, afetando a seus próprios maridos, levando-os a cometerem adultério.

Salmo 77:16 – “Viram-te as águas, ó Deus; as águas te viram e temeram, até os abismos se abalaram”. (Têm sentimento e enxergam).

Sentiram medo porque viram a Deus. Jesus repreendeu o mar, na tempestade e as águas se acalmaram (Veja Marcos 4:35 à 39). E como toda autoridade nos foi dada através de Jesus Cristo, podemos falar às águas e repreendermos o espírito das águas, antes que entrem em nossas entranhas, e sejamos enlaçados em uma aliança destrutiva em nossas vidas, trazendo sobre nós as maldições das águas.

Há certos mares, rios, lagos, onde pessoas são afogadas regularmente. Estas são as águas, muitas vezes usadas para rituais com sacrifícios de sangue de animais ou humanos, que dão legalidade para os afogamentos (espíritos das águas que trazem morte). Deus dividiu as águas para fazer para si um nome eterno.

Ler Salmo 114.

Perguntas para ministração:

1- Entrou menstruada nas águas? (por causa do sangue/sangue é aliança)

2 - Já teve relação sexual nas águas?

3 - Já se masturbou dentro d'água?

4 - Fez oferenda para deuses nas águas?

5 - Pulou ondas com sentido espiritual ou por superstição?

6 - Deu às águas algo que era seu, como: cabelo, roupa, unha, etc.?

7 - Se enterrou na areia?(com sentido espiritual)

8 - Fez o sinal da cruz frente o mar ou águas em geral, rezou algum mantra?

9 - Fez castelos de areia? (com sentido espiritual)

Se fez alguma destas coisas, mesmo sem entendimento, é importante orar, fazendo as renúncias destas atitudes, por causa da contaminação nas águas.

Mandar que os espíritos das águas,saiam levando o barulho das águas que o deixam surdo (espiritual), tirando sua força de cima das pálpebras deixando o ser humano sem conseguir abrir os olhos, trazendo assim a cegueira espiritual.

ORAÇÃO

Senhor meu Deus, venho a Ti em nome de Jesus, nesta oração, pedindo perdão pelo pecado do sacrifício aos espíritos das águas, feito por mim no qual estou preso no coração do mar, e atado nos braços dos rios e toda espécie de lugar onde andei fazendo alianças com esses espíritos.

Agora em nome de Jesus, eu peço a Deus uma rede de malha fina em minhas mãos, e na força do Deus Todo Poderoso, Criador de todo universo, eu lanço esta rede nas águas, e retiro de lá tudo aquilo que me pertence. Passo agora essa rede em meu corpo físico, e que seja atingido meu corpo espiritual, e tanto um como o outro, sejam agora regenerados pelo sangue de Jesus Cristo de Nazaré.

Em nome de Jesus, eu desfaço essa aliança com todos espíritos que agem nas águas, desfazendo toda entrega que fiz aos espíritos das águas. Tudo que pertence a esses espíritos e estão em mim, saiam em nome de Jesus, e tudo o que eles me roubaram seja devolvido agora, em nome de Jesus.

Diante do que foi confessado, me declaro livre, e estes espíritos estejam sem poder para voltarem, ou se transferirem, pois, declaro essas estruturas em ruínas e sem poder de reconstrução, em nome de Jesus.

E se algo ainda está em oculto, ou caiu no esquecimento, peço a Deus que por misericórdia traga á minha lembrança, e sele a minha vida com o sangue de Jesus, fechando toda brecha, e colocando seus anjos guardiões, para que eu não seja atingido até que venham as lembranças das velhas alianças, e eu as renegue, rompendo definitivamente em nome de Jesus Cristo de Nazaré.

Eu me declaro livre e liberto da atuação destes espíritos, em nome de Jesus. Te agradeço, e louvo ao Senhor pelo que fazes agora em minha vida. Amém!

 


AP - Oração Cristã
por Pr. Jelson Becker

A Oração Cristã

 

A oração cristã baseia-se na convicção de que o Pai Celeste tem um providencial cuidado sobre nós (Mt 6.26,30; 10.29-30). Ele é “cheio de terna misericórida” (Tg5.11), ouvirá e responderá às petições dos seus filhos da maneira e no tempo que Ele julgue melhor. Não existem orações que Deus não ouve! Ele ouve a todas as nossas orações. Nem sempre Ele as responde como nós desejamos.

A oração deve, então, ser feita com toda a confiança (Fp 4.6), embora Deus saiba de tudo o aquilo que necessitamos, antes de Lhe pedirmos (Mt 6.8,32). A sua resposta pode ser demorada ( Lc 11.5-10); talvez a oração seja importuna (Lc 18.1-8), e repetida, como no caso de Jesus Cristo (Mt 26.44); pode a resposta não ser bem como pedimos (II Co 12.7-9); porém o cristão deve pôr toda a sua ansiedade de lado, descansando na paz de Deus (Fp 4.6-7).

Não falando na oração relacionada com o culto, ou na oração em períodos estabelecidos (Sl 55.17; Dn 6.10), orava-se quando e onde era preciso: dentro do “grande peixe” (Jn 2.1); sobre os montes (I Rs 18.42; Mt 14.23); no terraço das casas (At 10.9); num quarto interior (Mt 6.6); na prisão (At 16.25); na praia (At 21.5). O templo era chamado de “casa de oração” (Lc 18.10), e todos aqueles que não podiam estar no templo, voltavam-se para ele, quando oravam (I Rs 8.32; II Cr 6.34; Dn 6.10).

Notam-se várias posições nas oração, tanto no A.T. como no N.T.: Em pé (I Sm  1.10,26; Lc 18.11); de joelhos (Dn 6.10; Lc 22.41); curvando a cabeça, e inclinando-a à terra (Ex 12.27; 34.8); prostrado (Nm 16.22; Mt 26.39). Em pé ou de joelhos, na oração as mãos estavam estendidas (Ed 9.5), ou erguidas (Sl 28.2; compare com I Tm 2.8).

As manifestações de constrição e de dor eram algumas vezes acompanhadas de oração (Ed 9.5; Lc 18.13); e era também muito barulhenta, “com alta vozes,”... “muitos no entanto levantavam as vozes com gritos de alegria” “as vozes se ouviam de mui longe.” ( Ed 3.11-13) semelhante as igrejas pentecostais que fazem orações e pregações mui barulhentas...

A oração intercessora (Tg 5.16-18) é prescrita tanto no A.T. como no N.T. ( Nm 6.232; Jó 42.8; Is 62.6-7; Mt 5.44; I Tm 2.1).

 

Alguns Exemplos de Intercessão Eficaz:

 

Moisés e o povo de Israel (Êx 32.31-32),

Davi (II Sm 24.17; I Cr 29.18),

Estêvão (At 7.60);

Paulo (Rm 1.9),

 

Solicitações de orações intercessoras encontram em Êx 8.8, Nm 21.7; I Rs 13.6; At 8.24; Rm 15.30-32; e as respostas  a essas orações em Êx 8.12-13 e Nm 21.8-9; I Rs 13.6; At 12.5-8. Compare com II Co 12.8.

O próprio exemplo de Jesus Cristo a respeito da oração é decisivo. Ele indicou o fundamento sobre o qual repousa a crença na oração, e que é o cuidado providencial de um Pai Onisciente (Mt 7.7-11).

Ele ensinou aos discípulos como deviam orar (Mt 6.5-15; Lc 11.1-13); assegurou-lhes a certeza da resposta de Deus a uma oração reta (Mt 7.7; 18.19; 21.22; Jo 15.7 e 16.23-24); associou a oração com a vida de obediência (Mc 14.38; Lc 21.36); também nos anima a sermos persistentes e mesmo importunos na oração (Lc 11.5-8 e 18.1-7); procurou os lugares retirados para orar (Mt 14.23; 26.36-46; Mc 1.35; Lc 5.16).

Ele fez uso da oração intercessora na súplica, conhecida pela designação da sua alta oração sacerdotal (Jo 17); orou durante a agonia da cruz (Mt 27.46; Mc 15.34; Lc 23.34,46). A oração em nome de Jesus é autorizada pelo próprio Jesus (Jo 14.13-16) e Paulo a praticava em (Ef 5.20, Cl 3.17).

 

O Espírito Santo também intercede por nós, e não “Maria” ou qualquer outro “santo” como pensam os católicos. (Rm 8.26). Segundo o autor Watmanne, em seu livro “Oremos”, ele afirma que “oração nada mais é do que declarar na terra os desejos de Deus no céu. É conhecer o coração do Pai e declarar a sua vontade, até que ela se cumpra aqui na terra.”

Oração nada mais é do que isto. Estar conversando diretamente com Deus, um Deus que se faz presente em nossas vidas e em qualquer lugar onde o invocarmos, um Deus que não se limita ao racionalismo humano nem tão pouco as doutrinas elaboradas por homens, um Deus que não opera somente através da sua Palavra, Batismo, Santa Ceia, mas opera também por inúmeras e incompreensíveis formas.

As Sagradas Escrituras estão cheias de evidências de que o nosso Deus opera das mais inesperadas, anti-lógicas e sobrenaturais formas. O Senhor têm se revelado através de profecia, visões, palavra do conhecimento, revelação, pregação da palavra, hinos de louvor, são inumeráveis as formas pelas quais Deus tem falado ao coração dos homens...

A idéia de que tais manifestações espirituais, como por exemplo: visões, profecias, curas, expulsões demoníacas, línguas estranhas, ressuscitar mortos, pegar em serpentes, beber veneno sem efeitos nocivos, unções com óleos ou recebimento de dons espirituais sob imposição de mãos dos presbíteros; foram manifestações espirituais restritas aos apóstolos da igreja primitiva é uma idéia infeliz que limita Deus a uma caixinha de fósforo.

 


AP - Oração Vitoriosa
por Charles Finney

Oração Vitoriosa

 

A seguir segue um dos capítulos do livro “Uma vida cheia do Espírito”, escrito por Charles G. Finney. (capítulo 6)

 

“Oração vitoriosa é aquela que consegue resultados. Fazer orações é uma causa, vencer pela oração é outra. A vitória pela oração depende não tanto da quantidade, como da qualidade. A melhor introdução que tenho para este assunto é um fato da minha experiência anterior à minha conversão. Relato-o porque temo que tais experiências sejam muito comum entre os incrédulos.

Ao que me lembro eu nunca assistira a uma reunião de oração antes de começar o curso de direito. Então, pela primeira vez, passei a morar nas proximidades de um local onde havia reunião de oração todas as semanas. Eu não tinha muita oportunidade para conhecer, ver ou ouvir religião; por isso tinha opinião formada a respeito. Em parte por curiosidade e em parte por certo desassossego de espírito, difícil de definir, comecei a freqüentar a tal reunião de oração. Nesse mesmo tempo comprei a minha primeira Bíblia e comecei a lê-la. Escutava as orações que eram feitas naquelas reuniões, com a máxima atenção que eu poderia prestar a orações tão frias e formais. Cada um pedia o Dom e o derramamento do Espírito Santo. Tanto nas orações como nos comentários que de vez em quando faziam, confessavam que não conseguiam ser atendidos por Deus. Isso aliás, era patente, e por pouco que não fez de mim cético.

Vendo-me com tanta freqüência na reunião, o dirigente, certo dia, perguntou-me se eu não desejava que orassem por mim. Respondi que não, acrescentando: “Com certeza eu preciso de oração, mas as suas orações não são atendidas. Os senhores mesmo o confessam.” Manifestei então o meu espanto com esse estado de cousas, em vista do que a Bíblia diz das vitórias de oração. De fato, durante algum tempo fiquei grandemente perplexo e em dúvida diante dos ensinos de Cristo sobre a Oração, em confronto com aquilo que eu presenciava, semana após semana, na reunião de oração. Seria Cristo realmente um ensinador divino? Teria ele de fato ensinado o que os Evangelhos lhe atribuíam? Devia ser tomado ao pé da letra? Seria de fato verdade que a oração tinha valor para conseguir bênçãos da parte de Deus? Se era verdade, como explicar isto que eu presenciava semana após semana?  Esses homens seriam crentes de fato? O que eu ali ouvia, seria realmente oração, no sentido bíblico? Seria a oração que Cristo tinha prometido atender? Aí encontrei a solução.

Convenci-me de que eles estavam iludidos; que não obtinham vitórias porque não tinham nenhum direito a isso, pois não atendiam às condições que Deus determinou para que ele ouvisse a oração. Ao contrário, as orações deles era justamente as do tipo que Deus prometera não atender. Evidentemente não percebiam que estavam correndo perigo de ir orando daquele modo até caírem no ceticismo quanto ao valor da oração.

 

Lendo a Bíblia observei as seguintes condições estabelecidas:

 

1- Fé que Deus atende à oração. Isso, evidentemente, importa na esperança de recebermos aquilo que pedimos.

 

2- Pedir conforme a vontade de Deus. Isso claramente implica em pedir-lhe só cousas que Deus está pronto a conceder, mas também pedir-lhe num espírito que ele possa  aceitar. Temo que seja comum crentes deixarem de levar em conta o estado de espírito que Deus exige deles como condição para atender às suas orações.

  Por exemplo, no Pai Nosso, o pedido: “Venha o Teu reino” reque, evidentemente, sinceridade para que tenha valor para Deus. Mas a sinceridade na apresentação desse pedido implica na consagração integral do coração e da vida de quem pede, para a consolidação desse reino. Implica em dedicar, a esse fim, tudo quanto temos e tudo quanto somos. Proferir essa petição em qualquer outro estado de espírito diferente deste é hipocrisia e abominação diante de Deus.

Assim  na petição seguinte: “Seja feita a tua vontade na terra como no céu”, Deus não promete atender o pedido a não ser que seja feita sinceramente. Mas sinceramente importa num estado de espírito que aceite toda a vontade de Deus, até onde a entendemos, da mesma forma que é aceita no céu. Importa na obediência total, inspirada no amor e na confiança, a toda a vontade de Deus, quer seja essa vontade revelada na sua Palavra, pelo seu Espírito ou na sua providência. Significa que nos mantemos, a nós mesmos e a tudo o que somos e possuímos, à disposição de Deus de forma tão absoluta e voluntária, quanto o fazem os habitantes do céu. Se ficamos aquém disso, retendo para nós o que quer que seja, estamos “contemplando a iniqüidade no coração”, e Deus não nos ouvirá.

A sinceridade nessa petição significa um estado de absoluta e total consagração a Deus. Qualquer atitude que fique aquém dessa, importa em reter de Deus aquilo que lhe é devido. É “desviar os ouvidos de ouvir a lei”. Mas que dizem as Escrituras? “O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável.” Será que entendem isso os que professam a fé?

O que é verdade com referência a essas duas petições, também o é no que se refere a toda oração. Será que os crentes levam isso na devida consideração? Lembram-se de que tudo que se apresenta como oração é abominável se não for feito no estado de consagração inteira de quanto somos e temos a Deus? Se, na oração e com ela, não nos oferecermos, com tudo quanto temos; se o nosso estado de espírito não for o de aceitar de coração toda a vontade de Deus, executando-a perfeitamente até onde a conhecemos, então nossa oração é abominável. Que profanação terrível é o uso que freqüentemente se faz do Pai Nosso, tanto em público como em particular. Repetir como um papagaio ‘Venha teu reino, seja feita a tua vontade, na terra como no céu”, enquanto a vida está longe de se conformar com a vontade de Deus, é simplesmente revoltante. Ouvir os homens orarem: “Venha teu reino”, enquanto está mais do que evidente que estão fazendo pouco ou nenhum sacrifício ou esforço para promoverem esse reino, é uma refinada hipocrisia. Aí não há nada de oração vitoriosa.

 

3- A ausência do interesse egoísta é uma condição da oração vitoriosa: “Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres” Tiago 4.3

 

4- Outra condição da oração vitoriosa é a conciência pura diante de Deus e dos homens. I João 3.20-22: “Se o nosso coração (nossa conciência) nos acusar, certamente Deus é maior do que o nosso coração, e conhece todas as Cousas. Amados, se o coração não vos acusar, temos confiança diante de Deus, e aquilo que pedimos, dele recebemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos diante dele o que lhe é agradável.” Aqui se tornam claras duas condições: primeira, que para sermos aceitos por Deus temos de concervar pura a conciência; e, segunda, que devemos guardar os seus mandamentos e fazer diante dele o que lhe é agradável.

 

5- Coração puro é condição da oração vitoriosa. Salmo 66.18: “Se eu atender a iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá”.

 

6- Toda a confissão e restituição devidas a Deus e aos homens é outra condição da oração vitoriosa. Provérbios 28.13: “O que encobre as suas transgressões, jamais prosperará; mas os que a confessa e deixa, alcançará misericórdia”.

 

7- Outra condição: mãos limpas. Salmo 26.6: “Lavo as mãos na inocência, e, assim, andarei, Senhor, redor do teu altar”. I Timóteo 2.8: “Quero que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira e sem contenda”.

 

8- A solução das contendas e animosidades entre irmãos é uma condição. Mateus 5.23-24: “Se, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta”.

 

9- A humildade também é outra condição da oração vitoriosa. Tiago 4.6: “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”.

 

10- A remoção dos tropeços é ainda outra condição. Ezequiel 14.3: “Filho do homem, estes homens levantaram os seus ídolos nos seus corações, e o tropeço da sua iniqüidade puseram diante da sua face; devo eu de alguma maneira ser interrogado por eles?”.

 

11- O espírito de perdoar também é condição. Mateus 6.12: “Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como temos perdoado aos nossos devedores”; Mateus.15: “Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tão pouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas”.

 

12- Exercitar o espírito da verdade é outra condição. Salmo 51.6: “Eis que te comprazes na verdade no íntimo”. Se o nosso coração não estiver no espírito de acato à verdade; se não for imediatamente sincero e isento de egoísmo, estaremos atendendo à iniqüidade no coração” e, portanto, o Senhor não nos ouvirá.

 

13- Orar em nome de Jesus Cristo é condição da Oração Vitoriosa !

 

14- A inspiração do Espírito Santo é outra condição. Toda oração verdadeiramente vitoriosa é inspirada pelo Espírito Santo. Romanos 8.2-27: “Porque não sabemos orar como convém, mas o Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos”. Esse é o verdadeiro espírito da oração: ser guiado pelo Espírito. É a única oração realmente vitoriosa. Será que realmente entendem isso os que se dizem crentes? Será que acreditam que, se não viverem e andarem no Espítiro que está neles, não poderão ser vitoriosos com Deus?

 

15- O fervor é condição. Uma oração, para ser vitoriosa, tem de ser fervorosa. Tiago 5.16: “Confessai os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a oração fervorosa de um justo.”

 

16- A perseverança ou persistência na oração muitas vezes é uma condição de vitória. Vejam-se os casos de Jacó, de Daniel, de Elias, da siro feníncia, do juíz iníquo, e o ensino da Bíblia de modo geral.

 

17- Muitas vezes a angústia de espírito é condição da oração vitoriosa. “Desde as primeiras dores Sião deu à luz seus filhos”. “Meus filhos” diz, Paulo, “por quem de novo sofro as dores de parto, até ser Cristo formado em vós”. Isso dá a entender que antes que se convertessem, Paulo já tinha sofrido angústia de espírito. De fato, a angústia da alma na oração é a única verdadeira oração vivificadora. Se alguém não a conhecer não compreende o espírito da oração. Não se acha em estado de avivamento. Não entende a passagem já citada – Romanos 8.26-27. Enquanto ele não compreender essa oração angustiosa, não conhecerá o verdadeiro segredo do poder vivificador.

 

18- Outra condição da oração vitoriosa é o justo emprego dos meios para chegar ao objetivo, se os meios estiverem ao nosso alcance e se os reconhecermos necessários.  Orar pelo reavivamento religioso e deixar de empregar qualquer outro meio, é tentar a Deus. Esse, conforme pude ver era o caso daqueles que faziam orações pelo avivamento, porém fora da reunião eram silenciosos como a morte no tocante ao assunto e nem abriam a boca para as pessoas ao redor. Continuaram nessa incoerência até que um dia um descrente de destaque na comunidade, lançou-lhes na minha presença uma tremenda repreensão. Ele expressou aquilo que eu sentia profundamente.  Levantou-se e, com a maior solenidade e com lágrimas disse: “Povo crente, que é que vocês querem dizer? Oram sempre, nestas reuniões, pedindo um reavivamento. Muitas vezes exortam uns aos outros a que despertem e usem meios para promover um avivamento. Afirmam uns aos outros, e também a nós que somos descrentes, que estamos caminhando para o inferno; e acredito que seja verdade. Insistem também em dizer que, se vocês mesmos despertassem usando os meios apropriados, haveria um havivamento e nos converteríamos. Falam-nos do nosso grande amigo, e de que nossas almas valem mais do que todos os mundos; entretanto prosseguem nas suas ocupações triviais e não lançam mão desses meios. Não temos avivamento e nossas almas não são salvas.” Nessa altura não teve mais palavras: sentou-se, soluçando.

  Nunca me esquecerei como a reprimenda calou profundamente naquela reunião de oração: Fez-lhes bem, pois não demorou para que as pessoas ali presentes se prostassem, e tivemos um reavivamento. Estive presente na primeira reunião em que se manifestou o espírito de avivamento. E que transformação se verificou no tom das orações, confissões e súplicas! Voltando para casa com um amigo comentei: “Que mudança nesses crentes! Isso deve ser o início de um reavivamento.” Realmente, há uma transformação em todas as reuniões sempre que os crentes são avivados. Suas confissões adquirem significado. Significam reforma e restituição; significam trabalho, o uso dos meios, mãos, bolsos, e coração abertos, e a consagração de todos os seus recursos à promoção da obra.

 

19- A oração vitoriosa é específica. Visa um objetivo definido. Não podemos obter vitória para tudo de uma só vez. Nos casos registrados na Bíblia, em que a oração foi atendida, é notável que o suplicante pedia uma benção definida.

 

20- Outra Condição da oração vitoriosa é que nossa intenção seja idêntica àquilo que dizemos na oração; que não haja nenhuma simulação; em resumo, que sejamos sinceros como crianças, falando do coração, nem mais nem menos do que aquilo que queremos dizer, que sentimos e cremos.

 

21- Outra condição  da oração vitoriosa é um estado de espírito que presume a fidelidade de Deus a todas as suas promessas.

 

22- Mais uma condição é que, além de “orar no Espírito Santo”, “Sejamos sóbrios e vigiemos em oração”. Com isso me refiro à vigilância contra tudo o que possa apagar ou entristecer o Espírito de Deus em nossos corações. Também me refiro à vigilância pela resposta, em estado de espírito que usará diligentemente todos os meios necessários, a qualquer custo, com instância sobre instância.

  Quando estiver bem lavrado o terreno pousio* no coração dos crentes e quando tiverem confessado e feito restituição – desde que o trabalho seja completo e honesto – cumprirão natural e inevitavelmente as condições, e obterão a vitória na oração. O que precisa ser muito bem compreendido, é que os demais não a obterão. Aquilo que comumente ouvimos em reuniões de oração e de conferencias não é oração vitoriosa. É muitas vezes de se estarrecer e lastimar, ver as ilusões que existem sobre o assunto. Quem já assistiu a revelação legítima e não se impressionou com a transformação de todo o espírito e caráter das orações dos crentes realmente avivados? Creio que nunca me poderia ter convertido, se não tivesse descoberto a solução do problema: ”Por que tantas orações não obtêm resposta?”

 

[pousio] => alusão à versão inglesa de Jr 4.3 e Os 10.12. [Pousio] é o terreno cuja cultura se interrompeu por um ou mais anos.

 


Os Camelos Engolidos por Calvino
por David Cloud

OS CAMELOS ENGOLIDOS POR CALVINO
(título original: Calvin’s Camels)


 



"Condutores cegos! que coais um mosquito e engolis um camelo." (Mt 23:24 ACF)


Tendo lido as Instituições de Calvino e tendo estudado os escritos de muitos calvinistas antigos e contemporâneos, estou convencido de que Calvino foi culpado de coar [adotar] mosquitos e engolir [destruir] camelos. Aceitar o calvinismo (em qualquer de suas formas) é negar os ensinos claros de dúzias de Escrituras.

Examinei o calvinismo muitas vezes durante os 33 anos desde que fui salvo. A primeira vez foi logo depois de me converter, quando estava numa Faculdade Bíblica e o calvinismo foi um dos muitos tópicos que eram persistentemente discutidos pelos alunos. Eu nunca tinha ouvido sobre o calvinismo antes disso e não sabia o que pensar a respeito, então li A Soberania de Deus, de Arthur Pink e alguns outros títulos sobre o assunto, desejando entendê-lo e saber se era escritural ou não. Alguns dos alunos se tornaram calvinistas, mas eu concluí que, embora o calvinismo tenha alguns pontos positivos sobre a soberania de Deus, e embora eu pessoalmente aprecie o modo como ele exalta a Deus acima do homem, e embora eu concorde com seu ensinamento que a salvação é 100% de Deus, e embora eu despreze e rejeite o esquema de ganhar almas raso, manipulador e centrado no homem (tão comum entre batistas independentes), e embora ele pareça ser apoiado por algumas Escrituras, a linha base para mim é que ele [o calvinismo] acaba se contradizendo em relação a muitas Escrituras claras.

No ano 2000 fui convidado a pregar a uma conferência sobre calvinismo na Universidade Batista da Herança [Heritage Baptist University] em Greenwood, Indiana, que ocorreu posteriormente, em abril de 2001. A conferência foi oposta ao calvinismo e concordei em falar, porque era simpático a tal posição [oposta ao calvinismo], desde que examinei pela primeira vez o assunto na Escola Bíblica. Antes de dar a mensagem da conferência, no entanto, eu queria re-examinar o calvinismo de maneira mais profunda. Contatei Dr. Peter Masters em Londres, Inglaterra e discuti o assunto do calvinismo com ele. Disse-lhe que o amava e o respeitava em Cristo e também amava e respeitava seu antecessor, Charles Spurgeon, embora não concordasse com nenhum deles sobre o calvinismo (ou com alguns itens, de fato). Disse ao Dr. Masters que queria que ele me relatasse que livros ele recomendaria para eu compreender adequadamente o que ele acredita sobre o assunto (sabendo haver muitas variedades de calvinismo). Eu não queria representar mal coisa nenhuma. Entre outras coisas, Dr. Masters recomendou que eu lesse os "Institutos da Religião Cristã" [Institutes of the Christian Religion] de Calvino e "Spurgeon versus os Hiper-Calvinistas" [Spurgeon vs. the Hyper-Calvinists], de Iain Murray, o que eu fiz.

Nos últimos anos re-investiguei novamente o calvinismo por ambos os lados. Li "Que Amor é Este" [What Love Is This?] de Dave Hunt e "as Dúvidas Honestas de um Calvinista Resolvidas pela Razão e a Maravilhosa Graça de Deus" [A Calvinist's Honest Doubts Resolved by Reason and God's Amazing Grace]. Li "Debatendo o Calvinismo: Cinco Pontos, Duas Visões" [Debating Calvinism: Five Points, Two Views], de Dave Hunt e James White. Reli cuidadosamente "A Soberania de Deus" [The Sovereignty of God] de Arthur Pink, assim como "A Confissão de Fé de Westminster" [Westminster Confession of Faith]. Estudei também em torno de 100 páginas de materiais publicados em defesa do calvinismo pela Faculdade Bíblica do Extremo Oriente [Far Eastern Bible College], em Singapura. Esta é uma Escola Bíblica Presbiteriana.

No melhor do meu conhecimento, estudei esses materiais com o único desejo de saber a verdade e com a boa vontade de seguir a verdade aonde quer que ela me levasse.

Assim, enquanto não li cada livro sobre este assunto que poderia ser recomendado por meus leitores, fiz um considerável esforço para entender o calvinismo adequadamente e para não representá-lo mal. (embora eu tivesse aprendido que um não calvinista SEMPRE será acusado de má-representação)

O calvinista sem dúvida questionará que eu simplesmente não entendi adequadamente o calvinismo e a isso respondo que, se o calvinismo é tão complicado, não pode ser a verdade. Se um pregador razoavelmente inteligente que estudou e ensinou a Bíblia diligentemente por 32 anos e publicou uma enciclopédia bíblica e muitos outros estudos bíblicos pode estudar o calvinismo com um desejo de entendê-lo adequadamente e ainda não o entende, então ele [o calvinismo] é muito complicado para ser verdadeiro! O apóstolo Paulo advertia que é o diabo que torna a teologia tão complicada. “Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo.” (2Co 11:3 ACF). Claro que calvinismo não é simples, de forma nenhuma, e esta é uma razão porque ele produz uma mentalidade elitista. Para entender o calvinismo, deve-se lidar com compatibilidade, monergismo versus sinergismo, graça eleitora versus a graça irresistível, chamado eficaz versus chamado geral, expiação- propiciação eficaz versus expiação- propiciação hipotética, livre vontade libertariano versus livre vontade escravizada a submissão da vontade, graça objetiva versus graça subjetiva, habilidade natural vs habilidade moral, imputação do pecado de Adão mediata vs imediata, supralapsarianismo, sublapsarianismo, infralapsarianismo, vontade desiderativa vs decretiva, e vontade hipotética antecedente, para citar alguns!

Além disso, o calvinista argumentará que a razão por que estudei o calvinismo e o rejeitei é porque penso que o homem deve ser igual a Deus. Os calvinistas invariavelmente clamam que os não calvinistas não acreditam na soberania de Deus. Não posso falar pelos outros, mas este não-calvinista certamente acredita na soberania de Deus. Deus é Deus e Ele pode fazer o que quiser, quando quiser. Como disse alguém, "o que quer que a Bíblia diga, eu acredito. A Bíblia diz que uma baleia engoliu Jonas e eu o creio. E se a Bíblia dissesse que Jonas engoliu a baleia, eu acreditaria!" Se a Bíblia ensinasse que a soberania de Deus seleciona alguns pecadores para irem para o paraíso e Sua soberania elegeu o resto para o inferno, e que Ele escolheu apenas alguns para serem salvos e permite que o resto seja destruído, eu o creria, porque acredito que Deus é Deus e o homem não pode dizer a Deus o que é certo ou errado.

O fato é que cada vez que estudo o calvinismo, me convenço que ele simplesmente contradiz muitas Escrituras, pois é construído mais sobre a lógica e filosofia humanas que sobre o claro ensinamento da Palavra de Deus. O que quer que signifique a eleição divina (e esta é certamente uma doutrina importante e freqüentemente ensinada na Palavra de Deus), não pode significar aquilo que o calvinismo conclui [pela sua lógica e raciocínio], pois aceitar tal posição requer que alguém coe [adote] mosquitos e engula [destrua] camelos. Os mosquitos são os argumentos e raciocínio extra-escriturais dos calvinistas e os camelos são as Escrituras entendidas claramente por seu contexto.

Considere alguns mosquitos que os calvinistas coam [adotam].
Os calvinistas deduzem [lógica humana, sem provas bíblicas] que, se Deus é soberano, então os homens não podem ter vontade e não podem resistir a Ele.
Os calvinistas deduzem [lógica humana, sem provas bíblicas] que, se o pecador está morto, então ele obviamente não pode responder ao evangelho; e, se ele não pode responder ao evangelho e se a própria fé é um dom soberanamente entregue (baseado na errada exegese de Ef 2:8-9), então os eleitos devem nascer de novo antes de poder exercer a fé.
Os calvinistas deduzem [lógica humana, sem provas bíblicas] que, já que Deus opera todas as coisas pela Sua própria vontade, então se Ele realmente quisesse que todos os homens fossem salvos, Ele salvaria todos os homens.
Os calvinistas argumentam [lógica humana, sem provas bíblicas] que, já que Deus predestinou alguns à eterna salvação, então Ele deve ter predestinado outros à eterna danação.

Em cada um desses casos, o calvinista aplica a lógica humana ao fato, ao invés de [citar] uma afirmação clara das Escrituras; e as Escrituras que ele usa para apoiar sua doutrina não diz tal coisa. Assim, ele côa [adota] mosquitos enquanto engole [destrói] centenas de afirmações claras das Escrituras que demolem sua doutrina.



OS CAMELOS ENGOLIDOS [destruídos] POR CALVINO

Em seguida estão alguns dos camelos que John Calvin engoliu [destruiu] quando seguiu Agostinho, o "Doutor da Igreja Católica Romana", no erro da "eleição soberana" e quando raciocinou que Deus não poderia ser soberano se o homem pode rejeitá-lo e se a salvação pode ser aceita ou rejeitada pelo pecador.

Eu percebo que um calvinista forte [ou estanque, impermeável] tem uma resposta para tudo. Ele pode fugir imediatamente para o seu baluarte [que consiste] em fazer distinções inteligentes e intrincadas entre graça eletiva e a graça comum, entre graus do amor de Deus, entre vontade desiderativa e decretiva e vontade hipotética antecedente, entre muitas outros coisas. Eu não estou escrevendo o artigo para tal pessoa. Estou escrevendo para o crente simples que ama a Palavra de Deus e que não foi aterrorizado pelo brilho intelectual [dos "brilhantes, geniais homens"] nem permitiu lavagem cerebral pela teologia humana.



DEUS PODE DEIXAR-SE LIMITAR -- "Voltaram atrás, e tentaram a Deus, e limitaram o Santo de Israel." (Sl 78:41 ACF)

De acordo com o calvinismo, se um homem resiste a Deus ou impede Seus propósitos então Deus não é mais um Deus Soberano e o homem deve ser Soberano. Assim eles afirmam ser impossível um homem aceitar ou rejeitar a salvação de Deus. Mas o fato é que a Bíblia diz que o homem resiste e rejeita Deus a cada momento e isto tem ocorrido desde os primórdios de sua história. Adão rejeitou a Palavra de Deus. Caim a rejeitou, a geração de Noé a rejeitou. Os homens reunidos na Torre de Babel a rejeitaram. Quando o salmista conta a experiência de Israel no deserto ele enfatiza o fato de que Israel não fez a vontade de Deus. Ele os descreve como "geração obstinada e rebelde" (Sl 78:8) que "se recusou a caminhar em Sua lei" (Sl 78:10). Ele faz então esta espantosa afirmação: "eles limitaram o Santo de Israel" (Sl 78:41). De acordo com o pensamento calvinista, isto não é possível e, se fosse possível, significaria que Deus não é soberano, mas é óbvio que o calvinismo está errado em ambos os relatos. Pois o fato de Deus ter [soberanamente] feito o homem à Sua imagem com uma vontade e uma habilidade para fazer escolhas reais, e o fato de Deus [soberanamente] permitir aos homens exercerem sua vontade mesmo na questão de receber salvação, nada disso não torna Deus nem um pouco menos soberano do que se Ele tivesse criado um robô. E não é válido [pela Bíblia] [o calvinista alegar] que o homem pode resistir a Deus em algumas coisas mas não em questões de salvação. Se o homem pode resistir e rejeitar e limitar Deus se alguma forma e se [mesmo assim] Deus pode ainda ser Deus, então Deus pode ainda ser Deus se Ele oferece salvação a todos e alguns a recebem e alguns a rejeitam, como a Bíblia diz tão claramente: “E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.” (Ap 22:17 ACF)



JESUS QUERIA, MAS ISRAEL NÃO QUIS E NÃO ACONTECEU -- "Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!" (Mt 23:37 ACF)

Aqui vemos que era vontade e desejo do Filho de Deus salvar Israel em toda a sua história e Ele enviou-lhe Seus profetas, mas Ele foi recusado. Cristo queria. Israel não queria. Sabendo que Cristo é Deus, isto nos ensina que a vontade de Deus poderá ser frustrada pela vontade do homem?

Arthur Pink diz: "Mas aquelas lágrimas manifestam um Deus desapontado? Não! De verdade! Ao invés, elas mostram um Homem perfeito" ("A Soberania de Deus" pág. 199).

Assim, de acordo com o calvinista, a afirmativa de Jesus em Mt 23:27 não ensina que a vontade de Deus foi a frustrada pela vontade do homem mas simplesmente expressa o lado humano da natureza compassiva de Jesus. Segundo Calvino, Deus não pode ser desapontado, porque isto significaria que Ele não é soberano (segundo a própria definição pré-determinada de Calvino), mas isto se esvai em face das Escrituras em literalmente milhares de passagens.

Dizer que Jesus estava falando, em Mt 23:27, como homem mas não como Deus, é ridículo e herético. Jesus disse a seus discípulos: “... Quem me vê a mim vê o Pai, ...” (Jo 14:9 ACF). Em Mt 23:27 Jesus está falando como o eterno Filho de Deus, sim, como Deus Jeová, como o mesmo Deus que enviou os profetas a Israel em toda a sua carreira rebelde e que desejou dar-lhe Sua paz, mas ELES NÃO QUISERAM.



DEUS ESTENDEU SUA MÃO PARA ISRAEL, MAS ISRAEL O REJEITOU -- "Mas para Israel diz: Todo o dia estendi as minhas mãos a um povo rebelde e contradizente." (Rm 10:21 ACF)
"Estendi as minhas mãos o dia todo a um povo rebelde, que anda por caminho que não é bom, após os seus pensamentos;" (Is 65:2 ACF)

Aqui está o mesmo tipo de afirmativa que o Próprio Jesus fez em Mt 23:27. Vemos que Deus queria salvar Israel e continuamente tentou alcançá-los, mas eles resistiram à mensagem e à salvação de Deus, e as rejeitaram.



OS JUDEUS RESISTIRAM AO ESPÍRITO SANTO -- "Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim vós sois como vossos pais." (At 7:51 ACF)

Estevão acusa seus perseguidores judeus de resistirem ao Santo Espírito. Aqui, novamente vemos que o Santo Espírito luta com os homens e que eles resistiram deliberadamente. O calvinista responde a isso afirmando que a "escravidão da vontade" opera em via única, significando que os não salvos podem rejeitar a verdade mas não podem, por outro lado [mesmo se o quiserem fazer], receber a verdade. Segundo essa doutrina, só aos eleitos é dada a habilidade de crer no evangelho enquanto os não eleitos são deixados em sua condição Totalmente Depravada com sua vontade escravizada e incapaz de crer. Mas em local nenhum a Bíblia ensina isto. Ao invés, do início ao fim da Bíblia, de Caim até os que seguem o anticristo, os homens são chamados por Deus e se espera que respondam e obviamente estejam aptos a responder, e são condenados quando não o fazem. Que alguns respondem, e outros não respondem, à luz que Deus dá, não é porque somente alguns são pré-ordenados a responder.



FORAM OS JUDEUS, ELES MESMOS, QUE TROUXERAM A IRA DE DEUS SOBRE SI MESMOS -- "14 Porque vós, irmãos, haveis sido feitos imitadores das igrejas de Deus que na Judéia estão em Jesus Cristo; porquanto também padecestes de vossos próprios concidadãos o mesmo que os judeus lhes fizeram a eles, 15 Os quais também mataram o Senhor Jesus e os seus próprios profetas, e nos têm perseguido; e não agradam a Deus, e são contrários a todos os homens, 16 E nos impedem de pregar aos gentios para que estes sejam salvos, a fim de encherem sempre a medida de seus pecados; mas a ira de Deus caiu sobre eles até ao fim." (1Ts 2:14-16, tradução da KJV)

Segundo esta passagem, os judeus que mataram o Senhor Jesus e perseguiram os primeiros crentes não foram soberanamente reprovados para [assim, fazerem] sua má obra. [Ao contrário,] Eles completaram seus pecados e [por isso] trouxeram para si a ira de Deus por suas próprias ações.

Note também que Paulo diz que os judeus proibiram a pregação do evangelho aos gentios "para que estes sejam salvos". Assim vemos que os gentios, a quem o evangelho poderia, de outra forma, ser pregado, poderiam ter sido salvos através daquela pregação.



AQUELES QUE SÃO SANTIFICADOS PELO SANGUE PODEM CONTÁ-LO COMO PROFANO E PODEM FAZER AGRAVO AO ESPÍRITO DE DEUS. -- "De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça?" (Hb 10:29 ACF)

Ou este verso significa que (a) uma pessoa salva pode perder sua salvação, ou significa que (b) uma pessoa pode chegar perto de ser salva sem realmente ser regenerado ou pode então finalmente se virar contra a salvação, rejeitando a eficácia do sangue e do evangelho da graça. Acreditamos que ele ensina o último. No nosso ministério de plantar Igrejas, vimos muitos hindus e budistas participarem dos serviços e comprar Bíblias e olhar anelantemente para as coisas de Cristo e mesmo desejarem ser batizados e publicamente testemunhar sua crença no evangelho, só para finalmente se voltarem e voltar à religião humana e à idolatria e renunciar ao sangue de Cristo e à salvação pela graça. Eles não foram santificados no sentido de salvação, mas foram santificados no sentido de terem sido iluminados e convencidos pelo Espírito e no sentido de terem professado acreditar na aliança ou no evangelho da graça.

Este verso contradiz as doutrinas calvinistas da Expiação- Propiciação Limitada e da Irresistível Graça. Inegavelmente este verso, no mínimo, ensina que o sangue de Cristo estava disponível a eles para a salvação, mas que eles o rejeitaram.



JESUS REPREENDEU AS CIDADES DE ISRAEL PORQUE ELAS NÃO SE ARREPENDERAM -- "20 Então começou ele a lançar em rosto às cidades onde se operou a maior parte dos seus prodígios o não se haverem arrependido, dizendo: 21 Ai de ti, Corazim! ai de ti, Betsaida! porque, se em Tiro e em Sidom fossem feitos os prodígios que em vós se fizeram, há muito que se teriam arrependido, com saco e com cinza. 22 Por isso eu vos digo que haverá menos rigor para Tiro e Sidom, no dia do juízo, do que para vós. 23 E tu, Cafarnaum, que te ergues até aos céus, serás abatida até aos infernos; porque, se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje. 24 Eu vos digo, porém, que haverá menos rigor para os de Sodoma, no dia do juízo, do que para ti." (Mt 11:20-24 ACF)

Jesus não trata com os homens à base da eleição soberana e da reprovação soberana. Ele tratava com os homens à base da responsabilidade humana para responder ao divino chamado ao arrependimento. Cristo ensina aqui que os homens não só são responsáveis por se arrepender, mas [também] podem se arrepender, se quiserem. Se eles não se arrependeram, por que eles seriam repreendidos como se tivessem se arrependido? Se alguns homens não podem se arrepender, por que todos os homens são comandados a se arrepender (“Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam;” At 17:30 ACF)



JESUS NOS ENSINOU A ORAR PARA QUE A VONTADE DE DEUS FOSSE FEITA SOBRE A TERRA, DO MESMO MODO QUE É FEITA NO CÉU -- "E ele lhes disse: Quando orardes, dizei: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu." (Lc 11:2 ACF)

Isto significa, claro, que a vontade de Deus não é atualmente cumprida na terra como é no céu, o que significa que a soberania de Deus não implica que a vontade de Deus sempre seja feita. O homem pode frustrar a vontade de Deus – não no final, até onde o Seu plano eterno alcança, mas de muitos modos e em muitos momentos.



DEUS CONVIDA TODOS, DE TODOS OS TERMOS DA TERRA, PARA SEREM SALVOS -- " "Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro." (Is 45:22 ACF)

Se palavras significam alguma coisa, este convite divino universal significa que Deus deseja ansiosamente salvar todos os homens e todos os homens podem ser salvos, e isto estava escrito durante a dispensação do Antigo Testamento, antes da vinda de Cristo.



DEUS CONVIDA TODOS QUE ESTÃO SEDENTOS PARA VIREM E BEBEREM LIVREMENTE -- "1) Oh vós, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite. 2) Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura. 3) Inclinai os vossos ouvidos, e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei uma aliança perpétua, dando-vos as firmes beneficências de Davi." (Is 55:1-3 ACF).

Como em todas as outras passagens onde um convite geral é dado aos homens para serem salvos, os calvinistas tentam limitar esta passagem aos eleitos, mas é impossível fazê-lo. Este convite particular é para "todos que têm sede". O convite é estendido não meramente pelo Deus de Israel mas pelo Deus do Universo, o Deus que "fez a terra e criou o homem sobre ela" (Is 45:12), o mesmo Deus que disse num verso anterior: "Olhai para mim e sereis salvos, vós, todos os termos da terra: porque Eu sou Deus e não há outro" (Is 45:22 ACF).

Deus promete fazer uma aliança permanente com aqueles que vêm para Ele e promete dar a tais "as verdadeiras misericórdias de Davi". Isto não limita o convite só a Israel. A aliança de Deus com Davi é cumprida pelo Seu Grande Filho, o Messias e todos os salvos participam da aliança de um modo ou de outro (At 13:34-38).



DEUS AMA O MUNDO INTEIRO E DEU SEU FILHO PARA QUE TODO E QUALQUER POSSA SER SALVA -- "14) E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; 15) Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 16) Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 17) Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. 18) Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus." (Jo 3:14-18 ACF)

Arthur Pink é típico ao afirmar que o mundo, nesta passagem: "não significa toda a família humana", mas que é "é usado de modo geral" e ela "deve, em última análise, se referir ao mundo do povo de Deus" (A Soberania de Deus, págs 203-204).

Ao contrário, sabemos que o "mundo" (Jo 3:16) aqui significa todos os homens.

Primeiro, a universalidade desta passagem é clara pela expressão "para que todo aquele que" [uma só palavra, em grego], que é usada duas vezes no contexto. Se o termo "mundo" é usado para significar algo diferente que todo o mundo dos homens, o termo "para que todo aquele que" se torna sem sentido. Se "todo aquele que" não significa "todo aquele que", então as palavras da Bíblia não têm significado certo e tudo é lançado à confusão. Os calvinistas dizem que só aqueles que são soberanamente eleitos crerão, mas a Bíblia diz quem quer que creia será salvo e é, portanto, eleito.

Segundo, a universalidade do "mundo" nesta passagem é clara pela tipologia que é usada. A serpente de bronze que foi levantada por Moisés no deserto foi suficiente para a salvação de todos os judeus que foram picados pelas cobras, mas só aqueles que olharam para ela [a serpente de bronze] pela fé foram salvos. Da mesma forma, a salvação que Jesus comprou no Calvário é suficiente para salvar qualquer pecador, mas só aqueles que crêem são salvos.



TODO E QUALQUER (QUE QUEIRA) É CONVIDADO A VIR -- "E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida." (Ap 22:17 ACF)

Se este verso significa o que diz, ele refuta três das doutrinas de Calvino: que a salvação é apenas para os soberanamente pré-eleitos, que Deus não oferece efetivamente a salvação a todos. e que o pecador não pode receber salvação.



DEUS SALVARÁ TODOS QUE O INVOCAREM -- "8 Mas que diz? A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos, 9 A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. 10 Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. 11 Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. 12 ¶ Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. 13 Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo." (Rm 10:8-13 ACF)

Esta é outra passagem que claramente ensina que a salvação é para todo e quemquer que invoque [o nome do Senhor Deus Jesus, o Cristo]. Os calvinistas protestam que os pecadores que são Totalmente Depravados não podem clamar ao Senhor e, portanto, só aqueles que são soberanamente eleitos e chamados e recebem "o dom da fé" poderá clamar ao Senhor. Isto é distorcer as Escrituras, é forçar a teologia de alguns para dentro da Bíblia. Se as doutrinas calvinistas da soberana eleição e da escravidão da vontade e do soberano chamado são corretas, então esta passagem realmente não significa o que diz, portanto um abençoado e glorioso convite universal para a salvação dos pecadores se torna algo reservado somente a um grupo pré-selecionado de pecadores.

Quanto à fé, esta passagem diz que ela está bem próximo de cada pecador. Em seus corações, [todos] os pecadores podem crer em Cristo. Eles podem confessar Cristo com suas bocas. Embora estejam totalmente sem justiça em si mesmos [ante Deus] e estejam totalmente mortos em suas transgressões e pecados, isto não significa que eles não possam crer no evangelho.



TODO E QUALQUER QUE CRER EM CRISTO (E, PORTANTO, INVOCAR SEU NOME) SERÁ SALVO -- "Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas." (Jo 12:46 ACF)
"E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo." (At 2:21 ACF)

A Bíblia repetidamente diz que a salvação é para "todo aquele que"; portanto, um típico crente na Bíblia, mas que não é um teólogo, concluiria [a partir dessa multidão de versículos cristalinamente claros] que qualquer e todo pecador hoje é convidado a vir para Cristo e, pela graça de Deus, PODE vir para Cristo. Tratar os "todo aquele que irá" do Novo Testamento como Calvino fez, no entanto, é [anulá-lo,] fazê-lo de nenhum efeito. Segundo Calvino, "todo aquele que" não significa realmente "todo aquele que"; significa "qualquer dos eleitos". Mesmo quando Calvino afirma, fora de um lado de sua boca (tal como no comentário sobre João 3:16), que ele concorda que a salvação é realmente oferecida para "quem quer que queira", ele o nega com o outro lado afirmando que é óbvio que os não-eleitos "não o quererão", assim ele [Calvino], num sentido prático, voltou para "todo aquele que, dentre os eleitos".



JESUS CONVIDOU TODOS QUE TÊM SEDE A VIR E BEBER -- "37 ¶ E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se QUALQUER UM tem sede, venha a mim, e beba. 38 Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre." (Jo 7:37-38 KJV)


Este é o mesmo tipo de convite que vimos em muitas outras passagens. É um convite a "qualquer um". Jesus graciosamente convida todos os pecadores que reconhecem sua necessidade de salvação para virem a Ele para satisfazê-la. Além disso, o Espírito Santo veio ao mundo para mostrar aos homens sua necessidade de Cristo (Jô 16:8). O único requisito que Jesus exige é que tenham sede de águas vivas que só Deus pode prover e que venham só a Jesus para [receberem] aquela água e a nenhum outro. A Salvação está vinculada a beber da água. Que coisa tão simples!



JESUS CONVIDOU TODOS OS ESTÃO CANSADOS E OPRIMIDOS A VIREM A ELE PARA DESCANSO -- "28 Vinde a mim, TODOS os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. 29 Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. 30 Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve." (Mt 11:28-30 ACF)

Um convite mais amplo à salvação não pode ser dado.Qualquer pessoa que trabalhe e esteja pesadamente oprimido é convidado a vir a Jesus buscar repouso. Não é um convite que possa ser de alguma forma limitado a um seleto número de indivíduos que foram soberanamente predeterminados. A compaixão de Jesus se estende a todos os pecadores e é verdadeiro Seu desejo de salvar todos eles.



TANTOS QUANTOS RECEBEM JESUS TORNAM-SE FILHOS DE DEUS -- "10 Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu. 11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. 12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; 13 Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus." (Jo 1:10-13 ACF)

Jesus foi rejeitado por Seu próprio povo, a nação judaica. Só este fato demonstra que Deus pode ser rejeitado pelos homens. Mas todos os que recebem a Jesus crendo em Seu nome recebem o poder de se tornarem filhos de Deus. Não é dada qualquer limitação. Salvação é uma questão de "A TODOS QUANTOS" e "QUEM QUER QUE". Note que a fé precede e é a causa de se tornar um filho de Deus. Não é que os homens nascem de novo para [conseqüentemente, possam ter] a fé, como disse Calvino, mas que através da fé os homens nascem de novo. Note também que, receber a Cristo crendo n’Ele não pode ser definido como "a vontade do homem". Os calvinistas questionam que se o pecador pudesse crer em Cristo isto significaria que a salvação é da vontade do homem, mas esta passagem refuta tal lógica humana. Sabemos claramente em Jo 1:13 que o novo nascimento não é da "vontade da carne, nem da vontade do homem", mas sabemos muito claramente que o novo nascimento ocorre recebendo Cristo pela fé, nos versículos anteriores. O que o versículo 13 significa é que este novo nascimento não é produto da vontade humana. Os homens não podem operar o novo nascimento. Eles não podem querer que aconteça. É um milagre da graça que Cristo opera na vida do pecador que crê.



DEUS TEM ORDENADO QUE O EVANGELHO SEJA PREGADO A CADA E TODO SER HUMANO E GARANTIU QUE TODOS QUE NELE CREREM SERÃO SALVOS -- "15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. 16 Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado." (Mc 16:15-16 ACF)

Se apenas o eleito pode ser salvo, por que Deus comanda que o evangelho do "quemquer que queira" a salvação, seja pregado a cada pecador? Deus está zombando dos não eleitos, proclamando-lhes que Ele deu Seu único filho amado para que "todo aquele que nele crê não pereça" e que “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.”? Alguns calvinistas dividem-se em duas amplas categorias chamadas "hiper" e "não hiper" (embora os "hiper" não admitam serem hiper mas professam-se como genuinamente calvinistas). O não-hiper calvinista afirma que Deus ama verdadeiramente a todos os homens e que o "todos" de João 3:16 é verdadeiramente "todos", e isto soa encorajador, exceto que, pelo outro lado da sua boca, ele diz que Deus só salva os eleitos e que não há possibilidade para os não eleitos serem salvos, e que o "amor" de Deus para com os eleitos é certamente diferente do Seu amor pelos eleitos. Certamente os não eleitos, ouvindo tal argumentação seriam forçados a dizer: "Que tipo de amor estranho é este? Deus está zombando de mim? Deus está brincando comigo como um gato brinca com um rato [ferido, para terminar de matá-lo]? A Bíblia promete que 'para que todo aquele que nele creia não pereça', mas os calvinistas me dizem que só se eu for um dos eleitos é que eu serei soberanamente regenerado e receberei o ‘dom da fé’ e se eu não for um dos eleitos, então estou tão morto em minhas transgressões e pecados que não há nada que eu possa fazer para ser salvo, que eu não posso crer em Cristo e que a iluminação que Deus me dá não é eficaz para minha salvação. Que amor é este?" Claro que o calvinista logo responderá: "quem é você que responde contra Deus! Deus é Deus e Ele pode fazer o que quiser e Lhe agradar". Claro que Ele pode fazer o que quiser e Lhe agradar, mas esta questão se Deus genuinamente quer que todos os homens sejam salvos e se é possível para eles serem salvos tem a mais séria e eterna conseqüência e responder à questão sobre o que constitui o amor de Deus não é nem irracional nem anti-escriturístico.



DEUS NÃO ESTÁ QUERENDO QUE PESSOA ALGUMA SE PERCA -- "O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se." (2Pe 3:9 ACF)

Por que o Senhor espera para estabelecer Seu reino? Por que Cristo ainda não veio? Este verso nos ensina que Deus está esperando que os homens sejam salvos, porque não é de Sua soberana vontade que ninguém pereça. Já que muitos perecerão e já que nem todos virão ao arrependimento, como sabemos de outras Escrituras, então é óbvio que a vontade de Deus pode sofrer resistência e ser frustrada e rejeitada pelo homem. É óbvio que o soberano Deus criou o homem de modo que isto pudesse ser possível, mas claro que isto não significa que Deus deixou de ser Deus. É o calvinismo que define a divina soberania como irresistibilidade. A Bíblia não sustenta tal definição.

O calvinista interpreta este versículo como significando que Deus não quer que nenhum dos eleitos [apenas eles] pereça. Arthur Pink diz: "Os ‘alguns’ que Deus não quer que pereçam são os ‘para conosco’ por quem Deus ‘é longânimo’, são os ‘amados’ dos versículos anteriores" (A Soberania de Deus, p.207).

Nossa resposta a isto é, antes de tudo, se este fosse o único versículo que dissesse que Deus não quer que ninguém pereça, poderíamos aceitar a interpretação calvinista, mas não é. Is 45:22 e Mt 11:28 e Jo 3:16 e Jo 6:40 e Rm 11:23 e I Tm 1:15-16 e I Tm 2:3-4 e Ap 22:17 são apenas algumas das passagens que dizem que Deus quer salvar a todos os homens.

    [    “Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou  Deus, e não há outro.” (Is 45:22 ACF)
        “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” (Mt 11:28 ACF)
        “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo 3:16 ACF)
        “Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.” (Jo 6:40 ACF)
    ...
        “3 Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, 4 Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.” (1Tm 2:3-4 ACF)
        “E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.” (Ap 22:17 ACF) ]


Assim, é razoável e Escritural acreditar que os "para conosco’ em II Pe 3:9 é a humanidade em geral, em oposição só aos "eleitos".

Mais, se II Pe 3:9 significa meramente que Deus não quer que nenhum dos eleitos pereça, então Ele usa uma linguagem estranha à luz das doutrinas calvinistas de eleição soberana e chamado irresistível. Dizer que Deus não quer que ninguém pereça é assumir que alguns possam perecer.



DEUS QUER QUE TODOS OS SERES HUMANOS SEJAM SALVOS -- "3 Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, 4 Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade." (1Tm 2:3-4 ACF)

O que este versículo significa? Não há razão para crer que signifique outra coisa senão exatamente o que diz. É a vontade e desejo soberanos de Deus que todos os homens sejam salvos. Obviamente, então, a vontade de Deus não é sempre cumprida e Deus ordenou que o homem possa frustrar Sua vontade, porque é claro por outras passagens que nem todos os homens serão salvos. Claro, o calvinista tem todo o tipo de meios pelos quais ele conclui sobre o ensino claro de II Pe 3:9 e I Tm 2:3-4, mas só alguém comprometido com o calvinismo interpretaria a Escritura dessa forma. Por exemplo, alguns calvinistas afirmam que Deus tem dois tipos de vontade: "desiderativa e decretiva". Embora Ele deseje realmente que todos os homens sejam salvos, Ele só decretou que os eleitos sejam salvos. Assim, quando II Pe 3:9 e I Tm 2:3-4 dizem que Deus não quer que qualquer pereça e que Ele quer que todos os homens sejam salvos, isto é meramente Sua vontade "desiderativa", enquanto só os pecadores eleitos que caem na categoria de Sua vontade "decretiva" serão realmente salvos porque são os únicos, que são soberanamente regenerados e recebem o "dom da fé". Quando eu disse a um professor calvinista que isto é mera "enrolação", ele muito se ofendeu, mas não vejo o que mais pode ser. Claro esta intransigente tentativa de reconciliar I Tm 3:3-4 e II Pe 3:9 com o calvinismo realmente cria mais problemas que os resolve, porque admite que a vontade desiderativa de Deus não será cumprida. Assim, a vontade de Deus pode de fato ser frustrada pelo homem – não Sua vontade decretiva, você pode pensar, mas Sua vontade desiderativa – que significaria que Deus tem uma vontade que não é soberana.



JESUS VEIO AO MUNDO PARA SALVAR PECADORES -- "15 Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal. 16 Mas por isso alcancei misericórdia, para que em mim, que sou o principal, Jesus Cristo mostrasse toda a sua longanimidade, para exemplo dos que haviam de crer nele para a vida eterna." (1Tm 1:15-16 ACF)

O calvinismo pode ser lido [forçado para dentro] nesta passagem, como pode ser lido [forçado para dentro]  em qualquer passagem (que só os "pecadores" podem se tornar os eleitos). Mas, se tomamos ao pé da letra as palavras desses versos, elas significam que Jesus veio para salvar os pecadores em geral, ao contrário de [a finalidade de salvar] somente um grupo pré-selecionado; e significa que a salvação de Deus de Paulo, o chefe dos pecadores, é um encorajamento a qualquer pecador vir a Cristo para [receber] salvação. Qualquer pecador pode encontrar encorajamento nesta passagem para crer em Cristo para a sua salvação, porque se Deus pode salvar Paulo, Ele salvará a qualquer um.



DEUS QUER USAR DE MISERICÓRDIA PARA COM TODOS -- "Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia." (Rm 11:32 ACF)

Se o "todos" da primeira metade deste versículo significa todos os homens, como é óbvio, então é impossível interpretar a última parte por qualquer outro sentido. O mesmo Deus que englobou todos os homens em descrença deseja ter misericórdia sobre todos os homens através de Jesus Cristo. Essa é Sua soberana e expressa vontade.



JESUS FEZ PROPICIAÇÃO NÃO SOMENTE PELOS PECADOS DOS CRENTES MAS, TAMBÉM, PELOS DO MUNDO INTEIRO -- "E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo." (1Jo 2:2 ACF)

Esta passagem é dirigida "aos meus filhinhos" e aqueles que têm "um advogado com o Pai, Jesus Cristo, o justo" (1João 2:1). Obviamente é dirigida, então, aos salvos ou àqueles que em outra passagem são chamados "os eleitos" (Col 2:12; II Tm 2:10). Portanto, quando I Jo 2:2 diz que Cristo "é a propiciação pelos nossos pecados: e não só pelos nossos, mas também pelos pecados de todo o mundo", a Bíblia está óbvia e claramente afirmando que Cristo não morreu só pelos pecados dos eleitos. "Todo o mundo" significa todo o mundo!



JESUS DEU A SI MESMO COMO RESGATE POR TODOS -- "O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo." (1Tm 2:6 ACF)

A palavra "todos" deve ser definida no contexto, e no contexto ela se refere a todos os homens. Veja

I Tm 2:3-5 – “3 Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, 4 Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade. 5 Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.” (ACF) O fato de que Jesus se deu como resgate em favor de todos os homens demonstra claramente que Sua expiação- propiciação não estava limitada aos eleitos, e que todos os homens podem ser salvos.



CRISTO RECONCILIOU O MUNDO PARA SI MESMO, E TEM ENTREGUE AOS CRENTES A PALAVRA DE RECONCILIAÇÃO -- "18 E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação; 19 Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação." (2Co 5:18-19 ACF)

Estes versos englobam a doutrina da expiação- propiciação quanto ao fato que ela se aplica ao mundo [inteiro]. No verso 18 vemos que os crentes estão reconciliados com Deus por Jesus Cristo, mas no verso 19 vemos que Deus quer que o processo de reconciliação se estenda a todo o mundo. O fato que "Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados" é um ensinamento óbvio das Escrituras, mas não significa, como os calvinistas argumentam [nos acusando], que [isto significaria que] todos os homens são automaticamente salvos. (Arthur Pink em "A Soberania de Deus" pág 62, argumenta pela lógica humana por este modo: "Se [o sangue de Cristo] tivesse sido oferecido em favor de toda a humanidade, então o débito de cada homem teria sido cancelado"). A universalidade da expiação- propiciação de Cristo não significa que todos os homens são automaticamente salvos, mas que todos os homens PODEM ser salvos porque a obra de Cristo na Cruz é suficiente para salvá-los, mas eles devem receber a palavra de reconciliação a qual, é claro, é o evangelho. Vemos também nesta passagem que os crentes são instrumentos de Deus para pregar a "palavra de reconciliação" ao mundo. Quando um pecador crê em Cristo, ele, por sua vez, deve pregar o evangelho da reconciliação para outros. Já que o evangelho deve ser pregado a todas as pessoas e Deus não quer que ninguém pereça, é óbvio que cada pessoa tem a possibilidade de ser salvo através de crer [em Cristo e Sua obra] (Mc 16:15-16; II Pe 3:9).



JESUS PAGOU O PREÇO DA REDENÇÃO DOS FALSOS MESTRES QUE ENSINARÃO DOUTRINAS DE PERDIÇÃO E NEGARÃO AO CRISTO, POR ISSO IRÃO AO INFERNO -- "E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão de modo oculto heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição." (2Pe 2:1 ACF)

Se o Senhor comprou esses falsos mestres não salvos, e a Bíblia claramente diz que isto ocorreu, então a doutrina calvinista da expiação- propiciação limitada cai por terra.



JESUS PROVOU A MORTE POR CADA E TODO HOMEM -- "Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos." (Hb 2:9 ACF)

Novamente, está claro nas Escrituras que Jesus morreu para defender todos os homens e não somente os eleitos.



DEUS ELEGE DE ACORDO COM SEU PRÉ-CONHECIMENTO -- "Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas." (1Pe 1:2 ACF)

A posição calvinista padrão sobre a presciência é basicamente suprimi-la, fazendo-a ser o mesmo que vontade-prévia, suprimindo completamente a possibilidade que a escolha de Deus teria algo a ver com o que Ele prevê. Mas a palavra que Pedro usa para presciência é uma palavra que significa simplesmente que Deus sabia [de antemão] o que ocorreria. É a palavra grega "prognose" que ainda é usada na linguagem comum. Quando um médico dá um prognóstico de uma doença, ele descreve a progressão normal da doença. Ele está basicamente apto a predizer o futuro pois sabe de antemão o que ocorrerá. A doutrina da "presciência", se não for redefinida pelo calvinismo, vai um longo caminho, embora não todo o caminho, na direção de explicar o mistério de como Deus elegeria mas o homem poderia escolher. Há mais em eleição que presciência, mas o fato permanece que a Palavra de Deus nos ensina que a presciência está envolvida [na eleição] e que ela [a presciência] não pode ser redefinida como "pré-ordenação".

Na sua tentativa de redefinir presciência e moldá-la para pré-ordenação", os calvinistas usam
At 2:23 que diz que Jesus foi crucificado “... pelo determinado conselho e presciência de Deus ...". Os calvinistas argumentam que "determinado conselho" e "presciência" são a mesma coisa, mas é evidente que são, de fato, duas coisas diferentes. Os calvinistas clamam que determinado conselho precede a presciência, mas o que deixam de observar é o "e". Atos 2:23 não diz que Jesus foi crucificado "pelo determinado conselho que é a presciência de Deus". Diz que Jesus foi crucificado "pelo determinado concílio E presciência de Deus". Que Deus [também] tenha elegido conforme Sua presciência significa que Ele não elege somente conforme seu determinado conselho, e este fato não torna Deus menos Deus.



JESUS ADVERTIU AOS HOMENS PARA ATENTAREM ÀS SUAS PALAVRAS DO MODO PRÓPRIO, SENÃO SERÃO JULGADOS -- "Vede, pois, como ouvis; porque a qualquer que tiver lhe será dado, e a qualquer que não tiver até o que parece ter lhe será tirado." (Lc 8:18 ACF)

Jesus colocou a responsabilidade de ouvir Sua Palavra sobre os ombros de Seus ouvintes. Se eles ouvissem e fizessem o esforço de procurar Deus e entender, então seria dado mais a eles. Se não, eles seriam julgados. Aqui não há eleição soberana.



JESUS DISSE AOS LÍDERES RELIGIOSOS QUE ELES NÃO QUISERAM VIR A ELE PARA TEREM VIDA -- "E não quereis vir a mim para terdes vida." (Jo 5:40 ACF)

Ele não disse que não poderiam vir por causa da "total depravação". Ele disse que eles não queriam vir. Era uma questão de suas próprias vontades. Ele não disse que eles eram soberanamente não eleitos, ou que estavam pré-ordenados para a condenação. Ele os repreendeu porque receberam a luz e a rejeitaram. Este verso e outros tantos ensinam que o pecador tem uma vontade que pode exercitar contrariamente a Deus, que a vontade de Deus não é soberana no sentido de não poder ser contrariada.



A FÉ VEM DO CORAÇÃO DO HOMEM -- "11 Esta é, pois, a parábola: A semente é a palavra de Deus; 12 E os que estão junto do caminho, estes são os que ouvem; depois vem o diabo, e tira-lhes do coração a palavra, para que não se salvem, crendo; 13 E os que estão sobre pedra, estes são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria, mas, como não têm raiz, apenas crêem por algum tempo, e no tempo da tentação se desviam; 14 E a que caiu entre espinhos, esses são os que ouviram e, indo por diante, são sufocados com os cuidados e riquezas e deleites da vida, e não dão fruto com perfeição; 15 E a que caiu em boa terra, esses são os que, ouvindo a palavra, a conservam num coração honesto e bom, e dão fruto com perseverança." (Lc 8:11-15 ACF)

A Parábola do Semeador nos ensina que fé é algo que os pecadores podem exercitar e que a diferença entre os corações dos homens e a resposta ao evangelho não é aquela da eleição soberana, mas é uma questão de suas próprias vontades. O Senhor Jesus nos diz que a Palavra de Deus caiu sobre quatro diferentes tipos de corações humanos. Todos os homens são pecadores, mas nem todos os pecadores não respondem à Palavra de Deus da mesma maneira.

O primeiro tipo de pecador ouve a Palavra de Deus mas o diabo vem e a retira do coração dele para que não creia e seja salvo. Isto está explicado em Mt 13:19 –
“Ouvindo alguém a palavra do reino, e NÃO A ENTENDENDO, vem o maligno, e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho.” (ACF) A razão porque o primeiro tipo de pessoa não crê é porque ele não se esforça para [ou não deseja realmente] entender o evangelho e assim o diabo consegue arrebatar a Palavra de Deus. Isto acontece a cada dia. O evangelho é pregado a pecadores indiscriminadamente e muitos deles não dão importância a ele e não tem interesse mesmo em ouvir mais a respeito de Jesus Cristo. Eles não estão interessados o bastante nem mesmo para ler um folheto evangélico ou ir a um culto ou a um estudo bíblico evangelístico. Assim, "... vem logo Satanás e tira a palavra que foi semeada nos seus corações.” (Mc 4:15 ACF)

O segundo tipo de pecador ouve a Palavra de Deus mas cai fora quando chega o "tempo de tentação" porque a Palavra de Deus não foi recebida profundamente no coração e na vida, e, portanto, é facilmente arrancada. Muitos pecadores caem nesta categoria. Expressam interesse no evangelho, querem aprender mais. Estão excitados com as coisas de Jesus Cristo. Mas seu entendimento e "fé" são rasos. Não se esforçam para ter completo e adequado entendimento do evangelho e não estão verdadeiramente regenerados e logo caem fora por causa dos problemas que enfrentam com amigos e parentes, ou ficam ofendidos com algo com que não concordam. Novamente, não se diz que isto seja o resultado da soberana reprovação, mas é algo sob a responsabilidade do próprio pecador.

O terceiro tipo de pecador ouve a Palavra de Deus mas abarrota o coração e a vida com os "cuidados e riquezas e deleites desta vida". O evangelho de Marcos acrescenta: “... e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a palavra, e fica infrutífera.” (Mc 4:19 ACF) Isto acontece freqüentemente quando o evangelho é pregado. Muitos pecadores que mostram algum interesse no evangelho e que vão à igreja e mesmo professam a fé em Jesus Cristo, caem fora porque não são sérios o bastante com os assuntos espirituais e permitem que muitas outras coisas sufoquem a Palavra de Deus para fora de seus corações e vidas. Novamente, aqui não há nem mesmo um sinal de que tudo isto seja o produtos de uma soberana reprovação. O que [a Bíblia] diz é que isto é algo que ocorre por causa das próprias respostas do pecador e sua ações quanto ao evangelho.

O quarto tipo de pecador ouve a Palavra de Deus e acredita nela e a mantém e produz frutos com paciência. Este é o único dos quarto tipos de pecadores que realmente chega à salvação.



JESUS MARAVILHOU-SE DA FÉ DO CENTURIÃO-- "E, ouvindo isto Jesus, maravilhou-se dele, e voltando-se, disse à multidão que o seguia: Digo-vos que nem ainda em Israel tenho achado tanta fé." (Lc 7:9 ACF)

O calvinismo defende que a fé é dada soberanamente por Deus como parte do pacote de graça soberana na soberana eleição. Aparentemente o Senhor Jesus não defende esta doutrina, porque Ele se maravilhou com a fé do centurião e recomendou esta fé aos judeus. Se a fé é o dom de Deus, o que havia para se maravilhar? Por que Jesus elogiou a "grande fé" do homem se fosse algo meramente dado soberanamente por Deus?



FÉ NÃO É UMA OBRA -- "8 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. 9 Não vem das obras, para que ninguém se glorie;" (Ef 2:8-9 ACF)

Este verso ensina que, ao contrário do que o calvinismo ensina, a fé não é uma obra. A fé é o meio pelo qual o pecador recebe o dom gratuito da salvação que foi comprada para ele por Cristo. A fé é a "mão que se estende para aceitar o dom de Deus". Ao contrário do raciocínio calvinista, aceitar um dom não é uma obra e não é nada em que o crente possa se vangloriar. Um presente é 100% daquele que compra e o oferece. O recebedor nada tem a se vangloriar por recebê-lo.
[Hélio adicionou: Em grego, o pronome "isto" é singular e neutro, e a coisa mais próxima que pode concordar com ele é "misericórdia", no verso 4. "Isto" não pode se referir a "fé" (feminino). Portanto, este verso não diz que a fé é um dom de Deus.]



HOMENS PERECEM PORQUE NÃO RECEBEM O AMOR DA VERDADE -- "10 E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. 11 E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; 12 Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade." (2Ts 2:10-12 ACF)

Esses pecadores que seguem o anticristo serão condenados não porque não tenham sido soberanamente eleitos, e não por terem sido soberanamente reprovados, mas por sua decisão pessoal em relação à verdade. Eles poderiam ter recebido a verdade e serem salvos, mas a rejeitaram. As palavras não poderiam se mais claras.



O CRENTE DEVE FAZER [cada vez mais] FIRMES SEU CHAMADO E ELEIÇÃO -- "Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis." (2Pe 1:10 ACF)

Independente de este verso ser interpretado como aplicado ao salvo ou ao quase salvo, a questão para o calvinista é: "Como os soberanos chamado e eleição podem ser feitos cada vez mais firmes pelo homem?" O calvinismo ensina que a eleição para a salvação é determinada somente por Deus e que Ele a comunica irresistivelmente ao pecador através da soberana regeneração e "o dom da fé". Então, o que este verso significa?



O PREGADOR PODE GANHAR MAIS ALMAS PARA CRISTO PELO MODO COMO ELE CONDUZ SUA VIDA E MINISTÉRIO -- "Porque, sendo livre para com todos, fiz-me servo de todos para ganhar ainda mais. ... Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns." (1Co 9:19,22 ACF)

Paulo sacrificou-se e empreendeu grande esforço para que mais homens pudessem ser salvos. Se a eleição fosse pré-determinada soberanamente e irresistivelmente dada, isto não faria sentido. Como as ações de Paulo poderiam "ganhar mais"? Como suas ações poderiam "salvar alguns"?



PAULO PERSUADE OS HOMENS -- "Assim que, sabendo o temor que se deve ao Senhor, persuadimos os homens à fé, mas somos manifestos a Deus; e espero que nas vossas consciências sejamos também manifestos." (2Co 5:11 ACF)

Se Paulo fosse um calvinista ele não teria escrito isto porque saberia que os eleitos não precisam ser persuadidos e os não eleitos não podem ser persuadidos! O pecador [ensina o calvinismo] está tão morto em seus pecados que, à parte da regeneração e do "dom da fé", ele não poderia [de modo nem grau nenhum] entender e responder à persuasão humana.



A SALVAÇÃO PODE SER NEGLIGENCIADA -- "Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;" (Hb 2:3 ACF).

Esta exortação não faz sentido à luz da doutrina calvinista. Se a eleição é como o calvinista ensina e é uma questão do indivíduo ser soberanamente escolhido por Deus, como poderia o eleito negligenciar a salvação e como o não eleito poderia fazer outra coisa senão negar a salvação?



OS CRISTÃOS PROFESSOS SÃO EXORTADOS A NÃO TEREM CORAÇÃO MAU E DESCRENTE E A NÃO SE SEPARAREM DO DEUS VIVO -- "12 Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. 13 Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado; 14-Porque nos tornamos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança até ao fim." (Hb 3:12-14 ACF)

Se os eleitos são pré-determinados "soberanamente" e se a eleição não tem nada a ver com o próprio pecador aceitar ou rejeitar, crer ou descrer, e se ele é irresistivelmente atraído e soberanamente guardado de modo a certamente perseverar, o que poderia possivelmente significar essa exortação? Como poderia o soberanamente eleito, o irresistivelmente atraído eleito, se afastar de Deus? E como poderia o não eleito fazer algo que não seja se afastar de Deus?



TEMOS QUE TRABALHAR PARA ENTRAR NO REPOUSO DE DEUS -- "9-Portanto, resta ainda um repouso para o povo de Deus. 10 Porque aquele que entrou no seu repouso, ele próprio repousou de suas obras, como Deus das suas. 11- Procuremos, pois, entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência." (Hb 4:9-11 ACF)

Como essa exortação poderia possivelmente se aplicar a uma eleição tipo tulip? Esta passagem diz que o repouso da salvação é algo que cada pessoa deve procurar para nela entrar e tudo mostra urgência para se fazer isto, mas a doutrina da eleição "soberana" nos ensina que os eleitos ao descanso de Deus são pré-determinados somente por Deus e eles não têm escolha na questão e certamente entrarão no Seu repouso.



JESUS ILUMINA TODO HOMEM QUE VEM AO MUNDO -- "Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo." (Jo 1:9 ACF)

A Bíblia ensina que os homens estão nas trevas, mortos por suas transgressões e pecados, mas a Bíblia claramente ensina que Deus dá a luz a todo o indivíduo que vem ao mundo. Não há outro modo de entender o significado dessas palavras. Não há modo de aplicar isto somente aos eleitos. O fato é que Deus atrai os homens à luz e se eles respondem Ele lhes dá mais luz. É o que vemos no caso de Cornélio em At 10. A Bíblia não diz aqui que a luz que Deus dá a alguns é mais eficaz que a que Ele dá a outros. Simplesmente diz que Ele ilumina todo o indivíduo.



O SANTO ESPÍRITO CONVENCERÁ O MUNDO -- "8 E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. 9 Do pecado, porque não crêem em mim; 10 Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; 11 E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado." (Jo 16:8-11 ACF)

Os calvinistas afirmam que "não é a missão atual do Espírito Santo convencer o mundo do pecado" e que o "Espírito Santo é soberano em Suas obras e Sua missão é confinada aos eleitos de Deus" (Pink, A Soberania de Deus, pág 75, 77). [Mas,] de fato, o Senhor Jesus ensina clara e inequivocamente em Jo 16 que o Santo Espírito de fato convencerá o mundo em sua época, tanto ao descrente quanto ao crente. Não há boas razões para acreditar que "o mundo" nesta passagem significa "os eleitos". Pois assim a passagem leria: "E quando ele chegar, ele reprovará o eleito do pecado e da retidão e do julgamento. Do pecado, porque o eleito não crê em mim..." Mas, claro, o eleito crê em Jesus. Depois, os calvinistas ensinam que os eleitos são salvos mais pela regeneração que pelo convencimento. A verdade da questão é que esta importante passagem descreve como os não salvos, espiritualmente mortos e cegos, são trazidos ao arrependimento e à fé. É pelo poder de convencimento do Espírito Santo. Pois nem todos crêem, e isto não é porque só alguns são pré-eleitos para acreditar, mas porque Deus fez o homem com a habilidade para resisti-Lo e, conforme as Escrituras, ele vem exercendo essa habilidade desde o Jardim do Éden.



JESUS ATRAIRÁ TODOS OS HOMENS A ELE--"32 E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim. 33 E dizia isto, significando de que morte havia de morrer."(Jo 12:32-33 ACF)

Aqui o Senhor Jesus prometeu, através de Sua crucificação, atrair todos os homens a Si. Assim vemos que Ele morreu para tornar possível a todos os homens serem salvos e que Ele ativamente atraiu todos os homens a Si mesmo, para este fim. Que todos os homens não sejam salvos não é falha dEle nem é Sua intenção. Todos são iluminados e todos são atraídos. O que Jesus disse sobre Israel é verdadeiro a todos os homens: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! QUANTAS VEZES QUIS EU AJUNTAR ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e TU NÃO QUISESTE!” (Mt 23:37 ACF)




 

Estes [acima] são apenas alguns poucos dos camelos calvinistas

Meus amigos, não engulam [destruam] esses grandes camelos da Palavra de Deus. As Escrituras não estão aí para serem engolidas [destruídas] ou forçadas dentro de um molde teológico preconcebido, mas [as Escrituras estão aí]  para serem aceitas e cridas. O que quer que signifique a divina eleição (e  ela é certamente uma doutrina importante e freqüentemente ensinada da Palavra de Deus), ela não pode significar aquilo que o calvinismo conclui [por raciocínio humano], pois aceitar essa posição requer que se coem [adotem] as [pequenas] moscas e se engulam [destruam] os [grandes] camelos, e Jesus forçosamente condenou essa prática.

Para mais

 


AP - Para que tanta Oração se Deus já sabe de tudo?
por Pr. Jelson Becker

O que é Orar e Interceder?

 

“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens” 1 Timóteo 2:1

Durante muito tempo pensei que oração e intercessão fossem a mesma coisa. Porém na verdade não são! Na epístola a Timóteo, Paulo menciona diversas formas de oração, uma delas é a intercessão.

 

Interceder significa literalmente “interpor-se, colocar-se entre”.

O intercessor é aquele que se coloca entre Deus e os que merecem sua justa ira e castigo. O intercessor levanta suas mãos a Deus e diz: “Deus, estas pessoas merecem seu juízo; tu tens todos direito de feri-las; mas se a ferires, terás de ferir a mim primeiro, pois me coloquei entre Ti e eles”.

Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa, como se fosse a sua. É estar entre Deus e as pessoas, a favor delas, tomando seu lugar e sentindo suas dores e necessidade de tal maneira que luta em oração até ver a vitória na vida daquele por quem intercede. A mais simples definição é: "Orai uns pelos outros" Tiago 5:16.

A Bíblia ela está cheia de exemplos:

 

-          Abraão suplicou por Ló e este foi livrado da destruição de Sodoma e Gomorra ;

-          Moisés intercedeu por Israel apóstata e foi ouvido (Nm 14:13-20; Ex 32:11-14; Nm 11:2; 12:13; 21:7; 27:5);

-          Sansão, arrependido pediu uma última oportunidade... (Jz 16:21-30);

-          Samuel orou constantemente pela nação (1 Sm 12:23);

-          Elias orou por seca e chuva (1 Rs 18:21-26; Tg 5:16-18);

-          Daniel orou pela libertação do seu povo do cativeiro na Babilônia (Dn 9:2-23);

-          Jesus intercedeu por Seus discípulos e fez especial  por Pedro (Lc 22:31-32);

-          Paulo é exemplo de constante intercessão. Toda a Igreja é chamada ao fascinante ministério da intercessão.

 

O intercessor é o que vai a Deus não por causa de si mesmo, mas por causa dos outros. Ele se coloca numa posição de sacerdote, entre Deus e o homem, para pleitear a sua causa.

Intercessão é dar à luz no reino do espírito às promessas e propósitos de Deus. É uma oração para que à vontade de Deus seja feita na vida de outros; é descobrir o que está no coração de Deus e orar para que isso se manifeste.

Deus tem levantado em nossos dias um verdadeiro exército de intercessores. Ele está para trazer a Terra o maior derramamento do Espírito já testemunhado. Para tanto, Seu Espírito traz ao Corpo de Cristo um peso de intercessão, pois a oração intercessória é a ferramenta usada por Ele para manifestar na vida dos homens Seus poderosos feitos.

Interceder é ver a necessidade da intervenção de Deus nas mais diversas situações. É captar a mente de Cristo, de modo a ver as circunstâncias como Cristo às vê, e unir-se a Ele em súplica para que Deus se mova de tal maneira que Sua vontade e propósito Divinos sejam cumpridos nas vidas dos homens e das nações.

 

“Jesus não esta orando por nós; Ele está intercedendo por nós para que nós possamos orar. Nossas orações em Nome de Jesus, são apenas a extensão da obra intercessora de Cristo. Jesus mediou o Homem e Deus e também mediou o Homem e o diabo.” Dutch Sheets (Veja I Timóteo 2:5).

 
Orar significa literalmente: “comunicar”, da mesma raiz que  “oratória”.

A definição mais simples que tenho para oração é conversar com Deus, falar com Ele semelhante à forma como podemos conversar com qualquer outra pessoa. Porém essa definição é um tanto limitada, orar é muito mais do que isso. Orar é rasgar o coração na presença de Deus, orar é um exercício de fé, orar é tocar o coração de Deus com palavras, pensamentos e sentimentos. Orar é beijar a face de Deus!

Orar é unir o pensamento do homem na terra com a vontade de Deus no céu e expressa-la através de palavras ou gemidos inexprimíveis.

Existem princípios que regem a oração, descobrir esses princípios e aplica-los em nossa vida diária determinará nossa maior eficiência no ministério da oração. “O poder da oração não reside no quanto oramos, mas no quanto nossas orações estão alinhadas com os princípios da oração.” Watchman Nee.

Existe uma relação entre oração e justiça, sabemos que Deus jamais faz algo contrário a sua vontade. Porém muitas vezes à vontade de Deus é abrir-nos portas, mas Ele insiste em esperar que oremos para só depois agir. É como se Ele esperasse por nós reconhecermos que precisamos Dele, que não somos capasses sozinhos e só depois de nos humilharmos em oração, Ele estende a sua mão e abre-nos as portas que tanto precisamos.

 

Qual a Necessidade da Oração e da Intercessão?

 

Quando cheguei ao seminário, no ministério Vale da Bênção, uma das primeiras tarefas que os alunos tinham que desempenhar era a de interceder no Centro de Oração, onde 24 horas por dia e sete dias por semana a mais de vinte anos vem sendo mantida uma vigília de oração ininterrupta por missões mundiais.

Apesar de tanta ênfase em oração, muito pouco era ensinado em sala de aula. Nunca recebi um seminário sobre intercessão semelhante a este, porém foram dezenas de ocasiões em que fui convocado para um período de jejum e oração.  Certa vez meu companheiro de quarto, perguntou para uma das coordenadoras: - Mas por quê todas essas escalas e horários de oração? E a resposta não foi muito inteligente... – Porque sim, porque eu mandei!

Ninguém deseja fazer alguma coisa só porque outro mandou. Ainda que obedecer a essa ordem possa trazer crescimento espiritual, muitos alunos ficavam indignados em serem obrigados a interceder sem saberem ao certo como funciona esse ministério.

Sabe, sou uma dessas pessoas que também gosto de perguntar: - mas por quê?!? Talvez você também seja assim questionador, e para interceder, jejuar e orar precise saber ao certo como funciona esse ministério. Existem perguntas dentro de todas as pessoas que precisam de respostas.

Perguntas como: - Minhas orações podem realmente mudar as circunstâncias negativas ao meu redor? Deus precisa que eu ore ou simplesmente deseja que eu ore? O que acontecerá se eu continuar orando? A final, Deus não é soberano? Ele não vai fazer o que Ele deseja de qualquer maneira?  Ou à vontade de Deus para minha vida pode ser frustrada por algum motivo, ato ou escolha que fizer?

Precisamos saber se aquele enfermo pelo qual oramos foi curado porque oramos, ou Deus iria cura-lo de qualquer maneira independente de nossas orações? Nesse caso, oramos apenas por um simbolismo bonito, mas de qualquer modo nossas orações não fazem diferença.

Alguns gostam de argumentar dizendo que Deus é onipotente, soberano e que a Bíblia mesmo afirma que “antes da palavra nos chegar à boca Ele já conhece as nossas necessidades”, e por tanto Deus não precisa de nossas orações na terra!

Ainda existem aqueles deterministas, que gostam de acreditar que tudo é obra do destino e que os acontecimentos já estavam escritos em algum lugar...  talvez no horóscopo, nas estrelas ou quem sabe nas cartas do tarô.

O fato é que a maioria dos cristãos de nossos dias não possuem respostas para essas perguntas. Pensam e agem, ainda que de forma subliminar e inconsciente como se Deus fosse o responsável por tudo de errado que acontece  com eles!

Saber os “por quês” pode ser uma grande energia motivadora para continuar a interceder, jejuar e orar!

Quando comecei a andar de bicicleta, minha mãe gritou: - Pedala mais devagar! Porém eu insisti em perguntar: - Por quê? Então descobri, quando cai no chão!

Na medida em que vamos crescendo espiritualmente e amadurecendo na fé, passamos a administrar ordens com maior facilidade. Aprendemos a obedecer sem perguntar os por quês.

Porém a dúvida permanece. Deus vai operar algo independente de minhas orações ou não? Caso Deus interfira na história da humanidade arbitrariamente sem estabelecer parceria com o homem, não há necessidade de desperdiçarmos nosso tempo. Caso seja verdade o pensamento de que “tudo o que é, é e será o que será”, então vamos deitar, cruzar nossos braços, reclamar mais um pouquinho pela demora de Deus e simplesmente deixar acontecer.

Por outro lado, será que John Wesley estava correto ao afirmar: “- Deus nada realiza na terra a não ser em resposta à oração”, nesse caso, acho saudável perder um pouco de sono para orar e interceder pela minha vida financeira, emocional, saúde física ou espiritual.

Nesse caso, devo continuar orando pelos meus familiares que ainda não são cristãos, a fim de que a Graça de Deus o alcance e cheguem ao conhecimento da plena verdade. Pois a salvação é uma obra que começa em Deus e Ele a revela aos seus, mas a oração é o poder que assegura  essa ação divina na terra!

Respostas como essas são fundamentais  para desligarmos a televisão e no horário das novelas gastarmos um tempo a mais orando ao Senhor ou até mesmo dispensar algumas refeições ao longo da semana.

Eu preciso saber se aquele índio no Pantanal voltou a ouvir porque orei, ou se Deus iria fazer isso de qualquer maneira, e naquele instante fiz apenas um papel imbecil orando por algo que já estava determinado em algum lugar acontecer!

Eu preciso saber se meu pai não morreu naquele aneurisma cerebral tipo 5 porque dezenas de pessoas jejuaram e oraram pela vida dele, ou não.

Eu preciso saber se fui livrado com minha esposa de inúmeros acidentes nas estradas porque o Espírito Santo acordou algumas pessoas para gemer em espírito por nós e intercederem sem entenderem ao certo por que estavam orando ou se tudo isso foi apenas uma coincidência!

Eu preciso saber se quando jejuo e oro antes de uma grande cruzada de evangelismo na praça, isso gera maior número de conversões, milagres e sinais do reino de Deus ou se Paulo quando fala que novamente “sentiu dores de parto” pelos gálatas (Gl 4:19, Rm 8) estava apenas ficando caduco e filosofando alegorias.

 

Chega de Perguntas, Vamos as Respostas.

 

Concordo plenamente com a declaração de Jonh Wesley! Deus nada realiza na terra a não ser em resposta a oração. Nossas oraçãos não são úteis, nem ajudam a Deus a operar sua vontade na terra, elas são fundamentais para que o poder de Deus seja manifestado sobre pessoas, circunstâncias, lugares e épocas. (Jo 9:2-3)

Concordo com E.M. Bounds: “Deus se relaciona com o mundo através da oração. Quanto mais oração houver no mundo, melhor o mundo será, mais poderosas serão as forças contra o mal. A oração dos santos de Deus são o estoque de capital no céu através do qual Deus executa sua grande obra sobre a terra”. (veja Ap 5:6-9).

“E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus.” João 9:2-3.

Quero aproveitar para dizer, que continuo a amar você meu amigo leitor, ainda que você já tenha me chamado de doido umas setecentas vezes até agora! A grande maioria dos teólogos reformados incendiariam-me na fogueira da sagrada inquisição só por levantar tais perguntas!

 

O Plano de Deus “para a” e “através da” Humanidade.

 

Adão sempre inspirou-nos a idéia de um homem, bonito, alto e forte... embora o livro de gênesis não nos descreva precisamente como ele era, creio que realmente ele era um homem muito bonito.

Adão representava no Jardim do Éden toda a humanidade, inclusive eu e você! Ainda que nós não estivéssemos ali, presentes com Adão e Eva no ato do pecado original, herdamos a natureza pecaminosa introduzida no mundo por meio dessa desobediência. Logo estávamos sendo representados no éden, pela pessoa de Adão.

Alguns dicionários teológicos apontam para a palavra Adão o significado Vermelho, pois foi feito do pó da terra (Buckland) outros dizem que a expressão Adão é equivalente a “homem, ser humano” (James Strong). Porém o que todos são unânimes é em reconhecer que a pessoa de Adão no éden representava a presença de toda a humanidade, e que seu relacionamento com Deus é equivalente ao desejo divino de se relacionar com todos nós. A vontade de Deus para Adão é a vontade de Deus para toda raça humana.

Num primeiro momento, Deus deu a Adão uma esposa chamada Eva e diversos filhos. A estes Deus deu uma ordem: O Domínio sobre toda a terra e sobre os demais elementos da criação.

Veja o que diz Gênesis 1:26-28: “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio[mashal] sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 28  E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai[mashal] sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.”

 

Vejamos também o Salmo 8:3-8: “Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste, que é o homem, que dele te lembres E o filho do homem, que o visites?  Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que Deus e de glória e de honra o coroaste.  Deste-lhe domínio[mashal]  sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste:  ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; 8  as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre as sendas dos mares.”

 

E o Salmo 115:16: “Os céus pertencem somente ao Eterno, mas a terra ele deu[nathan] aos seres humanos.”

 

A palavra hebraica [mashal] traduzida como domínio nessas passagens tem um significado muito profundo, e merece atenção especial. Esse termo indica que Adão e todos os seus descendentes haviam sido colocados por Deus para gerenciar, administrar toda a criação. Um super mordomo ou governador do Criador sobre a criação. A presença de Adão no jardim representava a presença do próprio Deus, logo na viração do dia eles tinham um encontro, onde conversavam, batiam papo e quem sabe talvez Adão até prestasse contas para Deus!?

Em momento algum Deus abriu mão de seu título de propriedade sobre a sua criação. Ele simplesmente transferiu autoridade e poder para Adão administrar[mashal]. Algo semelhante ao que Jesus posteriormente irá mencionar em algumas de suas parábolas que ilustram o Reino de Deus e ao que Ele fez ao transferir aos seus discípulos autoridade para saírem de dois em dois (Mt 10:1).

Dutch Sheets diz: “Deus não abandonou seu direito de propriedade sobre a terra, mas Ele atribuiu à humanidade a responsabilidade de governa-la.” Em seu livro Oração Intercessória. Aproveito para afirmar que boa parte desse tópico foi baseada em sua obra.

No Salmo 115:16, a expressão [nathan] em algumas versões é traduzida pela palavra atribuiu, mas freqüentemente traduzida por dar “...mas a terra Ele deu[nathan] aos seres humanos”.  Logo é correto afirmar que Deus não deixou de ter todas as circunstâncias sob seu total e soberano controle, porém decidiu, desejou, achou bom, teve vontade, fez a escolha de dar ao homem a responsabilidade de governar toda criação.

Infelizmente o primeiro homem, pecou e nesse ato transferiu inconscientemente autoridade para a serpente ou satanás. É isso mesmo o que aconteceu no Éden quando Adão e Eva cederam ao desejo de serem maiores que Deus.

“Portanto, assim como por um só homem[Adão] entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.” Romano 5:12.

Quando Deus estabelece um princípio eterno através de sua palavra, Ele sabe que não poderá voltar a trás e cancelar aquilo que outrora disse. Deus transferiu ao homem autoridade, domínio sobre toda a criação, e mesmo depois do pecado esse princípio continua valendo. O fato é que o homem perdeu a autoridade, domínio que recebera de Deus para satanás, então o caos foi estabelecido na criação.

O próprio Senhor Jesus confirma isso em João 12:31; 14:30 e 16:11 quando chama satanás de “príncipe deste mundo”.  Preste atenção ao que satanás diz para Jesus: “Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.” Mateus 4:8-9.

“Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser. Portanto, se prostrado me adorares, toda será tua.” Lucas 4:6-7

 

Em momento algum Jesus questiona a veracidade dessa afirmação feita por satanás, pois Jesus sabia que no Éden Adão e Eva perderam o domínio sobre a criação. O cosmos havia sido abalado, a morte havia entrado na história, e o homem havia perdido seu estado original de “imagem e semelhança de Deus”.

Quando Deus transferiu autoridade para Adão, Ele estava falando tão sério que mesmo depois da queda Deus permanece imutável a sua palavra e promete uma “semente” que viria a terra para “pisar na cabeça da serpente” Gêneses 3:15. Essa semente é Jesus, que precisou ser encarnado na forma humana para desligar no Calvário aquilo que Adão ligou no éden (veja Mt 18:18-20).

“Então, o SENHOR Deus disse à serpente: Visto que isso fizeste, maldita és entre todos os animais domésticos e o és entre todos os animais selváticos; rastejarás sobre o teu ventre e comerás pó todos os dias da tua vida.

Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua semente/descendência e a sua semente/descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará”. Gênesis 3:14-16. Em virtude do ato pecaminoso de Adão e Eva, a “imagem e semelhança” [imago dei]  de Deus ficou distorcida.

Antes da queda, em seu estado original, Adão era muito parecido com Deus, “um pouco menor” diz o Salmo 8:5. Imagine a seguinte cena: Adão estava caminhando pelo Éden e um dos animais que o viu a distância comentou com o outro: - Olha, acho que é Deus quem esta se aproximando ali. Então quando Adão esta bem próximo, o outro animal responde: - Dessa vez você errou, não é Deus, é apenas Adão quem esta caminhando ali. Adão era realmente muito parecido com Deus, era a sua imagem e semelhança. “Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem  de Deus o criou; homem e mulher os criaram.” Gênesis 1:27.

Em II Coríntios 3:18 diz: “E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito”. Essa é a chave para nosso crescimento espiritual e transformação de vida, experimentarmos a glória do Senhor em nossas vidas, todos os dias, a fim de sermos restaurados pelo Espírito Santo.  O homem não deixou de ser imagem e semelhança de Deus, o problema é que o pecado em nossas vidas distorce essa [Imago Dei].

Não somos transformados de culto em culto, nem de seminário em seminário, mas sim de glória em glória!

 

Pense comigo:

Quem Criou o universo, a terra e o homem? Deus.

A quem Deus entregou o domínio sobre a terra? Ao Homem!

Quem desobedeceu a Deus e transferiu esse domínio a satanás? O Homem!

Quem teve a imagem de Deus destorcida em si próprio? O Homem!

Quem foi responsável pelo caos, pela morte, pelas “dores de parto” e pelo “suor do seu rosto comerás o teu pão” terem sido introduzidos na criação? O Homem.

A quem foi mesmo que Deus entregou o domínio sobre a terra? Haaa... ao Homem!

A que forma o Filho Primogênito de Deus precisou assumir? A forma Humana!

Uma vez encarnado sob a forma humana e esvaziado de toda sua glória, Jesus precisou cumprir o plano de redenção para toda a humanidade, assumindo na cruz todos os nossos pecados e concertando aquilo que o primeiro Adão havia falhado.

A maldição do pecado entra na história por um homem, Adão e é por outro homem, Jesus que Deus providencia o único meio para a salvação.

 

Filipenses 2:5-11 “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.”

Romanos 5:14 “Entretanto, reinou a morte desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão , o qual prefigurava aquele que havia de vir.”

1 Coríntios 15:45 “Pois assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente. O último Adão [Jesus}, porém, é espírito vivificante.”

 

Onde foi que satanás conseguiu entrar e receber do homem domínio? Na Terra!

Onde foi que o homem foi caiu em tentação? Na terra, especificamente Éden!

Onde foi que Jesus precisou nascer em forma humana? Na Terra!

Onde foi que Jesus cresceu em conhecimento e estatura? Na Terra!

Onde foi que Jesus morreu crucificado? Na Terra!

A partir de onde que Jesus ressuscitou? De Baixo da Terra!

Para onde Jesus voltará? Para a Terra!

Onde é que nós nascemos, crescemos, vivemos, lutamos e vencemos? Na Terra!

Onde é que devemos orar dizendo: - “Venha o Teu Reino”? Na Terra!

 

Mateus 11:12 “Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele.”

Mateus 6:10 “venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu”.

 

A quem a Bíblia chama de “deus desse século” em II Co 4:4? Satanás!

A quem Jesus se refere em Jo 12:31; 14:30; 16:11? Satanás!

A quem pertence o reino descrito em Mt 12:26; Mc 3:26; Lc 11:18 e At 26:18

 


 



por Recebido por E-mail

Passos para a Paz com Deus

---------------------------------------------------

Passo 1

Deus o ama e quer que você experimente paz e vida - abundante e eterna.

Veja o que a Bíblia diz:

"... temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo;" Romanos 5:1

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3:16

"... Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância." João 10:10

Já que Deus planejou para nós paz e vida abundantes por que muitos não as estão experimentando?

Passo 2

Nosso problema: Separação

Deus nos criou a sua própria imagem para ter uma vida abundante. Ele não nos fez robôs para amar automaticamente e o obedecer, mas nos deu um testamento e liberdade de escolha.

Nós escolhemos desobedecer a Deus e seguir nosso próprio caminho voluntariamente. Nós ainda fazemos essa escolha hoje. Isso resulta em separação de Deus.

Veja o que a Bíblia diz:

"Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus." Romanos 3:23

"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor." Romanos 6:23

Nossas escolhas resultam em separação de Deus.

Nossos intentos...

Através dos anos temos tentado preencher essa lacuna... sem sucesso...

(Bons empregos, Religião, Filosofia, Moralidade)

Veja o que a Bíblia diz:

"Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte." Provérbios 14:12

"mas as vossas iniquidades fazem separação em vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça." Isaías 59:2

Há uma só cura para este problema de separação.

 

Passo 3

O Remédio de Deus: A Cruz

Jesus Cristo é a única resposta a este problema. Ele morreu numa cruz e ressucitou pagando os nossos pecados e atravessando o abismo entre Deus e o homem.

Veja o que a Bíblia diz:

"Porquanto há um só Deus e só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem." I Timóteo 2:5

"Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, os justos pelos injustos para conduzir-vos a Deus... " I Pedro 3:18

"Mas Deus prova o seu próprio amor parra conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores." Romanos 5:8

Deus proveu o ÚNICO meio... nós temos que fazer a escolha...

 

Passo 4

Nossa Resposta: Receber a Cristo

Nós temos que confiar em Jesus Cristo e O receber através de um convite especial.

Veja o que a Bíblia diz:

"Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha vós, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e cearei com ele e ele comigo." Apocalipse 3:20

"Mas, a todos quanto O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome." João 1:12

"Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressucitou dentre os mortos, serás salvo." Romanos 10:9

Existe uma razão pela qual você não possa aceitar a Jesus Cristo agora mesmo?

Como receber a Cristo:

1 - Admita sua necessidade (Eu sou um pecador).

2 - Esteja disposto a abandonar os seus pecados (Se arrependa).

3 - Acredite que Jesus Cristo morreu por você na cruz e ressucitou dos mortos.

4 - Por meio de uma oração convide Jesus Cristo a entrar e controlar a sua vida através do Espírito Santo (O receba como Senhor e Salvador da sua vida).

Como orar:

Querido Senhor Jesus,

Eu sou um pecador e preciso de seu perdão. Eu acredito que o Senhor morreu pelos meus pecados. Eu quero abandonar os meus pecados. Eu o convido para entrar em minha vida agora. Eu quero confiar no Senhor como meu salvador e o seguir como Senhor na comunhão de sua igreja.

A Garantia de Deus: A Palavra Dele

Se você fez essa oração...

Veja o que a Bíblia diz:

"Porque: todo aquele que invocar o nome do senhor será salvo." Romanos 10:13

Você pediu a Cristo sinceramente para entrar em sua vida? Onde está Ele agora? O que Ele deu a você?

"Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isso não vem de vós, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie." Efésios 2:8-9

"E o testemunho é esse: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida." I João 5:12-13

Recebendo a Cristo, nós nascemos na família de Deus através do trabalho sobrenatural do Espírito Santo que habita em todo crente fortalecendo-o espiritualmente... isso é chamado regeneração ou "novo nascimento".

Isso é simplesmente o começo de uma nova vida maravilhosa em cristo. Para aprofundar essa relação você deve:

1 - Leia a sua Bíblia todos os dias para conhecer melhor a Cristo.

2 - Converse com Deus todos os dias em oração.

3 - Fale a outros sobre Cristo.

4 - Adorar, ser companheiro e servir junto com outros cristãos numa igreja onde Cristo é pregado.

5 - Como representante de Cristo em um mundo necessitado, demonstre sua nova vida por seu amor e interesse pelos outros.

Deus o abençoe naquilo que você fizer.

Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; Mateus 7:24

________

Extraído de "Steps to peace with God" - Billy Graham Association

 

AP - Pessoas que experimentaram os "Poderes da Era Vindoura"
por Pr. Jelson Becker

Pessoas que Experimentaram esses “poderes da era vindoura”:

 

Vejamos alguns personagens bíblicos que estiveram na presença do Senhor ou a viram, e como podemos entrar na Sala do Trono, no Santos dos Santos e ali apresentarmos nossas petições como intercessores:

 

Jacó - Gênesis 28:11-22 – Enquanto fugia de seu irmão Esaú, Deus veio ao encontro de Jacó e falou com ele em sonho. Viu uma escada ligando céus e terra, e milhares de anjos subindo e descendo do céu e estabeleceu com Deus uma aliança. Essa escada que Jacó viu em sonho, simboliza o sacrifício de Jesus Cristo, pois apenas por intermédio dele temos acesso ao Pai.

 

Moisés - Êxodo 3:2 - Em seu encontro com Deus na sarça ardente. Nesse episódio creio que Deus abriu uma janela, na atual dispensação de tempo e decidiu manifestar um pouquinho dos poderes da era vindoura a fim de convencer Moisés de seu chamado. O ministério de Moisés foi marcado por diversos episódios desse tipo, diversos sinais na presença de Faraó. Algo mais intenso acontece em Êxodo 24, quando Moisés sobe ao monte para receber as tábuas de pedra, todo o monte fumega e ainda quando ele se esconde na fenda da rocha e Deus passa com sua glória.

 

Davi – Salmo 100:4 - Não é por qualquer razão que as escrituras nos dizem que “Davi era um homem segundo o coração de Deus”, mesmo na Antiga Aliança, onde nenhum sacerdote jamais poderia entrar no Santo dos Santos sem ofertas e sacrifícios de sangue (Hebreus 9:7) esse rei-poeta já havia compreendido o desejo do coração do Pai. Davi compôs diversos salmos dizendo: “Porque não te comprazes em sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos. Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.” Salmo 51:16-17.

Davi nos dá uma dica de como podemos entrar na Sala do Trono, no Salmo 100:4 esta escrito: “Entrarei em tua presença, pelas portas do louvor, com hinos e bendirei o seu nome...”. Através da adoração e ações de graças nós podemos entrar na presença de Deus.

Salmos 24:7  ”Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória.”

Salmos 5:7 “Mas eu entrarei em tua casa pela grandeza da tua benignidade; e em teu temor me inclinarei para o teu santo templo.”

Salmos 42:2 “A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?”

Salmos 66:13 “Entrarei em tua casa com holocaustos; pagar-te-ei os meus votos,”

Salmos 118:19 “Abri-me as portas da justiça; entrarei por elas e louvarei ao SENHOR.”

 

Éster – Éster 4:11–17 e 5:1-3 – A história dessa mulher simboliza muito bem aquilo que todo intercessor eficiente precisa fazer. Ele jejua, ora e corre riscos  por amor a causa que ele intercede. Muitos querem ver o Rei Celestial inclinando seu cetro ao seu favor, mas não estão dispostos a correr riscos, a saírem de sua zona de conforto.

“11 Todos os servos do rei e o povo das províncias do rei sabem que, para qualquer homem ou mulher que, sem ser chamado, entrar no pátio interior para avistar-se com o rei, não há senão uma sentença, a de morte, salvo se o rei estender para ele o cetro de ouro, para que viva; e eu, nestes trinta dias, não fui chamada para entrar ao rei.

Fizeram saber a Mordecai as palavras de Ester.

Então, lhes disse Mordecai que respondessem a Ester: Não imagines que, por estares na casa do rei, só tu escaparás entre todos os judeus. Porque, se de todo te calares agora, de outra parte se levantará para os judeus socorro e livramento, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para conjuntura como esta é que foste elevada a rainha? Então, disse Ester que respondessem a Mordecai:

Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais, nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois, irei ter com o rei, ainda que é contra a lei; se perecer, pereci. Então, se foi Mordecai e tudo fez segundo Ester lhe havia ordenado.

5:1 Ao terceiro dia, Ester se aprontou com seus trajes reais e se pôs no pátio interior da casa do rei, defronte da residência do rei; o rei estava assentado no seu trono real fronteiro à porta da residência.

Quando o rei viu a rainha Ester parada no pátio, alcançou ela favor perante ele; estendeu o rei para Ester o cetro de ouro que tinha na mão; Ester se chegou e tocou a ponta do cetro. Então, lhe disse o rei: Que é o que tens, rainha Ester, ou qual é a tua petição? Até metade do reino se te dará.”

 

Isaías – Isaías 6:2-8 – Por ocasião do chamado desse profeta, Deus enviou um Serafim para tocar em seus lábios com brasas vivas retiradas do altar e assim purifica-lo. Depois disso ele apenas ouviu a voz do Senhor e respondeu positivamente ao seu chamado. “5 Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos! Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado. Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim”. 

Observe que antes de Isaías falar com Deus, foi preciso que seus lábios fossem purificados pelo toque da brasa viva trazida pelo Serafim. Semelhante modo, somos hoje purificados e perdoados de todos os nossos pecados pelo poder do sangue de Jesus.

Todo intercessor precisa ter uma experiência semelhante a essa com Deus, se você deseja ser eficiente em suas orações, peça para o Senhor tocar nos seus lábios com fogo do altar, tocar em seu coração para remover as cinzas e ascender o primeiro amor. Enquanto você não for impactado pelo poder do toque de Jesus, seu ministério será uma piada!

 

Jeremias – Jeremias 1:4-10 – Esse profeta é carinhosamente chamado de profeta chorão, pois constantemente Deus mandava ele entregar mensagens proféticas duras e ele ficava com medo, Deus precisava vir e confortar o seu coração. Jeremias também teve visões e experiências muito fortes com Deus ao longo de seu ministério. Em Jeremias 29:11-14 encontramos um principio muito importante para as nossas vidas: “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais. Então, me invocareis, passareis a orar a mim, e eu vos ouvirei. Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração. Serei achado de vós, diz o SENHOR, e farei mudar a vossa sorte; congregar-vos-ei de todas as nações e de todos os lugares para onde vos lancei, diz o SENHOR, e tornarei a trazer-vos ao lugar donde vos mandei para o exílio.” Observe que o próprio Deus esta falando para o povo INVOCÁ-LO, ORAR a Ele, que serão ouvidos...

 

Ezequiel – Ezequiel 1 – O chamado profético desse profeta foi marcado por muita manifestação sobrenatural do poder de Deus. O vento impetuoso que veio do norte, as rodas de fogo, os seres viventes... porém no versículo 1 do primeiro capítulo encontramos uma chave preciosa: “E aconteceu, no trigésimo ano, no quarto mês, no dia quinto do mês, que, estando eu no meio dos cativos, junto ao rio Quebar, SE ABRIRAM OS CÉUS, e eu vi visões de Deus. No quinto dia do mês (no quinto ano do cativeiro do rei Joaquim),veio expressamente a palavra do SENHOR a Ezequiel, filho de Buzi, o sacerdote, na terra dos caldeus, junto ao rio Quebar, e ali esteve sobre ele a mão do SENHOR. Olhei, e eis que um vento tempestuoso vinha do Norte, e uma grande nuvem, com um fogo a; revolver-se, e um resplendor ao redor dela, e no meio uma coisa como de cor de âmbar, que saía dentre o fogo. E, do meio dela, saía a semelhança de quatro animais;...”

Essa expressão “se abriram os céus, e eu vi visões de Deus”, revela o modo como o Senhor decidiu se revelar a Ezequiel. Precisamos clamar e interceder pedindo que o Senhor rasgue os céus sobre nossas reuniões, famílias, igrejas e cidades.

 

João – Apocalipse 4:1-11 – Sem dúvida nenhuma João esteve literalmente na Sala do Trono, “em espírito” diz o texto bíblico e ali pode receber revelações muito profundas.

Não podemos nos esquecer que João era homem, semelhante a nós. Pecador, que teve seus pecados lavados no sangue de Jesus. Deus simplesmente o escolheu para ser mensageiro de um revelação. Quando entramos na Sala do Trono, pelas portas do louvor, encontramo-nos com o Criador, nos prostramos em sua presença e simplesmente vivenciamos aquele instante eterno. As palavras perdem o sentido, mas de coração para coração temos comunhão com Deus.

Nosso espírito pode em alguns casos, gemer, sentir dores de parto ou simplesmente ser inundado de tremenda paz... não importa muito as manifestações, o importante é que estamos na presença do Pai e ali há gozo, alegria, cura, libertação. Ali nos conhecemos como realmente somos, diante do Pai nossos pecados e segredos mais profundos são revelados.

“2 Imediatamente, eu me achei em espírito, e eis armado no céu um trono, e, no trono, alguém sentado; e esse que se acha assentado é semelhante, no aspecto, a pedra de jaspe e de sardônio, e, ao redor do trono, há um arco-íris semelhante, no aspecto, a esmeralda.”

 

Paulo em sua carta ao coríntios afirma conhecer um Homem, que foi arrebatado ao terceiro céu, e assim este foi levado a presença de Deus. 2 Coríntios 12:2  “Conheço um homem em Cristo que, há catorze anos (se no corpo, não sei; se fora do corpo, não sei; Deus o sabe), foi arrebatado até ao terceiro céu.”. Também devemos lembrar de Enoque e Elias, ambos foram profetas cheias do Espírito Santo que foram levadas vivas para o céu.

Hebreus 11:5 “Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte e não foi achado, porque Deus o trasladara, visto como, antes da sua trasladação, alcançou testemunho de que agradara a Deus.”. Judas 1:14 “E destes profetizou também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos”.

2 Reis 2:11 “E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.”

 

Muitas pessoas tiveram experiências extraordinárias com Deus ao entrarem em sua presença, seja pelo louvor, adoração ou simplesmente por suas orações, ações de graça, espera confiante no Senhor...

Fica difícil discernir se “entramos na presença do Senhor” ou se os “céus foram abertos e a sua glória desceu onde estávamos”. Na verdade não importa muito, o que importa é sabermos que Deus esta interessado em resplandecer sobre as nossas vidas um pouco de sua glória, a fim de que sejamos transformados de fé em fé.

 

Hebreus 4:16  “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.”

 

Entrar na Sala do Trono é uma atitude de fé, individual de cada cristão, não apenas dos pastores ou intercessores, mas de todos aqueles que crêem em Jesus Cristo. Entrar na sala do trono é muito mais que permanecer passivo diante das adversidades que a vida nos trás, é assumir a posição de guerreiro, intercessor e entrar na presença do Deus todo poderoso, o qual é o único que pode julgar a sua petição e transformar qualquer circunstância.

 

Pratique esse exercício de fé em sua vida devocional com Deus.

 


Primeiros Cristao e a Reencarnacao
por Alderi Souza

Os Primeiros Cristãos E A Reencarnação-Alderi Souza De Matos

Uma característica marcante do espiritismo brasileiro ou kardecismo é o seu desejo insistente de ser reconhecido como um movimento “cristão”.

Mais ainda, essa religião pretende ter a verdadeira interpretação dos ensinamentos de Jesus Cristo. Tanto é que o chamado “codificador” da doutrina espírita, o francês Léon Hippolyte Dénizart Rivail (1804-1869), mais conhecido como Allan Kardec, escreveu, entre outras, uma obra intitulada O Evangelho segundo o Espiritismo.

No intento de defender o alegado caráter cristão dos seus postulados, os autores espíritas costumam afirmar que as suas convicções mais básicas foram ensinadas por Cristo e amplamente aceitas pelos primeiros cristãos, apesar das flagrantes incompatibilidades que existem entre os dois sistemas religiosos.



Recentemente, causaram alguma sensação as declarações do excêntrico reverendo Nehemias Marien em defesa do espiritismo, declarações essas feitas em entrevista a uma revista espírita. Entre outras coisas, o pastor filokardecista afirmou que a reencarnação “fazia parte dos cânones da igreja” até que foi condenada pelo II Concílio de Constantinopla no ano 553 (Revista Visão Espírita, janeiro de 2001). Anteriormente, o mesmo líder religioso havia declarado ao jornal Diário Popular (26-02-1999) que “a ciência espírita sempre integrou os cânones da igreja” até ser indexada pelo referido concílio. Todavia, uma coisa é fazer afirmações ousadas como essas; outra coisa é substanciá-las por meio de evidências.

Mas, afinal, o que é a reencarnação? Trata-se da crença de que a alma, ou o elemento psíquico do ser humano, passa para um outro corpo depois da morte, fato esse que pode repetir-se muitas vezes com o mesmo indivíduo. Outros termos aplicados a esse fenômeno são metensomatose, transmigração, metempsicose, regeneração etc. Apesar de elementos comuns, existem também algumas distinções entre esses conceitos. Por exemplo, a reencarnação indica o renascimento em outro corpo da mesma espécie, especialmente humano, ao passo que a metempsicose aponta para a travessia de fronteiras mais diversificadas: plantas, animais e seres humanos, demoníacos e divinos.

O cristianismo majoritário nunca professou a tese da reencarnação, pois ela não somente está ausente das Escrituras, como também é contraditada por textos bíblicos como Hebreus 9.27 e Lucas 23.43. (É somente por uma interpretação altamente figurada e tendenciosa de certas passagens que os espíritas podem encontrar a reencarnação nas páginas da Bíblia.) Nos primeiros séculos, foram apenas alguns grupos cristãos periféricos, minoritários, que defenderam essa crença, como foi o caso dos gnósticos, com sua visão profundamente negativa do corpo e da matéria em geral.

O grande pensador cristão Orígenes (†254), de Alexandria, defendeu a pré-existência da alma, mas não a transmigração. A partir dele, surgiu uma corrente de monges que passaram a professar também a reencarnação e a salvação universal. Como o chamado “origenismo” se tornava fanático e tumultuava a Palestina, o patriarca de Jerusalém, no século 6, pediu ao imperador Justiniano (483-565) que interviesse. Justiniano, o maior dos imperadores bizantinos, escreveu um tratado contra Orígenes e levou o patriarca de Constantinopla a reunir um sínodo local em 543, que condenou teses relativas à pré-existência da alma e outras posições origenistas. Dez anos depois, em 553, o II Concílio de Constantinopla encerrou definitivamente a chamada “controvérsia origenista”.

Alguns dos mais destacados dentre os “pais da igreja” condenaram explicitamente a idéia da reencarnação. O apologista Justino Mártir (†165) opinou: “As almas não vêem a Deus nem transmigram para outros corpos”. Em sua famosa obra Contra as Heresias, Irineu de Lião (†c.200) declara: “Portanto, [os gnósticos] consideram necessário que, por meio da transmigração de corpo para corpo, as almas experimentem todo tipo de vida... Podemos subverter a doutrina [gnóstica] da transmigração de corpo para corpo por este fato: as almas nada lembram de eventos ocorridos em seus [supostos] estados anteriores de existência... Platão, o antigo ateniense, foi o primeiro a introduzir essa opinião.”

O notável Clemente de Alexandria (†c.220) observou em sua obra Stromata (Miscelâneas): “A hipótese de Basílides [um mestre gnóstico] diz que a alma, tendo pecado anteriormente em outra vida, experimenta punição nesta vida”. Tertuliano (†c.220), o primeiro autor cristão a escrever em latim, se expressa muitas vezes sobre o assunto, como nessa passagem: “Quão mais digno de aceitação é o nosso ensino de que as almas irão retornar aos mesmos corpos. E quão mais ridículo é o ensino herdado [pagão] de que o espírito humano deve reaparecer em um cão, cavalo ou pavão!” (Ad Nationes, Cap. 19).

Hipólito de Roma (†c.236), escrevendo contra Platão, observa que Deus “efetuará a ressurreição de todos — não pela transferência das almas para outros corpos — mas pela ressurreição dos próprios corpos”. O apologista e historiador Lactâncio (†c.320) expressa o pensamento dos seus contemporâneos cristãos: “Os pitagóricos e estóicos afirmavam que a alma não nasce com o corpo. Antes, eles dizem que ela foi introduzida no mesmo e que migra de um corpo para outro.” Em outro ponto de sua obra As Institutas Divinas, ele afirma: “Pitágoras insiste que as almas migram de corpos desgastados pela velhice e pela morte. Ele diz que elas são admitidas em corpos novos e recém-nascidos. Ele também diz que as mesmas almas são reproduzidas ora em um homem, ora em uma ovelha, ora em um animal selvagem, ora em um pássaro... Essa opinião de um homem insensato é ridícula. É mais digna de um ator de teatro que de uma escola de filosofia.”

É especialmente relevante a posição de Orígenes, o genial teólogo do terceiro século a quem se atribuem com freqüência noções reencarnacionistas. No Livro XIII do seu Comentário de Mateus, ele diz o seguinte, referindo-se a João Batista: “Neste lugar, não me parece que através do nome ‘Elias’ se esteja fazendo uma referência à alma. De outro modo, eu iria recair na doutrina da transmigração, que é estranha à igreja de Deus. Ela não foi transmitida pelos apóstolos, nem é apresentada em qualquer lugar das Escrituras.“

Um último testemunho importante vem do maior teólogo da igreja antiga, Agostinho (†430). Ele estava familiarizado com as teorias de reencarnação tanto maniqueístas quanto platônicas do seu tempo. Em um comentário sobre Gênesis, ele rejeitou como contrária à fé cristã a idéia de que as almas humanas retornavam em corpos de diferentes animais, de acordo com a sua conduta moral (transmigração). Em A Cidade de Deus (Livro X, Cap. 30), o bispo de Hipona observa que, embora o filósofo neoplatônico Porfírio tenha rejeitado esse conceito ensinado por Platão e Plotino, e não hesitasse em corrigir os seus mestres nesse ponto, ele achava que as almas humanas voltavam em outros corpos humanos (reencarnação). Agostinho sugere que Porfírio se sentia constrangido em afirmar que a alma de uma mãe pudesse voltar em uma mula a ser cavalgada por seu filho, mas não em afirmar que ela voltasse em uma mulher que se casaria com o seu filho. Ele conclui afirmando quão mais honrosa é a verdade ensinada pelos profetas, por Cristo e pelos apóstolos de que as almas retornam de uma vez por todas para os seus próprios corpos.

Em suma, a reencarnação é uma idéia anterior ao surgimento do cristianismo e achava-se amplamente difundida no ambiente cultural em que surgiu a fé cristã. No entanto, desde o início os cristãos rejeitaram firmemente essa concepção, e o fizeram porque tinham uma convicção diametralmente oposta — a ressurreição do corpo. Enquanto a teoria da reencarnação ensina o retorno da alma a um corpo diferente do anterior, os primeiros cristãos aprenderam a crer e a confessar, com base na experiência do próprio Senhor Jesus, que a alma retorna somente uma vez, para habitar o mesmo corpo, agora ressuscitado e glorificado. Tão radical era esse conceito, que com freqüência sua menção provocava reações de desprezo e contrariedade (cf. At 17.32; 26.23, 24). Hoje, nestes tempos da Nova Era, pode estar na moda crer na reencarnação, como acontecia entre os gregos e os romanos antigos. Mas os cristãos conscienciosos sabem que não devem seguir os modismos culturais e religiosos que agradam às pessoas, mas apegar-se à fé histórica originada em Cristo, transmitida por seus apóstolos e defendida pela igreja dos primeiros séculos.



Alderi Souza de Matos é doutor em história da igreja e professor no Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper, em São Paulo, SP

 


Principais Datas do Evangelho no Brasil
por

Principais datas do evangelho no Brasil

DATAS F A T O S    H I S T Ó R I C O S
10/03/1557 Realiza-se, no Rio de Janeiro, o primeiro culto reformado no Brasil. Pregou o pastor Pierre Richier.
21/03/1557 Organizada a primeira igreja evangélica do Brasil e da América do Sul.
11/03/1822- 1873 José Manuel da Conceição, ex-padre e primeiro pastor ordenado no Brasil em 17/02/1865.
1833-1867 Ashbel Green Simonton, missionário americano que traz o presbiterianismo ao Brasil.
1835 Primeira tentativa de vinda do metodismo ao Brasil.
1855/
02/03/1923
Eduardo Carlos Pereira, fundador da Igreja Presbiteriana Independente.
1855 Robert Reid Kalley, inglês, médico, missionário congregacional, chega ao Brasil.
19/08/1855 Fundada, em Petrópolis, RJ, a primeira Escola Dominical.
12/08/1859 Chega ao Rio de Janeiro o pastor Ashbel Green Simonton, primeiro missionário presbiteriano.
24/10/1864 Surge o Imprensa Evangélica, primeiro jornal evangélico a circular no Brasil e na América Latina. Circulou durante 28 anos: de 1864 a 1892.
16/12/1865 Organizado o Presbitério do Rio de Janeiro, primeiro concílio da Igreja Presbiteriana no Brasil.
1863/1867 Rev. Alexander L. Blackford, nesse período, fora o primeiro pastor da 1ª Igreja Presbiteriana de São Paulo.
17/02/1865 Ordenado pela Igreja Presbiteriana o primeiro pastor brasileiro, José Manoel da Conceição.
05/03/1865 Organizada a Igreja Presbiteriana em São Paulo, hoje 1ª IPI.
16/12/1865 Organizado o Presbitério do Rio de Janeiro, primeiro concílio da Igreja Presbiteriana.
1867-1888 Período que que o Rev. George W. Chamberlain pastoreou a 1ª Igreja Presbiteriana de São Paulo, sucedendo Blackford.
1882 Organizada, na Bahia, oficialmente, a primeira Igreja Batista.
1886 Instalado o Sínodo Luterano Rio-Grandense, o mais antigo no Brasil.
1887 Começa a circular a Revista de Missões Nacionais, órgão presbiteriano.
1888 Falece Robert Reid Kalley, inglês, médico, missionário congregacional, que viera para o Brasil em 1855.
06/09/1888 Instalado o primeiro Sínodo presbiteriano.
1888-1923 Período em que o Rev. Eduardo Carlos Pereira pastoreou a 1ª Igreja Presbiteriana de São Pau-lo, depois 1ª Igreja Presbiteriana Independente.
08/06/1889 O Puritano começa a ser editado. Circulou até 1958, quando foi sucedido pelo Brasil Presbi-teriano.
1893 O Estandarte começa a ser editado.
31/07/1903 Organizada em São Paulo a Igreja Presbiteriana Independente do Brasil, IPIB.
24/06/1904 Fundada a Igreja Evangélica Luterana no Brasil (IELB).
22/06/1907 Organizada a Convenção Batista Brasileira.
1908 Igreja Presbiteriana Independente instala seu primeiro Sínodo.
1909 Norte Evangélico começa a ser editado pela IPB. Circulou até 1958.
19/11/1910 Os missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren, fundadores da Assembléia de Deus, chegam a Belém do Pará.
18/06/1911 Celina de Albuquerque é a primeira pessoa evangélica a receber o batismo no Espírito Santo, em Belém, PA.
1911 Organizada a Associação de Comunidades Evangélicas de Santa Catarina e Paraná (Luterana).
18/06/1911 Organizada em Belém, PA, a Igreja Assembléia de Deus, inicialmente chamada Missão de Fé Apóstólica.
1912 Chegada do missionário Erik Jansson dá origem à Igreja Batista Independente no Rio Grande do Sul.
1913 Primeira convenção da Igreja Congregacional.
1919-2002 Richard Shaull, teólogo presbiteriano norte-americano, trabalhou muitos anos no Brasil.
1929-
05/05/1990
Manoel de Melo, fundador da Igreja Evangélica Pentecostal O Brasil para Cristo.
04/07/1936 Nasce David Miranda, fundador da Igreja Pentecostal Deus é Amor.
1938 Igreja Presbiteriana organiza seu Supremo Concílio.
11/02/1940 Organizada, em São Paulo, a Igreja Presbiteriana Conservadora.
1944 Nasce Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, a IURD.
1946 Organizada em Tucuruvi, SP, a Igreja do Avivamento Bíblico.
10/06/1948 Fundada a Sociedade Bíblica do Brasil.
1948 Sociedade Bíblica lança a revista A Bíblia no Brasil.
1951/1952 J. Edwin Orr realiza campanhas avivalistas em São Paulo que são apontadas como o início do avivamento no meio presbiteriano no Brasil.
15/11/1951 Organizada, em Poços de Caldas, MG, a Igreja do Evangelho Quadrangular.
1952 Organizada a Convenção das Igrejas Batistas Independentes, com sede em Campinas, SP.
1955 Organizada em São Paulo Igreja Evangélica Pentecostal O Brasil para Cristo.
1955 Organizada. no Rio de Janeiro, a Igreja Pentecostal de Nova Vida.
21/09/1956 Organizada, no Recife, PE, a Igreja Presbiteriana Fundamentalista.
1957 Igreja Presbiteriana Independente instala seu Supremo Concílio.

 



Principais Datas do Cristianismo
por

Principais datas do Cristianismo

DATAS F A T O S    H I S T Ó R I C O S
155 Morre queimado Policarpo, bispo de Esmirna.
100/165 Justino, o Mártir, um dos apologistas do cristianismo.
160/320 Tertuliano, advogado cartaginês, notável apologista do cristianismo.
313 Publicação do Edito de Milão, pelo Imperador Constantino, pondo fim à era de perseguições.
325 Concílio de Nicéia I: condenou o arianismo. Aprovou o Credo de Nicéia.
340/420 Jerônimo, um dos pais da Igreja, traduziu a Bíblia para a o latim (Vulgata).
381 Concílio de Constantinopla I: definiu a divindade do Espírito Santo.
385/405 Período em que Jerônimo traduz a Vulgata.
401 Início do gradativo fortalecimento do papado e da Igreja Católica Romana que se estende por toda Idade Média.
431 Concílio de Éfeso: condenou o nestorianismo. Define a unidade pessoal de Cristo.
451 Concílio de Calcedônia: condenou o monofisismo. Define as duas naturezas de Cristo.
553 Concílio de Constantinopla II: condena os erros de Orígenes.
680 Concílio de Trulano (em Constantinopla).
Trulano II ou Qüinissexto (692), considerado como complementação dos dois anteriores,
condenou o monotelismo.
787 Concílio de Nicéia II. Condena a veneração de imagens.
1096/1291 Período das Cruzadas.
1140/1217 Pedro Valdo, pré-reformador. (Valdenses)
1198 Papa Inocêncio III institui “os inquisidores da fé contra os albigenses”. Considerados hereges, o extermínio começou no ano de 1209 e se estendeu por vinte anos.
1328/1384 João Wyclif ou Wycliffe, pré-reformador.
1369/1415 João Huss, pré-reformador, herói da Boêmia, morto na fogueira por decisão do Concílio de Constança.
1419 Nasce João de Wesselus ou Wessel, pré-reformador.
1452/1499 Jerônimo (Girolamo) Savonarola, pré-reformador.
1469/1536 Erasmo de Roterdam, humanista.
1479 O pré-reformador João de Wessália, notável doutor de teologia em Erfurt, morre na prisão.
10/11/1483 Nasce Martinho Lutero, líder da Reforma Religiosa do Século XVI, comemorada no dia 31 de outubro.
1492/1559 Meno Simons, o mais célebre líder dos anabatistas.
17/07/1505 Martinho Lutero ingressa na ordem dos agostinianos.
1511-1553 Serveto, médico e teólogo espanhol, preso, condenado e queimado em Genebra.
31/10/1517 Dia da Reforma Religiosa. Lutero prega na porta da Igreja de Wittenberg suas famosas 95 teses.
1491/1556 Inácio de Loyola, fundador da Sociedade de Jesus (jesuítas), braço da Igreja católica na contra-reforma.
1492/1559 Meno Simons, o mais célebre líder dos anabatistas. Daí vem o termo "menonitas".
1505/1572 John Knox, reformador da Escócia, funda, em 1560, a Igreja que viria a chamar-se Presbiteriana.
10/07/1509
1564
João Calvino, reformador, pastor em Genebra. Pai do calvinismo.
31/10/1517 Reforma Religiosa do Século XVI. Nesta data, Lutero afixa as 95 teses à porta da Igreja de Wittenberg, recomendando as Sagradas Escrituras como base da fé cristã.
10/03/1557 Realiza-se, no Rio de Janeiro, o primeiro culto reformado no Brasil. Pregou o pastor Pierre Richier.
21/03/1557 Organizada a primeira igreja evangélica do Brasil e da América do Sul.
08/01/1560 Morre Jan Laski, reformador polonês. Participou da tradução da Bíblia para o polonês, publicada em 1563.
1560 João Knox funda, na Escócia, a Igreja Presbiteriana, também chamada Reformada ou Calvinista, sob inspiração do sistema doutrinário e eclesiástico de João Calvino.
1560/1609 Jacobus Arminius, teólogo holandês, O arminianismo sustenta que os benefícios da graça são oferecidos a todos.
1565 Falece o reformador suíço Guilherme Farel.
24/08/1572 Noite de São Bartolomeu.
1577 Fórmula da Concórdia, credo firmado pelos luteranos que delimitava a o pensamento teológico calvinista e luterano, perpetuando a separação dos grupos.
1666-1686 Felipe Jacó Spener, líder do Pietismo.
1624/1647 George Fox, fundador da seita dos quaquers.
1631/1705 Felipe Jacó Spener, líder do Pietismo
1643/1648 Reúne-se a Assembléia de Westminster e elabora conhecida confissão de fé
1661 Fundada em Londres a primeira igreja Anabatista da Inglaterra.
1685 Nasce o Pietismo, grande despertamento espiritual após a Reforma, e que durou cerca de meio século.
1700-1760 Conde Nicolau von Zinzendorf, fundador da comunidade dos moravianos.
1701 Início do trabalho missionário mundial.
1703/1758 Jonathan Edwards.
17/06/1703
22/03/1791
John Wesley, fundador do Metodismo.
1714/1770 George Whitefield
1732 Os morávios enviam Hans Egede à Groelândia, dando início ao movimento de missões estrangeiras.

 

 


Protestantismo: o que deu errado?
por Dom Robinson Cavalcanti

Protestantismo: o que deu errado?

Dom Robinson Cavalcanti ( *)

Durante a adolescência, embriagado com a experiência de conversão, cultivei um ardente e secreto desejo de emigrar para um "país protestante". Quando ouvia falar que 97% da população da Suécia era filiada à Igreja Luterana, ficava imaginando, deslumbrado, as multidões de pessoas superlotando os templos aos domingos, com a Bíblia debaixo do braço. Os países protestantes deveriam ser algo como "ensaios do céu": paz, amor, justiça e honestidade, todo mundo se tratando por "irmão". 

Na universidade, lendo mais e conversando com viajantes, entrei em contato, chocado e decepcionado, com a existência da categoria de protestantes nominais, especialmente em igrejas ligadas ao Estado, com bispos nomeados e pastores funcionários públicos. Um velho pastor me falou que aqueles países se tornaram protestantes "por decreto", e que a fé não se transmite biologicamente às novas e esfriadas gerações. Na ABU, discipulado pelo pastor Dionísio Pape, fui aprender que existia uma outra estranha categoria de protestantes: os liberais. Enquanto os nominais pareciam crer de fora, os liberais descriam dentro da Igreja. Ele me falou da influência racionalista do iluminismo, via faculdades de teologia, nas universidades públicas, dos professores de teologia e clérigos profissionais que, embora chamados de luteranos, presbiterianos ou anglicanos, não acreditavam no que Lutero, Calvino ou Cranmer haviam escrito, inclusive as históricas confissões de fé de suas igrejas. 

Isso era muito estranho para mim, então membro da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) — vinculada ao Sínodo de Missouri —, que eram luteranos "de mesmo", ou seja, continuavam a acreditar nos ensinos da Reforma Protestante. Então, fui descobrindo que em todos os ramos reformados (variando de país para país) havia os nominais, os liberais e os "de mesmo" (ora chamados de conservadores, ora de fundamentalistas). Ainda na universidade, tive os meus primeiros contatos com liberais daqui, de quem recebi impiedosas gozações por minhas conversas ingênuas sobre conversão. Em uma de minhas viagens ao exterior ouvi, perplexo, um cristão da Índia falar que um dos grandes obstáculos à evangelização do seu país fora o fato de que filhos de indianos que iam estudar na Europa enviavam para suas famílias livros de autores "cristãos" negando a divindade de Cristo, o nascimento virginal, os milagres, a expiação, a ressurreição, o que se constituía em um prato cheio a ser usado contra os missionários.
 
O tempo foi passando e fui conhecendo melhor — por meio de leituras, conversas e viagens — a multiforme "fauna" protestante, em que nem todos os gatos são pardos. Apesar de tudo, criado na Igreja Romana pré-Vaticano II, convertido por influência de adventistas do sétimo dia, batistas e presbiterianos, doutrinado na IELB e na ABU, cheguei ao anglicanismo, de linha dita evangelical, pelas mãos de John Sttot, com a mesma fé simples e a mesma vibração pela Reforma adquirida na adolescência. Por esses caminhos incompreensíveis da Providência terminei por ser bispo anglicano justamente no meio de uma batalha em que, em setores chaves dos países centrais, se nega a autoridade das Sagradas Escrituras, a unicidade de Cristo ( um caminho, o nosso caminho, mas não o único caminho), em uma igreja sem doutrinas nem padrões de comportamento, unida apenas por tradições, "laços de afeição" e coreografias, uma espécie de sociedade lítero-recreativa vale-tudo.

A gente sempre se consola com a certeza de que, mesmo com a pecaminosa fragmentação denominacional, os pseudo-protestantismos e suas "sessões de descarrego", permanecerá sempre um remanescente fiel, e que o cristianismo ainda é pujante no hemisfério sul. Mas, para quem vibrou com as biografias dos reformadores, as confissões de fé e os catecismos, descobrindo a centralidade da Bíblia e da cruz de Cristo, com sua experiência de conversão, de novo nascimento, fica sempre a pergunta incômoda: o que deu errado com o protestantismo? E se percebe que as "conversões por decreto", a ligação Igreja–Estado, as faculdades de teologia influenciadas pelo iluminismo, formando mais teóricos do que pastores, a religião como tradição e o ministério como profissão, com os céticos dominando as máquinas eclesiásticas, o não-discipulado das gerações, concorreram para essa descaracterização e decadência. 

Mas será que a preocupação com a soteriologia (salvação pela graça mediante a fé), escorada na autoridade de um texto — a Bíblia (detonada pelo iluminismo e seu filhote, o liberalismo) —, não se relacionou com um individualismo que confundiu "livre exame" com "livre interpretação", reformando sempre não as formas, mas o conteúdo? E deixou uma grande lacuna que foi a eclesiologia (a falta de uma doutrina sólida sobre a Igreja), inclusive com o abandono do episcopado histórico, ficando o protestantismo sem mecanismos adequados para a preservação da unidade e da verdade? 
 


* Dom Robinson Cavalcanti é Bispo Anglicano da Diocese do Recife e autor de, entre outros, Cristianismo e Política – teoria bíblica e prática histórica e A Igreja, o País e o Mundo – desafios a uma fé engajada.

 


Queda da Babilônia
por Sikberto R. Marks

A QUEDA DA BABILONIA

Comentário elaborado pelo prof. Sikberto R. Marks - Adaptado

A queda de Babilônia

Dan. 5: 30 Naquela mesma noite Belsazar, o rei dos caldeus, foi morto. 31 E Dario, o medo, recebeu o reino, tendo cerca de sessenta e dois anos de idade.

Enquanto Belsazar bebia dos vasos sagrados, DEUS, que já sabia que ele faria isso, autorizou o exército dos Medos e dos Persas unidos a atacarem Babilônia. A condução da parte de DEUS foi tão eficiente que exatamente no mesmo tempo em que ocorria a festa de afronta a DEUS também o poder dos Medo-Persas faziam diques num dos braços do rio Eufrates, baixando a sua profundidade para que pudessem passar por ele homens andando. Assim eles passaram facilmente por baixo do largo muro que normalmente a água dificultaria em muito a passagem de homens, pois eles teriam que mergulhar por mais de dez metros com armas e tudo e aparecer do outro lado do muro, já dentro da cidade, para serem facilmente mortos assim que suas cabeças saíssem das águas. Mas aconteceu que os guardas da cidade também beberam, e estavam desatentos, e ninguém percebeu que um inimigo trabalhava do lado de fora dos gigantescos muros e os inutilizava por um ponto frágil, por onde passava parte do rio Eufrates. Centenas de
 trabalhadores foram colocando material para que a água do braço menor se desviasse para o braço maior do leito do rio, faziam isso possivelmente alguns quilômetros mais acima, no local da bifurcação (parte da cidade de Babilônia ficava numa ilha do rio), de modo que ninguém percebeu o que se passava, e também ninguém percebeu que a água estava baixando, pois, em festa, comiam e bebiam vinho. Em ostensiva afronta contra o Rei do Universo, as defesas de Babilônia se desfizeram diluídas em álcool exatamente por meio dessa afronta, e assim se fragilizaram, e abriram caminho para o inimigo os destruir em poucas horas, sem nenhuma resistência. Os poderosos muros para nada serviram, o inimigo entrou por uma brecha que jamais fora motivo de preocupação. Quem iria desconfiar que um exército entrasse pelo leito do rio?

Conforme podemos estudar no capítulo 51 de Jeremias, onde o profeta se refere à queda de Babilônia imperial de Belsazar, paralelamente, esta profecia serve para obtermos informações valiosas sobre a queda de babilônia mística, nesses nossos dias. A grande cidade imperial caiu por estar despreocupada com suas defesas, em meio a orgia de ofensa gravíssima contra o Rei do Universo, o DEUS Criador. Assim também cairá Babilônia mística, com sede em Roma, situada entre os mares, exatamente quando se aviltar ao máximo sua luxúria imoral (tanto imoralidade física quanto espiritual) como se ensoberbecer sua afronta contra o DEUS Criador, que merece ser adorado conforme Ele mesmo estabeleceu. Essa babilônia atual está, desde a metade do segundo século do cristianismo, promovendo a inserção de paganismo no cristianismo, mudou o decálogo, alterou o dia de descanso, estabeleceu novo horário para a observação da mudança de um dia para outro (do por de sol para a meia-noite), trocou em seu meio a
 intercessão de JESUS por meros sacerdotes também pecadores, e agora pretende trocar JESUS, no Céu, pela virgem Maria, proclamando-a como co-redentora! Na ordem dada por Belsazar para trazerem os vasos do templo para dele beberem vinho ele selou o fim de seu império. Assim como um remanescente dos fiéis adoradores, Daniel, anunciou a queda de Babilônia por decreto do Altíssimo na escritura na parede, assim também, por proclamação em alto clamor, o remanescente desses dias, proclamará a queda final de babilônia e num movimento global clamará a todos que saiam de babilônia mística para salvarem suas vidas. Muitos aceitarão.

Assim como a cidade imperial de Babilônia decaiu aos poucos, assim também babilônia mística vem decaindo aos poucos. Essa queda vem ocorrendo em razão da pregação da verdade bíblica, pelo que saem dela os verdadeiros adoradores desde aqueles tempos. A pregação da verdade revela os enganos de babilônia mística, e isso a fragiliza. Por isso, ousada e diretamente os pregadores do advento vem anunciando mundo afora, com a coragem e a clareza que o Espírito Santo lhes dá, qual é a verdadeira adoração: "adorai ao Criador" (ver Apoc. 14 6 e 7), ou seja, aquele que fez e porque fez, e nos fez (Apoc. 4:11), e porque tudo fez, em seis dias, reservou o sétimo, dia na seqüência dos da criação, como dia santificado POR ELE, para que homens e mulheres nele descansassem das suas obras como delas DEUS descansou. Desde esse ano a igreja morna se aquece no poder do alto e anuncia a verdade como está na Bíblia, tal fato é bem visível. Os Dez Mandamentos nunca foram revogados por DEUS, senão por homens
 aliados a satanás, conforme previsto profeticamente (Dan. 7:25). Essa alteração ocorreu num período de tempo denominado Patrística. Dispomos de uma síntese do que ocorreu na Patrística, muito importante para entender bem a ação do poder opositor à verdadeira adoração, e podemos enviar por e-mail aos que desejarem. Desejando, peça "Patrística" e enviarei em PVT.

O paralelismo entre Babilônia imperial e babilônia mística está identificada a seguir:


   Jer. 51:13 - chegou o fim para a cidade que habita sobre muitas águas (águas são povos, mas também é o rio Eufrates), devido a tua avareza (espiritual do paganismo ostensivo contra DEUS e material, na luxúria de sua devassidão)




   Apoc. 17:1 - mostra o julgamento da grande meretriz (cidade onde se misturam doutrinas verdadeiras com as falsas, desde o tempo da Patrística, meados do segundo século) que se acha sentada sobre muitas águas (povos e também entre dois mares, conforme se situa Roma atualmente)



   Jer. 51:8 - a queda de Babilônia inicialmente gradativa (Nabonido estava em guerra tentando defender o seu império) de um momento para outro tornou-se repentina e ficou arruinada para sempre, hoje restam apenas algumas poucas ruínas no local




   Apoc. 14:8 - caiu, caiu a grande babilônia, assim como Babilônia imperial, que vinha recebendo avisos por Daniel por décadas, essa também vem perdendo fiéis por décadas, e chegará o dia da sua queda final, repentina, muito rápida; como naquele tempo foi pelo secamento literal do rio Eufrates, hoje, num secamento simbólico representando a perda do apoio de muitos fiéis que ainda a sustentam (povos são águas em profecia), que dela sairão para virem juntar-se como o povo de DEUS na adoração verdadeira.



   Jer. 51:45 - a ordem divina: sai do meio dela meu povo, salva cada um a sua vida do brasume da ira de DEUS.



   Apoc. 18:4 - sai dela povo meu (secamento do Eufrates simbólico), para não serdes cúmplices de seus pecados (pois sua destruição definitiva então será iminente, e todos que dela participarem após essa ordem, serão julgados e mortos com ela) - saindo o povo de DEUS de babilônia mística, de imediato ela será destruída (assim como na verdadeira igreja o joio deve ficar com o trigo até que tudo amadureça, assim também babilônia mística deve existir enquanto lá estiver parte do povo de DEUS, mas num dado momento, sai o joio (sacudidura) de entre o trigo e sai o povo de babilônia (sua queda), unem-se num só grupo, e JESUS vem busca-los).



   Jer. 51:60 a 64 - Jeremias envia a profecia por meio de Seraías a Babilônia, avisando-a de seu fim definitivo.




   Apoc. 18:21 a 24 - Assim como Seraías deveria jogar o livro da profecia contra Babilônia imperial simbolizando seu fim, assim um anjo joga uma grande pedra no mar, simbolizando o fim definitivo da grande cidade, que nunca mais será achada.



As profecias sobre o cenário do fim de babilônia já estão em desenvolvimento. Veja algumas delas:

Este evangelho já está sendo pregado diretamente a todas as nações, com diplomacia mas sem rodeios e sem palavras indiretas;

A crise financeira sobre a Igreja Católica se acentua, desde os primeiros anos da década de 90, e a debandada de fiéis começou em maior escala desde o ano 2002, quando veio a público a imoralidade de muitos de seus sacerdotes e de como era encoberta - com isso, acentuou-se a crise financeira, e cada ano amarga novo déficit;

A violência humana e tragédias climáticas, se acentuam agora a cada mês;

A igreja do advento está deixando de ser morna para ser quente (poder do Espírito Santo já sendo derramado flagrantemente), e já ocorre uma sacudidura prévia com a saída de muitos adoradores superficiais. Mais para frente em decorrência dos acontecimentos, sairão todos os que insistem em serem como o joio, então a igreja conclui a obra em pouquíssimo tempo. Essa conclusão tem o poderoso nome de Alto Clamor, diante do qual sae o povo de DEUS que hoje ainda permanece em babilônia mística (sistema de igrejas que adora de modo diferente do da Bíblia, a Palavra de DEUS). Com a saída deles, a queda de babilônia mística torna-se repentina, e seu fim definitivo. Logo a seguir, JESUS volta, desse evento estamos muito próximos mesmo, embora muitos durmam sem perceber o que se passa bem diante deles.



E a vida eterna é esta: que te conheçam a Ti, como o
único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, Aquele que Tu enviaste.
João 17:3

Renato Gibin

 


Sociedades Secretas e o Senhor Jesus Cristo - Parte 1
por Pr. David Bay

Sociedades Secretas e o Senhor Jesus Cristo - Parte 1
 Agora você está com a
THE CUTTING EDGE
Transcrição de um programa de rádio

Aqui é David Bay, diretor de Old Path Ministries.
E este é The Cutting Edge, um programa de rádio dedicado a exortar e informar o povo de Deus. Estamos comprometidos com o estudo e exposição da imutável e inspirada Palavra de Deus. As visões expressas aqui são nossas, e não são necessariamente compartilhadas por esta emissora.
Demonstraremos hoje que os líderes religiosos no tempo de Jesus não eram judeus tradicionais, embora certamente fizessem grandes demonstrações da boca para fora; os fariseus naquele tempo eram membros da Cabala, uma sociedade secreta tão ocultista e satânica quanto qualquer outra que já existiu. Quando Jesus exerceu seu ministério, os fariseus eram controlados por Satanás.
Como no fundo de seu coração, os fariseus eram satanistas praticantes, isso explica muito do mistério referente aos relatos bíblicos sobre o ministério e a morte de Jesus. Por exemplo, explica o ódio que o fariseus tinham por Jesus, mesmo diante de seus muitos milagres. Isso explicaria como algumas pessoas que testemunharam o milagre da ressurreição de Lázaro não acreditaram. Como não puderam acreditar? Tinham acabado de presenciar um milagre inacreditável; um homem que conheciam pessoalmente, que sabiam que estava morto de verdade, ser trazido de volta à vida por meio do poder de Jesus Cristo. Entretanto, alguns deles não creram; foram apressadamente relatar a ressurreição de Lázaro. Qual foi a reação deles? Eles então acreditaram? Não, sentiram ainda uma maior vontade de matar Jesus. Após assistir a este programa, essa inacreditável dureza de coração ficará mais clara.
Finalmente, esse satanismo dos fariseus explicaria o tratamento incomum que Jesus lhes deu. Se os fariseus fossem simplesmente pecadores iludidos, Jesus teria exibido a mesma compaixão que demonstrou com as prostitutas e com os coletores de impostos. Leia novamente os evangelhos com esse conceito em mente, e verá que o tratamento que Jesus deu aos fariseus foi realmente incomum. Hoje, estudaremos a realidade que os fariseus estavam profundamente envolvidos em uma sociedade secreta judaica, a Cabala, e veremos o impacto que essa realidade teve no ministério e na morte de Jesus Cristo.
Como as sociedades secretas começaram e por que eram necessariamente secretas? A resposta é ao mesmo tempo chocante e informativa, pois lança a base para a compreensão de qualquer sociedade secreta. O autor cristão, o reverendo Alexander Hislop, publicou no início do século XX um livro intitulado The Two Balylons: The Papal Worship [As Duas Babilônias: A Adoração ao Papa]. Ele afirma que as sociedades secretas podem ser rastreadas até Ninrode, que tornou-se, após sua morte, o "primeiro dos mortais divinizados" [pg 32]. Quem foi Ninrode? Algumas gerações após o dilúvio, quando a população mundial começou a crescer novamente, um homem chamado Ninrode levantou-se na região da antiga Babilônia. Ele era um poderoso guerreiro e exerceu uma tremenda liderança entre aqueles povos antigos. Ninrode estabeleceu um sistema satânico de idolatria abertamente, e atraiu muitas pessoas a esse tipo de adoração. Naquele tempo, o sistema religioso predominante que governava o mundo era a adoração ao único Deus verdadeiro. Logo após Ninrode estabelecer sua religião "alternativa", baseada na idolatria e na feitiçaria, Sem, um dos filhos de Noé, profundamente agoniado em ver tanta apostasia, foi motivado pelo Deus Todo-Poderoso a destruir o reino de Ninrode. Sem organizou um exército e atacou Ninrode, derrotando-o e levando-o prisioneiro. Ninrode foi executado, juntamente com muitos de seus sacerdotes e seguidores. Para demonstrar a totalidade de sua vitória, Sem ordenou que o corpo de Ninrode fosse desmembrado e que cada parte fosse enviada a uma cidade diferente para demonstrar a todos que a adoração a Satanás por meio da idolatria e da feitiçaria não seria tolerada. O mundo parecia livre daquela forma de mal.
No entanto, Semíramis, a mulher de Ninrode, e alguns sacerdotes que escaparam, juntaram forças para criar uma religião secreta. Eles divinizaram Ninrode, criando um falso Messias. Criaram um sistema de Mistérios Satânicos destinado a se alastrar por todo o mundo. Os ensinos desses Mistérios, como eles eram chamados, de forma muito sutil levavam os homens de volta ao mesmo sistema de magia e de idolatria implantado por Ninrode, que Sem destruíra vigorosamente. Esse caminho falso atraía os homens oferecendo-lhes conhecimento oculto, e prendia-os com juramentos severos e com sinais e cumprimentos secretos.
Esse foi, então, o início das sociedades secretas, iniciadas várias gerações após o dilúvio, em aproximadamente 2.200 AC. Portanto, as sociedades secretas existem há mais de 4.000 anos na história humana; são literalmente a igreja de Satanás desde o início. Opõem-se a todo o plano de Deus para a humanidade, e estão comprometidas a destrui-lo. Esse compromisso com a destruição do sistema de Deus era dito de forma que seus membros fossem enganados a pensar que estavam na verdade tentanto realizar o "bem". É por isso que Deus adverte, em Isaías 5:20, "Ai daqueles que ao mal chamam de bem, e ao bem chamam de mal..." As sociedades secretas literalmente invertem as definições das palavras em 180 graus, de forma que chamam ao bem de Deus de mal, e ao mal de Satanás, chamam de bem.
Há mais uma razão por que as sociedades secretas tiveram de se estabelecer e permancer secretas. Seu objetivo não era nada mais que a derrubada de todos os governos e da adoração a Deus. Se tentassem estabelecer sua organização publicamente, as autoridades as prenderiam por traição, e o povo, que orienta suas vidas de acordo com os preceitos do sistema estabelecido por Deus, pediria a prisão e execução dessas pessoas. Portanto, esses objetivos e atividades precisam ser executados sob total sigilo. Além disso, os líderes dessas sociedades secretas acreditavam que seu poder aumentaria grandemente se pudessem permanecer em total segredo.
Concluindo, as sociedades secretas podem ser rastreadas até o reino satânico de Ninrode, na antiga Babilônia. Elas foram estabelecidas após Sem executar Ninrode pelo crime de reinstalar a feitiçaria e a idolatria. Para preservar essa adoração satânica e para conseguir derrubar o odiado sistema que destruiu Ninrode, um sistema secreto de satanismo precisou ser estabelecido. Por meio das sociedades secretas, o sistema babilônio de satanismo foi preservado. O Anticristo surgirá a partir desse sistema, e tentará destruir o sistema de Deus, como é o plano desde o início. Nesse ponto, o mundo inteiro ficará sob a reinstituição pública do antigo sistema babilônio de adoração a Satanás. Estamos muito próximos disso hoje; é interessante observar que Deus identifica o sistema do Anticristo no livro do Apocalipse como "Mistério Babilônia" [Capítulo 17]. Deus é muito literal e preciso nas profecias.
Os mistérios babilônios foram levados ao Egito, onde a história da morte de Ninrode e o desmembramento do seu corpo foi adaptada na lenda do deus Osíris. A maior parte das lendas que formam os mistérios antigos foi adaptada em muitas culturas e sempre com nomes e lugares conhecidos por aquela cultura. Desse modo, Satanás conseguiu alastrar esse sistema falso por todo o mundo, conquistando as mentes e os corações dos líderes em cada país.
À medida que o tempo passou e as sociedades secretas foram estabelecidas em muitos países e culturas diferentes, começaram a desenvolver características comuns, pois estavam tentando servir ao mesmo ser sobrenatural, Satanás. Seria útil estudarmos agora essas características similares.
1. Orgulho arrogante
Os membros das sociedades secretas sempre recebem o convite para aderir, o que cria um sentimento de exclusividade, de separação e de superioridade em relação às demais pessoas na sociedade. Essa atitude arrogante é expandida pelo ensino que o conhecimento espiritual e temporal somente podia ser revelado aos Iniciados, ou aos "Sábios", como eles se chamavam. Esses "sábios" acreditavam que esses Mistérios não podiam ser compreendidos pelo povo comum, as massas "vulgares". Na verdade, essa arrogância era tão comum entre esses "sábios" de sociedades secretas que eles iniciaram o processo de ensinar falsidades ao povo comum, reservando o conhecimento espiritual e temporal somente para si mesmos. Assim, esses homens eram muito diferentes de líderes religiosos falsos, como Maomé e Buda, que tentaram expandir seus ensinos nas massas. As sociedades secretas procuram esconder a verdade das pessoas comuns.
Precisamos ser muito claros neste ponto: Ninguém que seja um Adepto [um ocultista avançado] em uma sociedade secreta, que aprendeu a verdade secreta, pode revelá-la para o povo comum. A pena para essa revelação ao povo comum é a morte, a morte mais dolorosa possível. Tenha isso em mente, pois terá grande significado mais tarde.
2. Desenvolvimento de Dupla Personalidade
Como cada membro estava aprendendo tremendas informações que tinha prometido manter absolutamente secretas de qualquer pessoa que não fosse membro, os membros começaram a desenvolver duas personalidades distintas. Uma era a personalidade pública, e outra a secreta. A arte do engano, até mesmo para os membros da família, foi rapidamente desenvolvida. Literalmente, aquilo que um familiar ou conhecido via em palavras e ações era muito diferente da pessoa que existia no interior.
3. Reverência pelo Ensino Oral
As sociedades secretas ensinavam que o Ensino Oral era tão importante e sagrado quanto qualquer obra escrita. Como veremos em instantes quando estudarmos a sociedade secreta judaica, a Cabala, essa ênfase no Ensino Oral é um instrumento muito importante de Satanás. Lembre-se, Deus estabeleceu sua santa palavra como uma obra escrita. Ele repetidamente disse que essa palavra escrita nunca mudaria e que seria totalmente cumprida, e que duraria por toda a eternidade. Como Satanás sempre trabalha da forma oposta de Deus, não devemos nos surpreender que coloque maior ênfase no ensino oral. Dentro dos confins das sociedades secretas, o ensino oral também serve ao propósito crítico de manter a sociedade e seus ensinos secretos. O ensino oral é uma ferramenta de Satanás.
4. O homem é inerentemente bom
As sociedades secretas ensinam que o homem era inerentemente bom, mas que foi corrompido pelas influências físicas e espirituais. Logicamente, isso contradiz o ensino claro e consistente da Bíblia que diz que o homem é inerentemente mau.
5. Redentor prometido
Virtualmente todas as sociedades secretas ensinam que, um dia, um Rei Remidor aparecerá, para levar o mundo inteiro a esse conhecimento oculto. Somente quando toda a humanidade estiver iniciada nesses mistérios é que o mundo poderá viver na "Era de Ouro" para o qual está destinado. Esse ensino é contrário à verdade da Bíblia, que declara do início ao fim que o Messias estabelecerá seu reino eterno. Neste ponto, precisamos compreender um detalhe muito importante: O Rei Remidor que as sociedades secretas aguardam difere significativamente do Rei Remidor bíblico, que sabemos que é Jesus Cristo. Existem várias diferenças:
(1) Jesus Cristo é Deus Onipotente, o Todo Poderoso, o segundo membro da Trindade. O Rei Remidor das sociedades secretas é um mestre elevado, um homem proveniente da sociedade secreta, que já viveu muitas vidas passadas e que atingiu o estado "perfeito". Ele possui a "consciência do Cristo" inerente nesse estado perfeito, e assim, possui o conhecimento necessário para levar a humanidade à Era Dourada.
(2) Jesus Cristo possuía poder inerente, pois era e é Deus. O Rei Remidor da sociedade secreta somente poderá "acessar" o poder do Logos, do oculto, e somente por que será um Adepto dos Mistérios. Ele não possuirá nenhum poder inerente; seus poderes derivam do seu conhecimento do ocultismo.
(3) Jesus Cristo cumpriu a Lei e os Profetas, e restaurou os padrões de volta ao ponto em que Deus os estabeleceu por meio de Moisés. O Rei Remidor que as sociedades secretas aguardam continuará a ocultar as verdades secretas do povo comum, colocando os membros da sociedade secreta no seu lugar de honra na sociedade.
Vamos retornar à história das sociedades secretas agora que definimos esse pano de fundo para a compreensão. Quando Deus tirou os filhos de Israel da escravidão no Egito (em aproximadamente 1.500 AC), o ensino das sociedades secretas do Oriente Médio já existia há vários séculos. Nos séculos antes de Jesus nascer, esse vírus mortal começou a penetrar na liderança religiosa judaica. Esses líderes judeus começaram a se envolver com o ocultismo. Uma tradição judaica oral secreta começou a ser praticada, distintamente diferente do Pentateuco escrito por Deus. Foram criados dois sistemas de tradição oral judaica, um público e um secreto. O ensino público lidava com as questões da vida diária, como as leis sobre o comércio e o que constituía trabalho no sábado; essa lei prática mais tarde passou a ser chamada de Talmude. Jesus criticou a imposição de leis criadas pelo homem, pois amarravam o povo aos sacerdotes e criavam um conjunto de normas frustrantes que ninguém conseguia cumprir. E, esses padrões não eram de Deus; foram criados pelo homem para que os sacerdotes pudessem controlar o povo.
O segundo conjunto de ensinos orais judaicos era extremamente secreto; tornou-se conhecido como a Cabala. Um dos livros que constituem a Cabala chama-se Sepher-Ha-Zohar, ou Livro da Luz. Esse livro foi escrito pelo Rabino Simão e seu filho Eliezer, que ficavam enterrados sentados, com terra até o pescoço, durante 12 anos. Enquanto estavam nessa terrível condição física, "meditavam" na lei sagrada e freqüentemente eram visitados pelo grande profeta Elias. [Nesta Webster, Secret Societies, pg 8]. O Apóstolo Paulo estava certo quando advertiu, em 2 Coríntios 11:14-15, que Satanás e seus anjos transformam-se em anjos de luz e em ministros da justiça para conseguirem enganar os homens. Um dos pontos mais comuns entre as falsas religiões é que o texto original da revelação foi dado ao fundador por um anjo de luz. Por exemplo, Maomé (Islamismo) e Joseph Smith (Mormonismo) receberam suas "novas" revelações de um anjo de luz.
Assim, o sacerdócio judaico começou a formular um plano para colocar todo o povo em servidão espiritual e física criando esse sistema duplo do Talmude público e da Cabala secreta. Os ensinos do Talmude público escravizavam o povo com quase 1.000 regras para a vida no dia a dia e começou a afastá-los da verdade espiritual que Deus revelou a Moisés. Assim, o primeiro requisito de uma sociedade secreta foi cumprido, o de esconder a verdade do povo, parcialmente por fabricação e parcialmente pelos acréscimos feitos à lei mosaica original. Os ensinos secretos da Cabala eram realmente satânicos. Alguns autores admitem que esses ensinos eram para propósitos "mágicos". Um autor crítico da Cabala escreveu que ela é "um veneno sutil que entra nas veias do judaísmo e infecta tudo" [Theodore Reinach, citado por Nesta Webster em Secret Societies, pg 9]. Salomon Reinach chama a Cabala de "a pior aberração da mente humana". Além disso, a Cabala influenciou significativamente as crenças e a direção de muitas sociedades secretas européias, estabelecidas nos séculos posteriores. Essa influência foi tão profunda que muitas sociedades secretas não-judaicas assumiram características judaicas.
Como Satanás é o "príncipe deste mundo", tem o poder de fazer prosperar aqueles que seguem sua liderança. Essa é a isca que atraiu aqueles líderes religiosos judeus às propriedades místicas e mágicas inerentes da Cabala. E, aqueles líderes prosperaram grandemente. Embora Israel sofresse sob o domínio de reinos gentílicos, como Grécia e Roma, os sacerdotes judeus ganharam uma certa autonomia que lhes permitia virtualmente dominar de forma ditatorial sobre os cidadãos judeus. E, o cidadão comum simplesmente não compreendia que os líderes religiosos tinham imposto sobre eles um sistema que colocava-os sob um jugo de servidão e ao mesmo tempo elevava os líderes a posições de grande poder e de riqueza. A ignorância era tão grande que o cidadão mediano admirava e honrava aqueles líderes religiosos que o oprimiam.
Agora, vamos examinar os fariseus, a maioria dos quais era membro da Cabala, usando as cinco características comuns que já mencionamos antes. Veremos também as passagens pertinentes no Novo Testamento para ajudar na nossa compreensão. Você ficará chocado com os novos significados dessas famosas passagens bíblicas, agora que compreende que os fariseus que conceberam e executaram o plano para matar Jesus eram membros da sociedade secreta chamada Cabala, e agora que compreende que Jesus estava falando diretamente aos membros dessa sociedade secreta.
Os fariseus possuíam:
1. Orgulho arrogante
Mateus 23:12,13, "Quem a si mesmo se exaltar, será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar, será exaltado. Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando". Uma das características das sociedades secretas é que enganam o povo comum sobre a verdade fundamental, especialmente a verdade de como obter a salvação eterna; em vez disso mantêm essa verdade para si mesmos, como uma forma de poder e de privilégio. Jesus falou diretamente sobre essa terrível situação em Lucas 11:52, "Ai de vós, intérpretes da lei! porque tomastes a chave da ciência; contudo vós mesmos não entrastes e impedistes os que estavam entrando." Os intérpretes da lei conheciam a verdade simples que Deus tinha criado para as pessoas serem salvas por toda a eternidade e para desenvolver o amor a ele. Entretanto, eles escondiam essa verdade simples do povo, impondo o sufocante sistema de regras para a vida diária que Jesus tanto criticou. Esses fariseus estavam deliberadamente enviando populações inteiras de judeus para o inferno pois tinham escondido a verdade deles. É por isso que Jesus os criticou com tanta severidade. Veja, Satanás convenceu aqueles fariseus que todo judeu iria para o céu de qualquer forma, simplesmente por serem judeus; portanto, eles acreditavam que não fazia muita diferença para a vida eterna aquilo em que eles criam. Os fariseus mantinham o poder terreal e o prestígio mais firmemente em suas mãos por meio desse engano espiritual.
2. Os fariseus desenvolveram dupla personalidade
Mateus 23:27-28, "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos, e de toda imundícia. Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniquidade." Aqui Jesus está falando claramente da dupla personalidade do membro da sociedade secreta. Os fariseus tinham inteligente e eficientemente escondido a existência dessas crenças satânicas do povo comum, mas não podiam escondê-las dos olhos oniscientes de Jesus Cristo.
3. Os fariseus desenvolveram sistemas complexos de ensino oral e ensinavam o povo judeu a reverenciá-los
Mateus 15:1-9, "Então vieram de Jerusalém a Jesus alguns fariseus e escribas, e perguntaram: Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos anciãos? Pois não lavam as mãos quando comem. Ele, porém, lhes respondeu: Por que transgredis vós também o mandamento de Deus, por causa da vossa tradição?... Hipócritas, ..." Jesus está claramente falando contra o mal que a sociedade secreta dos fariseus tinha perpetrado contra o povo judeu, de criar tradição oral supostamente igual ao ensino escrito de Deus, e, na verdade, contradizia a palavra escrita de Deus. As pessoas simples não compreendiam como tinham sido enganadas pois não possuíam a palavra escrita de Deus. Os fariseus tinham a palavra escrita de Deus e a guardavam para si mesmos. Nós o encorajamos a ler atentamente Mateus 15:1-20, entendendo que Jesus está falando aqui principalmente contra os ensinos e a prática da sociedade secreta satânica. Jesus declara repetidamente que os fariseus vão para o inferno. Ele não mede suas palavras. Em duas ocasiões, Jesus descreveu os fariseus como "víboras", um sinônimo de "serpentes". Logicamente, sabemos que a serpente é consistentemente utilizada na Bíblia como um dos nomes de Satanás. Mas, Jesus não deixa espaço para erro nesse assunto, para que não deixemos de perceber que os fariseus não eram simplesmente pecadores. Em João 8:44, Jesus diz que o pai dos fariseus era o diabo. Ele não disse isso a nenhuma outra classe de pessoas. Ele sempre teve compaixão dos pecadores; a razão pela qual o Senhor Jesus foi tão severo com os fariseus é que ele sabia que estavam adorando Satanás por meio da participação na sociedade secreta, a Cabala.
4. Os fariseus acreditavam que o homem é inerentemente bom
Como os fariseus acreditavam que o homem é inerentemente bom, desenvolveram um sistema de salvação baseado em obras. Esse sistema de obras foi mais tarde chamado de Talmude; no entanto, Jesus chamou isso de "tradições dos homens". A Bíblia ensina claramente que o coração do homem é inerentemente mau; e, portanto, não há nenhum modo de o homem praticar boas obras para remir-se completamente de seus pecados. Jesus não deixou dúvidas que os fariseus tinham inventado esse sistema de obras. Toda vez que ele critica "as tradições dos homens", está falando sobre esse falso ensino religioso que a salvação pode ser obtida por meio das boas obras. Sempre que você encontrar Jesus dizendo "Vós dizeis... mas eu digo...", ele normalmente está tratando dessa questão das obras relacionadas com a salvação.
5. Os fariseus aguardavam o rei/remidor prometido
Tanto os estudiosos pagãos e judeus estavam esperando o aparecimento de um rei Messias para levar a humanidade a uma nova luz espiritual e a uma nova prosperidade material. No entanto, os pagãos das sociedades secretas estavam esperando um Remidor Prometido que era muito diferente daquele anunciado na Bíblia. Agora que sabemos que os fariseus que se opuseram vigorosamente a Jesus Cristo e que planejaram sua morte eram membros de uma sociedade secreta satânica, a Cabala judaica, estamos prontos para uma revelação mais chocante ainda. No entanto, isso precisará esperar até nosso próximo programa de rádio, quando discutiremos as ramificações das crenças das sociedades secretas ocultistas a respeito de Jesus Cristo em nossos líderes e na sociedade atual. Sintonize este programa na próxima semana e convide um amigo para ouvir também.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]

 

http://noblat.blig.ig.com.br/
14/01/2005 02:19

 


Sugestões Práticas para Equipes de Intercessão
por Pr. Jelson Becker

Regras Práticas para uma Equipe de Intercessão:

 

Em todo agrupamento de pessoas, sempre surgem problemas de relacionamento e espirituais. Porém em grupos de louvor e adoração e equipes de ministração espiritual esses cuidados precisam ser dobrados.

Existem diversas maneiras e formas de se conduzir uma equipe de intercessão. Tenho desenvolvido alguns princípios que quando aplicados a esses grupos de ministração espiritual tem apresentado significativos resultados:

 

-          Nunca ministre fora da autorização e supervisão  de um líder espiritual ou  pastor.

 

-          Preste atenção aos intercessores mais experientes, aprenda com eles. Não tente imita-los, mas esteja aberto a fazer de modo diferente do que esta habituado a presenciar. Sirva como Apanhador durante um período.

 

-          Nunca julgue uma manifestação espiritual com ar de crítica, muito menos comente com outras pessoas sua opinião. O Espírito Santo não precisa de suas opiniões. Caso você não entenda alguma manifestação que tenha acontecido durante o período de intercessão, procure seu líder espiritual ou pastor para única e exclusivamente com ele esclarecer suas dúvidas. Caso seja manifestação carnal, cabe apenas ao líder espiritual ou pastor a tarefa de tratar reservadamente o caso, não aos intercessores.

 

-          A Bíblia nos ordena a julgar/provar as profecias e não aos profetas.

 

-          Deus é doido, Ele costuma nos surpreender com manifestações ainda mais doidas. Não seja religioso, nem fariseu... o maior problemas das equipes de ministração é quando religiosos se infiltram e ficam convencidos de são avivados.

 

-          Antes de interceder pela pessoa, ore pedindo a Deus que lhe revele o coração dela, suas necessidades e o conteúdo da ministração. Depois de orar por ela, se perceber que Deus não lhe trouxe nenhuma revelação ou direção para orar, comece a conversar com ela e pergunte-lhe se tem algum pedido de oração.

 

-          Nunca chegue atrasado a uma reunião,  culto ou vigília, caso chegar atrasado procure seu líder para justificar-se. Jamais ministre as pessoas sem antes preparar o seu coração.

-          Membros de uma Equipe de Intercessão, tem a obrigação de chegar no mínimo uma hora antes do início da reunião, a fim de conversarem sobre a direção do culto, confessarem uns aos outros eventuais pecados que tenham cometido, receberem a ministração e unção com óleo do líder encarregado e principalmente para manifestarem o poder de Deus na reunião.

 

-          Você não faz absolutamente nada, você é um mero facilitador do mover do Espírito Santo sobre a pessoa que esta sendo ministrada.

 

-          Demonstre Ordem, Segurança, Cooperação e Submissão. Assim sua vida estará livre de qualquer tipo de retaliação espiritual. É comum intercessores insubmissos e rebeldes serem poderosamente usados por Deus ao estarem debaixo da unção de um lider espiritual e depois sentirem ataques malignos em áreas pessoais como: casamento, finanças, saúde física. Normalmente são intercessores insubmissos que não concordam com seu líder e saem falando mal, não o procuram para conversar ou ainda se levantam para manipular membros da igreja. Você tem o direito de não permanecer debaixo de uma  determinada liderança espiritual, mas você não tem o direito de estar institucionalmente debaixo dessa liderança e no seu coração não a reconhecer e honrar como tal.

 

-          Nunca deixe que o sol se ponha sobre a sua ira. Quando algum líder, pastor ou pessoa da equipe errar com você, procure-o antes de ir embora para conversar e orar juntos pelo acontecimento. A transparência é a chave do crescimento.

 

-          Sempre que o Espírito Santo lhe der uma revelação, através de palavra de sabedoria, palavra de conhecimento ou discernimento de espíritos a respeito de qualquer pessoa ore e ministre segundo a direção recebida e depois da ministração, ESQUEÇA! Nunca comente com outros aquilo que Deus revelou a respeito de determinada pessoa, principalmente se ela não estiver presente. Apenas ministre a pessoa se você tiver autorização, caso contrário apenas ore e interceda a distância.

 

-          Jamais faça comentários a respeito da vida íntima de outra pessoa, com o intuito de “orar por ela”. Todo fofoqueiro utiliza esse argumento para espiritualizar seu desejo de degradar a imagem do outro.

 

-          Existe casos na equipe em que a liderança poderá proibir a ministração entre  pessoas de sexos opostos. Isso nem sempre é uma regra inflexível, mas quando receber uma direção desse tipo, obedeça, isso irá proteger você!

 

-          Quando estiver em igrejas ou ministérios diferentes, certifique-se da autorização para ministrar a qualquer pessoa. Ainda que o Espírito Santo lhe dê uma revelação clara a respeito de alguém e seu respectivo problema, não ministre em quanto não tiver obtido autorização para isso. Peça a autorização, e não tente pressionar o líder pelo simples fato de ter recebido uma revelação. Isso por si só não o qualifica para orar ou ministrar em ninguém. O líder pode preferir orar pessoalmente pelo assunto revelado. Caso não receba tal autorização, não tem problema nenhum, simplesmente ore em seu lugar sem ministrar pessoalmente.

 

-          Sempre ore com os olhos abertos, evite fechar os olhos enquanto estiver ministrando a outra pessoa. Quando possível ministre com um ou dois parceiros e observe as manifestações na pessoa por quem estiver orando.

 

-          Quando o pregador fizer algum apelo específico em sua mensagem, comece orando sobre o tema da pregação e depois ministre sobre eventuais assuntos que possam surgir em sua mente ou a pessoa pedir.

 

-          É comum líderes espirituais ou pastores testarem o nível de maturidade de sua equipe, e esporadicamente darem ordens difíceis de serem cumpridas sem justificarem as razões. Esteja atendo ao Espírito Santo, geralmente essas ordens são exatamente aquilo que o intercessor mais detesta de fazer. Você estará sendo testado e avaliado por sua reação.

 

-          Nunca se precipite em impor a mão para orar. Pergunte ao Espírito Santo se o deve fazer, naquele instante e naquela circunstância.

 

-          Nunca tome decisões que não são de sua responsabilidade, em caso de necessidade pergunte ao líder se pode fazer. Por exemplo: ligar ou desligar o ventilador ou ar condicionado; aumentar ou baixar o volume do som; dar algum depoimento ou testemunho; sugerir alguma música para ser cantada; etc.

 

-          Nunca diga para seu líder ou pastor o que ele precisa fazer. Existe muita falsa espiritualidade dentre de nossas igrejas, pessoas doentes, insubmissas e autoritárias geralmente recorrem a arte da bajulação para conseguir impor suas opiniões pessoais. Quando não conseguem por esses meios, tentam formar na maior parte do grupo um conceito, uma opinião diferente a do líder ou pastor. Geralmente essas pessoas são verdadeiramente cheias de boas intenções, porém os meios que utilizam são pecaminosos. Fique atento a esse tipo de intercessor ou voluntário, eles sempre estão presentes!

 

-          Caso sua vida espiritual com Deus não estiver muito boa, evite ministrar as pessoas. Acredito que Deus possa usar sua vida, mesmo quando você estiver passando pelo  pior dos Vales de Ossos Secos de sua história, mas talvez o melhor para você seja se preservar em determinadas situações. Não se preocupe com o que os outros vão pensar a seu respeito, será muito mais constrangedor quando Deus levantar alguém em mistérios para denunciar seu pecado ou um endemoninhado debochar de você.

 

-          Nunca devemos dar crédito ao que um demônio manifesto falar nos momentos que antecedem a expulsão. É anti-ético ficar conversando com pessoas possessas diante da igreja e expondo-as ao constrangimento. Já vi pessoas em estado de possessão mentir dizendo que determinado diácono estava roubando todos os cultos o dinheiro das ofertas sendo que aquele diácono que foi acusado nunca teve a tarefa de contar o dinheiro naquela igreja. Lembre-se o diabo veio para roubar, matar e destruir, ele é o pai da mentira.

 

-          Utilize roupas que lhe dê mobilidade, tenha sempre boa hálito e uma boavida de oração. Quando ministrar libertação não tenha medo nem seja tímido.

 

-          Procure ficar sempre até o final da reunião, caso isso não seja possível ao sair da local ore a Deus pedindo proteção, cobertura e revestimento espiritual. Quando estamos em aliança com nossas autoridades espirituais, apesar de muitas vezes termos cometido os piores pecados o inimigo não encontra brechas para nos atacar. Haverão brechas caso sua liderança não esteja sabendo mediante a confissão de seus pecados e você não compartilhe com seu pastor seu julgo espiritual.

 


AP - Tempo de Colher e não mais de Semear
por Pr. Jelson Becker

É Tempo de Colher e não Semear

 

A maioria dos crentes identificam a evangelização mais com semear do que com colher. Acredito que o tempo de semeadura já passou. Todo o Antigo Testamento e seus Profetas apontavam para Cristo, a Semente da Mulher que esmagaria a cabeça da serpente.

Eles semearam.... e com a Nova Aliança, surge o tempo da Ceifa... pois como Jesus mesmo ensinou: “A minha comida, é fazer a vontade daquele que me enviou e terminar o trabalho que ele me deu para fazer.  Vocês costumam dizer: "Daqui a quatro meses teremos a colheita. " Mas olhem e vejam bem os campos: O que foi plantado já está maduro e pronto para a colheita. Quem colhe recebe o seu salário, e o resultado do seu trabalho é a vida eterna para as pessoas. E assim tanto o que semeia como o que colhe se alegrarão juntos. Porque é verdade o que dizem: "Um semeia, e outro colhe."  Eu mandei vocês colherem onde não trabalharam; outros trabalharam ali, e vocês aproveitaram o trabalho deles.” Jo  4:34-38

 

É tempo de levantar os olhos e olhar para os campos, eles já estão prontos, Jesus já pagou o preço na cruz, basta sairmos para colher. Jesus nos manda colher onde outros já trabalharam... todos os profetas da Antiga Aliança e Jesus. Nossa tarefa é COLHER, COLHER e COLHER.

 

Não podemos perder mais tempo. Veja como Jesus é prático nesse texto: “A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou...”. Jesus era uma pessoa comprometida com os RESULTADOS, ele não ignorava o PROCESSO, mas seu foco de atenção sempre estava nos RESULTADOS.

 

Muitos igrejas hoje estão com seu foco apenas no PROCESSO, e deixaram de se preocupar com os RESULTADOS. A igreja precisa ser um lugar acolhedor, seguro e tranqüilo, mas isso não implica em PROCRASTINAÇÃO, FALTA DE PLANEJAMENTO e RESULTADOS.
O Presente Desafio para a Igreja

 

Vejo muitos evangelistas contemporâneos se preocupado mais com os métodos do que com o conteúdo da evangelização. Isso revela uma carência de aceitação e sobrevivência num contexto pluralista e relativista como o do terceiro milênio.

O evangelho é DOGMÁTICO, é a verdade absoluta de Deus. Portanto, não deve ser discutido em debates de opiniões, mas proclamado. Quando proclamado fielmente opõe-se radicalmente aos atuais conceitos espiritualistas de nossa sociedade. Como diria Cornelius Van Til: -“É uma colisão de frente a frente”.

Logo, cada cristão comprometido e maduro espiritualmente deve ser um apologista do evangelho em todos os lugares. “Antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós”. I Pe 3:15.

Calcula-se que há no mundo hoje mais de 12 mil povos que ainda não foram alcançados com o evangelho. São aproximadamente 1,5 bilhões de pessoas. Esses povos vivem nas áreas mais difícieis geográfica, lingüística e culturalmente.

A maioria habita em regiões de grandes problemas sociais como a miséria, fome, falta de saneamento, elevada poluição, outros em contextos ainda piores como guerras civis, campos de refugiados, epidemias, tráfego de drogas, etc. mas sobretudo vivem cobertos por densas trevas espirituais.

Alcançar esses grupos com a mensagem do evangelho e gerar discípulos frutíferos tem sido o grande desafio da igreja hodierna. Tanto num contexto local quanto no cenário transcultural as dificuldades são grandes e os recursos limitados. Logo nada mais prudente dedicarmos tempo e dobrar nossa atenção na formação de líderes realmente sábios e habilidosos em  multiplicar recursos e em maximizar potenciais.

As palavras ditas por Jesus em Mt 28:19-20 a aproximadamente dois mil anos atrás  continuam ressoando até os nossos dias atuais... como não perder o sono e ficar inquieto?

Nós não podemos ficar indiferentes diante da triste realidade que nos cerca, atualmente morrem aproximadamente 68 mil pessoas por dia no mundo inteiro, e a grande maioria dessas pessoas sem nunca terem ouvido falar sobre a Salvação que havia para elas em Jesus Cristo.

Somos aproximadamente 6 bilhões de habitantes no mundo, destes aproximadamente dois bilhões são cristãos. Porém se analisarmos profundamente, chegaremos a conclusão que desses 2 bilhões de cristãos muitos são apenas nominais, outros católicos romanos... Outros 4 bilhões de habitantes dividem-se entre: Espiritismo, Agnosticismo, Ateísmo, Islamismo, Budismo, Hinduísmo, Confucionismo, Shintoismo e tantos outros “...ismos” que existem pelo mundo a fora.

Especificamente no Brasil, temos o grande desafio de alcançar os adeptos das seitas que se multiplicam assustadoramente em nossos bairros, cidades e estados.

 

I – Os Mórmons (Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias)

 

Em 1982, uma média de 627 novos membros eram acrescentados ao rol dessa seita todos os dias. Durante o ano de 1981, patrocinaram mais de 30 mil missionários de tempo integral.

Um missionário geralmente é um jovem com o mínimo 19 anos de idade, e gasta em média um a dois anos de sua vida servindo como missionário em outra cidade ou país.

Cada um procura fazer 60 a 70 horas de proselitismo semanal, o que inclui:

 

-                            25 horas para visitar lares e deixar material impresso;

-                            vender 12 exemplares do livro de Mórmon;

-                            conduzir 6 discussões sobre a sua crença e

-                            comunicar-se com 300 pessoas por semana.

 

Além dessa rotina semanal, são pressionados a ganhar pelo menos 6 novos adeptos à sua religião por ano.

Ao término de dois anos de trabalho como missionários, eles terão alcançado:

                   

-                            25 horas x 4 semanas x 24 meses = 2400 horas de visitação a lares e distribuição de literatira;

-                            12 x 4 semanas x 24 meses = 1152 exemplares do livro de Mórmon vendidos;

-                            6 x 4 semanas x 24 meses = 576 discussões sobre a sua crença e

-                            300 x 4 semanas x 24 meses = 28.800  pessoas com as quais eles se comunicaram.

 

Todo esse trabalho deve gerar no mínimo 6 pessoas ao ano, logo 6 x 2 = 12 novos adepto em dois anos.

 
II – Os Testemunhas de Jeová

 

No ano de 1983, missionários trabalhando em mais de 200 países foram responsáveis por mais de 161.896 batismos. Um total de 436.720.991 horas gastas em conseguir estes resultados.

Uma média de 2 mil a 3 mil horas de trabalho foram  despendidas para cada pessoa que eles conseguiram levar até o batismo.

No Brasil, porém, gastam em média 1.584 horas de trabalho por batismo, resultando em 11.649 batismos só e, 1983. Esse fato se deve ao baixo nível de informação da sociedade, pouco cultura, pouca leitura e principalmente pouca profundidade espiritual... na grande maioria católicos e evangélicos nominais acabam sendo os alvos preferidos por eles, pois segundo eles é muito fácil influenciá-los.

III – A Igreja da Unificação (Os Moonies)

 

Sun myung Moon, fundador e “pastor-presidente” dessa seita tem demonstrado uma capacidade fora de série de atrair jovens para sua organização. Ele usa seu exército de moços e moças para difundir seu programa mundial. Atualmente reside no Uruguai, onde recebeu asilo político depois de ter sido expulso da Coréia do Sul.

Possui um discurso messiânico e acredita ser uma espécie de reencarnação de Jesus Cristo... diz que o primeiro Cristo falhou ao morrer numa cruz, mas que ele não falhará.

O Brasil é uma espécie de “mostruário” chave dessa seita, pois como sabemos é um país muito miscigenado culturalmente, servindo de gigantesco laboratório para outras culturas. Existe uma sede nacional com mais de 24 filiais estaduais, mais de cem igrejas estabelecidas e mais de mil congregações só em nosso território nacional. Esta literalmente construindo uma cidade no estado do Mato Grosso, de onde pretende expandir sua organização para todos os países da  América. No Uruguai é dono de um banco privado.

Existe uma organização chamada International Relief Friendship Foundation, que significa Fundo Internacional de Socorro Social e Amizade. Essa instituição é mantida pela Igreja da Unificação, e angariam verba de diversos governos para seus projetos internacionais.

 
IV – O Islamismo no Brasil

 

O Brasil também tem sido um país alvo do Plano de Islamização do Ocidente. Nosso país possui mais de 11 milhões de brasileiros de origem árabe, senda a maioria católica ou ortodoxa, enquanto a outra parte são praticantes do islamismo.

De acordo com dados do livro Intercessão Mundial, oficialmente existe cerca de 0,1% de mulçumanos no Brasil, mas segundo essa fonte os mulçumanos alegam ser 1,4% da população brasileira. Dados da Sociedade Beneficente Mulçumana de São Paulo, dizem existir mais de um milhão de mulçumanos praticantes no Brasil, sendo 150 mil mulçumanos praticantes só no Estado de São Paulo, com 8 mesquitas na grande capital, 50 mesquitas em todo o Estado e mais de 200 mesquitas espalhadas nas principais cidades do Brasil.

Entre as cidades com maior concentração de mulçumanos encontra-se São Bernardo do Campo-SP e Foz do Iguaçu-PR.

A proposta atual é expandir o islamismo para as demais regiões do Brasil desenvolvendo uma aproximação estratégica com diversos ramos da sociedade, e investimentos na mídia através de programas de rádio, televisão destacando-se as novelas da rede globo.

Em diversas cidades do Brasil novas mesquitas, centros e escolas islâmicas estão sendo construídas. Em São Paulo, tive o privilégio de me reunir com alguns jovens que estudavam em uma escola Islâmica, cursavam o primeiro grau regular e realizavam estudos bíblicos em secreto nos intervalos das aulas e horário de recreio.

 
IV – Nova Era e diversos movimentos contraditórios

 

Além dessas grandes seitas e religiões que estão crescendo assustadoramente em nosso país, temos  movimentos contraditórios como por exemplo: Hare Krishna, O Caminho, Sei-cho-noie, BLIA, Ciência Cristã, Meninos de Deus, Filhos da Luz... O Espiritismo Kardecista deve ser o mais difundido entre os católicos romanos, sem falar no baixo espiritismo como é o caso do Candomblé e outros cultos africanos.

 

A triste verdade a respeito do crescimento de todas essas seitas é que o solo mais fértil para elas tem sido os “evangélicos analfabetos”, ou melhor, cristãos que um dia passaram a freqüentar uma igreja, mas jamais foram devidamente Discipulados. As palavras de Oséias 4:6a são muito bem vindas para a igreja de hoje: “O meu povo tem sido destruído, porque lhe falta o conhecimento”.

Adeptos de seitas tem demonstrado mais carinho e dedicação do que muitos pastores e membros de igrejas evangélicas. Como permanecer parado diante desse grande desafio? Ou nós acreditamos que o Evangelho é a palavra de Deus para a salvação do homem ou nossa fé não passará de ritos e mera simbologia.

 

Não podemos permanecer calados, quando conhecemos a resposta que o mundo precisa ouvir: Jesus.

 
A Resposta de Deus para Essa Situação

 
“A igreja é a única instituição capaz de resolver o problema do homem com Deus!”

 

A humanidade tem sede e fome de Deus. Para saciar seus anseios o homem tem recorrido a todo tipo de religião e seita. Elas só tem crescido porque eu e você, a igreja tem falhado em sua função profética.

Muitos de nós tem permanecido sentados, enquanto eles trabalham dia e noite.

Muitas das nossas igrejas estão preocupadas em construir algo novo, enquanto eles estão preocupados em distribuir literatura e visitar lares.

Muitos dos nossos estão cansados, sem tempo e/ou sem prioridades, enquanto eles estão comprometidos com uma doutrina que nós sabemos o quanto é demoníaca.

Nós temos a resposta para a Salvação, mas outros tem trabalho muito mais...

Pense bem: - Se todas essas seitas e religiões, tem realizado tamanho esforço para alcançar lares com suas doutrinas, por que eu e você não podemos realizar muito mais do que eles para alcançarmos vidas com a verdade da salvação em Jesus Cristo?

Se eles que estão comprometidos com uma doutrina errada, enganosa conseguem levar adiante seus planos, por que nós que estamos comprometidos com a verdade do evangelho não podemos realizar planos ainda maiores?  È tempo de despertar igreja!

 

“ Se você quer fazer crescer alguma coisa para durar um estação, plante flores.

Se quiser fazer crescer alguma coisa para durar uma vida inteira, plante árvores.

Mas se quiser fazer crescer alguma coisa por toda a eternidade, plante igrejas e ganhe almas para Jesus.”

 

Deus tem levantado em nossa geração um grupo de homens e mulheres cheios do Espírito Santo. Com um coração voltado para missões e evangelismo local, são crianças, jovens, adultos e idosos que não medem esforços para mudar esses números e dar a volta por cima dessa situação.

 

A pressão da sociedade em nossos dias não é diferente da pressão e perseguição que todos os profetas sofreram no passado. Nossos jovens hoje, continuam sendo alvo do pecado semelhante a jovens cheios do Espírito como Josué, José no Egito ou Daniel e seus amigos.

 

È nesse contexto que Deus tem soprado seu Espírito Santo, e levantado das cinzas e dos ossos secos um grande exército de homens e mulheres cheios de amor pelos perdidos. Pessoas comprometidas em propagar o evangelho, e para tanto não medem esforços. Contribuem com seu tempo, talento, recursos financeiros e principalmente com suas vidas.

 

Você é a resposta de Deus para essa situação. Você é a resposta de Deus para as seitas, as religiões pagãs e para essa sociedade corrompida pelo pecado que persegue os crentes e apedreja os seus profetas. Proclamar o evangelho e reunir os convertidos em comunidades locais é o método estabelecido por Deus em sua palavra (At 14:21-28), para restaurar nossa sociedade sem Deus.

 



AP - Tipos de Oração
por Pr. Jelson Becker

Tipos de oração:

 

"Com toda oração e súplica, orando em todo o tempo no espírito e para isto vigiando com toda a perseverança e súplica por todos os santos." Efésios 6:18.

Há diversos tipos ou espécies de oração e cada uma delas segue princípios claros. Através da oração, podemos pedir algo para Deus, mas nem todas as nossas orações são de petição. Através de algumas orações, podemos simplesmente adorar a Deus e louva-lo, sem emitir nenhum som musical. Existem ainda outras orações que visam alterar uma circunstância em nossa vida ou na vida de terceiros. A todas elas Deus deseja ouvir.

"Ó Tu que escutas as orações, a Ti virão todos os homens" Salmo 65:2, pois "A oração dos retos é o Seu contentamento" Provérbios 15:8b.

 

Existem Três “Centros” Diferentes para nossas Orações:

 

a) Deus no Centro das Nossas Orações: Há orações que são dirigidas a Deus, visando a pessoa Dele, o que Ele é, o que Ele faz e o que Ele nos tem feito. Oramos apenas para apresentar-Lhe nossa gratidão, louvor e adoração. Dentro deste foco, destaco:

Orações de Ações de Graça - A expressão do nosso reconhecimento e gratidão a Deus pelo que Ele nos tem feito. Basicamente é a oração que expressa gratidão a Deus pelas bênçãos que Ele tem derramado sobre nós.

Orações de Louvor - A oração de louvor é um passo além das ações de graça. São expressões de louvor a Deus pelo que Ele faz. Louvar é reunir todos os feitos de Deus e expressá-los em palavras, numa atitude de exaltação e glorificação ao Seu Nome, que é digno de ser louvado.

Orações de Adoração - O tipo de oração que exalta a Deus pelo que Ele é. É a entrada no Santo dos Santos para responder ao amor do Pai. Ali nada fala do homem, mas dEle. É o reconhecimento do que Ele é. É a resposta do nosso amor ao amor Divino.

Salmos 57:7 “Preparado está o meu coração, ó Deus, preparado está o meu coração; cantarei e salmodiarei.”

Salmos 108:1 “Preparado está o meu coração, ó Deus; cantarei e salmodiarei com toda a minha alma.”

 

b) Nós no Centro das Nossas Orações: Aqui vamos a Deus para apresentar necessidades pessoais. Embora falando com Deus, o foco da atenção é a resposta de nossas necessidades. Vamos a Deus em busca de uma resposta para a alteração de alguma circunstância em nossa vida.  Destaco os seguintes tipos de oração:

Orações de Petição - É "um pedido formal a Deus, um poder maior". É a apresentação a Deus de um pedido, visando satisfazer uma necessidade pessoal, tendo como base uma promessa de Deus. Nesse tipo de oração já temos o conhecimento de qual é a Sua vontade, pelo que o pedido será feito em fé, com a certeza da resposta, antes mesmo da sua manifestação, de acordo com Marcos 11:24; I Jo 5:14-15.

Mateus 7:7 “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á.”

Lucas 11:9 “Por isso, vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á.”

João 16:24 “Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa.”

Orações de Consagração - É uma atitude de submissão à vontade de Deus. Essa oração é para as ocasiões em que a vontade de Deus é desconhecida. Exige espera, consagração e inteira disposição de conhecer e seguir a vontade do Pai.

Orações de Entrega - É a transferência de um cuidado ou inquietação para Deus. É lançar o cuidado sobre o Senhor, com um conseqüente descanso. Essa oração é feita quando um cuidado, um problema ou inquietação. nos bate à porta.

 

c) Os Outros no Centro das Nossas Orações: Aqui vamos a Deus como sacerdotes, como intercessores, levando a necessidade de outra pessoa. Nosso motivo primeiro é ver as circunstâncias alteradas na vida de outrem. Esta é a oração de intercessão. Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa.

Na Nova Aliança todos os crentes em Cristo Jesus são chamados ao Sacerdócio Real, pois o véu que separava-nos do Pai foi rasgado e não temos mais a necessidade de um intermediário para podermos nos achegar a Deus. Jesus disse: ”Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, ninguém vem ao Pai senão por mim.”

1 Pedro 2:5 “também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo.”

1 Pedro 2:9 “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;”

Tiago 5:15-17 “E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica [oração] do justo. Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos, e orou, com instância, para que não chovesse sobre a terra, e, por três anos e seis meses, não choveu.”

Formas de Orar:

 

Não deve existir uma forma engessada, robótica ou mecânica para orarmos, quando detectarmos que nossas orações estão perdendo a espontaneidade, temos que tomar cuidado! Será que existe uma fórmula ou uma “receita de bolo” para seguirmos? Como devemos orar?

Jesus destaca a sinceridade de nosso coração, e não as muitas repetições vazias (Mt 6:7). Podemos orar em silêncio (1 SM 1:13) ou em voz alta, gritando (Ne 9:4, Ed 3 e Ez 11.13). Podemos orar com nossas próprias palavras, ou usando a própria Escritura. Podemos orar com nossa mente, ou em Espírito (1 Co 14:14-18). Podemos até orar sem palavras discerníveis, apenas com gemidos (Rm 8:26-17) com a convicção de que o Espírito Santo levará ao Pai essas petições indiscerníveis. Outra forma de orarmos é cantando (Sl 32:1-2; Ef 5:19-20; Cl 3:16). Podemos orar por longos períodos acompanhado por jejum (Ed 8:21; Ne 1:4; Dn 9:3-4 Lc 2:37; At 14:23).

Alguns “fariseus avivados”, gostam de emitir opiniões a respeito de qual seria a melhor posição do corpo para orar, mas a Bíblia menciona: Em pé (Ne 9:4-5); sentadas (1 Cr 17:16; Lc 10:13); ajoelhadas (Ed 9:5; Dn 6:10; At 20:36); acamadas (Sl 63:6); curvadas até o chão (Ex 34:8; Sl 95:6); prostrados no chão (2 Sm 12:16; Mt 26:39) ou ainda com as mãos levantadas para os céus (Sl 28:2; Is 1:15; 1 Tm 2:8).

 

Oração Particular: Mateus 6:6 “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará”. Cada filho de Deus tem direito de entrar em Sua presença, com confiança, e apresentar-Lhe a oração da fé (Hebreus 4:16). Nessa forma de oração só o Espírito de Deus é testemunha. Ela pode ser feita apenas no coração, ou em palavras audíveis.

 

Oração de Concordância em Grupos: Mateus 18:18-20 “Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado nos céus, e tudo o que desligardes na terra terá sido desligado nos céus. Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai, que está nos céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles.” Aqui, dois ou três se reúnem em comum acordo sobre o que pedem a Deus. Há um poder liberado através da concordância. Essa é uma oração, impossível de ser realizada apenas em pensamento, faz-se necessário orar em tom audível, pois como alguém poderá concordar com sua oração se não a ouvir?

 

Oração Coletiva ou Clamor: Atos 4:23-31 “Uma vez soltos, procuraram os irmãos e lhes contaram quantas coisas lhes haviam dito os principais sacerdotes e os anciãos.  Ouvindo isto, unânimes, levantaram a voz a Deus e disseram: Tu, Soberano Senhor, que fizeste o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há; que disseste por intermédio do Espírito Santo, por boca de Davi, nosso pai, teu servo: Por que se enfureceram os gentios, e os povos imaginaram coisas vãs?

Levantaram-se os reis da terra, e as autoridades ajuntaram-se à uma contra o Senhor e contra o seu Ungido; porque verdadeiramente se ajuntaram nesta cidade contra o teu santo Servo Jesus, ao qual ungiste, Herodes e Pôncio Pilatos, com gentios e gente de Israel, para fazerem tudo o que a tua mão e o teu propósito predeterminaram; agora, Senhor, olha para as suas ameaças e concede aos teus servos que anunciem com toda a intrepidez a tua palavra,  enquanto estendes a mão para fazer curas, sinais e prodígios por intermédio do nome do teu santo Servo Jesus.

Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.”  Esta é feita quando o Corpo se une em oração. É uma oração de concordância com um número maior. Quando um corpo de cristãos levanta sua voz a Deus, unânime, não só na palavra ou expressão, mas no mesmo espírito, como na Igreja de Jerusalém, há uma grande liberação do poder de Deus.

Vamos ver Esdras 3:10-13 “Quando os edificadores lançaram os alicerces do templo do SENHOR, apresentaram-se os sacerdotes, paramentados e com trombetas, e os levitas, filhos de Asafe, com címbalos, para louvarem o SENHOR, segundo as determinações de Davi, rei de Israel. Cantavam alternadamente, louvando e rendendo graças ao SENHOR, com estas palavras: Ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre sobre Israel. E todo o povo jubilou com altas vozes, louvando ao SENHOR por se terem lançado os alicerces da sua casa. Porém muitos dos sacerdotes, e levitas, e cabeças de famílias, já idosos, que viram a primeira casa, choraram em alta voz quando à sua vista foram lançados os alicerces desta casa; muitos, no entanto, levantaram as vozes com gritos de alegria. De maneira que não se podiam discernir as vozes de alegria das vozes do choro do povo; pois o povo jubilava com tão grandes gritos, que as vozes se ouviam de mui longe”.

 

Orando a Palavra de Deus: Sabemos que a palavra de Deus é a verdade e é através de sua palavra que seu caráter é revelado. Servimos a um Deus que criou todas as coisas através da liberação de sua palavra. Quando oramos os textos da palavra de Deus, trazemos a verdade divina que expressa os valores do próprio Deus diante Dele mesmo, “fazendo lembrado o Senhor”.

Não existe nada no universo maior do que o próprio Deus, portanto trazemos sua palavra diante da sua presença e oramos segundo as promessas registradas nas sagradas escrituras. Essa união entre o Espírito Santo e a Palavra de Deus libera o poder de Deus através de nossas vidas.

a) O Uso da Palavra - Orar a Palavra é tomar a promessa de Deus e leva-la de volta a Ele, através da oração, no espírito. Veja Isaías 62:6-7 “Sobre os teus muros, ó Jerusalém, pus guardas, que todo o dia e toda a noite jamais se calarão; vós, os que fareis lembrado o SENHOR, não descanseis, nem deis a ele descanso até que restabeleça Jerusalém e a ponha por objeto de louvor na terra”.

Existe poder em nossas palavras, e quando oramos com respaldo bíblico e unção do Espírito Santo, o poder de Deus entra em operação.  Mateus 12:37 “porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado.”

Quem ora a Palavra já começa com a resposta. A vontade de Deus é a Sua Palavra e toda oração de acordo com Sua vontade, Ele ouve. A Palavra elevada a Deus em oração, não voltará vazia (Is. 55: l0-11).

 

b) Orando no Espírito - (Veja 1 Co. 14:14; Ef. 6:18; Jd. 20)  Em áreas conhecidas pela mente, podemos aplicar a Palavra escrita, orando de acordo com o nosso entendimento. Mas, quando chegamos ao limite do nosso entendimento, o Espírito Santo vem em nosso auxílio. Existem momentos de tamanha dor, angústia e sofrimento que estamos tão confusos que não sabemos nem por onde começar a orar. 

Romanos 8:26-27 “Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos”. Em momentos assim, podemos orar no espírito, pelo Espírito de Deus, e isso, para além de um recurso tremendo, pois oramos em linha com o coração do Pai, é uma arma poderosa contra as forças das trevas.

Romanos 12:2 ”E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

2 Coríntios 10:4-6 “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo, e estando prontos para punir toda desobediência, uma vez completa a vossa submissão”.

 

Oração de Perseverança: A oração tem terríveis inimigos no reino das trevas, mas Deus nos deu os recursos inesgotáveis da Sua graça para nos conduzir em triunfo. Daniel 10:12-21 revela o conflito espiritual para impedir a resposta às nossas orações. Durante 21 dias o “príncipe da Pérsia” resistiu aos anjos do Senhor, até que foi derrotado. A perseverança em nossas oração é uma característica muito importante.

Pessoalmente creio que já perdi muitas bênçãos espirituais por desfalecer ao longo de meus propósitos de jejum e oração. A preguiça, falta de fé ou simplesmente indiferença podem impedir-nos de ver os sonhos de Deus realizados em nossas vidas.

Tiago 1:4-8 “Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa; homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos.”

Tiago 4:7-10 “  Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros. Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração. Afligi-vos, lamentai e chorai. Converta-se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria, em tristeza. Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará.”

Ensinou Jesus uma parábola sobre a perseverança na oração: Lucas 18:1 “E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer”

 

Oração de Guerra: Após a longa descrição de como é a armadura espiritual do cristão, o apóstolo Paulo encerra dizendo: “Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos e também por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do evangelho” Efésios 6:17-19.

Fica claro que a oração tem seu aspecto de batalha espiritual, porém em  2 Coríntios 10:4-5 revela-nos que temos armas, da parte de Deus, para vencer essa batalha. Jesus já nos deu autoridade de ligar e desligar (Mt. 18:18). Podemos lançar mão dessa autoridade e declarar guerra às forças de Satanás, enfrentando-as:

 

a)                       Na autoridade do nome de Jesus - A Quem tudo está sujeito!

Marcos 16:17-18 “Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados”.

 

b)                       Com a arma de combate, que é a Palavra de Deus Ef. 6:17

 

c)                       Sob a cobertura do sangue de Cristo e no poder do Espírito Santo

Apocalipse 12:11 “Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida”.

Lucas 4:13-14 “Passadas que foram as tentações de toda sorte, apartou-se dele o diabo, até momento oportuno. Então, Jesus, no poder do Espírito, regressou para a Galiléia, e a sua fama correu por toda a circunvizinhança.”

 O inimigo será vencido por um poder maior Mateus 12:28-30 “Se, porém, eu expulso demônios pelo Espírito de Deus, certamente é chegado o reino de Deus sobre vós. Ou como pode alguém entrar na casa do valente e roubar-lhe os bens sem primeiro amarrá-lo? E, então, lhe saqueará a casa. Quem não é por mim é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha.”

1 João 4:4 “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo”.

 

d)                       Enfrentamos o inimigo falando diretamente a ele, exercendo nossa fé na obra do Calvário. "Resisti ao diabo e ele fugirá de vós" Tiago 4:7

 

Sugestões Práticas para Equipes de Intercessão
por Pr. Jelson Becker

Regras Práticas para uma Equipe de Intercessão:

 

Em todo agrupamento de pessoas, sempre surgem problemas de relacionamento e espirituais. Porém em grupos de louvor e adoração e equipes de ministração espiritual esses cuidados precisam ser dobrados.

Existem diversas maneiras e formas de se conduzir uma equipe de intercessão. Tenho desenvolvido alguns princípios que quando aplicados a esses grupos de ministração espiritual tem apresentado significativos resultados:

 

-          Nunca ministre fora da autorização e supervisão  de um líder espiritual ou  pastor.

 

-          Preste atenção aos intercessores mais experientes, aprenda com eles. Não tente imita-los, mas esteja aberto a fazer de modo diferente do que esta habituado a presenciar. Sirva como Apanhador durante um período.

 

-          Nunca julgue uma manifestação espiritual com ar de crítica, muito menos comente com outras pessoas sua opinião. O Espírito Santo não precisa de suas opiniões. Caso você não entenda alguma manifestação que tenha acontecido durante o período de intercessão, procure seu líder espiritual ou pastor para única e exclusivamente com ele esclarecer suas dúvidas. Caso seja manifestação carnal, cabe apenas ao líder espiritual ou pastor a tarefa de tratar reservadamente o caso, não aos intercessores.

 

-          A Bíblia nos ordena a julgar/provar as profecias e não aos profetas.

 

-          Deus é doido, Ele costuma nos surpreender com manifestações ainda mais doidas. Não seja religioso, nem fariseu... o maior problemas das equipes de ministração é quando religiosos se infiltram e ficam convencidos de são avivados.

 

-          Antes de interceder pela pessoa, ore pedindo a Deus que lhe revele o coração dela, suas necessidades e o conteúdo da ministração. Depois de orar por ela, se perceber que Deus não lhe trouxe nenhuma revelação ou direção para orar, comece a conversar com ela e pergunte-lhe se tem algum pedido de oração.

 

-          Nunca chegue atrasado a uma reunião,  culto ou vigília, caso chegar atrasado procure seu líder para justificar-se. Jamais ministre as pessoas sem antes preparar o seu coração.

-          Membros de uma Equipe de Intercessão, tem a obrigação de chegar no mínimo uma hora antes do início da reunião, a fim de conversarem sobre a direção do culto, confessarem uns aos outros eventuais pecados que tenham cometido, receberem a ministração e unção com óleo do líder encarregado e principalmente para manifestarem o poder de Deus na reunião.

 

-          Você não faz absolutamente nada, você é um mero facilitador do mover do Espírito Santo sobre a pessoa que esta sendo ministrada.

 

-          Demonstre Ordem, Segurança, Cooperação e Submissão. Assim sua vida estará livre de qualquer tipo de retaliação espiritual. É comum intercessores insubmissos e rebeldes serem poderosamente usados por Deus ao estarem debaixo da unção de um lider espiritual e depois sentirem ataques malignos em áreas pessoais como: casamento, finanças, saúde física. Normalmente são intercessores insubmissos que não concordam com seu líder e saem falando mal, não o procuram para conversar ou ainda se levantam para manipular membros da igreja. Você tem o direito de não permanecer debaixo de uma  determinada liderança espiritual, mas você não tem o direito de estar institucionalmente debaixo dessa liderança e no seu coração não a reconhecer e honrar como tal.

 

-          Nunca deixe que o sol se ponha sobre a sua ira. Quando algum líder, pastor ou pessoa da equipe errar com você, procure-o antes de ir embora para conversar e orar juntos pelo acontecimento. A transparência é a chave do crescimento.

 

-          Sempre que o Espírito Santo lhe der uma revelação, através de palavra de sabedoria, palavra de conhecimento ou discernimento de espíritos a respeito de qualquer pessoa ore e ministre segundo a direção recebida e depois da ministração, ESQUEÇA! Nunca comente com outros aquilo que Deus revelou a respeito de determinada pessoa, principalmente se ela não estiver presente. Apenas ministre a pessoa se você tiver autorização, caso contrário apenas ore e interceda a distância.

 

-          Jamais faça comentários a respeito da vida íntima de outra pessoa, com o intuito de “orar por ela”. Todo fofoqueiro utiliza esse argumento para espiritualizar seu desejo de degradar a imagem do outro.

 

-          Existe casos na equipe em que a liderança poderá proibir a ministração entre  pessoas de sexos opostos. Isso nem sempre é uma regra inflexível, mas quando receber uma direção desse tipo, obedeça, isso irá proteger você!

 

-          Quando estiver em igrejas ou ministérios diferentes, certifique-se da autorização para ministrar a qualquer pessoa. Ainda que o Espírito Santo lhe dê uma revelação clara a respeito de alguém e seu respectivo problema, não ministre em quanto não tiver obtido autorização para isso. Peça a autorização, e não tente pressionar o líder pelo simples fato de ter recebido uma revelação. Isso por si só não o qualifica para orar ou ministrar em ninguém. O líder pode preferir orar pessoalmente pelo assunto revelado. Caso não receba tal autorização, não tem problema nenhum, simplesmente ore em seu lugar sem ministrar pessoalmente.

 

-          Sempre ore com os olhos abertos, evite fechar os olhos enquanto estiver ministrando a outra pessoa. Quando possível ministre com um ou dois parceiros e observe as manifestações na pessoa por quem estiver orando.

 

-          Quando o pregador fizer algum apelo específico em sua mensagem, comece orando sobre o tema da pregação e depois ministre sobre eventuais assuntos que possam surgir em sua mente ou a pessoa pedir.

 

-          É comum líderes espirituais ou pastores testarem o nível de maturidade de sua equipe, e esporadicamente darem ordens difíceis de serem cumpridas sem justificarem as razões. Esteja atendo ao Espírito Santo, geralmente essas ordens são exatamente aquilo que o intercessor mais detesta de fazer. Você estará sendo testado e avaliado por sua reação.

 

-          Nunca se precipite em impor a mão para orar. Pergunte ao Espírito Santo se o deve fazer, naquele instante e naquela circunstância.

 

-          Nunca tome decisões que não são de sua responsabilidade, em caso de necessidade pergunte ao líder se pode fazer. Por exemplo: ligar ou desligar o ventilador ou ar condicionado; aumentar ou baixar o volume do som; dar algum depoimento ou testemunho; sugerir alguma música para ser cantada; etc.

 

-          Nunca diga para seu líder ou pastor o que ele precisa fazer. Existe muita falsa espiritualidade dentre de nossas igrejas, pessoas doentes, insubmissas e autoritárias geralmente recorrem a arte da bajulação para conseguir impor suas opiniões pessoais. Quando não conseguem por esses meios, tentam formar na maior parte do grupo um conceito, uma opinião diferente a do líder ou pastor. Geralmente essas pessoas são verdadeiramente cheias de boas intenções, porém os meios que utilizam são pecaminosos. Fique atento a esse tipo de intercessor ou voluntário, eles sempre estão presentes!

 

-          Caso sua vida espiritual com Deus não estiver muito boa, evite ministrar as pessoas. Acredito que Deus possa usar sua vida, mesmo quando você estiver passando pelo  pior dos Vales de Ossos Secos de sua história, mas talvez o melhor para você seja se preservar em determinadas situações. Não se preocupe com o que os outros vão pensar a seu respeito, será muito mais constrangedor quando Deus levantar alguém em mistérios para denunciar seu pecado ou um endemoninhado debochar de você.

 

-          Nunca devemos dar crédito ao que um demônio manifesto falar nos momentos que antecedem a expulsão. É anti-ético ficar conversando com pessoas possessas diante da igreja e expondo-as ao constrangimento. Já vi pessoas em estado de possessão mentir dizendo que determinado diácono estava roubando todos os cultos o dinheiro das ofertas sendo que aquele diácono que foi acusado nunca teve a tarefa de contar o dinheiro naquela igreja. Lembre-se o diabo veio para roubar, matar e destruir, ele é o pai da mentira.

 

-          Utilize roupas que lhe dê mobilidade, tenha sempre boa hálito e uma boavida de oração. Quando ministrar libertação não tenha medo nem seja tímido.

 

-          Procure ficar sempre até o final da reunião, caso isso não seja possível ao sair da local ore a Deus pedindo proteção, cobertura e revestimento espiritual. Quando estamos em aliança com nossas autoridades espirituais, apesar de muitas vezes termos cometido os piores pecados o inimigo não encontra brechas para nos atacar. Haverão brechas caso sua liderança não esteja sabendo mediante a confissão de seus pecados e você não compartilhe com seu pastor seu julgo espiritual.

 


AP - Você Precisa Orar
por Pr. Jelson Becker

Você Precisa Orar

 

Como filho de Deus, você precisa conversar com seu Pai celestial. Mesmo achando que não sabe falar com ele, experimente! Ele terá prazer em ouvir e responder às suas orações.

 

1 -  Ore sozinho, diretamente ao Pai. Jesus disse: “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto, e, fechada a porta, orarás a teu Pai”. Mateus 6.6

 

2 - Ore com humildade. Deus resiste aos _______________, contudo aos humildes concede a sua _______________.” I Pedro 5.5

 

3 - Ore em Nome de Jesus. Jesus disse: “Ninguém vem ao Pai senão por mim.” João 14.6 “E tudo a quanto_______________ em meu _______________, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedires alguma coisa em meu nome, eu o farei.” João 14.13-14 Nada de outros intermediários, apenas Jesus.

 

4 - Ore de consciência pura. Se tiveres cometido pecados, confesse-os. “Se eu atender à iniqüidade em meu coração, o Senhor não me ouvirá.” Salmo 66.18. Por outro lado , “Se o coração não nos acusar, temos confiança diante de Deus; e aquilo que pedimos dele recebemos.” I João 3.21-22. Se você tiver ofendido ou prejudicado a alguém, procure a esta pessoa, peça-lhe perdão e faça o acerto que for necessário.

5 - Ore com ações de graça. Não esqueça de dizer: “Obrigado, Pai.” “Em _______________ daí graças, porque esta é a _______________ de Deus em Cristo Jesus para conosco.” I Tessalonicenses 5.18.

 

6 - Ore diariamente. Tenha uma hora e lugar para orar diariamente, de preferência sempre à mesma hora. Cedinho, pela manhã, é excelente ocasião para buscar a presença do Pai. “Pela manhã ______________________________ ó Senhor; pela manhã _______________ a ti, e ficarei esperando.” Salmo 5.3. Lutero certa ocasião disse: “Se eu não dispensar duas horas em oração todas as manhãs, o diabo terá vitória o dia inteiro.”

 

7 - Ore esperando receber a resposta. “Tudo quanto em oração pedires, _______________ que recebestes, e será assim convosco.” Marcos 11.24

 

8 - Ore com naturalidade, usando suas próprias palavras. Não procure imitar orações dos outros e nem fique repetindo palavras vazias ensinadas por outros. “E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos.” Mateus 6.7. Cada um tem sua própria maneira de se expressar, fuja da formalidade e do intelectualismo.

 

9 - Ore segundo a vontade de Deus. “E esta é a _______________ que temos para com ele, que, se _______________ alguma cousa segundo a sua _______________, ele nos ouve. E se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito.” I João 5.14-15

 

10 - Ore com persistência. Se a resposta não vier imediatamente, continue orando e diga a Deus que crê que a resposta virá. “_______________ e dar-se-vos-á; _______________, e achareis; _______________ e abrir-se-vos-á.” Lucas 11.9

 

11 - Ore com um companheiro. Sempre que possível procure estar com os irmãos orando. Cada pessoa deve orar sozinho, mas existem momentos em que precisamos de um parceiro. “Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles.” Mateus 18.20. Procure tomar posse desta promessa !!!

 

12 – Peça a Deus o dom de orar em línguas estranhas e em “mistérios com Deus”. As pessoas que receberam esse dom devem procurar praticá-lo sempre, pois quem fala em línguas fala melhor com Deus, não fala a homens. Comunica-se diretamente com Deus sem a interferência de sua mente pecadora, carnal e humana (I Co 14.2).

Devemos falar em línguas porque assim falamos em mistérios, Deus estará nos concedendo compreensão de assuntos que acontecem no Reino do Espírito e que racionalmente não conseguiríamos compreender; Deus nos concede esta compreensão quando oramos em mistérios.

Em línguas nosso espírito fala diretamente com Deus, pois nossa mente fica infrutífera (I Co 14.14). Devemos falar em línguas porque assim recebemos edificação pessoal (I Co 14.4). Devemos orar em línguas porque isso serve de sinal para os incrédulos (I Co 14.22). Paulo falava em Línguas, e dava graças a Deus por este Dom (I Co 14.18). Também desejava que todos falassem em outras línguas e desejava mais ainda que profetizassem (I Co 14.5), mas no entanto ele nos adverte quanto ao perigo de super valorizarmos este dom e quem o possui, como se eles fosse maiores e mais importantes do que os demais dons e irmãos que possuem outros Dons (I Co 12.12-31).

Não devemos orar para escândalo nem confusões (I Co 14.33), nem proibir o falar em outras línguas (I Co 14.39), mas aqueles irmãos que receberam este dom devem pedir também o dom de interpretação das línguas (I Co 14.13) pois então não será somente a pessoas que esta orando em mistérios que receberá edificação e sim toda a igreja (I Co 14.2-5, 12,  26, 31)

 

Relacionamento

Conexoes Ministeriais
 
escudos

Adquira o Livro:

LIVROOOOOO
 
Vamos a Moçambique?

logo Amor pelas Nacoes

Vamos ai Haiti e Cuba?

Julio Patrico em Haiti e Cuba

Sala de Oração ON-Line:

TOCAR O CEU PELA ORACAO

 Entre no Grupo 

facebook

 

 Canal YouTube

 

youtube

 

 

Galeria de Fotos

Newsletter

Assine nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades da nossa igreja.
Receber em HTML?

Vem ai...

Sem eventos

Ministério Avivamento Extravagante | Escola de Ativação Profética.